O happy hour é um termo em inglês, cuja tradução literal significa “hora feliz”. E o seu conceito está atrelado ao significado do termo, já que prevê um momento de descontração entre as pessoas. E isso, na empresa, pode ser um diferencial e tanto para aproximar os colaboradores, integrá-los e melhorar o clima organizacional no dia a dia.

 

Excelente ferramenta de motivação e engajamento, o happy hour tem sido usado por muitas empresas (de todos os nichos e portes) para socializar e aproximar os colaboradores. 

Afinal, trata-se de uma maneira leve e descontraída de unir as equipes e contar com uma interação mais positiva com os funcionários. Acontece que nem toda empresa entende o valor disso — ou, ainda, sofre com uma organização eficiente desse tipo de evento.

E, para facilitar o seu planejamento, nós pensamos neste post! Acompanhe-nos ao longo desta leitura e aprenda como organizar um happy hour excelente, capaz de enraizar no DNA da sua empresa como um diferencial e tanto para unir toda a empresa!

O que é happy hour?

Trata-se de um evento de socialização — em geral, regado a muita bebida e petiscos — que muitos brasileiros anseiam após o expediente para agregar mais leveza e divertimento em suas rotinas.

O próprio nome, traduzido do inglês, já remete a um bom momento: “hora feliz”. Só que, recentemente, grandes empresas entenderam que é possível trazer para os seus corredores esse tipo de evento.

E não se trata de uma tendência passageira: o happy hour já está inserido na cultura organizacional de muitas empresas de renome, como:

  • 99;
  • QuintoAndar;
  • Webmotors;
  • iFood;
  • Diageo;
  • Heineken.

Isso tem contribuído para aproximar os colaboradores, mas também para gerar um momento de descontração — essencial após um dia estressante, por exemplo. Uma maneira simples e divertida de amenizar as pressões cotidianas e recompensar os seus profissionais por isso, portanto.

 

Por que promovê-lo na empresa?

Acima, nós já destacamos alguns dos motivos que deveriam inspirar o seu setor de RH a investir no happy hour corporativo, mas podemos nos estender nesse assunto. Veja alguns deles, logo a seguir:

  • pode ser uma maneira de integrar setores e também a liderança, que pouco dialogam, mas têm grande participação no fluxo de trabalho;
  • pode atuar como uma ferramenta de comunicação para “quebrar o gelo”;
  • pode servir de instrumento motivacional para unir as pessoas, valorizar os seus recursos humanos e contar com um poderoso meio de engajá-los nos objetivos da empresa.

Vale destacar, ainda, que o evento informal não impede que assuntos de trabalho sejam tratados. É uma oportunidade valiosa, portanto, de gerar eventuais insights para a organização. Afinal, até mesmo em momentos de lazer podem surgir boas ideias focadas no meio corporativo.

Como fazer um bom happy hour na empresa?

O happy hour não precisa ser um evento único e, tampouco, um evento semanal para a empresa. É importante sentir como os colaboradores anseiam por esse tipo de atividade e qual é o nível de engajamento antes de colocá-lo, definitivamente, no calendário da organização.

Além disso, a variedade de happy hours que pode ser implementada exige um planejamento contínuo do seu setor de RH, já que cada um deles vai demandar boa dose de contatos e cuidados para torná-lo em um evento inesquecível.

Abaixo, você pode seguir as nossas dicas para montar o seu evento — dentro ou fora — na empresa!

 

1. Escolha o local

Já sabe se o happy hour vai ser dentro ou fora da empresa? Comece respondendo a essa pergunta, então, e isso vai abrir todas as portas que você precisa até a sua realização.

Isso porque, em bares, o happy hour exige menos atenção do RH: basta encontrar um local adequado e, quem sabe, fechar pacotes corporativos para que todos se divirtam à vontade.

Internamente, por sua vez, demanda mais tempo e planejamento para decidir os comes e bebes, a eventual temática e até mesmo o horário apropriado para que todos possam “comparecer” ao evento após o expediente.

 

2. Envolva os colaboradores

Primeiramente, pense no perfil dos seus colaboradores: eles preferem uma atividade interna ou externa? Bar ou balada? Drinques ou bebidas sem álcool, majoritariamente?

Para ter mais assertividade nas suas escolhas, envolva-os e faça uma pesquisa. A participação deles é essencial para garantir um happy hour do qual todos se divirtam e que seja do jeitinho que eles gostam.

 

4. Valorize também a cultura da empresa

É importante lembrar-se, também, da cultura da empresa. E isso nem deve ser um desafio e tanto, considerando que você pode ter uma cultura organizacional muito bem inserida, e os seus colaboradores se identificam amplamente com a mesma.

Ainda assim, promova um evento que tenha a ver com a identidade da sua marca. Afinal de contas, ele vai refletir o posicionamento da empresa e tem que estar alinhado às suas características.

 

5. Estabeleça algumas regras

Embora tenha a diversão como pilar estrutural, um happy hour não é uma terra sem lei. Por isso, condicione os colaboradores a seguirem algumas regrinhas básicas de boa conduta.

Por exemplo: os vexames, as brigas e as atitudes inconvenientes devem ficar do lado de fora do evento. Assim, a diversão é coletiva, e não apenas de algumas pessoas.

 

6. Vá além da tradicional cervejinha

Que tal um sorteio, uma gincana ou mesmo um encontro fora da empresa que não seja, necessariamente, focado em bebidas alcoólicas (ou que não sejam o elemento agregador)?

Bons exemplos disso podem ser realizados ao longo do ano inteiro. Quer ver só? Tivemos, em julho, a Copa América de Futebol e a Copa Mundial de Futebol Feminino. São oportunidades, portanto, de criar um evento singular para a sua empresa fortalecer o elo com os colaboradores e gerar momentos únicos.

Vale destacar, ainda, que as atividades que vão além da música e dos comes e bebes podem ser usadas como uma espécie de treinamento dos profissionais. As citadas gincanas, por exemplo, podem ser idealizadas de maneira que ajudem uma equipe a ser mais integrada e unificada.

Ou, ainda, bole uma atividade que envolvam diferentes setores para a sua realização (como as afamadas escape rooms). Diversão e aprendizado podem — e devem — caminhar lado a lado, afinal de contas.

Por onde começar?

Viu como toda a diversão do happy hour pode vir carregada de vantagens para o crescimento da sua empresa e, especialmente, a valorização dos seus recursos humanos?

Por isso, reúna as nossas dicas e comece a implementar a ideia para que, em pouco tempo, o evento seja instaurado no seu cotidiano!

E, enquanto isso, que tal assinar a nossa newsletter? É só preencher o seu nome e endereço de e-mail, no canto inferior do nosso blog, para receber todas as nossas dicas e novidades diretamente no seu e-mail. Quem sabe, não surgem insights enriquecedores como os que você viu ao longo deste artigo?