Não é só o dinheiro que motiva as pessoas em um contexto de trabalho, muitas vezes, o mais importante é uma cultura organizacional positiva. Isso porque, em um ambiente de trabalho alinhado com os seus valores pessoais, é muito mais fácil produzir e se manter motivado, não é mesmo?

Se você ainda não conhece muito bem o significado de cultura organizacional ou não sabe como trabalhá-la na sua empresa, está na hora de começar a aprender tudo sobre ela!

Afinal, a cultura organizacional vem se tornando cada vez mais importante no mundo empresarial. Além disso, ela é parte integrante de qualquer estrutura de negócios, pois é composta de todos os valores, crenças, hábitos e até mesmo a identidade da empresa em questão.

Para lhe ajudar a entender um pouco melhor o assunto, neste post, trouxemos um conteúdo super completo sobre cultura organizacional para você entender melhor o impacto dela no ambiente de trabalho da sua empresa. Confira!

Por que a motivação é importante?

Até 2014, havia quase 3 milhões de brasileiros no exterior. Em muitos casos, essas pessoas optaram por pedir demissão de seus empregos e buscar a tão sonhada felicidade longe do conforto de seus lares.

Essa é uma das provas que o dinheiro apenas satisfaz as pessoas até certo ponto, o resto fica a cargo de coisas mais importantes, como motivação, bem-estar, saúde mental, valores positivos, e qualidade de vida, que nem sempre são encontradas em ambiente de trabalho.

Cada vez mais, as pessoas, ao buscar um emprego, passaram a ter objetivos mais profundos que meramente o sucesso financeiro, que envolvem desafios maiores e motivadores, movidos por valores individuais e coletivos.

Por isso, não é difícil encontrar pessoas que largaram empregos bem remunerados, mas com uma cultura organizacional negativa, em busca de algo melhor, mesmo que isso signifique começar do zero em um lugar novo.

 

Cultura organizacional e a Hierarquia das Necessidades Humanas

Com a mentalidade de que nem todas as necessidades humanas estão ligadas à remuneração financeira, o teórico Abraham Maslow criou a Hierarquia das Necessidades Humanas.

Em sua teoria, ele representa, da base ao topo, as diversas motivações humanas na vida, em ordem crescente. Da seguinte forma:

  • fisiológica;
  • segurança;
  • social;
  • estima;
  • autorrealização.

As primeiras necessidades, as fisiológicas, representam níveis mais básicos e, conforme são conquistadas, as pessoas passam a querer evoluir em busca da autorrealização.

Mas qual a relação disso com uma cultura organizacional forte? Para que sua empresa possa atender às necessidades dos colaboradores, ajudando-o a busca autorrealização e qualidade de vida, é preciso oferecer um ambiente favorável, não só um bom salário.

A chave está, em grande parte, nos elementos da cultura organizacional. Ao entender esse conceito você verá como pequenos aspectos podem ser extremamente benéficos para a estrutura da sua empresa e para o dia a dia de colaboradores.

>> Uma das propostas do bem-estar no trabalho é promover a qualidade de vida na empresa! Para isso, criamos um e-Book recheado de dicas para criar um programa de qualidade de vida na sua empresa. Clique aqui e acesse agora mesmo!

O que é cultura organizacional?

A cultura organizacional é o nome que se dá a hábitos, crenças, valores e comportamentos compartilhados em um ambiente de trabalho e que definem como uma determinada empresa conduz seus negócios.

A cultura empresarial é a base de toda organização e, se for positiva, é capaz de fazer com que uma empresa se destaque entre as demais do ramo, passando a ser valorizada por colaboradores e clientes.

Isso porque a cultura interna de uma empresa é sua identidade e representa a forma de pensar, agir e perceber o mundo a sua volta e como ela passa isso a seus colaboradores e clientes.

No entanto, esse termo nem sempre foi ligado a empresas. Quando a cultura organizacional surgiu, no século 18, ela era um sinônimo de gestão do comportamento humano, passando a ser associada a empresas somente na década de 50.

