Empréstimo com agiota

Empréstimo com agiota: o que é, como funciona e os riscos dessa prática contra Lei

Diferentemente de bancos, que possuem regras, seguranças e garantias ao concederem crédito aos solicitantes, o empréstimo com agiota é uma prática ilegal e resulta em riscos.

Ao solicitar um empréstimo com agiota o capital não é declarado e não se sabe a origem do dinheiro concedido. Além disso, a “empresa” que concede o empréstimo não é legalizada.

Logo, negociar com um agiota é visto como crime perante a lei envolvendo também riscos diversos para que o solicita.

Com a média salarial do brasileiro sendo, relativamente, baixa é comum encontrar pessoas em delicadas situações financeiras ao longo do ano.

Diante de situações extremas e com o nome sujo, muita gente tem dificuldades de realizar negociações legais com instituições financeiras e, por isso, recorrem ao empréstimo com agiota.

Acontece que, embora a medida pareça fácil, a princípio, uma série de riscos podem ocorrer ao longo dessa decisão precipitada — por maior que seja a dificuldade financeira, no momento.

Tendo em vista que é possível evitar o empréstimo com agiota, achamos importante destacar quais são os motivos para fugir desse tipo de situação.

Além disso, vamos destacar algumas alternativas mais seguras e que podem ajudar na sua saúde financeira e na de seus colaboradores. Confira!

O que é Agiota?

O agiota é uma pessoa que não trabalha em uma empresa legalizada para a concessão de crédito às pessoas. No entanto, ele oferece o dinheiro que muitas delas necessitam para fugirem das dívidas.

Acontece que essa facilidade vem ao custo de uma série de imprevistos para os solicitantes. Afinal de contas, não existem regras, garantias ou seguranças para quem solicitou o empréstimo com agiota.

Os agiotas surgem quando a pessoa endividada menos espera e quando a situação financeira parece catastrófica. E, por isso, a facilidade de crédito parece um sonho realizado.

Agiota, como funciona?

Embora seja presente no país, a agiotagem é uma prática que órgãos públicos tentam combater por dois motivos. O primeiro, como já mencionado, a prática é considerada criminosa.

E a segunda tem a ver com a própria segurança do cidadão, tendo em vista que existem muitas suspeitas quanto às facilidades, segurança e até mesmo a origem do dinheiro concedido.

O empréstimo com agiota ainda é popular por conta da ausência de burocracias e comprovação de crédito, como  já apontamos. Assim, as pessoas endividadas que não veem uma saída em curto prazo para a delicada situação financeira que vive, acaba cedendo à tentação.

A tentação, inclusive, consiste em etapas muito bem esclarecidas:

  • o agiota aborda ou é abordado pelo indivíduo que necessita de dinheiro fácil;
  • a negociação é realizada, na qual o agiota vai apontar os juros do empréstimo (que pode variar entre 10 e até 40% do valor solicitado), que pode variar de acordo com os seus interesses — alguns, cobram juros mensais.

Imagine, por exemplo, alguém que obtém um empréstimo com agiota no valor de R$ 1.000, se os juros forem de 10% ao mês, enquanto o indivíduo não quitar o débito, a dívida vai para R$ 1.100, em 30 dias, R$ 1.210, no segundo mês e assim por diante.

Por isso, ainda que o estresse financeiro bata à porta e o alívio da dívida anterior seja imediato, a pessoa que solicitou-o e está com problemas em quitar o novo débito pode ter uma dor de cabeça ainda maior.

Riscos de fazer um empréstimo com agiota

Vamos falar, novamente, dos juros abusivos praticados. Se você acha os juros do cheque especial altos, não viu nada sobre como funciona o agiota.

Entretanto, além disso, existem outros riscos de recorrer ao empréstimo com agiota. Confira!

1. Prática ilegal

Vamos nos repetir nesse ponto, mas é de suma importância mencioná-lo. A agiotagem é ilegal no país, uma vez que essas pessoas enriquecem ilicitamente às custas de outros — além da cobrança de juros acima do que é permitido pela lei.

Dessa maneira, o empréstimo com agiota é visto como um crime voltado à economia popular. E a pena prevista para os criminosos é de reclusão entre 6 meses e 2 anos.

Bom observar, também, que as operações não são reconhecidas pelo Banco Central e, com isso, a prática segue na contramão do que é autorizado pelo Sistema Financeiro Nacional. E, aí, a infração prevê uma pena na prisão que varia de 2 a 8 anos, além da aplicação de multa.

