Inscreva-se

Sobrecarga de trabalho: previna este mal e garanta o bem-estar da equipe
Cultura da Empresa

Sobrecarga de trabalho: previna este mal e garanta o bem-estar da equipe

Pressão constante, metas inatingíveis, má gestão e o volume de trabalho elevado, com prazos curtos, são alguns dos fatores que levam à sobrecarga de trabalho.O que, como consequência, pode causar sintomas físicos e psicológicos nas pessoas, como:

  • dores nas costas;
  • dores de cabeça;
  • impaciência;
  • desmotivação crônica;
  • distúrbios de sono;
  • dificuldade em se concentrar;
  • improdutividade.

 

Atualmente, é até comum identificar um líder exclusivamente focado em gerar mais produtividade, na sua equipe, arcando com menos despesas gradativamente.

O equilíbrio é mais que bem-vindo para almejar resultados melhores para a empresa. O problema é quando há uma significativa desarmonia entre o bem-estar de cada colaborador e os seus respectivos limites. Isso gera uma preocupante sobrecarga de trabalho.

E é sobre esse termo que gostaríamos de discutir com você neste post. Nos próximos tópicos nós vamos mostrar os impactos da sobrecarga de trabalho.

Além disso, vamos explorar os impactos dela — tanto para a empresa quanto para as pessoas — e como o gestor de RH e a sua equipe podem prevenir esse tipo de situação na sua empresa. Confira!

 

O que define uma sobrecarga de trabalho?

O estresse é influenciado de diversas formar no semblante de uma pessoa. Não à toa, é um dos fatores de maior preocupação no país — que é o segundo colocado no ranking global.

Quando acumulado, ele se desenvolve em muitos fatores limitantes que podem levar à desmotivação, improdutividade e até mesmo na geração de conflitos na empresa.

Até por isso, o estresse e a sobrecarga de trabalho estão intimamente relacionados.

Só que vale adiantar que o estresse, em si, não é o fator determinante nessa equação. Afinal de contas, ele é só um sintoma.

Portanto, a sobrecarga de trabalho (que pode evoluir para a síndrome de Burnout, que é o esgotamento físico e mental do indivíduo) deve ser avaliada com base nos sofrimentos físicos e psicológicos sofridos por uma pessoa.

No ambiente de trabalho, isso pode ocorrer de maneiras tão amplas quanto distintas. 

Exemplos

  • volume de trabalho elevado, com prazos curtos para a sua execução;
  • metas inatingíveis propostas pela gestão;
  • cobranças exageradas promovidas pelo líder da área;
  • ambiente opressor e envolto em pressão — excessiva e constante.

 

Claro que existem outras situações em que a sobrecarga de trabalho se faz presente. Um ou mais colegas de equipe em licença ou férias, ao mesmo tempo, é um bom exemplo.

Acontece que o ponto-chave está tanto no ponto de ruptura de cada pessoa para sentir a sobrecarga de trabalho. Além, é claro, da frequência em que cada situação acima ocorre.

Se a periodicidade é baixa e há um prazo para que a pressão chegue ao fim, trata-se de um fator sazonal, e não frequente. Esse esgotamento tende a ocorrer quando é incessante.

Como resultado, o profissional pode apresentar sintomas que vão dos aspectos físicos às consequências psicológicas e comportamentais.

E se você se identifica com dores nas costas e na cabeça, falta de paciência, desmotivação crônica, distúrbios de sono e dificuldade em se concentrar, você pode saber do que estamos falando.

 

Como isso afeta a busca por resultados da empresa?

Se, para o colaborador, a sobrecarga de trabalho é altamente prejudicial, vale destacar que a busca por resultados da empresa também não fica atrás no prejuízo.

Isso porque os excessos logo se configuram em falta de comprometimento das equipes. O que é um sinônimo evidente para a baixa produtividade e engajamento.

Além do fato de que a sobrecarga de trabalho, quando não planejada e ostensiva, pode cansar os talentos e fazer com que eles vão ao mercado em busca de novas oportunidades.

E já falamos habitualmente, por aqui: o índice de turnover elevado é um mal de grandes proporções par a empresa. Elevados custos, baixa reputação e dificuldade para consolidar o desejado desenvolvimento no seu setor de atuação.

Após finalizar a leitura, recomendamos que você baixe essa planilha gratuita! Com ela, você conseguirá calcular o seu turnover com muita facilidade. Responda o formulário e receba agora mesmo:


Como identificar a sobrecarga de trabalho na empresa?

É importante que o RH e os líderes de cada setor se reúnam para avaliar não apenas evidentes sintomas de sobrecarga de trabalho, mas as alternativas para reduzir esse desgaste.

Para tanto, vamos começar com a compreensão de quais são os sinais que apontam para esse quadro de elevado prejuízo — tanto para a empresa quanto para os colaboradores:

  • excesso de comunicação, como reuniões que não levam a lugar nenhum e, mesmo que no intento em compartilhar informações, podem causar uma dificuldade séria em gerir as tarefas cotidianas e lidar com esse exagero prejudicial à produtividade e à saúde mental;
  • agenda da empresa desorganizada, como o fluxo de trabalho pouco estratégico e planejado. Isso aumenta a sobrecarga dos colaboradores, que não conseguem ser mais produtivos — ou eficazes — enquanto a própria organização não lidar com isso;
  • equipes reduzidas, delegando mais atividades do que um colaborador consegue absorver;
  • microgestão centralizada, autoritária e de elevada cobrança;
  • sobrecarga de trabalho para os profissionais mais capacitados, desmotivando-os enquanto o resto da equipe produz menos.

E então, identificou algumas possibilidades e situações que podem estar ocorrendo na sua empresa? Que tal vermos como remediar esses hábitos tão improdutivos?

 

Como reduzir a sobrecarga de trabalho?

Considerando que a sobrecarga de trabalho é um fator limitador e que, muitas vezes, é gerado pela própria condução da cultura organizacional da empresa, é importante a reflexão para minimizar a sua ocorrência no ambiente corporativo.

Para tanto, reunimos algumas ideias úteis, nesse sentido, que vão contribuir para a manutenção da qualidade de vida e do bem-estar dos colaboradores. Convém destacar que são dicas que o RH e os líderes podem aplicar e os próprios colaboradores. São elas:

  • reavaliação do fluxo de trabalho, otimizando o tempo produtivo dos colaboradores;
  • análise dos recursos (tecnologias, materiais e humanos) usados no dia a dia, e se eles estão sendo empregados na quantidade necessária para manter a produtividade elevada;
  • identificação das práticas que são consideradas tóxicas no dia a dia de trabalho;
  • simplificação dos processos, para reduzir etapas irrelevantes ou mecânicas e repetitivas, fazendo uso melhor do tempo de trabalho do colaborador;
  • aumento de autonomia e flexibilidade para os colaboradores se sentirem à vontade para cumprir com as suas responsabilidades e tarefas;
  • ações de motivação para melhorar o clima organizacional;
  • treinamentos para contribuir com a gestão do tempo.

Com essas dicas planejadas e executadas na rotina, a sobrecarga de trabalho pode se tornar uma exceção, e não o elemento presente e consistente na empresa.

 

Que tal, agora, você complementar tudo o que vimos aqui, sobre sobrecarga de trabalho, para qualificar cada vez mais os recursos humanos da sua empresa? Para isso, convidamos você para curtir a nossa página no Facebook e seguir-nos no Instagram, Twitter e LinkedIn. Assim, você vai sempre estar por dentro de todas as nossas novidades!

Related posts

Deixe uma resposta

Required fields are marked *