Quando se fala na saúde dos colaboradores, o que vem primeiro à cabeça são problemas físicos. No entanto, muitos se esquecem que males como a depressão, estresse e ansiedade também impactam o bem-estar e a produtividade dos funcionários. Por isso, cada vez mais a saúde mental deve ser prioridade nas empresas.

Neste artigo, você verá como essas doenças podem prejudicar a equipe e o que a empresa pode fazer para cuidar da saúde mental dos colaboradores. Quer saber mais? Confira a seguir!

Qual é a importância da saúde mental nas empresas?

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de 300 milhões de pessoas ao redor do mundo sofrem com a depressão, a principal causa de incapacidade profissional.

Ainda de acordo com o órgão, mais de 260 milhões de trabalhadores vivem com transtornos de ansiedade. E muitos têm as duas doenças.

No Brasil, segundo a International Stress Management Association (ISMA), nove em cada dez profissionais sofrem de ansiedade, do grau mais leve ao incapacitante. Esses dados alarmantes só reforçam o fato de que a saúde mental deve ser prioridade nas empresas.

Menosprezar essa demanda pode trazer grandes prejuízos, já que em muitos casos essas doenças impedem as pessoas de trabalhar e produzir normalmente, gerando uma queda vertiginosa nos resultados.

Afinal, quando um funcionário passa essa situação, ele se ausenta mais vezes, e mesmo quanto está presente não consegue desempenhar seu papel adequadamente.

A employer brand da empresa também sai prejudicada. Organizações com altas taxas de burnout e depressão afastam os profissionais que buscam boas oportunidades, o que dificulta a atração e retenção de talentos, além de manchar a imagem da companhia.

>> Uma das propostas do bem-estar no trabalho é promover a qualidade de vida na empresa! Para isso, criamos um e-Book recheado de dicas para criar um programa de qualidade de vida na sua empresa. Clique aqui e acesse agora mesmo!

Como cuidar da saúde mental dos colaboradores?

Ao contrário de doenças físicas, problemas de saúde mental são mais difíceis de identificar. Por isso, muitas vezes a ansiedade, o estresse e a depressão passam despercebidos por meses, ou até anos. 

Diante disso, é importante buscar alternativas para prevenir esse problemas e melhorar a qualidade de vida no trabalho. Veja abaixo algumas das principais medidas que você pode implementar.

 

Conscientize os colaboradores

O primeiro passo para tornar a saúde mental prioridade na sua empresa é conscientizar os colaboradores sobre a importância do assunto. 

Faça campanhas, convide especialistas para palestras e workshops e crie conteúdos relevantes sobre o tema. Ensine como enfrentar a depressão e a ansiedade, e também como ajudar outras pessoas que passam por isso. Assim, é possível criar uma rede de apoio em toda a organização.

Também é importante deixar os colaboradores à vontade para expor seus problemas. Embora muitas pessoas sofram com a saúde mental, a maioria delas não fala sobre isso, com medo de serem estigmatizadas. Tratar o problema com naturalidade e sem julgamentos é fundamental para preveni-lo adequadamente.

 

Treine os gestores

Um dos papéis mais importantes do líder de equipes é entender que a saúde mental deve ser prioridade nas empresas. Só assim ele será capaz de cuidar do bem-estar dos funcionários e mantê-los sempre engajados e produtivos. Para que isso aconteça, é preciso treiná-lo para lidar com as questões de saúde mental que aparecem no dia a dia.

Entre os gestores, há uma tendência em buscar uma solução única para todos os casos, mas isso não funciona em situações que envolvem depressão e outras doenças da mente.

Há diferenças em como as pessoas pensam, agem e se sentem. Cada colaborador é um indivíduo único, que enxerga o mundo do próprio jeito. É essencial observar caso a caso e conduzir os cuidados de forma personalizada, pois nem sempre a mesma solução vai valer para toda a equipe.

 

Promova o equilíbrio entre vida pessoal e profissional

O equilíbrio entre a vida pessoal e profissional é essencial para construir um ambiente saudável. É a melhor forma de reduzir o estresse e prevenir o burnout, o esgotamento extrema causado pelo excesso de trabalho.

Para atender a essa necessidade, há uma tendência cada vez maior no mundo corporativo em adotar políticas de horários flexíveis. Nesse modelo, os funcionários não precisam cumprir horários fixos, podendo trabalhar nos momentos em que se sentem mais produtivos.

Essa iniciativa permite mais equilíbrio, mais controle sobre o tempo e a oportunidade de cuidar de assuntos pessoais, como ir ao médico.

Outra prática que vem crescendo é o trabalho remoto. Com o avanço da internet, muitas funções deixaram de exigir a presença física do profissional no escritório. Nesses casos, poder trabalhar de casa ou de onde estiver aumenta muito a qualidade de vida.

 

Crie políticas de saúde mental

Para priorizar a saúde mental dos colaboradores, a empresa deve ter políticas bem definidas sobre o tema. Elabore regras claras para combater bullying e assédio, situações típicas que podem desencadear problemas psicológicos graves no ambiente de trabalho.

Sempre que for identificado um transtorno em algum profissional, avalie o caso e considere uma licença médica para situações mais extremas, como depressão profunda. 

Quando houver afastamento, estabeleça boas práticas para que tudo ocorra de forma tranquila. A pessoa jamais deve pensar que será vista com outros olhos pelos colega e chefes por causa do problema que vive.

Se a sua empresa já tiver políticas de saúde mental, revise-as periodicamente para que elas sempre possam evoluir e atender melhor às necessidades dos funcionários.

 

Monitore o engajamento

A maioria das grandes companhias faz pesquisas de satisfação com os funcionários, mas poucas enxergam como o engajamento pode prevenir problemas de saúde mental. Na realidade, esse é o indicador mais poderoso de como está a qualidade de vida dos colaboradores.

Pessoas engajadas são entusiasmadas, positivas e orgulhosas de fazerem parte do time. Por outro lado, profissionais com baixo engajamento se tornam desmotivados e se estressam mais facilmente, correndo mais riscos de burnout, depressão e isolamento.

 

Agora que você já sabe por que a saúde mental deve ser prioridade nas empresas, que tal colocar o que aprendeu em prática? Crie políticas de prevenção e observe de perto o comportamento dos colaboradores, sempre buscando soluções e deixando os canais de diálogo abertos. Assim você garante uma excelente qualidade de vida para a sua equipe!

 

Gostou do artigo? Compartilhe com a gente nos comentários quais são as políticas de saúde mental da sua empresa. Estamos à disposição para tirar todas as suas dúvidas sobre o tema!