Inscreva-se

Search e hunting: o que são e quais são seus benefícios para a empresa
Dicas

Search e hunting: o que são e quais são seus benefícios para a empresa

Search e hunting são dois conceitos muito aplicados, no universo corporativo. O primeiro reflete as ações de uma empresa para entrar em contato com profissionais interessados em trabalhar ali. Hunting, por sua vez, é o trabalho de garimpar talentos em todo o mercado.

Só que essas diferenças conceituais vivem em um efeito sanfona, para o setor de RH.

Afinal de contas, ambas as técnicas são tão diferentes quanto complementadoras. Elas podem ser aplicadas em conjunto ou isoladamente para qualificar os processos seletivos.

E, ao longo deste post, vamos entender como search e hunting podem ser aplicados, bem como os seus benefícios internamente. Confira!

Após a leitura, recomendamos que você baixe esse eBook gratuito. Nele você descobrirá estratégias essenciais para executar um processo de recrutamento e seleção assertivo! Responda o formulário e receba agora mesmo:


O que é search e hunting?

Como vimos, ambos são termos inferidos no contexto do processo seletivo que o RH de uma empresa deve lidar em seu dia a dia.

Portanto, para iniciarmos o artigo vamos destacar o conceito de search e hunting individualmente. Acompanhe:

 

O que é search?

A tradução literal do termo em inglês search é “busca” ou “pesquisa”. E isso tem muito a ver com a rotina desse tipo de trabalho.

Em geral, para aplicar o search não é necessária a contratação de profissionais ou empresas especializadas em recrutamento — como headhunters. Isso porque o processo de search se equilibra entre as ações passivas e ativas.

Por exemplo: uma empresa que abre o espaço de “trabalhe conosco” em seu site pode filtrar as opções de currículos recebidos. Ou mesmo aqueles enviados voluntariamente.

Nessas situações, entendemos que search e hunting se diferenciam porque o primeiro recebe um número constante de currículos, mas sem um filtro previamente definido.

Ou seja: as buscas serão feitas de acordo com as oportunidades em aberto ou com o objetivo de consolidar um banco de talentos interno.

Existem, ainda, outras opções de trabalhar o search, como o cadastro da empresa nos principais sites de oportunidades profissionais. Vale o reforço, no entanto, de que a organização perde um pouco na precisão para uma filtragem rápida de currículos.

 

O que é hunting?

Por sua vez, o termo em inglês hunting tem a ver com caça. Mas, no mercado de trabalho, trata-se de um poderoso simbolismo para retratar a vocação dessa atividade.

Em resumo, hunting é o processo de procurar — em todo o mercado de trabalho — um talento que tenha as competências, habilidades e comportamentos necessários para o preenchimento de um cargo — disponível ou às vésperas de ser criado.

Para tanto, o setor de RH precisa definir, previamente, o perfil para o preenchimento de cada oportunidade profissional na empresa. Em seguida, fazer uso das diversas ferramentas usadas para esse tipo de recrutamento externo, como:

Isso para garantir que a precisão na seleção de candidatos seja a mais personalizada — e assertiva — possível.

Afinal, o headhunter, que é o meio mais popular de uso do hunting, tem as suas conexões e meios para associar a demanda do seu contratante aos perfis pesquisados.

Como resultado, o processo seletivo pula algumas etapas — como a triagem de currículos — e o RH da empresa se ocupa mais na tomada de decisão pelo melhor candidato.

Além, é claro, de definir a flexibilidade da negociação. Principalmente, porque o trabalho de hunting pode colocar, no radar da empresa, profissionais empregados. E que precisam de excelentes condições para se arriscar em um novo desafio em sua carreira.

 

Existe uma técnica melhor entre search e hunting?

A princípio, não dá para dizer que uma das técnicas é melhor ou pior: podemos enquadrá-las, por sua vez, em um escopo alinhado aos objetivos da empresa.

Por exemplo: entre search e hunting é inquestionável o investimento menor na primeira opção.

Por se tratar de uma ferramenta passiva, o grande direcionamento dado será no tempo de trabalho da equipe do RH em filtrar as melhores opções no seu banco de dados.

Quando falamos em hunting estamos destacando um serviço diferenciado, prestado por profissionais especializados em recrutamento e com grandes conexões no ramo.

Assim, entre search e hunting é importante avaliar o que a empresa está em busca. Se a ideia principal consiste em assertividade no processo seletivo e no preenchimento de vagas estratégicas, o hunting é uma excelente pedida.

O search, por sua vez, é um trabalho de garimpo interno, em que o RH vai desempenhar mais etapas até a conclusão do melhor perfil para trabalhar na empresa. Ou seja: a  economia financeira, na estratégia, se traduz em um tempo maior de realização.

 

Onde reside o diferencial do hunting?

O trabalho em conjunto do headhunter e o RH da empresa é participativo em todas as etapas do processo.

Afinal de contas, o RH — em conjunto com as lideranças da empresa — deve ter muito bem esclarecido, antes de contatar esse tipo de prestador de serviços, o perfil profissional para o preenchimento de cada cargo e o que é esperado de cada indivíduo. Isso inclui:

E é essa a grande sacada que diferencia search e hunting: a precisão e a agilidade no processo. Um investimento maior, é verdade, mas com resultados práticos.

Sem falar que o headhunter se ocupa em buscar verdadeiros talentos no mercado de trabalho. A ideia é fortalecer a equipe, qualificá-la e gerar um diferencial competitivo.

Algo que, em algumas ocasiões, consiste em enfraquecer o poderio de recursos humanos da concorrência para qualificar o seu quadro de colaboradores.

Mas, com isso, voltamos ao cerne da questão que divide opiniões a respeito de search e hunting: objetivos.

Ao saber o que distancia e aproxima um e outro conceito, o RH da sua empresa consegue usá-los em conjunto, isoladamente e de acordo com cada demanda.

Tudo para tornar ainda mais assertivo todas as etapas de recrutamento e seleção da empresa!

Só tenha em mente que, entre os muitos erros que as empresas praticam, ao investir em hunting, podemos apontar a negligência da busca por especialização nessa atividade.

Como resultado, os resultados tardam em aparecer e o investimento acumula cifras que podem ser consideradas prejuízos para a empresa. Atenção a isso, pensando que o planejamento estratégico do RH é um diferencial e tanto nesse quesito.

 

E então, deu para entender, enfim, as diferenças entre search e hunting e como aplicar cada um deles no processo seletivo da sua empresa? Que tal, então, curtir a nossa página no Facebook e seguir-nos no Instagram, Twitter e LinkedIn? Assim, você vai ficar por dentro de muitas outras dicas e sugestões para qualificar cada vez mais o RH da sua empresa!

Related posts

Deixe uma resposta

Required fields are marked *