A dinâmica em grupo para empresas é um exercício conduzido com o objetivo de extrair ou disseminar um conhecimento específico aos participantes. Entretanto, algumas dicas de dinâmica de grupo, são valiosas para seu negócio alcançar um excelente resultado com a prática.

As dinâmicas de grupo para empresas podem ser usadas para:

  • contratações;
  • treinamentos;
  • ampliar a motivação;
  • desenvolver a criatividade;
  • melhorar o clima organizacional;
  • promover o engajamento dos colaboradores.

Por mais que, a princípio, a dinâmica de grupo não pareça ser um exercício promissor para engajar os colaboradores, pesquisadores entendem que, quando bem aplicadas, são uma das ações motivacionais no trabalhomais eficazes. 

Você se engana se acha que a dinâmica de grupo é apenas uma ferramenta para processos de recrutamento e seleção de novos funcionários.

Neste post, nós vamos explorar as diversas particularidades desse tipo de ação, com dicas de dinâmica de grupo, que atendem aos variados objetivos da sua organização. Boa leitura!

Antes de partimos para as dicas, se você está preocupado com os colaboradores da sua empresa, principalmente com o engajamento deles, esse eBook gratuito irá ajudar você a encontrar soluções para retenção de talentos. Responda o formulário e receba:


Por que fazer uma dinâmica em grupo na empresa?

A dinâmica em grupo pode ser usada como:

Além das metas gerais apresentadas acima, as dicas de dinâmica de grupo para empresas, também tem objetivos como:

  • ferramenta social, ajudando a “quebrar o gelo” entre membros novos na empresa. Sem falar que contribui com uma relação mais íntima e cheia de afinidade entre os participantes;
  • melhorar o clima organizacional da empresa;
  • avaliar as características de cada profissional;
  • desenvolver o trabalho colaborativo — entre os times e com outras áreas;
  • identificar e desenvolver novas lideranças;
  • fazer uma análise do perfil comportamental dos membros da empresa.

Portanto, a aplicação da dinâmica de grupo proporciona imensa versatilidade à empresa e ainda estimula o engajamento e a motivação dos participantes. Isto porque é uma atividade bastante interativa!

Leia também: Programas de incentivo: um guia para motivar seus colaboradores

Além disso, ela pode vir acompanhada de muitos elementos de gamificação, com a criação de uma situação lúdica para expor uma perspectiva empresarial.

Quer um exemplo prático?

Digamos que a sua empresa vá passar por um momento de transformação de processos analógicos para o digital. Com pitadas de automação.

Para muitos profissionais, isso pode significar uma mudança brusca na rotina, ocasionado por medo de novidades, por não saber mexer com essa nova tecnologia e até mesmo pelo temor de ser substituído.

Com a dinâmica em grupo, o RH da empresa e a liderança daquela equipe podem trabalhar em conjunto para que os colaboradores compreendam — na teoria e na prática — como essa nova tecnologia vai ser implementada.

E não apenas isso.

Em grupo, eles podem testar esse novo software ou sistema, explorar as possibilidades e serem testados a respeito de sua funcionalidade. Neste caso, a dinâmica em grupo se tornou uma ferramenta de treinamento de equipe.

Outro exemplo: uma equipe não consegue entrar em sintonia e não age como um grupo. Mas sim, como um bando desordenado com funções e interesses individuais.

Assim, a dinâmica em grupo para melhorar o clima organizacional, pode ser aplicada, com o objetivo de diluir essa resistência e para que os profissionais consigam se entender e trabalhar coletivamente, em harmonia.

A dinâmica em grupo nos processos seletivos

Para o processo de contratação, a dinâmica em grupo revela muito sobre os candidatos. Isso porque o exercício ajuda o avaliador a identificar não apenas a capacidade técnica de uma pessoa, mas o seu comportamento também.

Para tanto, a dinâmica em grupo deve ter:

  • um objetivo claro;
  • um perfil profissional bem definido;
  • atividades que realmente testem as características desejadas.

Seguindo essas dicas de dinâmica em grupo, você terá como resultado, a eliminação do clima de competitividade, explorando o trabalho colaborativo, deixando a seleção mais leve e ajudando a construir um perfil mais detalhado de cada candidato.

E sabemos o quanto isso é impactante nos resultados futuros da organização e para o RH, na hora de decidir-se por uma contratação em detrimento de outra.

Só que tudo isso parece lindo no papel, não é mesmo? Então, vamos ver na prática como a dinâmica em grupo na empresas já foi aplicada e quais métodos podem ser usados.

6 dicas de dinâmica em grupo: métodos e resultados

A lista é extensa. Mas, abaixo, destacamos:

  • alguns modelos bastante usados;
  • quando eles são costumeiramente aplicados;
  • quais são os resultados esperados.

1. Dinâmica em grupo da amnésia

A proposta é muito utilizada para agregar pessoas e quebrar o gelo de um grupo que ainda não tem familiaridade com o outro.

Para iniciar a tarefa são necessários alguns materiais de escritório, como canetas e etiquetas.

Em seguida, distribua-os aos participantes e solicite que cada um escreva o nome de uma personalidade (alguém famoso) na etiqueta e que cole-a na testa de outro participante.

É importante que cada pessoa não veja o que está escrito na etiqueta que será colada na sua testa, pois os outros indivíduos vão imitar essa personalidade, como se estivessem esquecido o próprio nome. Então, a pessoa com a etiqueta deve adivinhar com base nas pistas dos colegas.

Trata-se de uma dinâmica para desenvolver a criatividade. A atividade é divertida e com alto poder de integração. Faça quantas rodadas julgar necessário para que todos se soltem e participem dessa dinâmica em grupo.