Um dos grandes marcos teóricos da cultura organizacional é o livro “Organizational Culture and Leadership” do especialista Edgar Schein. Nas palavras de Schein:

“a cultura representa para grupos e organizações o mesmo que caráter para indivíduos”.

O mais interessante é que a cultura de uma empresa se relaciona com seus colaboradores e vice-versa.  Ao chegar em uma empresa, um novo colaborador encontra algo já instituído. Assim, ele começa a se adaptar assimilando e compartilhando valores, mas ele também ajuda a criá-los.

Além disso, vale ressaltar que a cultura interna de uma empresa tem elementos de diferentes naturezas. Uns são observáveis, outros são apenas vividos e sentidos.

No entanto, independente de seus elementos, ela precisa sempre ser bem clara, para que os colaboradores entendam os benefícios de uma identidade única, já que a cultura organizacional é a responsável por unir os funcionários e otimizar processos.

 

Qual a diferença entre clima e cultura organizacional?

Quando essa cultura organizacional pode ser percebida por propriedades mensuráveis no ambiente de trabalho em relação a seus colaboradores, se trata, então, do clima organizacional.

Ele representa o modo como as pessoas se sentem em uma empresa, envolvendo tanto aspectos emocionais, quanto questões técnicas em relação aos planos de carreira e possibilidades de crescimento na empresa.

Cultura organizacional: o que é, a importância, quais os tipos e como criar!

O clima organizacional se reflete em todas as relações e esferas da empresa, atingindo os colaboradores, superiores e até mesmo clientes, por isso, deve ser observado com bastante atenção.

Em resumo, é a percepção da empresa pelos olhos de todos os stakeholders , bem como o grau de satisfação com o trabalho sendo desempenhado e com a cultura organizacional.

>> Neste livro digital nós oferecemos um passo a passo para aplicar uma pesquisa de clima organizacional na sua empresa. Clique aqui e baixe agora mesmo!

Quais são as características da cultura organizacional?

A cultura organizacional é muito mais complexa do que imaginamos, visto que ela é composta por características que vão muito além do visível e perceptível pelos colaboradores de uma empresa.

No entanto, para que ela seja mensurável foram criadas algumas características básicas que capturam os principais aspectos formadores da cultura corporativa. Confira a seguir quais são eles:

 

Inovação e tomada de riscos

Essa é uma das características principais a serem analisadas na hora de definir como é a cultura organizacional de sua empresa, já que mede quanto os colaboradores são estimulados a inovar e assumir riscos.

Ela mostra se a empresa está alinhada com práticas inovadoras ou apenas está parada no tempo, presa em processos burocráticos e sem muito espaço para os funcionários exercerem sua criatividade.

 

Atenção aos detalhes

Outro entre os elementos da cultura organizacional é a atenção aos detalhes, isto é, a maneira que os funcionários de uma empresa têm atenção aos processos desempenhados e ao trabalho realizado.

Essa característica da cultura empresarial é muito importante, pois mostra quanto que a empresa é competente e comprometida em prestar um serviço de qualidade em todos os âmbitos.

Além disso, vale ressaltar que locais de trabalho com maior atenção aos detalhes costumam buscar colaboradores mais analíticos e que sejam bastante dedicados e organizados.

 

Orientação para os resultados

É uma verdade universal que toda empresa busca resultados. No entanto, o grau que cada uma delas está comprometida a isso é um dos elementos definidores da cultura organizacional.

Além disso, a maneira que essa empresa trabalha na busca desses resultados também possui bastante impacto organizacional, já que também é parte importante do processo de obter resultados e da mentalidade dos colaboradores.

 

Orientação para as pessoas

A orientação para pessoas é outra característica fortemente definidora da cultura corporativa que surge desde o processo de recrutamento e seleção e se espalha por todas as áreas da empresa.

Ela é definida pelo grau que uma empresa está comprometida em ter atenção à maneira como os processos afetam as pessoas no local de trabalho, bem como para os papéis que elas desempenham.

Dessa forma, empresas com um nível mais alto de orientação para pessoas costumam ser ambientes de trabalho mais saudáveis para os empregados, já que verdadeiramente se importam com suas condições de trabalho na empresa.

 

Orientação para as equipes

Ao analisarmos os elementos que formam a cultura organizacional, vale a pena ressaltar a importância da orientação para equipes para se ter uma cultura organizacional forte e positiva.

Ela se refere à maneira como as atividades de trabalho são organizadas e como os colaboradores trabalham em equipe, analisando a coesão entre os indivíduos dentro da empresa.

Essa característica é muito interessante, pois, quanto mais presente ela estiver na cultura da empresa, maior será a produtividade e mais fácil será realizar atividades complexas e, por consequência, atingir resultados.

Cultura organizacional: o que é, a importância, quais os tipos e como criar!

 

Agressividade

Agressividade é uma das características mais complexas de se analisar quando se trata da cultura de uma empresa. Isso porque ela se relaciona a quanto as pessoas pensam fora da caixa e são competitivas.

Normalmente, essa característica se relaciona com outras, como por exemplo, a questão da empresa ser voltada a resultados, já que quanto mais uma empresa deseja atingir suas metas rapidamente, mais agressiva ela será.

No entanto, não se deve confundir essa característica com a agressividade entre pessoas, que é algo negativo em qualquer clima organizacional. Agressividade só deve ser usada em relação a metas e objetivos para que seja positiva.

Quais os tipos de cultura organizacional?

Charles Handy, o teórico que cunhou o termo cultura organizacional, delimitou 4 tipos de culturas organizacionais que podem se apresentar na empresa.

Apesar de cada empresa ter uma cultura única, os tipos definidos por Handy ajudam a facilitar a compreensão do modelo adotado por cada tipo de negócio, tornando mais simples a visualização dos objetivos centrais de cada modelo.

Então, quais os tipos de cultura organizacional? Conheça-os, detalhadamente, logo abaixo:

 

Cultura do poder

A cultura do poder é um dos modelos adotados por boa parte das empresas atualmente, apesar de ser considerado ultrapassado por alguns teóricos. Esse tipo de cultura organizacional foca na liderança individual com concentração de poder.

Normalmente, a cultura do poder está presente em empresas menores, já que conta com um controle bastante centralizado. Além disso, nesse contexto é comum haver bastante competição, já que o foco dessas empresas é o resultado.

Por isso, muitas vezes pode ser desagradável e cansativo trabalhar em empresas com esse tipo de cultura organizacional, uma vez que desavenças entre colaboradores são frequentes e porque há barreiras na hora de inovar.

Outra desvantagem é que na cultura do poder as recompensas não são dadas por mérito, mas sim pelo nível de simpatia que o líder possui pelo colaborador. Isso costuma inspirar o individualismo e diminuir o trabalho em equipe.

Então, nesse tipo de cultura corporativa, é possível que haja crescimento da empresa, no entanto, não costuma persistir, já que os conflitos atrapalham muito o bom desenvolvimento e a obtenção de resultados.

 

Cultura de papéis

Nesse tipo de cultura organizacional o foco é o desempenho dos colaboradores, havendo papéis muito bem distribuídos e engessados na estrutura da empresa. Nesse contexto, inexiste espaço para inovação e proatividade.

Em consequência disso, esse modelo de cultura empresarial se torna muito burocrático e lento, perdendo em produtividade e resultados.

Além disso, como os papéis na empresa são muito fixos, não há perspectiva para crescimento na hierarquia empresarial, o que deixa os funcionários exaustos e desmotivados.

Muitas empresas costumam optar por esse modelo para deixar bem claro os processos de trabalho e funções a fim de evitar acidentes, mas acabam não pensando nas consequências negativas dessa cultura organizacional no processo.

 

Cultura de tarefas

Na cultura de tarefas, como o nome já denota, o objetivo é ter atividades executadas. Por isso, um dos elementos dessa cultura organizacional é a obtenção de profissionais qualificados e especializados.

Nesse contexto, os colaboradores estão bastante aptos a lidarem com os problemas do dia a dia e o ritmo da empresa é definido de acordo com os acontecimentos do momento.

