Quando os bancos emprestam dinheiro entre si, em curtíssimo prazo, estamos compondo, paralelamente, a taxa CDI (Certificado de Depósito Interbancário). Essas transições são feitas em decorrência de uma obrigatoriedade exigida pelo Banco Central: a de fechar o dia com saldo positivo. Com isso, tem-se uma média para o CDI, que estabelece um referencial para os investimentos de renda fixa

 

Você começou a investir há pouco tempo e já encontrou uma série de termos e conceitos que fogem ao seu conhecimento? Acredite: isso é mais comum do que imagina. Especialmente, no que diz respeito à taxa CDI.

Esse valor referencial vigora em todos os investimentos de renda fixa e serve para atrelar aos lucros para cada perfil de investidor que optou por essa modalidade para rentabilizar os seus recursos.

Por isso, visando que você tenha mais assertividade nas suas escolhas, fizemos este post! Nos tópicos abaixo, vamos entender tudo sobre a taxa CDI. Boa leitura!

O que é a taxa CDI?

A sigla abrevia o termo Certificado de Depósito Interbancário, que é a taxa usada para lastrear as operações interbancárias — aquelas que ocorrem entre bancos, portanto.

E por que isso acontece? Por conta de uma exigência do Banco Central, todas as instituições financeiras têm que encerrar o dia “no azul”. E, para isso, em algumas situações um banco pode solicitar um empréstimo ao outro para fechar essa conta.

Na maior parte dos casos, um banco solicita esse empréstimo de curtíssimo prazo quando ocorrem mais saques do que depósitos na instituição em questão.

O que acontece é que a taxa CDI está atrelada a outro fato: o de que os bancos têm até 24 horas para efetuar a devolução do mercado. E por meio dessas transações é que o mercado de renda fixa é regulado. A taxa CDI é, nessas circunstâncias, a média praticada por esses empréstimos.

 

Como funciona?

Se essa média é exercitada continuamente, é de se presumir que a taxa CDI não permanece estática, certo? Dê uma conferida, então, nos seus respectivos valores nos primeiros sete meses de 2019:

  • janeiro — 0,54;
  • fevereiro — 0,49;
  • março — 0,47;
  • abril — 0,52;
  • maio — 0,54;
  • junho — 0,47;
  • julho — 0,57.

No acumulado do ano, até então, a taxa CDI era de 3,66%. E para os investidores preocupados em montar uma aposentadoria prévia ou mesmo embarcar nos diferentes tipos de investimentos, a taxa CDI deve ser usada como referência para compreender os rumos de sua futura rentabilidade.

Por que atentar-se à taxa CDI?

A sua base é toda a referência que os investimentos de renda fixa devem considerar, a fim de igualá-la ou mesmo superar a taxa CDI. Isso significa que o seu valor é tido como um número de rentabilidade mínima.

Assim, se a taxa CDI de um mês for maior do que a do mês anterior, a rentabilidade também vai ser influenciada.

Quer um exemplo simples disso? Digamos que o CBD (um tipo de investimento de renda fixa) renda 110% do CDI. Ou seja: 10% a mais do que a sua taxa referencial

Se o CDI, hoje, estivesse a 10%, o seu CBD teria uma rentabilidade bruta de 11%. Assim como a rentabilidade seria reduzida se o CDI estivesse com uma taxa inferior.

De qualquer forma, já é uma interessante possibilidade que se estende à poupança e à previdência privada (ambas opções mais populares, hoje em dia, mas com rentabilidade inferior).

Quais investimentos usam a taxa CDI como referência?

Estando entre as alternativas de investimentos mais populares, entre os diferentes perfis de investidores do país, que tal conferirmos quais modalidades você pode aplicar o seu dinheiro baseando-se na taxa CDI?

 

CDB

Sigla para Certificado de Depósito Bancário, o CDB é um modelo de investimento bastante popular, que tende a render sempre de maneira equilibrada com a taxa CDI.

Só que é importante avaliar alguns pontos específicos para o CDB, como:

  • investimentos com liquidez maior e um aporte inicial mais acessível podem render menos;
  • aqueles com carência de saque maior e um aporte mínimo pré-fixado podem ter rentabilidade maior.

Isso vai depender do local onde você está investindo, bem como as suas características como investidor e os seus objetivos. Sem falar na taxa CDI que pode variar entre instituições.

Nesses casos, vale ficar de olho nas instituições menores, que têm mais necessidade de empréstimo do que os grandes bancos do país. Quanto mais elas necessitarem de empréstimos, maior pode ser a taxa CDI — o que pode também se converter em uma rentabilidade maior para os seus investimentos.

 

LCI

A Letra de Crédito Imobiliário oferece títulos emitidos pelas instituições financeiras para captar recursos direcionados à fomentação do crédito imobiliário. Ou seja: seus investimentos são destinados à verba que os brasileiros recebem para os seus respectivos financiamentos.

Importante observar que a LCI está livre da aplicação do imposto de renda porque é um setor que, quando favorável, beneficia a todo o governo. Entretanto, acaba tendo uma rentabilidade menor atrelada à taxa CDI.

 

LCA

A Letra de Crédito do Agronegócio, por sua vez, direciona os investimentos das pessoas no setor agropecuário — outro meio econômico que favorece, e muito, o governo quando abastecido.

Até por isso, tem se mostrado uma opção interessante de investimento no país.

 

LC

A Letra de Câmbio é mais uma opção para quem vem buscando mais educação financeira e novas maneiras de investir o seu suado dinheiro.

Só que, diferentemente das modalidades anteriores, a LC serve para qualquer fim que a instituição financeira der aos seus investimentos. Além de ser uma alternativa interessante em longo prazo.

Isso porque ela é tributada pelo Imposto de Renda, cuja alíquota máxima é de 22,5%, mas que regride continuamente até chegar aos 15% — algo que varia com o prazo que você mantém sua verba investida.

 

Tesouro Direto

 

 

Muitos se perguntam, hoje em dia, entre investir no Tesouro Direto ou na previdência privada. Acontece que o Tesouro Direto é bastante rentável porque você está “emprestando” o seu dinheiro para o governo diretamente.

Com isso, a taxa CDI é apenas um referencial para uma modalidade que pode contribuir para uma rentabilidade maior para você. E, consequentemente, valorizar ainda mais o seu investimento.

 

Bolsa de valores

Por fim, os investimentos na bolsa de valores podem ser considerados, dentro do contexto atrelado à taxa CDI. Acontece que esse tipo de investimento é mais considerado por perfis de investidores agressivos, que assumem mais riscos e estão dispostos a eventuais perdas com o tempo.

Dessa maneira, é um bom repertório de opções para que você considere em curto, médio e longo prazo. Todas as opções estão referenciadas pela taxa CDI e, por isso, convém compará-las com as suas necessidades e objetivos para encontrar a melhor alternativa.

Mas, caso você tenha ficado com qualquer tipo de dúvida pendente a respeito da taxa CDI, aproveite para compartilhá-la conosco, no campo de comentários deste post, e responderemos prontamente para você!