2. Dinâmica de apresentação

Mais simples — mas igualmente funcional —, essa dica de dinâmica de grupo propõe dividir equipes de até 15 pessoas posicionadas em círculo (em pé ou sentadas) e com uma bola entre elas.

A ideia é fazer que a pessoa que estiver com a bola nas mãos faça uma pergunta (como o nome, a profissão, os hobbies ou qualidades) e jogue a bola para alguém.

A pessoa que recebeu a bola deve responder à pergunta e formular outra, jogando a bola para um participante que ainda não tenha respondido.

Vale destacar que o mediador (normalmente, o profissional do RH) também pode participar, com perguntas e respostas, contribuindo com o engajamento de todos.

3. Autoavaliação em grupo

Parece contrastante, o título, não é mesmo? Mas a ideia geral é fazer com que as equipes que já trabalham juntas possam entender e compartilhar seus desafios e produzir melhor.

Também é possível entender quais são as qualidades daquele grupo com base em autoavaliações.

Por exemplo: um participante escreve, em um pedaço de papel, primeiro, o que ele considera um aspecto valioso naquela equipe e, segundo, um obstáculo encontrado.

Funciona melhor se essa dinâmica em grupo for trabalhada anonimamente para que todos se sintam à vontade para expor esses pontos. Em seguida, o mediador recolhe os papéis e redistribui aleatoriamente entre os participantes.

O objetivo é que o grupo possa refletir sobre os tópicos apresentados e discutir ideias para solucionar os desafios e  aprimorar o que já é positivo no trabalho em grupo.

Uma dinâmica para melhorar o clima organizacional – uma vez que muitos dos problemas podem estar relacionados à própria equipe – aumentar a produtividade e otimizar processos.

4. Exercício de criatividade

Uma simples ideia hipoteticamente levantada e que deve ser solucionada em grupo. É importante desenvolver uma situação factível no dia a dia daquela equipe.

Dessa maneira, o mediador pode observar como os integrantes costumam se comportar para resolver um problema e trabalhar melhor o perfil de cada um.

Esse tipo de dinâmica em grupo pode ser usado tanto para esse fim de avaliação (criando uma rotina de feedbacks criativa e funcional) quanto para aprimorar o trabalho coletivo e até mesmo para identificar novas lideranças na empresa.

5. Dinâmica da ilha deserta

Similar ao exercício anterior, mas com uma temática diferente.

O exercício consiste em promover o trabalho em grupo para que todos consigam escapar de uma ilha deserta.

O ambiente lúdico e pouco relacionado ao ambiente de trabalho é interessante porque ajuda a tirar a pressão da atividade, isso faz com que a brincadeira seja mais leve e, mesmo assim, permita a observação comportamental dos participantes em buscar soluções.

Também é uma dinâmica para desenvolver a criatividade dos colaboradores em relação a solução de desafios.

6. Dinâmica do desafio

Por fim, temos uma dica de dinâmica de grupo bastante apropriada para aquele exemplo que usamos, no início do artigo, sobre a chegada de uma nova tecnologia.

A ideia consiste em ter, em uma caixa preta, uma série de desafios preparados previamente pelo mediador.

Vale adiantar que esses desafios devem estar diretamente relacionados ao problema a ser resolvido, que pode ser, por exemplo:

  • facilitar o trabalho em equipe;
  • identificar soluções para problemas produtivos da equipe;
  • desenvolver o trabalho colaborativo;
  • gerar mais intimidade produtiva entre os integrantes.

A intenção é fazer com que esses desafios coloquem os participantes em situações que os façam desenvolver as competências ou habilidades que são necessárias para resolver problemas cotidianos no trabalho.

Só que não é apenas isso: o mediador deve dividir os participantes em dois grupos e fazer a caixinha preta rodar entre eles, com uma música ao fundo (como uma dança das cadeiras).

Assim que a música parar, a pessoa com a caixa na mão pode escolher entre:

  • cumprir o desafio — vale 3 pontos se ele resolver;
  • passar o desafio para alguém de sua equipe — vale 1 ponto;
  • passar o desafio para alguém da outra equipe — perde a chance de pontuar.

Para aumentar a competitividade, vale incluir penalidades para o participante que passar o desafio adiante (seja para alguém do próprio grupo ou da outra equipe). Ganha quem fizer o maior número de pontos.

Como usar a dinâmica de grupo na minha empresa?

Viu como as dinâmicas em grupo para empresas pode ser um importante instrumento para melhorar o clima organizacional do negócio, desenvolver pontos de melhorias e até mesmo trabalhar gradativamente os talentos internos?

Agora, que você já tem em mãos as melhores dicas de dinâmica de grupo, é importante fazer um diagnóstico em todas as áreas da sua empresa e identificar quais das ideias acima têm tudo a ver com a resolução dos problemas encontrados.

E, caso esteja em busca de outras dicas e novidades para promover mais qualidade à produtividade em sua empresa, aproveite para conhecer a Xerpa.

Somos uma plataforma de Recursos Humanos eficiente, que pode ajudar a sua empresa a analisar um currículo e selecionar profissionais e muito mais!

Com o nosso sistema você vai:

  • reduzir o tempo nos seus processos de admissão de desligamento de funcionários;
  • ter um processo mais claro e seguro;
  • evitar penalizações, multas ou qualquer risco relacionados à questões legais e gestão de informação da empresa.

A Xerpa é a única que entrega uma experiência incrível e ainda resolve o problema real que o cliente tem. Fale com um especialista e descubra como reduzir 30% dos custos do seu RH.