Por isso, é uma cultura flexível, o que pode ser bastante benéfico e motivador para os colaboradores, gerando mais motivação diária.

Outro aspecto positivo é que nesse tipo de cultura empresarial a criatividade é bastante valorizada, já que o foco é sempre buscar novas maneiras de chegar a uma solução para o problema.

 

Cultura de pessoas

Esse tipo de cultura organizacional é representada pelos colaboradores e costuma ser muito positiva e motivadora para os funcionários da empresa.

Nesse contexto, há uma integração muito maior entre os colaboradores, bem como um foco na gestão de pessoas, abrindo grandes possibilidades para evolução e crescimento dentro da empresa.

Além disso, é um ambiente que estimula a inovação e conta com uma maior flexibilidade. Isso tudo é parte de uma estratégia que busca a retenção de talentos e formação líderes dentro da empresa.

Cultura organizacional: o que é, a importância, quais os tipos e como criar!

Para completar, há uma preocupação constante com o bem estar do colaborador. No entanto, esse tipo de empresa não pode deixar de ter em mente os resultados e outros aspectos importantes, como a relação com os clientes.

Por fim, vale ressaltar que as empresas que adotam esse modelo de cultura organizacional costumam ser mais novas e com modelos de gestão mais modernos, como startups.

Como a cultura organizacional nasce?

Normalmente, a cultura organizacional de uma empresa nasce de forma muito natural, já que ela é composta pela rotina diária da companhia. Todas as práticas, hábitos, comportamentos, símbolos, crenças, valores e muito mais constituem a cultura corporativa.

No entanto, se o seu intuito é criar uma cultura organizacional forte e estratégica, positiva para sua empresa, não é nada fácil. Isso porque depende, principalmente, de estabelecer práticas e políticas positivas claras dentro de uma empresa.

Além disso, é necessário um trabalho constante do setor de RH para que os funcionários vejam a empresa de forma positiva e alinhada com os valores e objetivos da empresa.

Para facilitar a assimilação de cultura, o ideal é que todo o processo esteja ligado ao setor de comunicação da empresa, que deve trabalhar de forma incessante para passar a mensagem ao colaborador.

Do início do estabelecimento da cultura até a solidificação real na mentalidade dos colaboradores pode levar algum tempo, por isso, é necessário paciência e sempre estar aberto a feedbacks. Além disso, é essencial acompanhar de perto com avaliações periódicas.

Quais os benefícios de ter uma cultura bem definida?

Uma cultura forte é vantagem competitiva de muitas empresas. Como falamos, ela pode ser um atrativo para um capital humano qualificado. Mas seus benefícios atingem ainda outras dimensões, como os próprios resultados do negócio em si.

Veja agora o que uma cultura organizacional definida traz como vantagens para a empresa!

 

Pertencimento

Fazer parte e sentir-se parte são coisas diferentes. Você pode até fazer parte de um grupo por dividir objetivos em comum com ele, partilhar o mesmo ambiente e ter interesses semelhantes, mas o sentimento de pertencer a um contexto vai além disso.

Pertencimento tem a ver com aceitação, valor, integração, função, entre outras características que agregam um sentido maior ao “fazer parte”.

Nesse sentido, podemos dizer que uma cultura forte é aquela capaz de gerar uma identificação com a missão da empresa, envolvendo as equipes de forma que se sintam importantes para alcançar um propósito.

Com isso será muito mais fácil atingir objetivos e não só isso, também haverão menos conflitos internos, já que o pertencimento gera união entre os colaboradores.

 

Engajamento

Quando o trabalho faz sentido para a equipe, ela se engaja mais facilmente com os desafios diários, direcionando um esforço sem limite para que as metas sejam alcançadas.

Colaboradores engajados são aqueles que têm um compromisso com o resultado, dando o máximo de si para superar obstáculos e entregar um ótimo trabalho.

Esse tipo de conduta potencializa o aprendizado e o desenvolvimento de talentos e habilidades, formando profissionais qualificados.

 

Produtividade

Como consequência do pertencimento e do engajamento das equipes de trabalho, temos a produtividade, que é uma característica visível e mensurável, com impacto direto na rentabilidade de um negócio.

Colaboradores mais produtivos é o que todo gestor busca. Porém, nem todos têm a consciência de que a cultura influencia a produtividade.

Muitas vezes, atribui-se toda a responsabilidade sobre o bom desempenho ao indivíduo, mas a empresa deve manter sua equipe motivada e oferecer condições para alcançar a alta performance.

Entre os fatores principais dessas condições, podemos destacar a estrutura, as ferramentas de trabalho disponíveis, a presença de treinamentos, o relacionamento interpessoal, organização e o clima organizacional.

Sendo assim, é possível afirmar que uma cultura que valorize o bem-estar do colaborador, o aprendizado, o desenvolvimento e as boas relações dentro do ambiente de trabalho terá como resultado um capital humano motivado e produtivo.

Cultura organizacional: o que é, a importância, quais os tipos e como criar!

 

Recrutamento e seleção otimizado

Uma das maiores vantagens de uma cultura organizacional forte e clara é uma maior facilidade no recrutamento e seleção. Isso porque, quanto mais clara for a identidade da sua empresa, mais simples será encontrar pessoas que estejam alinhadas com ela.

Desse modo, filtrar os candidatos ideais será mais simples, pois eles saberão como a empresa funciona e quais são as práticas e valores presentes. A empresa também terá benefícios, já que terá uma ideia de que perfil buscar.

Toda essa simplicidade de processos refletirá nos bolsos e também em taxas muito importantes, como o turnover, já que quanto mais alinhado com os valores da empresa estiver um funcionário, são menores as chances dele sair.

 

Bom relacionamento

Quando uma cultura organizacional é baseada em aspectos positivos, a empresa desfruta de um bom clima entre os funcionários, o que reflete em uma maior cooperação e uma menor quantidade de conflitos.

Isso também mostra como a cultura organizacional influência na produtividade dos seus funcionários, já que os resultados também passam a ser muito melhores e o tempo de execução de tarefas menor.

Para completar, vale ressaltar que isso pode ter até mesmo um impacto positivo nos níveis de estresse dos colaboradores, já que em um ambiente mais coeso é mais fácil e tranquilo trabalhar.

Como identificar se a minha empresa tem uma cultura organizacional forte?

Identificar uma empresa com uma cultura organizacional forte não é nada difícil. Uma pesquisa feita pela consultoria Talenses, com 184 profissionais, mostra que mais de 63% sabe quando a empresa onde trabalham possui uma cultura organizacional forte.

Segundo a empresa, essa percepção também costuma ser mais fácil para pessoas em níveis hierárquicos mais altos, já que, muitas vezes, as empresas não deixam claro suas estratégias para os colaboradores comuns.

De acordo com dados da pesquisa, alguns dos sinais de que a cultura corporativa da sua empresa pode ser forte são:

  • Padrões comportamentais bem definidos;
  • Bom engajamento;
  • Taxa de retenção elevada;
  • Taxa de sucessão elevada;
  • Adaptação a novas tecnologias;

No entanto, tudo depende do mercado no qual sua empresa atua e qual o tamanho e a quantidade de funcionários de seu negócio.

Porém, uma coisa é certa: para uma cultura organizacional forte é imprescindível que seus objetivos estejam bem delineados. Não só para os líderes, mas para os colaboradores e clientes de forma geral.

Quais são os sinais de uma cultura organizacional tóxica?

Muitas vezes, uma empresa está imersa em uma cultura organizacional tóxica que prejudica o bem-estar dos colaboradores, reduz a produtividade e diminui a motivação sem nem perceber!

Para que isso não aconteça, é necessário que você esteja atento aos sinais de uma cultura organizacional negativa para prevenir que ela se torne algo tóxico para sua empresa. Confira alguns dos indícios de que algo pode estar errado:

 

Fofocas no ambiente de trabalho

Um dos alertas vermelhos para problemas em sua cultura organizacional é o surgimento de fofocas entre os colaboradores. Muitas vezes, elas refletem uma falta de coesão entre o grupo ou até mesmo inimizades.

