As 8 principais técnicas de recrutamento e seleção

recrutamento e selecao

Um dos principais papéis do RH dentro de uma empresa é selecionar os melhores profissionais no mercado para preencher vagas em aberto. Isso, é claro, de forma rápida e eficiente, com a menor margem de erro possível. Para ajudar nessa missão, reunimos neste post as 8 principais técnicas de recrutamento e seleção usadas atualmente.

Você aprenderá como melhorar seus resultados desde a busca por candidatos até o momento de decidir quem é o melhor deles. Confira a seguir!

 

1. Encontre candidatos no LinkedIn

Uma das técnicas de recrutamento e seleção mais comuns consiste em anunciar a posição em aberto em um site de vagas. Depois disso, são escolhidos os candidatos mais promissores entre centenas de currículos recebidos.

Porém, além de trabalhoso, esse método nem sempre é eficaz, já que não há garantia de que os melhores profissionais ficarão sabendo da oportunidade.

A boa notícia é que hoje em dia as redes sociais podem auxiliar nesse processo. A mais indicada é o LinkedIn, que existe especificamente para conectar pessoas a empresas e colegas de profissão.

Segundo estimativas, cerca de 90% dos profissionais de nível superior utilizam a ferramenta. Ou seja, é um ótimo meio de selecionar os candidatos mais qualificados sem precisar fazer uma extensa triagem de currículos.

 

2. Busque indicações

Outra maneira de encontrar bons profissionais sem precisar divulgar a vaga na internet é buscando indicações dentro da empresa.

Afinal, pessoas que já estão familiarizadas com o ambiente da organização e com as atribuições do cargo são as melhores para recomendar alguém que se encaixe nas características desejadas pela vaga.

No entanto, não é só porque um candidato foi indicado que ele necessariamente deve ser contratado. Caso o RH não avalie positivamente o perfil do profissional, o melhor a se fazer é abrir um processo seletivo completo ou recorrer ao recrutamento interno.

 

3. Invista em softwares de análise comportamental

Conhecer bem o perfil do candidato é fundamental na hora de fechar uma contratação. Por isso, softwares de análise comportamental estão entre as técnicas de recrutamento e seleção mais modernas e úteis da atualidade.

Por meio de gráficos e relatórios detalhados, o RH pode verificar as experiências do profissional, avaliar se suas atitudes estão alinhadas com o cargo e estimar sua capacidade de atingir os objetivos propostos.

É um investimento que vale a pena, pois diminui a margem de erro na hora de contratar, gerando redução de custos.

 

4. Aplique testes nos candidatos

Há dois tipos de testes que podem ser aplicados em um candidato dentro de um processo seletivo: o teste psicológico e o teste de conhecimentos.

Os testes psicológicos são feitos por psicólogos e clínicas especializadas, e servem para analisar aptidões como raciocino lógico, saúde mental, inteligência, controle emocional e personalidade.

Existem também versões online dessas avaliações. Nelas, a metodologia aplicada é a mesma, mas de forma simplificada e adequada ao contexto organizacional.

Já os testes de conhecimentos são aplicados quando a empresa procura por um profissional com bastante experiência ou habilidades muito específicas. Existem em muitas versões, tanto teóricas quanto práticas, e oferecem ao avaliador uma visão muito clara do desempenho do candidato nas competências desejadas.

 

5. Proponha dinâmicas de grupo

As dinâmicas de grupo são uma ótima maneira de observar como os candidatos interagem com outras pessoas. Nelas, os profissionais são desafiados a tomar decisões considerando situações específicas e seus próprios valores pessoais.

Inevitavelmente, os participantes repetem nas atividades atitudes que costumam ter no dia a dia, o que é muito importante para avaliar o perfil de cada um. Além disso, é uma forma de tirar os candidatos da zona de conforto, por meio de elementos surpresa ou momentos lúdicos.

Vale destacar que é importante sempre escolher dinâmicas que respeitem as individualidades de cada candidato, evitando constrangimentos desnecessários.

 

6. Faça boas entrevistas

Apesar do grande número de novas técnicas de recrutamento e seleção disponíveis, a entrevista continua sendo a principal ferramenta para conhecer um candidato e minimizar as chances de contratar alguém não qualificado.

Ela pode ter vários formatos, como em grupo, padronizada ou por competência, entre outros. Geralmente, a última etapa de um processo seletivo consiste em uma entrevista individual com o gestor da vaga, que é quem toma a decisão final.

Uma boa dica é aproveitar ferramentas como Skype ou Google Hangouts para realizar entrevistas online nas primeiras fases de um processo de seleção. Assim, a empresa e os candidatos economizam tempo e reduzem custos de infraestrutura e deslocamentos. Nas etapas finais, o mais indicado é que as entrevistas sejam presenciais.

 

7. Defina a cultura da empresa

Existem muitos casos de funcionários com currículos impecáveis que são contratados e rendem abaixo do esperado, ou até mesmo decidem sair da empresa em pouquíssimo tempo. Isso acontece porque o profissional não se identificou com a cultura da organização.

Mas o que é isso? A cultura envolve os valores da empresa, o modo como os gestores atuam e o dia a dia no ambiente de trabalho.

As metas são conservadoras ou voltadas para inovação? Qual a missão da empresa na sociedade? Os processos são rígidos ou flexíveis? Há programas de incentivo? Essas e outras questões são fundamentais para definir se o profissional é ou não compatível com a cultura organizacional.

É preciso ter esse conceito bem definido e deixá-lo claro para os candidatos durante as entrevistas. Isso aumenta as chances de o funcionário contratado permanecer na empresa por bastante tempo.

Com menos rotatividade, o andamento de projetos de longo prazo não fica prejudicado, e os custos da organização com processos de recrutamento são muito menores.

 

8. Adapte o candidato à dinâmica de trabalho

A montadora norte-americana Tesla aplica em seus processos seletivos uma ideia inovadora e muito interessante. Em vez de entrevistas em grupo, testes ou dinâmicas, o candidato é convidado a passar um dia inteiro de trabalho com a equipe.

Nessa avaliação, o candidato executa tarefas cotidianas do dia a dia da vaga e responde perguntas sobre o negócio da empresa.

O método traz benefícios para os dois lados. O gestor pode avaliar o desempenho do profissional na prática, e o candidato verifica pessoalmente quais são as condições de trabalho da empresa e o que será esperado dele no cargo. A chance de acerto aumenta consideravelmente!

A aplicação, é claro, não precisa ser tão radical. A ideia pode ser adaptada de acordo com o tamanho, condições e disponibilidade da empresa.

Gostou das dicas sobre técnicas de recrutamento e seleção? Leia mais sobre RH neste outro post: Entenda por que a terceirização de serviços é boa para a sua empresa.


(Visited 1 times, 1 visits today)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *