Segurança do Trabalho: qual é o papel do RH?

segurança do trabalho

Ao longo dos anos o RH assumiu um papel mais estratégico dentro das empresas e isso vai de encontro ao desenvolvimento de ações para a manutenção do bem estar físico e mental dos colaboradores. Neste cenário a segurança do trabalho passou a ser essencial. 

Uma vez que, desenvolver ações para manter o bem-estar do colaborador em dia impacta diretamente nos resultados. Sem contar que as empresas tem por obrigação zelar por um ambiente de trabalho propício para que a saúde ocupacional seja mantida. 

Essas medidas de segurança do trabalho – verificação de equipamentos, ergonomia, sanitização do ambiente – podem prevenir acidentes e doenças, como a Covid-19. Mas qual o papel do RH na segurança do trabalho? 

Ao longo deste artigo tentaremos responder a esse questionamento falando sobre o que é segurança do trabalho e qual a função do RH para que as doenças ocupacionais e os acidentes sejam evitados. 

Se achou o tema interessante siga em frente neste artigo e boa leitura. 

O que é segurança do trabalho?

A segurança do trabalho pode ser descrita como um conjunto de medidas desenvolvido pelas empresas para a prevenção de acidentes e doenças. Com isso, é possível preservar o bem-estar físico e mental dos colaboradores. 

E não só isso, com essas ações os colaboradores podem desenvolver sua função sem riscos a saúde e consequentemente o índice de produtividade é elevado. 

Já que, diminuindo os riscos, o trabalho se torna mais seguro e saudável. Reduzindo os afastamentos por doenças ocupacionais e as taxas de abstenção e absenteísmo

A segurança do trabalho está prevista em lei, com legislações e normas que a compõem e que devem ser respeitadas pelas empresas. Ela é citada pela Norma Regulamentadora número 4 do Ministério do Trabalho. 

A lei inclusive exige a presença de serviços especializados de segurança no trabalho, conforme inciso 4.1 da norma trabalhista. 

4.1 As empresas privadas e públicas, os órgãos públicos da administração direta e indireta e dos poderes Legislativo e Judiciário, que possuam empregados regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho – CLT, manterão, obrigatoriamente, Serviços Especializados em Engenharia de Segurança e em Medicina do Trabalho, com a finalidade de promover a saúde e proteger a integridade do trabalhador no local de trabalho. (Alterado pela Portaria SSMT n.º 33, de 27 de outubro de 1983).

Qual o papel do RH?

O RH é um dos setores primordiais quando tratamos da relação empresa e colaborador. É o RH o responsável por administrar pessoas, e principalmente,  é o setor que tem a responsabilidade de manter o bem-estar dos funcionários. 

Sendo assim, qualquer ação relacionada a segurança do trabalho, prevenção e mapeamento de riscos da função, envolve necessariamente o RH, já que os colaboradores são parte de qualquer medida neste sentido. 

É o RH quem planeja, junto aos líderes de cada setor, programas de prevenção e conscientização para que a segurança do trabalho seja mantida.

Exercendo, na questão da segurança do trabalho, o papel de gestão, orientação e fiscalização para que as normas sejam cumpridas. Fiscalizando a empresa, para que ela siga as medidas de segurança, e os profissionais, para que respeitem as regras e evitem acidentes. 

Já falamos em outro artigo sobre o porquê a empresa deve manter os cuidados com a saúde dos seus colaboradores, leia esse conteúdo clicando aqui

Quais os números da segurança do trabalho no Brasil?

De acordo com a Previdência Social, mais de 1,8 milhão de profissionais se afastaram do emprego por acidente de trabalho, entre 2014 e 2018. Por ano são mais de 700 mil casos, mostrou o Observatório Digital de Segurança e Saúde do Trabalho.

Esses dados colocam o Brasil em quarto lugar no mundo com maior número de casos de acidentes de trabalho. Agora é só imaginar essa quantidade de afastamentos e o impacto nos resultados da organização. 

Muito alto, não? Por isso, é tão importante investir na segurança do trabalho para prevenir acidentes e doenças ocupacionais, pois, com certeza o gasto com um afastamento de um profissional é muito maior do que o que será destinado a programas de conscientização e prevenção. 

Dicas para manter a segurança do trabalho

Agora que já sabemos da importância do RH na segurança do trabalho apresentaremos algumas medidas que podem ser adotadas pela empresa para manter a saúde ocupacional em dia. Confira!

Manutenção periódica dos equipamentos 

Acidentes com qualquer tipo de equipamento na execução das tarefas podem trazer enormes prejuízos a empresa e colocar a vida do colaborador em risco. 

Portanto, é primordial que a empresa preze não só pelo conserto das máquinas quando elas estiverem quebradas, mas sim pela manutenção periódica das mesmas. 

Isso evita acidentes e até mesmo potencializa a produtividade, diminuindo as chances do trabalho parar por ter algum equipamento quebrado. 

Uso de equipamentos de proteção 

Os EPCs (Equipamento de Proteção Coletiva) e EPIs (Equipamento de proteção individual) também devem constar em um plano de segurança do trabalho. Isso porque o uso deles pode não só evitar acidentes, mas preveni-los. 