As fofocas surgem quando os funcionários deixam de confiar em seus líderes ou não acreditam na eficiência dos processo, ou pior ainda: não veem possibilidade de crescimento naquele ambiente por questões de favoritismo.

De qualquer modo, a fofoca é sempre um sinal de que algo grave está acontecendo em sua empresa. Por isso, ao se deparar com esse problema, busque resolver os conflitos de uma vez por todas e implante uma política que favoreça a comunicação direta.

 

Desmotivação

A motivação é um ponto importante para qualquer empresa. Isso porque os colaboradores precisam estar comprometidos com seu trabalho e, principalmente, com os objetivos da empresa.

Por isso, quando eles começam a ficar desmotivados e até mesmo ociosos, é um sinal de que uma cultura organizacional negativa está em ação.

Dito isso, é importante que, ao primeiro sinal de que seus colaboradores não estejam adequadamente engajados ou motivados, você adote mudanças a sua cultura organizacional.

 

Jogo de poder

Em empresas onde o clima organizacional está extremamente negativo é possível notar uma competição exacerbada entre os colaboradores, a ponto de segurarem informações uns dos outros para a obtenção de poder.

Por isso, fique atento se os colaboradores passarem a culpar uns aos outros por erros cometidos, já que esse é outro sinal de que há uma tentativa de brigar por espaço dentro da empresa.

Por fim, vale lembrar que o jogo de poder é algo que apenas vai escalar de uma forma negativa, por isso, certifique-se de pará-lo o mais rápido possível para não afetar ainda mais a cultura organizacional.

 

Líderes controladores

Infelizmente, líderes controladores ainda são uma realidade em muitas empresas. Então, é preciso sempre acompanhar o comportamento de seus líderes e gestores para ver se não estão tornando o clima e a cultura organizacional negativos.

Normalmente, esses profissionais prejudicam o ambiente de trabalho por não abrirem mão do seu controle absoluto para permitir que o trabalho seja bem feito. Além disso, os líderes controladores costumam dificultar a inovação.

Este comportamento é um reflexo de uma cultura organizacional tóxica e pode ser altamente prejudicial para a empresa, podendo afastar clientes e até mesmo talentos internos.

 

Alto índice de turnover

Nem sempre um alto índice de turnover significa uma cultura organizacional negativa. Porém, se isso perdurar por um bom tempo e sem um motivo aparente, pode ser um sinal de que algo está errado com sua cultura corporativa.

Isso quer dizer que os trabalhadores não estão aguentando ficar na sua empresa e que os líderes não estão se importando o suficiente com isso para fazer algo sobre.  

Por esse motivo, é necessário observar bem de perto seu índice de turnover e acompanhar com entrevistas detalhadas os processos de demissão. Assim, você perceberá rapidamente a origem real do problema.

Cultura organizacional: o que é, a importância, quais os tipos e como criar!

Como criar uma cultura organizacional?

Um dos principais desafios enfrentados pelas empresas atualmente é criar um negócio com uma imagem positiva tanto internamente, quanto externamente. Para tal, é preciso ter uma cultura organizacional positiva e bem organizada.

Mas essa não é uma tarefa fácil! Por isso, montamos um passo a passo para lhe ajudar na hora de criar uma cultura corporativa positiva. Confira a seguir:

 

O que você quer que a sua empresa seja? Missão, visão e valores

Antes de formatar a sua cultura organizacional, é preciso ter em mente o que você deseja que seu negócio se torne e como você quer que ele seja visto pelo mercado. Para isso, é imprescindível que você estabeleça sua missão, visão e valores.

A missão é o propósito da empresa, ou seja, o motivo pela qual ela foi criada. Já a visão é o que você deseja alcançar, onde você quer chegar com seu negócio. Por fim, os valores são as crenças que servem de guia para as atitudes e ações tomadas no seu negócio.

 

Como seus funcionários veem sua empresa?

