Gestão de pessoas é um conjunto de práticas que visa o desenvolvimento do capital humano nas empresas. As técnicas de gestão de pessoas envolve motivação, retenção e capacitação do colaborador com o objetivo de melhorar seu desempenho (e o da empresa).  

Daí a importância em ter a gestão de pessoas como o norte do seu RH: ações que engajem e estimulem o progresso delas e que, com isso, o retorno seja redobrado em afinco e disposição para alcançar resultados melhores.

Inclusive, vale destacar que a gestão de pessoal é um dos maiores desafios dos empreendedores brasileiros. 

Uma pesquisa da Endeavor, feita com mais de 1000 profissionais, aponta a gestão de pessoas como a principal dificuldade. Principalmente, na formação de lideranças para a empresa. 

E sem bons líderes a empresa não vai pra frente. Então, como a gestão de pessoas pode ser aplicada e desenvolvida na empresa? 

Neste artigo vamos abordar tudo sobre gestão de pessoas e destacar as 11 melhores práticas de gestão de pessoas. Boa leitura!

O que é gestão de pessoas?

A gestão de pessoas é um conjunto de práticas e metodologias aplicadas com o objetivo de administrar o comportamento dos colaboradores.

Para isso são aplicadas técnicas que permitem o desenvolvimento do capital humano da sua empresa.

Uma gestão de pessoas eficiente garante que sua organização tenha condições de oferecer aos seus clientes um atendimento mais personalizado e eficiente.

Isso porque os colaboradores permanecem mais engajados e comprometidos com o negócio.

A adoção de boas práticas de gestão de pessoas garante a satisfação dos seus colaboradores e a otimização da produtividade — o que, consequentemente, resulta no crescimento saudável da empresa.

 

Como surgiu a gestão de pessoas?

Os primeiros departamentos pessoais começaram a surgir a partir do século XIX. Suas principais responsabilidades eram mensurar os custos das empresa e pouco se falava sobre produtividade

Os funcionários eram vistos apenas como um ativo contábil da empresa. 

Com a criação da CLT, entre as décadas de 30 e 50, surgiu a preocupação das empresas seguirem as leis trabalhistas e designar um responsável para acompanhar os trabalhadores dentro destas regras. Futuramente conhecido como gerente de RH

A longo dos anos o RH foi evoluindo, mas foi a partir da década de 70 que o Departamento Pessoal passou a focar nas pessoas. E o que antes era apenas operacional e burocrático, passou a ser humanizado. 

Foram criados os primeiros planejamentos estratégicos para reter talentos e manter funcionários motivados.

Este seria o início da gestão de pessoas

Gestão de pessoas: conceito, pilares, práticas e estratégias

Qual a importância da gestão de pessoas nas organizações?

Empresas são formadas por pessoas e, por isso, elas são os ativos mais valiosos de uma organização

Sem funcionários motivados, a empresa corre o risco de perder bons talentos e ter uma alta rotatividade. Gerando um clima organizacional ruim, afetando a produtividade e performance de outros profissionais.  

O tempo em que os benefícios financeiros eram o maior atrativo para despertar o interesse das pessoas acabou. 

Hoje em dia, elas querem ter uma visão clara das possibilidades de crescimento, querem ser ouvidas e valorizadas, querem ter mais liberdade de escolhas

É aí que entram as estratégias de gestão de pessoas. Para que os gestores possam identificar o grau de motivação da sua equipe e como extrair os melhores resultados. É uma relação em que todos ganham. 

Mas para atuar de forma assertiva, de acordo com perfil de cada pessoa, é preciso entender os pilares da gestão de pessoas

Quais são os pilares da gestão de pessoas?

A gestão de pessoas envolve uma série de ações focadas em aumentar o bem-estar do funcionário e melhorar o ambiente de trabalho.

Mas para criar uma metodologia de gestão de pessoas eficaz é preciso levar em consideração cinco pilares principais

Confira, e descubra quais deles você já tem estruturado na sua empresa: 

Gestão de pessoas: conceito, pilares, práticas e estratégias
OS 5 pilares da Gestão de Pessoas

1º Pilar: Motivação

O ponto inicial de uma boa gestão de pessoas é a motivação. Ela é o motor que move os  funcionários a darem o melhor de si constantemente.

