o-que-e-plano-carreira

O que é plano de carreira: a chave para a reter e atrair talentos

O plano de carreira é um instrumento fundamental para estimular a satisfação e competitividade interna e também o crescimento gradual da empresa. Você sabe o que é plano de carreira e como criar?

Para que isso fique ainda mais esclarecedor, neste artigo vamos ver o que é o plano de carreira, os benefícios dessa prática, as maneiras de desenvolvê-lo e o plano de ação.

Esse processo tem as seguintes etapas:

  • desenhar a estrutura organizacional da empresa;
  • analisar o momento da empresa e do mercado;
  • avaliar o perfil comportamental e técnico para ocupar os cargos;
  • conhecer as pretensões e expectativas de carreira dos profissionais.

Uma das principais ações motivacionais no trabalho é o plano de carreira. Por meio dele, os seus colaboradores aprendem que são ativos valiosos para a empresa e que seus esforços são recompensados.

Sem falar que esse tipo de postura, para a empresa, se traduz em uma fidelização maior. Os profissionais sabem o que fazer para crescerem e o quanto eles podem se desenvolver internamente.

A questão é: como montar um plano de carreira para atrair e reter os talentos? É o que veremos ao longo deste post. Confira!

O que é o plano de carreira?

O turnover voluntário está entre os motivos pelos quais as empresas — independentemente do seu porte ou ramo de atuação — perdem muitos dos seus talentos.

Não por menos: você, como profissional, deve saber o quanto é frustrante não encontrar perspectivas de crescimento naquilo que você faz.

Com o tempo, é fácil identificar-se com a desmotivação, característica de quem não se sente valorizado. E é aí que o plano de carreira surge como alternativa pontual para o desenvolvimento dos seus profissionais.

Afinal, trata-se da estruturação de um programa que estipula metas, objetivos e expectativas para cada cargo disponível na organização.

Isso ajuda tanto a estimular a competitividade interna para galgar novos rumos profissionais. Mas, também no processo de contratação, sabia?

Por exemplo: durante a entrevista os candidatos já compreendem o que se espera deles e o que ele pode esperar, em curto e médio prazos, para o seu crescimento profissional.

Qual é o valor disso?

Quando bem estruturado e fundamentado, o plano de carreira esboça aos colaboradores da empresa o que eles podem esperar do futuro. Satisfeitos em seus respectivos locais de trabalho, eles vão se engajar cada vez mais com os pilares institucionais da empresa.

Para o empreendimento, os encargos com o já citado turnover são reduzidos. A produtividade é aprimorada e o planejamento é preciso para o crescimento da marca no mercado.

Podemos destacar também outros benefícios, como:

  • redução de custos com eventuais consultorias para novos recrutamentos;
  • diminuição de gastos com treinamentos iniciais de integração para os novos contratados;
  • minimização de riscos com as contratações equivocadas;
  • fluxo gradual de crescimento dentro da empresa.

Vale adiantar que o plano de carreira é um trabalho democrático e acessível a todos os profissionais. E, sem dúvidas, um esforço que envolve o RH e a liderança.

Um dos principais objetivos que levam as empresas a adotarem o plano de carreira é a retenção de talentos. Quer entender um pouco mais sobre ela? Responda o formulário e receba um eBook gratuito!

Como as lideranças são envolvidas no processo?

O trabalho se inicia por meio do diagnóstico de todo o fluxo de trabalho e, então, da segmentação de cargos na empresa.

Em seguida, o RH e a liderança vão se reunir para avaliar a construção de uma carreira em cada setor. Isso inclui o desenvolvimento de cargos e uma análise do perfil desejado, competências esperadas e também uma linha de sucessão.

Assim, os atuais gestores se empenham em crescer também. Também não temem a tarefa de desenvolver as pessoas sob a sua responsabilidade, com medo de perder a sua posição.

A etapa seguinte consiste em falar abertamente com toda a empresa: expor os planos e como vai funcionar o processo.

Isso, automaticamente, funciona como combustível para inflamar os profissionais e estimulá-los a buscarem os resultados esperados.

Quais são os desafios em investir no plano de carreira?

O primeiro deles está no diagnóstico acima citado: é difícil, por vezes, reconhecer gargalos produtivos e quais são os pontos de melhorias.

Até por isso, a elaboração de um plano de carreira não pode ser uma tarefa individual: o trabalho colaborativo é indispensável para que diferentes perspectivas sejam avaliadas.

Outro ponto de atenção é aquilo que se espera dos profissionais. O plano de carreira não esboça apenas ações e projeta resultados, mas capacita e orienta os profissionais.

Com isso, faz-se necessária a elaboração de uma série de treinamentos para valorizar os recursos humanos da empresa.

E sabe por quê? É importante compreender se os esforços da liderança e do RH estão sendo absorvidos e devidamente aproveitados.

Por isso, uma rotina de avaliações e feedbacks periódicos tem que ser implementada — do contrário, perde-se em eficácia no processo.

Além do óbvio: os feedbacks contribuem para que o profissional identifique seus pontos fortes e de melhoria, e que corra atrás de outras maneiras (como cursos de capacitação) para desenvolver suas habilidades e crescer de acordo com as projeções da empresa.

Tipos de plano de carreira no mercado?

