Existem muitos tipos de investimentos e, embora você tenha que se ater ao seu perfil antes de aplicar qualquer quantia, e em qualquer um deles, convém entender quais alternativas despontam como as favoritas dos investidores brasileiros. Abaixo, as principais delas:

  1. Previdência privada;
  2. Tesouro Direto;
  3. CDB;
  4. LCI e LCA;
  5. Fundos Multimercado;
  6. Debêntures;
  7. Letras de Câmbio.

Independentemente do seu perfil de investidor, é inegável que você está à procura da modalidade mais segura e rentável para os seus ativos, certo?

Por isso, você veio ao lugar certo! Nos tópicos abaixo, reunimos alguns dos principais tipos de investimentos mais lucrativos no país! 

Quer saber onde depositar e fazer aplicações que podem ajudar na valorização contínua dos seus recursos? Basta seguir com esta leitura para identificar os melhores tipos de investimentos para você!

O seu perfil de investidor

Você pode ter um perfil de investidor mais agressivo ou conservador. No entanto, antes de defini-lo, e embarcar nos diferentes tipos de investimentos financeiros, que tal compreender o que vai nortear a sua decisão?

Para isso, tenha em mente, primeiramente:

  • sua tolerância para riscos com os investimentos;
  • os objetivos que você tem ao investir (é algo em curto, médio ou longo prazo como uma aposentadoria, por exemplo?);
  • a quantia inicial disponível para o primeiro aporte.

Saber as suas respostas para as questões acima permite que você identifique a melhor alternativa, entre os muitos tipos de investimentos lucrativos no país.

Os melhores tipos de investimentos financeiros

Para começar a investir sem agregar muitos riscos à sua tomada de decisão, nós recomendamos que você procure pelos investimentos de renda fixa

E, a seguir, vamos destacar algumas das principais opções nessa modalidade de investimento!

 

1. Previdência privada

Talvez, você já tenha ouvido falar na dúvida comum para quem começou a investir e está entre a previdência privada ou Tesouro Direto. Mas não se preocupe: vamos falar a respeito de ambos.

Começando pela previdência privada, que se mostrou uma verdadeira opção rentável para quem desejava sair da baixa rentabilidade da poupança. Ainda mais com as discussões mais recentes sobre as reformas trabalhista e a reforma da previdência.

Afinal de contas, as perspectivas para o futuro estão apontando para a necessidade de poupar, continuamente, desde cedo os seus rendimentos para obter uma aposentadoria mais tranquila.

Só que vale iniciar dizendo que a previdência privada não está entre os investimentos mais lucrativos do Brasil — mas marca presença na nossa lista, simplesmente, porque é uma das alternativas mais acessíveis.

Ou seja: você faz o aporte inicial com base no que você tem em mente, programando os investimentos mensais de maneira fixada. Assim, se você pode poupar apenas R$ 20 por mês, comece com isso. O importante é começar.

Só que a previdência privada, por outro lado, tem duas opções: PGBL ou VGBL. Cada uma é taxada pelo Imposto de Renda de uma maneira distinta, o que deve ser observado para que você opte pela modalidade mais de acordo com os seus objetivos e necessidades.

 

2. Tesouro Direto

Aqui, a ideia é simples: o seu investimento atua como um empréstimo para o Governo Federal. Consequentemente, o retorno para você é maior — uma rentabilidade mais vantajosa, portanto.

É por isso que mais pessoas estão considerando essa, entre os diferentes tipos de investimentos de renda fixa, atualmente. Vale observar, contudo, que o Tesouro Direto dispõe de três opções:

  • investimentos atrelados à inflação — que é o Tesouro IPCA+;
  • investimentos prefixados;
  • investimentos indexados à taxa Selic (Tesouro Selic).

Pessoas que procuram por alta liquidez tendem a recorrer à última opção: o Tesouro Selic. Isso porque, o seu rendimento fica muito próximo ao da taxa Selic e a liquidez dele é altíssima (você pode receber o seu saque em um dia útil, por exemplo).