Por isso, quando uma equipe está desmotivada é preciso saber identificar o que está gerando isso para reverter a situação e oferecer o que ela busca para sua carreira. Antes que ela vá buscar em outro lugar. 

Os incentivos para ter um time motivado são diversos. Você pode oferecer um estímulo financeiro, um plano de carreira consistente, um projeto que seja desafiador, entre outras ações. 

Uma estratégia muito utilizada, é a bonificação por meta atingida. Toda vez que um funcionário ou uma equipe cumprir um objetivo traçado num período pré-estabelecido, a empresa cede algum tipo de gratificação. 

Isso gera uma competição saudável e motiva os membros a se dedicarem em prol de algo importante para a empresa. 

Para isso, é preciso entender o que pode motivaria funcionário a continuar na empresa desempenhando um trabalho de qualidade.

 

2º Pilar: Comunicação

Se a motivação é o pontapé inicial da gestão estratégica de pessoas, a comunicação é a base para que tudo transcorra bem e gerar ótimos resultados. 

Uma comunicação objetiva, transparente e sem hierarquias estimula o senso de dono nos colaboradores e faz com que os funcionários se sintam parte fundamental da empresa. 

Sem um diálogo, muitas informações se perdem no caminho. E isso abre precedentes para interpretações equivocadas e desentendimentos. 

Uma forma de melhorar a comunicação entre líderes e colaboradores é o feedback. Dar um retorno quanto ao desempenho do funcionário abre um canal de comunicação confiável.

Assim a empresa pode mostrar se ele está no caminho certo e quais arestas precisam ser aparadas.

Gestão de pessoas: conceito, pilares, práticas e estratégias

 

3º Pilar: Trabalho em equipe

Saber trabalhar em equipe é um grande diferencial, e a gestão de pessoas deve criar um ambiente propício e utilizar ferramentas para incentivar isso. 

As pessoas são indivíduos complexos com vivências próprias, então é natural fazer ajustes para que todos trabalhem bem juntos. 

Afinal de contas, todos possuem um objetivo em comum: atingir as metas da empresa. 

A organização deve encorajar o espírito colaborativo para minimizar os conflitos e engajar a todos em uma crescente de resultados e disposição para que a empresa, como um todo, se desenvolva. 

Entre as práticas de gestão de pessoas mais assertivas, está a dinâmica de grupo. Ela pode ser feita de uma forma leve e descontraída para enfatizar o companheirismo e gerar empatia entre os colegas de trabalho. 

São as afinidades que unem os colaboradores e criam um ambiente de compartilhamento. 

E como nem tudo é trabalho, é importante criar momentos de integração fora da empresa como happy hours, festas de encerramento e outros tipos de confraternização.

 

4º Pilar: Conhecimento e Competência

Não existe funcionário pronto, todo conhecimento técnico pode ser ensinado e as competências podem ser desenvolvidas. 

A possibilidade de aprender e crescer na empresa é um dos motivos pelos quais os colaboradores se mantém motivados. 

Uma empresa que valoriza isso e monta a melhor equipe possível para maximizar resultados, garante uma gestão de pessoas assertiva. 

Por isso, é essencial que na gestão de pessoal, os funcionários possam avaliar quais conhecimentos e competências precisam ser trabalhados para oferecerem o melhor de si. 

Isso pode ser feito por meio da avaliação de desempenho. A empresa define quais serão as principais competências da organização e de áreas específicas, estipula o peso para os quesitos mais importantes e aplica a avaliação periodicamente.

Assim, empresa e funcionário conseguem ter uma visão do que precisa ser melhor trabalhado. 

 

5º Pilar: Treinamento e Desenvolvimento

Por último e não menos importante, após identificar as lacunas que impedem os funcionários de alcançarem seu potencial, é hora de começar o treinamento e desenvolvimento.

Funciona como uma troca, a empresa incentiva a busca de conhecimento para que o profissional possa aplicar tudo no trabalho de forma eficiente. Assim todos crescem juntos. 

