Inscreva-se

War room: torne seu time mais estratégico com uma sala de guerra!
Dicas

War room: torne seu time mais estratégico com uma sala de guerra!

O conceito de war room (sala de guerra) foi introduzido pelo então primeiro ministro britânico Winston Churchill para conter os avanços militares do nazismo, na Segunda Guerra. No ambiente corporativo, a sala pode ser determinante para o planejamento de estratégias!

 

War room, a princípio, pode gerar um estranhamento aos profissionais de RH. Afinal de contas, a palavra significa, literalmente, sala de guerra.

Acontece que a sua aplicação não está diretamente associada, hoje em dia, a um planejamento bélico, mas em um ambiente onde os seus profissionais traçam estratégias.

Isso agrega uma série de benefícios, para as empresas, que adquirem um espaço preparado para a construção de ideias e ações eficazes — tanto internas quanto externas.

E é por isso que, ao longo deste post, vamos apresentar para você esses diferenciais. Assim, o gestor de RH e a sua equipe conseguem compor uma war room capaz de gerar resultados únicos para a empresa. Confira!

 

Qual é a origem do termo war room?

Há um consenso de que o conceito de war room data de meados da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), e cunhado pelo então primeiro ministro britânico Winston Churchill.

À época, a sala especialmente planejada para o debate e elaboração de estratégias para frear os avanços do exército de Hitler, surtiram efeito. Mais de 100 reuniões foram conduzidas, definido metas e objetivos a cada encontro realizado.

 

Como isso se aplica no mundo corporativo?

Uma sala pensada para a reunião de profissionais capazes de planejar e discutir ideias — seja para antecipar uma demanda ou remediar eventuais problemas — é um atrativo e tanto.

Primeiramente, porque o local fortalece a motivação, concentração e o estabelecimento de metas de maneira objetiva. Diferente, por exemplo, de se reunir em um local repleto de distrações. Isso gera, inclusive, uma excelente administração do tempo.

Sem falar na possibilidade de facilitar a construção de estratégias imediatas. Um exemplo disso se deu durante o Super Bowl (grande evento esportivo dos EUA) de 2013, onde um apagão impediu a partida de futebol americano de ser continuada.

À ocasião, a Oreo — que tinha uma war room no local — logo desenvolveu um tweet em que destacava, com bom humor, que mesmo no escuro as pessoas poderiam desfrutar do produto da empresa. A ação rendeu resultados positivos e gerou mais valor à empresa.

 

Após finalizar a leitura, recomendamos que você baixe esse eBook gratuito. Nele você irá entender como criar um planejamento de RH eficiente! Responda o formulário e receba agora mesmo:


Como preparar uma war room dentro da empresa?

A sua empresa está se adaptando aos adventos da transformação digital que vivemos atualmente? Caso positivo, pode-se notar que houve uma diminuição do uso de toda a infraestrutura da organização.

Como resultado, deve haver um espaço livre para a organização de qualquer ambiente para compor a sua war room.

E, a seguir, vamos explorar o que deve ser pensado para construí-la. Confira:

 

Reúna as pessoas certas

Pense, primeiramente, no objetivo de sua war room: reunir aqueles que, juntos, podem traçar novos planos e ações para atingir a um objetivo específico.

Portanto, tenha sempre em consideração quais pessoas são necessárias dentro da sala. Não banalize a sua utilização, mas potencialize os resultados.

Para isso, comece por reunir-se com a liderança que pode contribuir com ideias e opiniões e, em seguida, compartilhá-las com as suas respectivas equipes.

Em seguida, considere que cada pessoa deve ter um papel e responsabilidade ali dentro. Faça com que cada participante desempenhe uma função específica, para que o trabalho flua objetivamente, e não de maneira dispersa e desorganizada.

 

Reúna elementos motivacionais na war room

Um local pensado para aumentar a concentração e a motivação dos presentes deve conter elementos que impulsionem esses estímulos.

Alguns exemplos do que pode contribuir com isso:

  • música (instrumentais, que aumentem a concentração, e não dispersem os presentes);
  • outros instrumentos visuais (como pranchetas, vídeos, apresentações e monitores);
  • ferramentas que ajudem na organização de um cronograma e planos de ações. Na época da guerra, os militares usavam mapas. Para o seu negócio, pense no que pode facilitar a visualização do objetivo como um todo — um exemplo: gráficos. Pense nisso;
  • conforto é indispensável, em uma war room. Deixe-a climatizada, com água e aperitivos (como bolachas) à disposição, já que a duração das reuniões pode se estender indefinidamente.

Agora que você já sabe o que não pode faltar na sua futura sala de guerra, vamos entender como conduzir as reuniões nesse ambiente produtivo?

 

Como fazer bom uso de uma war room?

Abaixo, vamos destacar algumas etapas essenciais que o RH deve planejar para a realização de encontros produtivos, focados e pensados em resultados para a empresa:

 

Tenha objetivos definidos

Nenhuma boa ideia vai surgir de concepções indefinidas. Por isso, antes mesmo de ter as pessoas reunidas em sua war room é essencial ter objetivos esclarecidos.

Comece pensando:

  • quais vão ser os pontos abordados;
  • qual é o objetivo da estratégia em questão;
  • quem deve comparecer ao encontro;
  • quais são os desafios em alcançar o resultados desejado;
  • quais ações podem ser desenvolvidas;
  • quais são os meios para mensurar e acompanhar o desenvolvimento da estratégia.

Por meio desse planejamento inicial, as reuniões ocorrem com mais harmonia, objetividade e transparência.

 

Crie um controle do que foi debatido

Cada encontro deve ser registrado, bem como os pontos estabelecidos, para que os envolvidos consigam acompanhar a evolução do planejamento.

Isso facilita, inclusive, na delegação de ações para outros membros que não participaram das reuniões na war room.

Dessa maneira, evita-se o retrabalho e sentimentos negativos de um planejamento pouco efetivo, como o burnout dos colaboradores.

 

Mantenha a motivação elevada

Cabe ao RH a busca pela motivação contínua de todos. Independentemente do resultado de cada encontro, é importante traçar ações que facilitem esse engajamento.

Uma boa dica é a consolidação de gratificações e recompensas por metas atingidas. Afinal, estratégias que necessitam do uso de uma war room costumam ser complexas.

Assim, o estresse no trabalho, decorrente da pressão de um objetivo grande, pode ser minimizado enquanto o ímpeto e a disposição de todos permanece em alta.

 

Tenha bons instrumentos de tecnologia

Vale também contar com bons investimentos em tecnologia para facilitar o tracejado de ações, bem como o monitoramento de resultados.

Para o setor de RH, isso pode ser definido por um bom software de gestão, que facilita o acompanhamento de dados registrados e oferece insights valiosos para garantir o engajamento das equipes.

E, por fim, um lembrete: as conquistas devem ser celebradas — das menores às maiores. Atenção às recompensas que apenas ajudam a fortalecer os méritos e a garantir o mesmo afinco para o planejamento e execução de estratégias, posteriormente.

 

Agora que você já tem as principais dicas para colocar em ação um projeto de war room na sua empresa, que tal compartilhar este post nas suas redes sociais? E não se esqueça de marcar os líderes dos principais setores para que eles possam comprar essa ideia antes mesmo de vocês se reunirem pela primeira vez!

Related posts

Deixe uma resposta

Required fields are marked *