Assim, para quem precisa de dinheiro rápido, diante de eventuais imprevistos (como uma situação provável de estresse financeiro), pode contar com o Tesouro Direto. 

E que, por sinal, conta com um aporte mínimo baixo: R$ 30. isso faz do Tesouro Direto um dos mais práticos e rentáveis tipos de investimentos do país.

 

3. CDB

O Certificado de Depósito Bancário é uma maneira de “emprestar” dinheiro às instituições financeiras que mais tiveram saques do que depósitos, em um dia. Em resposta à exigência do Banco Central, essas transações ocorrem entre instituições financeiras.

E, aí, o investidor é quem ganha por consequência disso, injetando o seu investimento nessa modalidade de títulos de renda fixa cuja rentabilidade está atrelada à taxa CDI.

Vale a pena observar, contudo, as especificidades de cada banco. Títulos CDB de grandes bancos, por exemplo, costumam gerar uma lucratividade menos atrativa.

 

4. LCI e LCA

São as siglas para Letra de Crédito Imobiliária e para Letra de Crédito do Agronegócio. Ambas são aplicações de renda fixa que têm muito a ver com o CDB, mas cujos fundos são direcionados aos setores imobiliário e agropecuário, respectivamente.

Só que o grande atrativo desses dois tipos de investimentos é o seguinte: eles são isentos de impostos. Toda a sua rentabilidade, portanto, virá diretamente para o seu bolso, e não será fragmentado para o pagamento de impostos.

 

5. Fundos Multimercado

Aqui, você pode considerar este, em detrimento aos outros tipos de investimentos, se você tem o perfil moderado. Afinal, os riscos continuam baixos, embora você possa aplicar a sua renda em ações e commodities entre outros.

Só que é importante contar com uma boa corretora de valores para garantir que você identifique o melhor fundo para as suas necessidades e objetivos. Tudo porque essa ideia consiste em aplicar o seu investimento em uma carteira variada.

 

6. Debêntures

São títulos emitidos por empresas privadas. Em geral, são usados para quitar algum tipo de dívida ou mesmo financiamentos, retornando para o investidor com uma rentabilidade mais vantajosa.

Só que o ponto maior de preocupação, nesses tipos de investimentos, é a ausência de uma garantia oferecida pelo FGC — Fundo de Garantidor de Crédito. É ele, por exemplo, que oferece um retorno dos seus investimentos se uma instituição financeira entra em falência.

Por isso, atenção ao seu perfil de investidor. Se você não quer nenhum tipo de risco à espreita dos seus investimentos, evite os debêntures — mesmo que a rentabilidade seja mais atrativa do que os outros tipos de investimentos acima citados.

 

7. Letras de Câmbio

As LCs funcionam de maneira similar ao CDB e à LCI e LCA: são meios de empréstimo do investidor para diferentes setores econômicos. Aqui, entretanto, o destino da sua renda pode ser diversificado para que as instituições financeiras usem-na como bem entenderem.

Isso permite que a rentabilidade seja alta, e que você conte com a cobertura do FGC para valores que não ultrapassem R$ 250 mil. Pode ser uma interessante pedida para identificar a melhor opção entre todos os tipos de investimentos desta lista.

E isso pode deixar uma última dúvida na sua cabeça, não é mesmo? Afinal de contas, qual escolher?

Nossa dica é que você marque uma conversa com um corretor de valores. Esse tipo de empresa consegue avaliar com precisão o seu perfil de investidor, além de orientar você para as melhores alternativas de acordo com essa conversa de alinhamento.

Mas, para conhecer também outras questões fundamentais sobre os tipos de investimentos e assuntos relacionados ao tema, não deixe de curtir a nossa página no Facebook e de seguir-nos no Instagram, Twitter e LinkedIn. Lá, você vai saber em primeira mão todas as nossas novidades sobre esses assuntos!