Muitas empresas só pensam em sua estrutura na perspectiva externa, alisando a imagem do negócio perante aos clientes e ignorando o principal, o público interno.

A percepção dos funcionários do ambiente de trabalho é importante porque, a partir dela, é possível criar um clima organizacional positivo, bem como uma cultura organizacional forte, já que para isso é preciso que haja internalização de processo por parte dos funcionários.

 

Sobre o que mais os colaboradores precisam estar cientes?

Ao estabelecer a cultura organizacional da sua empresa é preciso pensar na missão, visão e nos valores. No entanto, isso não é tudo. É necessário também pensar em todos os aspectos gerais presentes na rotina dos colaboradores.

Tudo, incluindo práticas, princípios, comportamentos, regras, políticas internas, e muito mais deve ser passado aos colaboradores com extrema clareza e cuidado para que sejam internalizados como parte da cultura empresarial.

 

Sua política está clara?

Nada do que foi dito, no entanto, valerá se a sua empresa não criar uma política compreensível. Isso porque, se ela não estiver estruturada de maneira simples e clara, será impossível de ser seguida pelos colaboradores.

Por isso, ao criar sua política interna, utilize uma linguagem acessível a todos os funcionários. Além disso, explique bem cada item e dê espaço para os colaboradores tirarem dúvidas, assim, a internalização da cultura será mais rápida e fácil.

 

Como facilitar a compreensão da cultura?

Frequentemente, mesmo com uma política clara e uma abordagem voltada ao público externo, a cultura da empresa não fica clara para os colaboradores e, como consequência, não é internalizada.

Por isso, é essencial que as dicas sugeridas neste artigo sejam realizadas em parceria com a área de Recursos Humanos da empresa, para que elas possam ser frequentemente lembradas.

Informes internos, comunicados, campanhas, banners, folhetos, intranet, palestras e cartazes são algumas das maneiras de ajudar a divulgar a cultura interna da empresa. Porém, cada negócio deve escolher a abordagem que funciona melhor para sua estrutura.

Cultura organizacional: o que é, a importância, quais os tipos e como criar!

 

Como implantar a cultura organizacional?

Depois de criar sua cultura organizacional, é hora de seguir algumas técnicas para implementá-la da maneira correta. Afinal, se sua cultura empresarial não for forte, a produtividade organizacional será prejudicada!

O primeiro passo para isso é criar um documento completo detalhando a sua cultura organizacional, contendo práticas, diretrizes, regras internas e muito mais. Esse conteúdo servirá como base para a implementação geral das práticas que irão embasar a cultura da empresa.

Feito isso, é importante alinhar toda essa estrutura com os objetivos dos funcionários. Para tal, é interessante promover palestras e reuniões onde haja espaço para a divulgação da cultura interna, mas onde também seja possível ouvir questionamentos dos colaboradores.

Uma vez que os funcionários estejam informados, também é importante deixar claro quais são as regras estabelecidas. Caso contrário, cada cada um resolverá agir de uma forma, e a cultura pode se perder.

 

Qual o papel do líder na cultura organizacional?

Agora, o principal para conseguir implantar uma cultura organizacional forte é ter um bom exemplo dentro da equipe. O ideal é que essas práticas tenham início pela liderança.

É importante fugir da famosa máxima “faça o que eu digo, não o que eu faço” dentro das empresas, já que boas práticas devem sim ser copiadas e comportamentos negativos precisam ser eliminados de todos os níveis empresariais.

Além disso, os líderes são importantes para aproximar a equipe e reforçar práticas positivas. Essa aproximação ajuda a criar um ideal em comum e fortalece uma visão de grupo que é muito importante para a produtividade organizacional.

Por fim, vale a pena ressaltar que o líder também é responsável por acompanhar e avaliar o andamento do processo de implantação da cultura organizacional e garantir que tudo está funcionando adequadamente.

 

Como conservar a cultura organizacional?

Criar e implantar uma cultura organizacional positiva é muito importante. No entanto, o que vale mesmo é fazê-la permanecer, já que o que define uma cultura corporativa é aquilo que fica enraizado no dia a dia.