É uma excelente oportunidade para conversar com os funcionários e entender o que eles gostariam de aprender e se aprimorar. 

Seja um treinamento para uma ferramenta técnica, como um software, ou um workshop para desenvolver uma habilidade com vendas, por exemplo. 

E aí, deu para conciliar o momento da sua empresa com os pilares acima? Em seguida, vamos ver como a gestão de pessoas pode ser inicialmente planejada!

Como aplicar a gestão de pessoas na empresa?

Anteriormente, nós apresentamos os pilares da gestão de pessoas — o que se traduz já em alguns princípios básicos de boas práticas para a sua realização.

Só que, antes de irmos às ações, é importante observar que o planejamento é a chave para uma boa gestão de pessoas na empresa.

Começando pelo objetivo da gestão de pessoas: agregar o bem-estar, a produtividade e o desenvolvimento dos seus recursos humanos.

Esse é o norte que os seus profissionais de RH devem seguir ao longo de toda a implementação — e manutenção — do projeto.

Vale ressaltar que a gestão de pessoas pode ser um trabalho em conjunto da liderança da empresa com o RH. 

Os líderes são responsáveis pela gestão da sua equipe, sendo o RH o departamento fundamental para que as atividades definidas no planejamento sejam aplicadas e monitoradas. 

Como a contratação de novos funcionários, avaliação de desempenho, desenvolvimento e treinamento, realocação, promoções e gestão de crises.

Vamos ver, então, como criar um ambiente de trabalho produtivo, sem vaidades e envolto no cuidado em desenvolver os seus talentos internos?

Gestão de pessoas: conceito, pilares, práticas e estratégias

Quais as melhores práticas de Gestão de Pessoas?

Pessoas que se sentem valorizadas e que percebem fazer parte de algo maior (não apenas no faturamento da empresa), trabalham com mais afinco. 

Por isso, para que a gestão de pessoas seja um sucesso, é preciso adotar práticas pontuais que vão ajudar a organização a continuar crescendo. 

Abaixo, reunimos 11 práticas modernas na gestão de pessoas, para serem planejadas e executadas na rotina produtiva da sua empresa. São elas:

1. Ouça o que os colaboradores têm a dizer

Se você deseja que a sua empresa tenha credibilidade com o os seus colaboradores, é imprescindível estar sempre disponível para ouvir o que os profissionais têm a dizer.

Essa atitude mantém a credibilidade da sua empresa e reconhece o funcionário como uma peça importante do sistema. Porém, não basta apenas ouvi-lo.

Você deve buscar soluções na medida do possível, dando o devido valor à iniciativa do colaborador.

Procure desenvolver um relacionamento que permita aos seus colaboradores opinarem e serem ouvidos em suas reivindicações e sugestões.

Além disso, crie condições para que essas comunicações não se percam no meio do caminho. Neste caso, o feedback pode ser uma ótima alternativa.

Uma estratégia de gestão de pessoas começa ouvindo os colaboradores. Por meio de uma comunicação eficiente é mais fácil encontrar soluções e entender a forma de pensar de toda uma equipe.

Como consequência disso é possível obter sucesso na resolução de possíveis conflitos ou dificuldades.

 

2. Estabeleça uma comunicação livre com toda a empresa

Além de ouvir o que o seu colaborador tem a dizer, é essencial pensar na necessidade de otimização do diálogo como um todo, até mesmo para evitar a temida “rádio-peão”.

Estabelecer uma comunicação ativa e eficiente permite que você mantenha os funcionários informados e alinhados aos objetivos e ações decisivas para o negócio.

Como já citamos, o primeiro passo para a satisfação de um colaborador é que ele se sinta parte importante da empresa. Ao estimular a comunicação e o diálogo, você está trabalhando para desenvolver esse sentimento no seu colaborador.

Por isso, uma boa gestão de pessoas deve ser construída com uma comunicação clara e transparente, garantindo a divulgação dos resultados da empresa, prejuízos, lucros e empréstimos, por exemplo.

O compartilhamento dessas informações através da comunicação aberta faz com que os colaboradores se sintam seguros, confortáveis e incluídos nas estratégias de empresa.