Hora de entender como o mercado, no geral, se mobiliza para promover um plano de carreira internamente. Entre os principais, destacamos os seguintes:

1) Plano de carreira em Y

A inspiração para esse modelo de plano de carreira está no formato similar à letra “y”. Isso significa que, em dado momento de sua carreira, o profissional encontra uma bifurcação na carreira.

Aí, ele deve escolher se pretende ser um especialista ou crescer com as responsabilidades de um gestor. Ambas são importantes para o crescimento da empresa, e é a partir de um alinhamento entre as avaliações e o desejo do colaborador que um caminho é escolhido.

2) Plano de Carreira em W

Também pautado pelo desenho de uma letra, o plano de carreira em W oferece bifurcações profissionais, também, mas com um caminho a mais: o de gestor de projetos.

A partir dele desenvolve-se um líder não-convencional, que transita pela área em projetos específicos. Um auxiliar de peso, portanto, para os gestores e os outros membros da equipe.

3) Responsabilidades, perfis e competências

Modelo popular que avalia a demanda da empresa e o seu fluxo. Posteriormente, são avaliados os perfis e habilidades desejados em cada cargo da empresa.

Com base nesse desenho inicial, um processo de avaliação é elaborado, no qual os colaboradores devem passar periodicamente. Os resultados de cada uma dessas avaliações se constituem em um prazo médio e pré-determinado para eventuais promoções.

A questão, aqui, está na forma como a empresa conduz o modelo: é ela quem opta por oferecer uma oportunidade em diferentes áreas com base nos perfis e resultados obtidos.

Trata-se de um modelo mais cauteloso e que, ao longo do tempo, se mostra solidificado para que a empresa e os colaboradores cresçam em diferentes áreas.

Nesse modelo de plano de carreira, existem dois tipos que podem se destacar:

  1. carreira por linha de especialização: o profissional pode ascender na carreira em uma linha definida com base em sua própria especialização, apenas;
  2. carreira por linha de polivalência: o profissional pode transitar por outras áreas da empresa.

Viu como existem diferentes modelos — e outros, além dos que vimos aqui — para explorar um plano de carreira motivacional?

Agora, com base em tudo o que vimos aqui, faltou explorar detalhadamente como colocar em prática tantos conceitos, demandas e planejamentos. É o que veremos a seguir!

Plano de carreira na prática

A questão foi abordada brevemente, nos tópicos anteriores. Mas, vamos ver agora como isso deve ser feito com boa dose de planejamento e assertividade.

Como criar um plano de carreira: passo a passo

O primeiro passo consiste em desenhar a estrutura organizacional da empresa. Isso já ajuda a identificar onde, e quais, são os cargos disponíveis e quais podem surgir ao longo do tempo.

Vale destacar também que o momento da empresa e a sua posição — em curto, médio e longo prazos — no mercado influenciam nesse planejamento. Por exemplo: não podemos contar com um crescimento exponencial se o país está em crise e, o seu segmento, estagnado.

É uma boa hora para avaliar quais cargos serão alocados internamente, com base no perfil pretendido, e o que deve ser trazido de fora para ocupar imediatamente novas posições.

Isso tudo ajuda a fazer uma transição mais segura, harmônica e sem interferir negativamente na produtividade e lucratividade da empresa.

Todas as vertentes devem ser analisadas para que as decisões sejam vistas como investimentos, e não apostas.

Aproveite e confira se existem possibilidades de realizar as tarefas abaixo para complementar todo o esboço do plano de carreira na sua empresa:

Outras informações importantes para o planejamento de um plano de carreira:

  • escute os funcionários e avalie, na visão deles, o que pode ser feito para desenvolver o plano de carreira;
  • use esse exercício para avaliar as pretensões e expectativas de carreira de cada um;
  • reuniões coletivas entre o RH e a gestão devem acontecer periodicamente também — seja para avaliar novas etapas ou mesmo para traçar novos perfis de cargos e objetivos.

Convém perceber que o último tópico é determinante para o processo seletivo da empresa.

Quando se tem um plano de carreira e o fluxo de trabalho bem traçados, a contratação também é beneficiada e corre-se menos riscos de trazer funcionários descompromissados ou sem as habilidades e o perfil comportamental desejados na empresa.

Como resultado, a empresa vai ser autossuficiente em diferentes níveis, promover uma boa reputação no mercado e reduzir o estresse no trabalho. Afinal de contas, a comunicação interna vai ser mais direta e objetiva.

Como iniciar essa prática de negócio na empresa?

Seguindo algumas das práticas citadas neste artigo, todos na sua empresa saberão o que deve ser feito para crescerem internamente, e até onde eles podem ascender profissionalmente.

São benefícios palpáveis e intangíveis — e todos eles são diferenciais que podem promover o sucesso da empresa imediatamente ou em longo prazo.

E então, agora que já vimos tudo a respeito da construção de um plano de carreira sólido para a sua empresa, que tal dar o primeiro passo nessa direção?

Conheça a Xerpa, uma plataforma de Recursos Humanos, que vai transformar a maneira como sua empresa faz a gestão de pessoas.

Com o nosso sistema você vai:

  • reduzir o tempo nos seus processos de admissão de desligamento de funcionários;
  • ter um processo mais claro e seguro;
  • evitar penalizações, multas ou qualquer risco relacionados à questões legais e gestão de informação da empresa.

A Xerpa é a única que entrega uma experiência incrível e ainda resolve o problema real que o cliente tem. Fale com um especialista e descubra como reduzir 30% dos custos do seu RH.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.