Para ajudar no processo de manter a cultura empresarial é interessante:

  • Manter uma clareza de propósitos;
  • Permitir uma certa liberdade, porém com limites;
  • Facilitar a comunicação;
  • Criar senso de interdependência;
  • Trabalhar sentimentos positivos entre colaboradores.

Esse último ponto é, provavelmente, o mais importante, já que é um senso de coletividade forte que faz com que uma cultura organizacional positiva permaneça mesmo com a entrada e saída de funcionários.

Quais são os melhores exemplos de cultura organizacional?

Ao colocar em prática todas essas ações, muitas empresas conseguem alcançar resultados extremamente positivos. Assim, elas são capazes de melhorar tanto a imagem interna, quanto a externa, agregando ainda mais valor à marca.

Esse é o caso de algumas das maiores marcas da atualidade, que alcançaram um patamar superior ao criar uma cultura organizacional forte e positiva. Confira alguns exemplos:

 

Google

O Google é, atualmente, uma das maiores referências em cultura organizacional corporativa. Nos últimos anos, a empresa se destacou principalmente pela sua gestão de pessoas, extremamente preocupada com o bem-estar dos colaboradores.

Os Googlers, como são chamados os colaboradores da empresa, são incentivados a serem mais criativos por meio de um espaço acolhedor e divertido.

Além disso, os funcionários da empresa estão sempre estimulados, pois recebem uma dezenas de benefícios, que são, muitas vezes, ligados à entrega de resultados. Isso contribui para motivação e para o aumento da produtividade no trabalho.

Como consequência dessas e outras práticas, a Google se destaca com resultados positivos e funcionários satisfeitos. Além disso, a empresa foi capaz de estabelecer uma cultura sólida baseada na criatividade e diversão.

Cultura organizacional: o que é, a importância, quais os tipos e como criar!

 

Facebook

A maior rede social do planeta não poderia ficar para trás quando o assunto é uma cultura organizacional bem estabelecida e positiva.

Atualmente, a empresa, assim como o Google, é um dos maiores destaques em cultura interna. Isso porque ela aposta na flexibilidade de padrões e no crescimento de seus profissionais.

É um local que permite um código de vestimenta descontraído e trabalha com uma hierarquia mais horizontal. Além disso, valoriza a comunicação interna e a inovação.

Cultura organizacional: o que é, a importância, quais os tipos e como criar!

 

Apple

Outra gigante tecnológica que se destaca no quesito cultura corporativa é a Apple. A empresa, que é sinônimo de qualidade, excelência e sofisticação aplica também esses parâmetros ao cuidar da estrutura interna do negócio.

A Apple criou toda uma estrutura interna sofisticada e bem estruturada baseada na inovação, onde há espaço para autonomia dos colaboradores e liberdade para a criatividade.

Sem dúvidas, a empresa é um exemplo para quem deseja implantar uma cultura organizacional muito funcional, mas mantendo estruturas sólidas ao mesmo tempo que estimula a inovação.

Cultura organizacional: o que é, a importância, quais os tipos e como criar!

 

Netflix

A cultura organizacional da nova gigante do entretenimento Netflix fica bem clara no manifesto publicado por um dos fundadores da empresa em 2009, o documento intitulado “Cultura Netflix: Liberdade e Responsabilidade”.

O texto demonstra a imensa importância da flexibilidade na estrutura da empresa, isso em conjunto com um senso de responsabilidade de cada funcionário em prol da coletividade.

 

Agora que você conhece a importância do conceito de cultura organizacional e sabe exatamente quão benéfico ele pode ser para o crescimento da sua empresa, você já está preparado para estruturar a sua, não é mesmo?

Caso você já tenha uma cultura interna, essa é a hora de se perguntar se ela está sendo realmente eficaz e o mais importante: se a sua cultura organizacional é capaz de motivar colaboradores e gerar resultados.

Mas o primeiro passo, antes de mais nada, é a identificação da sua cultura empresarial. Ainda não sabe como fazer isso? Confira nosso post e comece já a fazer as modificações necessárias na sua estrutura!