 

3. Alinhe a sua equipe à cultura organizacional da empresa

De nada adianta profissionais competentes e com boas qualidades se o perfil dele não tem nada a ver com a cultura organizacional da empresa.

Acredite: isso faz toda a diferença para que todos consigam mirar os seus olhares na mesma direção. E isso vale tanto na manutenção de sua equipe quanto no processo de recrutamento e seleção de candidatos.

Afinal de contas, profissionais com o mesmo perfil das empresas onde trabalham carregam valores em comum. E isso, na busca por resultados, é um diferencial e tanto!

 

4. Ajude a promover um bom clima organizacional

A promoção de um ambiente de trabalho leve e amigável é importante para acabar com o negativismo dentro da empresa.

Por exemplo: gestores autoritários deixam o semblante dos outros mais pesado, preocupado. Agora, líderes que engajam com os colaboradores enfrentam, juntos, os desafios.

Como resultado, o clima é mais ameno e focado no coletivo, e não só em objetivos individuais.

 

5. Invista no processo de atração de talentos

Ao mesmo tempo em que as estratégias de retenção de colaboradores deve qualificar seus colaboradores, o processo de atração de talentos é essencial para que a sua empresa se destaque no mercado.

Para aperfeiçoá-lo, sua empresa deve avaliar todo o processo de recrutamento e seleção.

Sem falar na importância em identificar como a sua marca pode se tornar atraente aos olhos dos novos talentos que estão buscando colocação no mercado de trabalho.

Para isso, analise os seus benefícios e mostre ao mercado que sua empresa é um excelente lugar para trabalhar.

Afinal, vocês oferecem um ambiente desafiador e investe e no desenvolvimento dos profissionais que integram o seu time, por exemplo.

É claro que essas informações devem ser reais, ou seja, a empresa deve efetivamente se preocupar com o seu capital humano para que o discurso vá além da teoria.

Para ajudar a construir essa imagem, sua empresa pode estar presente nas redes sociais, criar uma página específica para apresentar as oportunidades disponíveis e informações gerais sobre a empresa, inclusive com depoimento de atuais colaboradores.

Por exemplo, oferecer feedbacks aos candidatos, mesmo que negativos, pode ser uma maneira de se destacar no mercado. Além disso, também mostra preocupação as pessoas que elas podem vir a tentar uma nova oportunidade no futuro.

 

6. Invista no bem-estar financeiro dos funcionários

Vivemos em uma época em que o RH deve assumir, de vez, o seu lado multifuncional e estratégico para a qualificação da força de trabalho de suas empresas.

Muitas vezes, assumindo as rédeas de condições externas ao ambiente de trabalho, mas que impactam na rotina profissional. É o caso do bem-estar financeiro aos funcionários.

E como exemplo desta prática, uma nova modalidade chegou ao mercado brasileiro – o salário sob demanda. 

A pesquisa CareerBuilder, conduzida em 2017, atestou que 78% dos entrevistados mal conseguem liquidar as contas com o seu ordenado.

Além disso, dos mais de 3 mil entrevistados, cerca de ¾ deles também atestaram que estão com uma ou mais dívidas acumuladas. Sinal claro de que algo precisa ser mudado, concorda?

O salário sob demanda é uma modalidade que vem ganhando força no mercado e visa agregar a flexibilidade para que os colaboradores recebam pelas horas trabalhadas, mas ainda não pagas. Algo que alivia muitos dos problemas financeiros — e aqueles gerados pelos desafios em fechar as contas.

Vamos analisar um exemplo simples: se a empresa tem o costume de fazer os pagamentos dos seus recursos humanos apenas no dia 30, ou no quinto dia útil de cada mês, os profissionais estão limitados a isso.

Se uma conta pendente vai vencer os juros nesse período em que já não há mais dinheiro em conta, as dívidas se acumulam.

Porém, com a oferta do salário sob demanda o profissional pode receber o pagamento dos dias já trabalhados quando quiser.

E o melhor, ele tem flexibilidade para planejar o seu mês.

Recomendamos que você leia esse artigo para entender melhor sobre o salário sob demanda. Nele você entenderá as funcionalidades do Xerpay, um benefício corporativo de pagamentos sob demanda.