2. Juros elevados

Além do exemplo anterior de juros mensais a 10% da quantia solicitada, você consegue imaginar o quanto essa dívida ficaria ainda maior se o agiota cobrasse 40% do valor?

Em um só mês, considerando a solicitação de empréstimo com agiota de R$ 1.000, pularia para R$ 1.400.

E, ainda que empréstimos em instituições bancárias tenham os seus juros elevados, como o cheque especial, eles estão previstos em lei e não se comparam aos praticados pelos agiotas. Em resumo, os agiotas é a maior armadilha financeira na qual você pode – mas não deve – cair.

3. Ausência de regras e garantias

Se a prática é ilegal qual é a garantia ou segurança que o solicitante pode encontrar ao fazer um empréstimo com agiota? Nenhuma, essa é a resposta.

Não existe contrato legal para a atividade e, tampouco, regulamentações ou órgãos a recorrer.

A pessoa endividada, que já vive um dilema financeiro, pode ter a sua saúde potencialmente abalada com isso.

E, para saber mais sobre o assunto, não deixe de conferir o nosso artigo; “Entenda a correlação entre saúde e estresse financeiro!”. 

4. Cobranças

Outro grande risco em solicitar um empréstimo com agiota é o atraso no pagamento.

A inadimplência não é só vista como um problema financeiro, mas uma preocupação em relação a própria integridade física da pessoa.

Tudo porque o agiota utiliza meios de extorsão que podem estimular a pessoa a fazer loucuras para quitar o débito, uma vez que ela passa a temer pela sua saúde e a de sua família.

Sendo uma prática criminosa, não há nem como recorrer à polícia nessas situações, o que dificulta ainda mais a conclusão do problema de maneira harmônica.

Como quitar as dívidas sem recorrer ao empréstimo com agiota?

Existem diferentes maneiras de obter um crédito fácil, de maneira segura e dentro dos parâmetros da lei.

Embora alguns tenham mais burocracias e condições limitantes do que outros são soluções que podem servir de guia para sair da dívida.

Nossas sugestões vão evitar que, além de estresse financeiro, as pessoas embarquem em uma jornada perigosa de renegociações com o agiota.

Abaixo, resgatamos algumas possibilidades que podem servir para espantar a dívida da rotina dessas pessoas:

  • empréstimo pessoal online, que tem se popularizado como uma forma de empréstimo fácil, rápida e simples;
  • empréstimo consignado, no qual as parcelas do crédito são debitadas, gradualmente, diretamente da folha de pagamento do profissional (ou do seu benefício previdenciário);
  • empréstimos com garantia, que tendem a ter uma taxa de juros mais acessível;
  • programas de bem-estar financeiro, como é o caso do salário sob demanda nas empresas.

Como o salário sob demanda pode mudar a realidade financeira dos colaboradores?

Acima citamos o salário on demand como uma solução financeira adotada por empresas que desejam ajudar funcionários a não se endividarem.

Ele tem sido um grande aliado das pessoas que querem sair de qualquer tipo de empréstimo custoso ou perigoso, dentro ou fora da lei.

Além disso, empresas que adotam esse tipo de remuneração acabam tendo benefícios como:

  • redução do estresse no ambiente de trabalho;
  • maior produtividade;
  • atração e retenção de talentos e mais.

Ficou curioso sobre como oferecer pagamento on demand?

O Xerpay um novo produto da Xerpa, de salário on demand, que empresas de todos os setores podem oferecer como benefício corporativo aos funcionários e crescer em lealdade e produtividade.

Além disso é uma ótima forma de evitar que seus colaboradores tenham problemas financeiros graves a ponto de pedirem empréstimo com agiota.

Fale com um especialista e descubra ainda mais ganhos que a sua empresa pode ter ao oferecer um benefício como o Xerpay. Se você é funcionário de uma empresa que ainda não oferece esse benefício, leve para ela essa ideia! Assim você vai resolver seus problemas financeiros muito mais facilmente. 


Compartilhe as suas ideias conosco, no campo de comentários deste post!

Fale com um especialista e saiba como implementar esse recurso no seu negócio.

Gostou? Então, siga a Xerpa nas redes sociais (Facebook, Instagram e LinkedIn) e acompanhe conteúdos como esse sempre!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.