É de total responsabilidade da empresa, tendo o RH a frente dessas ações, fornecer os equipamentos necessários. É muito importante que esses EPCs e EPIs sigam as normas do Ministério de Trabalho e tenham um Certificado de Aprovação para o uso.

Quando as empresas negligenciam essa responsabilidade estão colocando a vida dos profissionais em risco e podem responder processos e ações trabalhistas futuramente, caso algum acidente aconteça. 

Treinamentos para o uso dos EPIs

De nada adianta ter os melhores equipamentos de proteção no processo de segurança do trabalho se não há uma orientação de como usá-los corretamente por parte da empresa.

Neste sentido a organização, ao lado do seu RH, deve obrigatoriamente investir em treinamentos e capacitações para que os empregadores tenham conhecimento sobre a importância do uso desses EPIs e EPCs e quais as consequências de não utilizá-los. 

Campanhas de conscientização

Além dos treinamentos e capacitações sobre como usar os equipamentos de proteção, as campanhas de conscientização podem ajudar a manter a segurança do trabalho em dia. Para isso a empresa pode aproveitar sua comunicação interna.

Reservando espaços para o tema na intranet, jornal mural, jornal interno, palestras em eventos corporativos, workshops e etc. 

Todo reforço no sentido de segurança do trabalho é válido para que os trabalhadores se conscientizem também do seu papel no desafio de zelar pela sua saúde e bem-estar

Reuniões entre o RH e os líderes dos setores 

Outra ação importante para a criação de ações e programas relacionados a segurança do trabalho são as reuniões entre o RH e os líderes de cada setor. 

Esses encontros devem funcionar não só como um momento de orientação do RH para com esses gestores, mas também como um networking para mapear os riscos de cada área. 

Essa reunião periódica pode facilitar a vida dos profissionais de RH para que desenhem um plano mais eficiente para cada setor. Uma vez que, poderão saber dos riscos a partir dos gestores que estão mais próximos do trabalho do dia dia. 

Isso facilita o mapeamento dos riscos da empresa e de cada área e consequentemente contribui para um programa de prevenção correto em segurança do trabalho. 

Ergonomia

Outra preocupação do RH na segurança do trabalho deve estar ligada a ergonomia

Cadeiras quebradas e desconfortáveis, mesas na altura errada, iluminações escassas podem não só gerar um incômodo no dia a dia, mas são causadores de doenças ocupacionais. 

Uma postura errada, por exemplo, pode ocasionar um problemas na coluna ou LER (lesão por esforço repetitivo).  

Um estudo da Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho (Fundacentro) mostrou que a dor na coluna é a maior causadora de afastamentos no trabalho. São 160 mil licenças anuais em função do problema. 

Portanto, uma boa estrutura de trabalho é essencial na segurança do trabalho no sentido de prevenir doenças ocupacionais que podem ser evitadas. Dando inclusive maior conforto para que o colaborador possa desempenhar bem sua função. 

Sanitização do ambiente 

O Brasil já ultrapassou as 172 mil mortes por Covid-19 e a atenção das empresas em relação a doença é fundamental para evitar contágios no ambiente de trabalho. Neste sentido seguir os protocolos e apostar na sanitização do ambiente pode prevenir a doença. 

Em relação aos protocolos estão: 

  • Uso de máscaras de proteção;
  • Higienização das mãos com sabão e álcool em gel;
  • Desinfecção dos ambientes de trabalho (mesas, banheiros, salas de trabalho, cadeiras, computador); 
  • Respeitar a distância de 1,5m entre as mesas de trabalho.

Outra opção é a sanitização de ambiente que se utiliza de produtos de controle microbiológico para impedir que o coronavírus se prolifere. 

Ela também pode ser utilizada para desinfectar ambientes em que algum colaborador tenha testado positivo para a doença, prevenindo a transmissão. 

A segurança do trabalho e o bem-estar do colaborador

A segurança do trabalho está intimamente ligada ao bem-estar dos colaboradores. Até por isso que este tema deve ser tratado de maneira responsável e sempre como prioridade pelas empresas. 

Não só no sentido de cumprir a lei, mas sempre pensando no colaborador além da relação profissional e buscando sempre ações para que mantenha a saúde física e mental dele em dia. 

Ao longo do artigo pudemos ver que o RH tem papel fundamental nesse processo, por seu caráter intermediador entre funcionários e empresa. 

Sem contar que é de responsabilidade desse setor comunicar e conscientizar os colaboradores sobre o respeito às regras e normas de prevenção a acidentes e doenças ocupacionais. 

Adotando essas estratégias, relacionadas a segurança do trabalho, é possível deixar os colaboradores mais à vontade e tranquilos para exercerem sua função, potencializando a produtividade e os resultados. 

 

Quer saber mais sobre a importância do RH nas empresas? Siga o Xerpay nas redes sociais Facebook, Instagram, TwitterLinkedIn, e fique por dentro dos melhores conteúdos do setor. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confira outros artigos que você pode se interessar