As ausências físicas são a caracterização dos diferentes tipos de absenteísmo, que se diferenciam por meio das justificativas por cada falta. Quando não há um trabalho de monitoramento, a empresa sofre com prejuízos múltiplos e dificuldades de produtividade.

 

Por meio de indicadores diversos, o RH consegue avaliar a produtividade, o engajamento e o bem-estar (individual e coletivo) dos seus recursos humanos.

Entre eles, os diferentes tipos de absenteísmo que podem estar impactando negativamente o desenvolvimento da empresa.

E não se engane: esse problema acontece com frequência, nas organizações, e muitas vezes de maneira silenciosa, impedindo um diagnóstico e plano de ação ágeis e eficientes.

Por isso, neste post gostaríamos de discutir com você os diferentes tipos de absenteísmo que ocorrem, no dia a dia, bem como os seus impactos e atitudes que podem espantá-los da rotina. Boa leitura!

 

O que é o absenteísmo?

As ausências físicas — as faltas, portanto — são a caracterização do absenteísmo no trabalho. Ele é medido a partir da quantidade que um colaborador acumulou em determinado período.

Muitas vezes, são faltas justificadas e que o setor de RH e a os líderes de cada área devem analisar individualmente. Entretanto, outros fatores podem estar motivando as ausências.

Quando não é feito esse diagnóstico, o absenteísmo pode fugir do controle de todos, que só vão perceber o problema como algo crônico assim que as principais consequências já estiverem enraizadas no dia a dia da empresa.

>> A Xerpa elaborou uma Planilha que pode ajudar – e muito – a sua empresa no controle do absenteísmo e nos custos que ele gera para a sua empresa. Clique aqui e acesse agora! Ah, você pode baixá-la para compartilhar com os seus colegas também 😎

 

Quais são os seus impactos?

Por exemplo, digamos que dois colaboradores, de uma equipe com cinco pessoas, estejam faltando com frequência. Para ilustrar melhor, é só imaginar uma banda na qual o baterista e o baixista faltem constantemente aos treinos e shows.

Já dá para ter uma boa ideia das consequências disso, certo? Mas vamos listá-las para facilitar o raciocínio sobre a gravidade do absenteísmo:

Portanto, é fundamental que o setor de RH acompanhe as métricas para que, então, os diferentes tipos de absenteísmo sejam identificados e, então, solucionados.

 

Quais são os tipos de absenteísmo nas empresas?

A seguir, separamos uma lista com 8 tipos de absenteísmo que se apresentam, nas corporações, e podem impactar diretamente no crescimento das equipes — e da empresa, como um todo. São eles:

 

1. Doenças e problemas de saúde

Problemas de saúde são comuns, estando entre os principais tipos de absenteísmo.

O ponto de atenção, para a empresa, é algum elemento em comum que esteja afetando a saúde dos colaboradores. Por exemplo: ambientes nocivos, contato com substâncias tóxicas etc.

Além disso, convém identificar as causas para que o RH promova, em seguida, algumas ações de conscientização para aprimorar o estado geral de saúde dos colaboradores.

 

2. Problemas pessoais e imprevistos

Atrasos, imprevistos — como a espera pela visita de uma assistência técnica  — e problemas pessoais são situações comuns que levam a diferentes tipos de absenteísmo dentro do contexto.

Com isso, o cronograma da empresa é cumprido com menos rigor, interferindo na produtividade e na busca por resultados.

Sem falar que, indiretamente, esses problemas podem evoluir, causando ao profissional uma desmotivação em cumprir com a sua rotina, criando faltas injustificadas ainda mais prejudiciais.

 

3. Falta de motivação e engajamento

O bem-estar da força de trabalho é um dos grandes aspectos inerentes ao trabalho do RH. Especialmente, quando essa qualidade é desequilibrada pela falta de motivação.

E, como se sabe, o aspecto motivacional é o grande combustível do engajamento dos colaboradores. Uma verdadeira bola de neve que, ignorada, pode influenciar na rotina.

Para isso, o primeiro passo consiste em descobrir as causas para a falta de motivação e, assim, trabalhá-la até que a produtividade e o bem-estar espantem esses tipos de absenteísmo.

 

4. Estrutura deficiente ou inadequada

Muitas vezes, o local de trabalho não foi planejado para específicos tipos de tarefas. Como resultado, os profissionais não conseguem exercer suas atividades e ficam limitados.

Com o tempo, isso se traduz ou em problemas físicos — como lesões por esforço repetitivo, que falaremos adiante — ou mesmo no aspecto motivacional.

 

5. Baixa expectativa quanto ao desenvolvimento profissional

É inegável que as empresas negligentes quanto à retenção de talentos podem estar cultivando profissionais cada vez mais desmotivados.

Consequentemente, os tipos de absenteísmo se acumulam no dia a dia. Convém, portanto, avaliar quais medidas podem ser elaboradas para criar uma expectativa de desenvolvimento.

Isso ajuda não apenas a minimizar o absenteísmo, mas a gerar resultados de impacto para a empresa, retendo os seus talentos e aumentando o nível de excelência no trabalho.

 

6. Estresse

Pressão, má gestão, problemas pessoais, conflitos internos… Isso tudo pode contribuir com o agravamento de um nível de estresse elevado.

Entre os tipos de absenteísmo, o estresse é um dos mais diversificados, considerando as múltiplas causas que podem levar à ausência dos colaboradores.

É importante, então, verificar constantemente as condições de trabalho e as respostas de cada profissional a elas. Não à toa, esse descuido do RH pode apontar para problemas ainda mais severos, como é o caso da síndrome do burnout.

 

7. Bullying

O bullying é outro ponto psicológico que influencia nos resultados individuais, na motivação e na presença dos colaboradores no dia a dia.

Afinal de contas, assédios — em todas as suas formas — e implicações (físicas e psicológicas) podem fazer com que o colaborador não queira, de jeito nenhum, ir à empresa.

Algo que se reflete em danos morais, entre outros, e que impacta na reputação e nos resultados da empresa.

Por isso, campanhas contra o bullying e ações imediatas para coibir esse tipo de atitude são diferenciais muito bem-vindos para acabar com as ações decorrentes desses tipos de absenteísmo.

 

8. Depressão

Por fim, mais uma doença psicológica — tida como a mais comum do mundo pela Organização Mundial da Saúde (OMS) — que aumenta o absenteísmo na empresa: a depressão.

Independentemente de sua causa, a empresa deve fornecer o auxílio aos profissionais: desde aconselhamento à orientação por um tratamento especializado.

Do contrário, a depressão age de maneira evolutiva, minando cada vez mais o indivíduo. Encarar isso como um problema sério é crucial para acabar com todos os tipos de absenteísmo. Sem falar na relevância da compreensão dos gestores e da equipe.

 

Como combater todos os tipos de absenteísmo?

Como vimos, muitos dos tipos de absenteísmo são consequências de problemas na cultura organizacional, na gestão e nas falta de ações de prevenção pelo setor de RH.

Portanto, entenda primeiramente quais são os tipos de absenteísmo na sua empresa, avalie as causas e, então, pontue um plano de ação para solucionar o problema.

Entre as ações mais eficazes destacamos as seguintes:

 

E na sua empresa, como estão os tipos de absenteísmo? Compartilhe as suas experiências conosco, no campo de comentários deste post!