 

Gestão de pessoas: conceito, pilares, práticas e estratégias

7. Aposte nos feedbacks como forma de avaliação

Aliás, quando se fala em feedback, é importante destacar que eles são extremamente importantes dentro das práticas internas de qualquer organização.

Isso porque esse processo, quando feito regularmente, demonstra a sua preocupação e interesse com o desenvolvimento do colaborador e de sua carreira.

Para tanto, você deve falar dos pontos positivos e negativos — lembrando que os pontos positivos podem ser apontados pública e privadamente.

Enquanto isso, os pontos negativos devem ser abordados exclusivamente de maneira particular. Saiba também equilibrar as críticas e os elogios.

Quando você investe no desenvolvimento de uma cultura de feedback, é possível colher diversos benefícios para a empresa e para os próprios colaboradores.

Essa ação mantém o clima organizacional saudável e melhora os resultados como um todo.

 

8.  Implante um plano de cargos e salários flexível

A partir das avaliações você pode mapear, eficientemente, quais são as necessidades, os desafios e os objetivos de todos em sua equipe.

Dessa maneira, fica mais fácil alinhá-los aos objetivos, necessidades e desafios da empresa em si. O que se traduz em um afinamento de expectativas para promover a gestão de pessoas.

Quer um exemplo? Você pode identificar que, no geral, os colaboradores sentem que não identificam possibilidades de crescimento na empresa.

Assim, o RH pode considerar o uso de uma nova estratégia para que todos conheçam suas metas, objetivos e quais caminhos eles podem seguir para ascender na carreira.

Vale, inclusive, pensar em outras estratégias para facilitar o trabalho de todos — como o investimento em novas tecnologias. Isso, por si só, já agrega em produtividade e motivação.

 

9. Dê autonomia aos seus colaboradores

As pessoas buscam mais autonomia e flexibilidade em suas rotinas, atualmente. A geração millennial, por exemplo, é pautada por esse diferencial que muitas empresas ainda não promovem com facilidade.

Por isso, descubra como os gestores podem dar mais empoderamento aos seus colaboradores, atuando mais como um consultor do que um chefe rígido e autoritário.

 

10. Realize treinamentos e capacite suas equipes

Os treinamentos e capacitações são ações utilizadas com o objetivo de reconhecer e desenvolver os funcionários.

Essas ações não melhoram apenas o desempenho dos colaboradores nas tarefas diárias como também os conhecimentos que podem ser aplicados em toda a sua carreira profissional.

A realização dessas atividades de desenvolvimento é traz duas vantagens que estão intimamente ligadas: você demonstra ao colaborador que está preocupado com sua evolução e o oferece ferramentas para melhorar o seu trabalho.

Lembre-se: antes de investir em treinamentos, é necessário analisar de que tipo de curso o seu funcionário precisa. Avalie o desempenho, as habilidades e as necessidades do seu negócio para oferecer opções adequadas tanto para você quanto para seu funcionário.

 

11. Invista em tecnologias de gestão de pessoas

A tecnologia é uma grande aliada da gestão de pessoas. Atualmente, o mercado disponibiliza diversas soluções que podem ser utilizadas na automação dos seus processos de recursos humanos.

Atividades burocráticas, como admissões, desligamentos, controle de férias e folhas de pagamento, podem ser realizadas por softwares online, reduzindo o tempo gasto pelos profissionais com tarefas administrativas e garantindo a segurança das informações.

Ao optar por soluções desse tipo, você ganha tempo para se dedicar a tarefas estratégicas e que exigem foco, como a atração e a retenção de talentos.

 

Em resumo, a gestão de pessoas tem um papel fundamental e estratégico na organização. Criar um ambiente em que todos se sintam acolhidos e valorizados é primordial. 

E como você pode ver, a gestão de pessoas exige muito trabalho e planejamento, mas esperamos que depois de ler este artigo você se sinta preparado para transformar e melhorar ainda mais a rotina organizacional e os resultados da sua empresa. 

Quer saber mais como investir nas estratégias de gestão de pessoas? Entre em contato conosco e descubra como a Xerpa pode contribuir com o aumento de produtividade da sua empresa!