O programa de bem-estar financeiro na empresa é uma medida adotada internamente com o objetivo de reduzir o estresse financeiro dos colaboradores. Com isso, quando bem aplicada essa estratégia pode aumentar a produtividade, aproximar os colaboradores e trabalhar a retenção e a atração de talentos.

 

Talvez, você já tenha ouvido falar que um bom programa de bem-estar financeiro na empresa pode trazer uma série de benefícios para o desenvolvimento da sua empresa.

E a pergunta mais frequente que os profissionais de recursos humanos podem fazer é o motivo para esse tipo de projeto agregar tantos valores para a organização. E a resposta é mais simples que eles imaginam: porque o programa de bem-estar financeiro na empresa melhora os profissionais como um todo.

Se você ainda não compreende o quanto isso é relevante para todos os setores do seu empreendimento, convidamos você a seguir com esta leitura. Ao longo dos próximos tópicos, vamos destacar os diferenciais desse tipo de estratégia, e exatamente onde elas contribuem com a empresa. Confira!

 

O que é um programa de bem-estar financeiro na empresa?

De maneira resumida, podemos destacar que esses programas são pensados para minimizar o estresse financeiro sofrido pelos seus colaboradores.

Afinal de contas, esse tipo de pressão é difícil de desvincular. Ela acompanha o profissional antes, durante e após o expediente, dominando a sua concentração, humor e até mesmo a sua saúde física e psicológica.

Como resultado disso, as soluções de bem-estar adquiram mais valor internamente. O relatório Tendências Globais de Capital Humano de 2018, por exemplo, destaca que 43% das empresas enxergam benefícios na implementação dessas estratégias.

E o que seria um programa de bem-estar financeiro na empresa? Basicamente, são ações que orientem, auxiliem e contribuam (direta ou indiretamente) com a redução desses estresse financeiro.

Além disso, as ações personalizadas de acordo com o perfil dos colaboradores, ajuda a fazer com que eles tomem decisões mais inteligentes para cuidarem de suas respectivas saúdes financeiras.

Outros benefícios de investir nessa ideia:

  • colaboradores se tornam mais focados no trabalho, e menos distraídos no exercício de suas profissões;
  • eles se tornam mais motivados, também, considerando o esforço da empresa em ajudá-los com os seus problemas;
  • o estresse é menor, considerando que eles passam a obter as ferramentas e/ou o conhecimento necessário para sair dessa situação;
  • a produtividade é compensada, e eles voltam a trabalhar com afinco;
  • o absenteísmo e presenteísmo (as faltas recorrentes) diminuem, uma vez que os profissionais passam a ser menos impactados pelos problemas financeiros;
  • o programa de bem-estar financeiro na empresa gera um diferencial capaz de trabalhar tanto com a retenção de talentos quanto a atração de profissionais do mercado.

Viu como é possível agregar mais valor ao fluxo de trabalho considerando o bem-estar e a qualidade de vida dos colaboradores?

 

Qual é o impacto do estresse financeiro nos seus colaboradores?

Se a prática acima mencionada pode gerar aspectos valiosos para o desenvolvimento da sua organização, o estresse financeiro acumulado se mostra um agravante e tanto para cumprir objetivos — sejam eles pequenos ou grandes, imediatos ou em longo prazo.

E, abaixo, reunimos alguns dos grande prejuízos sentidos no dia a dia quando o seu quadro de funcionários convive mais com as dívidas do que com a realização das suas metas:

  • a produtividade é menor, influenciada pela distração dos profissionais com dívidas, mas também pela baixa atenção ao ambiente colaborativo, gerando mais individualismo no dia a dia;
  • o impacto na empresa é sentido, também, pelo fato de os colaboradores buscarem mais os médicos especialistas em decorrência do estresse financeiro (com sintomas físicos e psicológicos);
  • a rotatividade na empresa tende a aumentar, já que os profissionais procuram por outras posições — em busca de salários maiores — ou a empresa desliga aqueles que, continuamente, perdem a eficácia de suas performances;
  • os conflitos internos podem ocorrer com mais frequência, já que as pessoas ficam mais irritadiças;
  • a lucratividade é menor, já que existem custos diretos e indiretos consequentes desse problema.

Ou seja: não faltam benefícios para você focar mais no bem-estar dos seus profissionais. Então, vamos ver como aplicar esse tipo de solução para o seu negócio!

 

Como planejar um programa de bem-estar financeiro na empresa?

Antes de focar essencialmente nas soluções, o RH e a gestão da empresa devem se reunir a fim de diagnosticar quais são os fatores mais limitantes que estão induzindo as pessoas ao estresse financeiro.

Com isso, qualquer alternativa idealizada tem um impacto mais positivo, tendo em vista que são soluções focadas nas situações vividas pelos seus colaboradores.

Abaixo, resgatamos alguns pontos-chave para o planejamento de um programa de bem-estar financeiro na empresa!

 

Faça uma pesquisa com os seus funcionários

Comece o planejamento a partir das necessidades do seu público. Para isso, faça uma reunião com as equipes ou, ainda, ofereça uma pesquisa para que todos possam expor as suas preocupações.

Os resultados são fundamentais para a realização de um projeto personalizado e inteiramente focado nas características do seu quadro de funcionários.

Você pode visualizar um exemplo de pesquisa de satisfação que realizamos aqui na Xerpa! Assim, você entende como fazer e personaliza um ideal para a sua empresa: clique aqui.

 

Ofereça um material claro e objetivo a respeito do bem-estar financeiro

Dedique um tempo na elaboração de materiais gráficos, objetivos e claros a respeito do que os profissionais podem fazer para reduzir as dívidas e, consequentemente, o estresse financeiro.

Além disso, convém a realização de palestras, workshops e simulações para que os envolvidos entendam, na prática, como eles chegaram a essa situação e como eles podem tomar decisões melhores.

 

Envolva os colaboradores e estimule o engajamento

Deixe claro, para todos, os benefícios desse trabalho e o que cada um pode alcançar com o engajamento no programa de bem-estar financeiro na empresa.

Se possível, crie recompensas, valorize a participação e não torne essa medida um simples diferencial, mas um verdadeiro pilar da sua cultura organizacional.

Dessa maneira, o envolvimento é maior e, além de ajudar a resolver os problemas financeiros, o programa se traduz nos benefícios que citamos, anteriormente, para a empresa também.

 

Quando começar?

Com as etapas acima citadas, você pode se preparar com qualidade para a elaboração de um bom programa de bem-estar financeiro na empresa.

Por isso, o momento ideal de começar é, justamente, agora! Comece reunindo as informações necessárias para que o planejamento seja assertivo e personalizado. Em seguida, é hora de avaliar quais medidas têm tudo a ver com a solução dos problemas dos seus colaboradores.

 

E aí, ficou com alguma dúvida a respeito do programa de bem-estar financeiro na empresa? Aproveite para deixar a sua opinião, no campo de comentários, e assim podemos expandir essa proveitosa discussão!