Entenda o que é a situação financeira da empresa e como diagnosticá-la

situação financeira

Independentemente do porte e do segmento de atuação de uma empresa, o gestor deve saber como diagnosticar a sua situação financeira. Afinal de contas, isso impacta diretamente qualquer decisão a ser tomada em curto, médio e longo prazo.

No básico de qualquer equação para garantir a sustentabilidade de um negócio, as contas têm que bater no final do mês. Preferencialmente, de maneira positiva, gerando lucros.

Sem o devido controle e a percepção de quanto está sendo arrecadado e investido, fica quase impossível gerir uma empresa com qualidade. Por isso, neste post vamos mostrar para você quais são as melhores práticas para acompanhar a situação financeira de um empreendimento.

Falaremos sobre os seguintes assuntos nos tópicos a seguir:

  • O que é situação financeira?
  • E situação econômica?
  • Por que saber a situação financeira da empresa é importante?
  • Como identificar a situação financeira da empresa?
  • Faça um estudo de viabilidade do seu negócio
  • Acompanhe os melhores indicadores para os seus objetivos
  • Analise o Balanço Patrimonial
  • Fique de olho na Demonstração do Resultado do Exercício (DRE)

Boa leitura!

O que é situação financeira?

Resumidamente, a situação financeira tem a ver com o balanço de caixa da empresa. Ou seja: a noção clara, transparente e precisa do quanto foi arrecadado, em determinado período, e as despesas realizadas no mesmo prazo monitorado.

Ou seja: se a empresa está com as contas em dia, o orçamento pode ser flexibilizado para alcançar diferentes objetivos e não existem imprevistos nos balanços feitos, a situação financeira da empresa é boa.

Por outro lado, quando não existem recursos suficientes para quitar as contas do dia a dia, a conclusão mais lógica é a de que a situação financeira não anda nada bem — o que também levanta o sinal de alerta para entender os motivos para isso.

E situação econômica?

Existe, também, outro conceito que costuma gerar muitas dúvidas nos empreendedores. E, embora seja igualmente relevante, não tem o mesmo significado de situação financeira.

A situação econômica está relacionada diretamente com os lucros e prejuízos da empresa. Dessa maneira, uma situação econômica favorável desponta com uma quantidade elevada no patrimônio bruto — em contrapartida, o déficit acumulado e a necessidade contínua de empréstimos e do aporte de terceiros apresenta uma realidade negativa.

Não à toa, esse tipo de negligência tende a ser um dos principais fatores que levam as empresas a quebrarem.

Por que saber a situação financeira da empresa é importante?

Empresas que buscam sobrevida e longevidade no seu ramo de atuação têm que focar tanto no monitoramento da situação financeira quanto a econômica.

Ambas vão apresentar dados reais sobre o momento e as perspectivas para um planejamento constante de crescimento, manutenção e sustentabilidade do negócio. E vale mencionar que elas se diferenciam em alguns pontos.

Por exemplo: empresas com a situação econômica boa podem não estar, necessariamente, com a situação financeira em ordem. Mas os motivos para isso podem variar — muitos inadimplentes ou compras a prazo — e daí a importância em monitorar esses números de maneira constante.

Como identificar a situação financeira da empresa?

Conforme mencionamos no início deste artigo, existem boas práticas que favorecem o controle da sua situação financeira a fim de evitar imprevistos e riscos para o seu negócio.

E, a seguir, vamos falar a respeito de algumas ações e estratégias que condizem com as melhores práticas do mercado para monitorar a sua situação financeira. Veja só quais são!

Faça um estudo de viabilidade do seu negócio

Esse trabalho costuma ser feito no momento anterior à abertura de uma empresa. Por meio do estudo de viabilidade do negócio fica fácil identificar a estabilidade econômica em números, além da capacidade de geração de lucro desse empreendimento. Para tanto, são usados os seguintes indicadores de desempenho:

  • faturamento periódico, que aponta a quantidade e os itens que são comercializados no dia a dia;
  • custos variáveis, que são os representativos de despesas da empresa para que não existam prejuízos na precificação e tampouco surpresas na prestação de contas periodicamente;
  • custos fixos, que são as despesas recorrentes e que vão fazer parte do seu cotidiano de maneira igual — ou ao menos próxima;
  • margem de contribuição, que é o índice capaz de apontar a lucratividade e o ponto de equilíbrio da empresa;
  • lucro operacional, que se trata o resultado numérico após contabilizados todos os custos (variáveis e fixos);
  • preços de vendas, permitindo uma composição que seja competitiva e, também, que gere lucros;
  • fluxo de caixa, o grande amigo do monitoramento da sua situação financeira, uma vez que ele mensura as entradas e saídas garantindo total controle do que está acontecendo.

Com isso, a sua empresa adquire mais estabilidade para se sustentar, já que os números projetados vão servir de bússola para manter a situação financeira em ordem e a situação econômica em constante desenvolvimento.

Inclusive, o planejamento financeiro é um dos grandes pilares que sustentam qualquer empresa. Para saber mais a respeito, fica o nosso convite para você ler um artigo que explora tudo o que você precisa saber para fazer um planejamento focado em 2021!

Acompanhe os melhores indicadores para os seus objetivos

Indicadores econômicos ajudam a orientar o seu negócio. Eles destacam, conforme mostramos acima, diferentes cenários e situações que garantem assertividade às decisões do seu negócio. Alguns deles que fazem toda a diferença no monitoramento da situação financeira:

  • índices de liquidez, que ajudam a avaliar a sua capacidade de honrar os pagamentos da empresa;
  • índice de endividamento, que aponta o capital usado via terceiros (como empréstimos bancários, entre outros);
  • índice de rentabilidade sobre vendas, que estabelece a relação entre o lucro operacional do seu negócio com as vendas efetuadas;
  • índice de atividades, cujo objetivo é apontar o tempo médio que a sua empresa leva para receber o valor de cada venda realizada;
  • índices de atividades 2, que aponta, por sua vez, o tempo médio que você leva para pagar seus fornecedores.

Percebe o quanto isso tudo, pouco a pouco, constrói um cenário positivo e seguro para avaliar o momento da empresa e a sua situação financeira de maneira consistente?

Analise o Balanço Patrimonial

O Balanço Patrimonial avalia a situação do seu patrimônio em determinado período. Ao monitorá-lo, a sua gestão financeira adquire uma visão mais longa e precisa de cenários de curto, médio e longo prazo para o seu negócio prosperar de maneira contínua.

Fique de olho na Demonstração do Resultado do Exercício (DRE)

Com a Demonstração do Resultado do Exercício, você tem em mãos um relatório (informativo) que aponta a formação do resultado líquido de sua empresa — tanto de maneira quantitativa quanto qualitativa.

Em aliança com o Balanço Patrimonial, sua situação financeira passa a ser melhor acompanhada e fica mais difícil para o departamento financeiro encontrar surpresas desagradáveis no caminho.

 

Agora, que tal colocar em prática tudo o que vimos aqui sobre as melhores práticas para identificar a sua situação financeira? Mas, antes, aproveite para deixar um comentário no campo abaixo, seja para tirar mais dúvidas sobre o assunto ou mesmo para compartilhar as suas experiências nesse tema!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confira outros artigos que você pode se interessar