Trabalhando em casa: 5 dicas para mães e pais que estão em home office

trabalhando em casa

Você está trabalhando em casa e a nova rotina criou um profundo gargalo entre a sua produtividade e o convívio com os filhos, também em quarentena?

Pois então, vale a pena a leitura deste artigo, que vai explorar tanto as ações que as empresas podem tomar, para auxiliar nesse momento de incertezas, como ajudar os pais e mães a serem mais produtivos e ainda manterem a harmonia familiar.

Veja, a seguir, as 5 dicas que separamos para quem está trabalhando em casa em regime home office:

  1. Estabeleça um local exclusivo para o trabalho
  2. Monte uma rotina
  3. Recupere as atividades pré-pandemia com ajustes
  4. Saiba a hora de desacelerar
  5. Converse com os seus superiores

Boa leitura!

Os desafios de quem está trabalhando em casa com filhos em quarentena

Produtividade, concentração e disposição abaladas. Isso em meio a uma rotina nova, em que o lar e o escritório se confundem e, em vez de colegas de trabalho, os filhos dividem o mesmo ambiente dos pais em horário comercial, já que as aulas foram suspensas nos últimos meses.

A pandemia trouxe novos (e preocupantes) significados para o dia a dia. Quem ajuda a reforçar isso é o resultado da Entretempos, que apontou um índice maior de tristeza e preocupação nas crianças (em 57% das 600 entrevistadas) entre seis e 11 anos de idade.

Para os pais, o problema é o aumento de preocupação com a saúde e estabilidade financeira da família, além dos picos de ansiedade e cansaço — 46% dos adultos disseram trabalhar mais nesse período de home office e do cuidado ao lar simultaneamente.

Outras pesquisas, nesse mesmo período de isolamento social, destacaram outros dados alarmantes, como:

  • as mães conseguem se dedicar apenas 1/3 do que os pais conseguem, já que elas são mais propensas a outras atividades, como cuidar das crianças — tarefa que os pais não desempenham com a mesma regularidade;
  • as mães são 47%  mais propensas a ficarem desempregadas;
  • em comparação aos pais, as mães se dedicam 15 horas a mais, semanalmente, em tarefas domésticas.

Mulheres, portanto, estão mais sobrecarregadas trabalhando em casa. O que estabelece desafios complementares às suas rotinas!

Dividir o mesmo espaço de trabalho com os filhos

Como já destacamos, o isolamento derrubou fronteiras e os sinônimos de escritório e residências se embaralharam como cartas ao vento. Assim, fica difícil manter o foco além de ter que compartilhar, muitas vezes, os mesmos dispositivos que as crianças — como computadores e impressoras, entre outros.

Assumir o papel de educador

Mães e pais também têm que cuidar das atividades escolares dos filhos, enquanto lidam com as suas responsabilidades contínuas de suas respectivas profissões.

Trabalhando em casa, eles também devem ficar atentos se os filhos estão seguindo suas agendas de atividades escolares, se estão estudando ou mesmo se estão lidando bem com o isolamento da pandemia.

Dividir a rotina

É difícil, ainda, saber como colocar limites nos horários de trabalho e ter uma saudável rotina familiar. Afinal de contas, nem todas as empresas (e profissionais) estavam familiarizados com o home office, e a adaptação foi penosa para muita gente.

Para mudar esse quadro, inclusive, temos uma dica excelente para você: assim que finalizar esta leitura, dê uma conferida em nosso artigo que aponta os benefícios do home office e o caminho para uma implementação eficaz e segura!

Falta de apoio 

Com um país de quarentena, fica difícil contar com o auxílio de amigos, madrinhas, avós e tios, entre outras pessoas que poderiam contribuir com o alívio na rotina dos pais e seus filhos.

Ou seja: todos se isolam mais, concentrando os rigores dos seus problemas dentro de casa, sem grandes soluções para reduzir esse impacto de maneira segura para todos.

Foco no trabalho

É de se compreender que, trabalhando em casa com tantos obstáculos, a concentração, a motivação e a produtividade se tornam ainda mais desafiadores.

Ainda mais, tendo que encontrar explicações para o que é, até o momento, inexplicável: o momento do coronavírus circulando em escala global e os impedimentos que eles causam no desenvolvimento tão enraizado nos hábitos das crianças — e os prazos do trabalho ecoando no semblante dos pais.

As 5 dicas para quem está trabalhando em casa

Não precisamos viver nutrindo a ansiedade e o temor, entretanto. Apesar de tantos dados preocupantes, boas práticas podem ser gradualmente implementadas, na sua rotina, garantindo que bons frutos sejam colhidos com o tempo.

E, a seguir, vamos compartilhar com você cada um deles!

1. Estabeleça um local exclusivo para o trabalho

Opte, preferencialmente, por um local em que existam portas, e limites possam ser estabelecidos durante o seu horário de trabalho. Isso ajuda a construir um hábito de que aquela área, em questão, é o seu escritório e que as interrupções só devem ocorrer em circunstâncias previamente acordadas com as crianças.

2. Monte uma rotina

Nada melhor do que recuperar a sensação de controle. Por isso, estabeleça horários, faça com que toda a família siga-os e, assim, uma rotina é estabelecida.

