Como anda a saúde financeira dos colaboradores?

saúde financeira dos colaboradores

A saúde financeira dos colaboradores tem muito a ver com a relação deles com as suas rendas e gastos. A questão que mais envolve a empresa, aqui, está nas dicas e ações que ajudem a melhorar essa relação — com educação financeira e outras estratégias focadas no bem-estar dos seus profissionais. Assim, eles engajam mais, sem os sintomas do estresse financeiro, e a empresa adquire mais valor.

 

A saúde financeira dos colaboradores, a princípio, pode não parecer algo que tenha diretamente a ver com os interesses da empresa. Só que isso está muito longe da verdade.

Na verdade, o estresse financeiro é um problema de enormes proporções que invade os pensamentos das pessoas dentro e fora da empresa. Consequentemente, toda a performance dos seus profissionais que lidem com dívidas está sob risco.

Só que esse não é o único ponto que deveria fazer com que o seu setor de RH se preocupe com a saúde financeira dos colaboradores. A seguir, vamos mostrar outros benefícios nisso, e os caminhos mais práticos para implementar essa estratégia. Confira!

Por que preocupar-se com a saúde financeira dos colaboradores?

Uma boa gestão financeira tem tudo a ver com o crescimento da sua empresa, sabia?

E não estamos falando do setor financeiro, mas da saúde financeira dos colaboradores. Afinal de contas, se uma pessoa tem dívidas acumuladas, o semblante dela permanece em constante alerta.

Com o tempo, o estresse financeiro invade a sua rotina corporativa. Até por isso, muitos especialistas têm alertado para o risco da saúde financeira dos colaboradores, e como ela impacta o dia a dia corporativo.

Quando os problemas financeiros não saem da cabeça dos seus colaboradores, eles se tornam:

  • estressados;
  • impacientes;
  • improdutivos;
  • pessoas sem motivação;
  • desconcentrados;
  • pouco engajados.

Sabemos o que essas qualidades costumam ocasionar para a empresa, não é mesmo? Além dos resultados inferiores aos projetados, as demissões podem se tornar comuns.

E é igualmente reconhecido o quanto isso é prejudicial e custoso para as organizações.

Como diagnosticar a saúde financeira dos colaboradores?

Organizações que se preocupam com a saúde financeira dos colaboradores têm grandes chances de melhorar o engajamento, produtividade e também o poder de retenção dos talentos.

Para tanto, o RH pode ter uma participação ativa nisso. Vale começar a partir da divulgação de materiais que ajudem o indivíduo a tomar um conhecimento melhor de sua situação.

Algumas dicas que podem ser exercidas por meio de e-mails, consultorias, treinamentos e palestras:

  • ajude-os a avaliarem a renda mensal e, em seguida, os custos mensais;
  • peça que identifiquem objetivos financeiros em curto, médio e longo prazo;
  • aponte os benefícios em identificarem maneiras de reduzir os custos mensais, permitindo-se a economia de um valor mínimo para ser poupado periodicamente;
  • ajude-os a estabelecerem um orçamento para os períodos acima citados. Com isso, eles vão saber o tempo médio necessário para a realização de cada objetivo financeiro.

Lembre-os, também, que o diagnóstico da saúde financeira dos colaboradores é só a primeira etapa de um processo que deve ser realizado de maneira constante.

Como melhorar a saúde financeira dos colaboradores?

É até engraçado falar sobre isso, mas as finanças pessoais têm muito a ver com o papel do RH, atualmente. Pois, como vimos, esse pode ser um interessante braço da gestão de pessoas que contribui ativamente para melhorias múltiplas no ambiente de trabalho.

Quando o colaborador permite essa abertura, os benefícios alcançam ambos os lados de maneira significativa. E se o RH conhece profundamente o perfil dos seus funcionários, é ainda mais fácil encontrar as melhores soluções para melhorar a saúde financeira dos colaboradores.

Abaixo, resgatamos algumas dessas estratégias que têm sido consideradas amplamente como diferenciadas para promover o bem-estar financeiro. Confira:

  • consultorias com especialistas do mercado financeira;
  • palestras e treinamentos sobre educação financeira;
  • implementação de programas de bem-estar financeiro;
  • flexibilidade na folha de pagamento da empresa por meio do salário sob demanda.

Vamos falar, a seguir, um pouquinho mais sobre essa última modalidade, que é ainda novidade no país. Entretanto, essa pode ser uma solução que vai perdurar, em curto prazo, entre as grandes tendências do setor de RH.

Além disso, se você quiser saber um pouco mais a respeito do bem-estar financeiro, aproveite para dar uma conferida, depois, em outro artigo nosso que explica como a sua empresa pode implementar esse tipo de programa para acabar com o estresse financeiro no dia a dia corporativo!

O que é o salário sob demanda?

O salário sob demanda é um grande atrativo para as empresas que se preocupam com a saúde financeira dos colaboradores. 

Afinal de contas, esse modelo de flexibilização da folha de pagamento consiste em permitir um adiantamento salarial sempre que o colaborador já tiver dias trabalhados (e, portanto, a serem recebidos).

E assim o seu profissional ganha mais autonomia para cuidar das suas próprias finanças. A flexibilidade permite que ele use o salário sob demanda sempre que necessitar, evitando que a sua conta bancária entre no “vermelho” — e, consequentemente, tenha que fazer uso de modalidades de empréstimo recheadas de juros elevados, como é o caso do cheque especial.

Assim, quando o RH já preparou os seus funcionários para terem mais ciência a respeito de suas saúdes financeiras, fica evidente que o salário sob demanda se torna uma alternativa interessante para que eles saiam das dívidas e possam organizar um futuro imediato livre do estresse financeiro.

Na Xerpa, essa solução atende pelo nome de Xerpay. E neste post, você pode ficar por dentro de tudo sobre esse tipo de serviço que já tem contribuído em fazer com que menos pessoas, no país, façam uso do cheque especial!

 

Agora que já vimos como é possível diagnosticar e trabalhar a saúde financeira dos colaboradores, é importante aprender tudo a respeito dos impactos negativos do acúmulo de dívidas na vida de alguém.

E, para isso, temos um artigo completíssimo sobre o assunto. Clique aqui, e entenda qual é a relação entre a saúde e o estresse financeiro!

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confira outros artigos que você pode se interessar