Por meio dela, é fácil cobrar que as crianças estudem, brinquem e fiquem em harmonia com os seus próprios horários. Preferencialmente, experimente retomar os horários dos quais todos já estavam acostumados antes da pandemia começar. Vale a pena, contudo, levar algumas considerações em conta:

  • a programação dos filhos;
  • o cardápio diário (dica: monte um repertório semanal para não perder tanto tempo com o preparo e o planejamento das refeições);
  • a divisão das tarefas domésticas e os respectivos horários. Assim, ninguém fica sobrecarregado;
  • como vai ser o seu cronograma de trabalho.

Um pouquinho de ciência de como vai ser o dia pode fazer toda a diferença para quem está trabalhando em casa. Experimente!

3. Recupere as atividades pré-pandemia com ajustes

As crianças sentem falta dos amigos? Marque encontros virtuais via videoconferência. O sedentarismo está tomando conta da família: Procure montar um calendário de atividades para elas se exercitarem enquanto brincam.

Lembrando que o mesmo vale para os pais, já que o trabalho e o lazer tem que ser divididos no mesmo espaço físico ao longo do dia.

Sem falar que essa retomada do divertimento pode ajudar a reduzir os níveis elevados de ansiedade, tristeza e estresse.

4. Saiba a hora de desacelerar

Não tente fazer tudo e, tampouco, tudo ao mesmo tempo. Com um bom controle e planejamento da rotina, é possível identificar o momento em que a estafa (física e/ou mental) batem à porta. Por isso, monitore os seus horários e saiba quais são os seus limites.

É importante fazer isso até mesmo para dividir as tarefas de casa, conversar com os seus superiores caso a carga de trabalho esteja excedendo os níveis de normalidade e também pedir ajuda (seja com alguma tarefa, com os colegas de trabalho, ou com os familiares morando na mesma casa para os afazeres domésticos.

5. Converse com os seus superiores

Marque uma reunião, agende uma conversa e explique quais são os desafios e facilidades que você tem enfrentado trabalhando em casa. Isso pode contribuir com um ajuste eventual no seu serviço e, consequentemente, tornar a rotina mais alinhada às suas características.

O auxílio que as empresas podem prestar para ajudar pais e mães trabalhando em casa

Como destacamos no tópico anterior, uma conversa com a gestão da empresa pode ajudar a minimizar os efeitos negativos dessa rotina nova e tão incerta.

Só que essa abordagem não precisa vir, necessariamente, dos colaboradores, mas da própria organização. Nesse ponto, o setor de RH e a liderança podem se reunir (à distância) para estabelecer algumas soluções práticas para garantir o bem-estar de todos os seus profissionais. Abaixo, separamos alguns exemplos.

Flexibilidade

Palavra de ordem para esse momento. É necessário analisar o que é viável transportar para o home office, da rotina presencial, e o que deve ser revisto.

Isso inclui até mesmo flexibilidade de horários. Se um profissional rende melhor à noite, vale a pena ajustar individualmente alguns pontos para que as suas tarefas sejam realizadas nesse período em que o profissional pode encontrar mais quietude e sossego dos afazeres domésticos para se concentrar no trabalho.

Diálogo

Nada deve ser rígido. O diálogo deve existir, com elevado grau de compreensão para que o trabalho seja feito, mas com maleabilidade para entender a realidade de cada um trabalhando em casa.

Afinal de contas, é inegável que a rotina de cada família é exclusiva. Não adianta cobrar exatamente as mesmas coisas para pessoas diferentes nesse contexto tão turbulento. Daí, a empresa deve se abrir ao diálogo para identificar soluções únicas para cada desafio no caminho dos seus funcionários.

Auxílio especializado

Consultas com profissionais especializados (como psicólogos e/ou nutricionistas, entre outros) podem conferir mais bem-estar aos seus profissionais.

Inclusive, no que diz respeito às finanças. Ações de bem-estar financeiro podem ajudar os colaboradores a terem mais disciplina e, assim, evitarem o acúmulo de dívidas nesse período.

Pois o impacto da inadimplência e das taxas e juros pode causar graves efeitos não só na produtividade dos colaboradores, mas na motivação e no engajamento deles com os afazeres e também com o cuidado aos filhos.

Empresas que ajudaram durante o isolamento social

Complementarmente, vale a pena conhecer e se inspirar em algumas ações que organizações empreenderam para os seus funcionários trabalhando em casa. Por exemplo:

  • a Natura ofereceu licença-paternidade de 40 dias remunerados — algo que, somado ao período de férias, pode chegar a 70 dias de repouso para auxiliar dentro de casa;
  • a Netflix oferece até um ano de afastamento no caso do nascimento de um filho;
  • o Google também oferece licença-paternidade, e ainda reembolsa custos com serviços domiciliares durante os primeiros três meses de vida do recém-nascido da família;
  • o Grupo Boticário também se preocupa com o auxílio-maternidade e ainda auxílio-educação infantil (o que significa apoio na compra de material escolar;
  • a Dell, que já tem pouco mais de 20% do seu quadro de funcionários trabalhando em casa, oferece um auxílio extra para cobrir despesas, como as despesas com internet, e também para montar um bom home office no lar.

Vale destacar que ainda existem outras maneiras de tornar a nova rotina trabalhando em casa ainda mais produtiva. E nós sempre estamos de olho em novidades nesse assunto. Por isso, caso não queira perder nenhuma de nossas dicas, assine a nossa newsletter — é só preencher o seu endereço de e-mail na home do nosso blog — e receba em primeira mão os artigos da Xerpa!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confira outros artigos que você pode se interessar