Inscreva-se

Rotatividade: quais são os impactos na empresa e como evitá-la?
Admissão

Rotatividade: quais são os impactos na empresa e como evitá-la?

Rotatividade é taxa medida entre entradas e saídas de colaboradores na empresa. Quando atinge um alto índice pode afetar negativamente os resultados.

Neste artigo falaremos sobre as principais causas que levam uma empresa a um cenário de constante rotatividade. Daremos dicas sobre como evitar o turnover e qual o papel do RH nessa realidade.

Turnover

O turnover é uma palavra inglesa que foi adicionada aos jargões de Recursos Humanos (RHs) e que significa rotatividade.

A rotatividade está relacionada a taxa entre as contratações e demissões. Ela pode ter um caráter negativo quando esse número é alto, indicando falta de retenção de talentos e de interesse dos profissionais em permanecer na empresa.

Algumas realidades que geram a rotatividade são causadas por situações que estão fora da empresa, como a economia global, por exemplo. Porém, outras situações estão diretamente ligadas à organização e suas estruturas, processos, modelos de gestão. Veja alguns:

  • Processos de recrutamento e seleção equivocados. Por exemplo, com erro no perfil da contratação;
  • Clima organizacional ruim, o que faz com que os colaboradores se desmotivem, diminuam sua produtividade e busquem novas colocações;
  • Falta de relação de comprometimento com a organização;
  • Remuneração e benefícios abaixo do que o mercado oferece;
  • Mercado de trabalho aquecido e contratando;
  • Problemas na gestão de pessoas. Tanto nos processos quando no próprio setor de RHs.

>> A Xerpa criou um livro digital que aborda tudo sobre o turnover e quais as principais ações para reduzi-lo! Basta você clicar aqui e você irá acessá-lo agora mesmo 😉

Os tipos de rotatividade (turnover)

A rotatividade pode ser dividida em alguns grupos e tipos: turnover voluntário, turnover involuntário, funcionais e disfuncionais. Confira abaixo o que cada um significa.

 

Turnover voluntário

Dizemos que a rotatividade é voluntária quando o funcionário pede para ser desligados ou abandonam seus postos de trabalho. Normalmente acontece entre jovens com cargos de nível superior e indicam problemas de gestão e retenção de talentos.

Uma vez que esse tipo de profissional não busca apenas uma boa remuneração. Mas, também ganhos intangíveis e metas pessoais como reconhecimento, progressão na carreira e novos desafios.

 

Turnover involuntário

Um segundo tipo de rotatividade é o turnover involuntário. Nesse caso, é a empresa que toma a decisão de desligar o funcionário e tem aqui gastos com a rescisão de contrato.

Normalmente, em casos assim, há reclamação por parte da gestor em relação a performance abaixo do esperado e conflito entre membros da equipe e/ou liderança.

 

Funcionais ou disfuncionais

Dentre esses dois tipos de rotatividade, ainda podemos dizer que eles são funcionais ou disfuncionais.

O funcional está ligado a baixa performance. No entanto, é o próprio funcionário que decide se demitir não exigindo da empresa comprovação de seu desempenho.

Já o disfuncional diz respeito ao funcionário que é considerado excelente por sua liderança, tem um bom rendimento e potencial para crescer na carreira, mas opta por se demitir.

Esses são os casos que demonstram que a organização está com problemas para reter talentos, motivar e fortalecer o sentimento de pertencimento de seus colaboradores.

Impactos negativos de ter uma alta rotatividade

A alta rotatividade pode trazer inúmeros prejuízos a empresa, conheça alguns deles.

Por outro lado, é preciso lembrar, que o turnover pode ser um grande aliado dos setores de RH. Ele pode ajudar a formular ou atualizar as políticas de contratação, remuneração e estratégias de comunicação.

A partir dele, e da identificação de seus problemas, é possível propor melhorias nos treinamentos e programas de retenção de talentos, além de benefícios e planos de carreira. Com isso, a empresa pode se tornar muito mais atrativa para os profissionais.

>> Tenha todo o controle da rotatividade em mãos. Acesse nossa planilha de cálculo de turnover! É só você responder o formulário abaixo:


Como reverter as taxas de turnover?

Para modificar o padrão de rotatividade é preciso considerar primeiramente que algo na empresa não vai bem. Diante disso, é importante buscar uma maneira para identificar o que é que está causando essa repulsa de colaboradores.

É necessário se atentar a vários pontos que podem fazer a diferença para evitar uma alta taxa de rotatividade. Elas permitem uma análise da situação geral e também de insatisfações, problemas graves e até de relacionamento interno.

 

Mapear as causas

Avaliar e mapear as causas da sua rotatividade é uma maneira de reconhecer os erros e obter novos direcionamentos para evitar as saídas dos colaboradores.

 

Fazer uma avaliação do ambiente

Saber se o seu funcionário está se sentindo bem ou não em relação ao relacionamento com gestores, líderes e companheiros de equipe é uma forma de evitar a rotatividade.

Quando um colaborador se sente confortável no ambiente em que trabalha a chance de mantê-lo motivado é muito grande.

Mantenha uma rotina onde você consegue dar ouvidos aos seus colaboradores, podendo identificar o que lhes mantém engajados e quais fatores atrapalham o seu desempenho.

 

Tirar bom proveito das demissões

Apesar de em muitos casos esse momento ser delicado, ele pode de alguma forma ser muito frutífero para a empresa. Esse tipo de relação com seu ex-funcionário pode contribuir para que a sua empresa encontre os motivos que o fizeram sair.

Questione pontos sobre o que ele achou do salário, relacionamento dos profissionais, valores da empresa e qual a imagem que ele teve da empresa. Usar essa conversa em uma situação de demissão pode evitar vários casos futuros de rotatividade. Ou seja, invista em uma entrevista de desligamento.

 

Aproveitar o processo de seleção

Um dos primeiros passos para planejar o futuro da empresa é o processo de recrutamento. Contratar certo significa menos saídas e rotatividade de equipe. Ter um plano bem definido sobre carreira e benefícios a oferecer ao seu futuro contratado pode atraí-lo a suas metas.

Saber o que atrai os colaboradores e ter uma visão clara sobre como os outros enxergam sua empresa no mercado pode contribuir em contratações corretas e assertivas.

 

Integração como diferencial

A rotatividade também pode ser evitada quando o setor de RH tem um bom onboarding.

Fazer com que novos colaboradores se sintam à vontade ao ambiente da empresa é essencial. Ajudá-los no período de adaptação pode fazer com que os objetivos da empresa sejam conciliados com os do profissional contratado mais facilmente.

Nesse processo é possível avaliar quais suas principais dificuldades e de que forma você pode contribuir com eles para que se adaptem mais facilmente a essas novas realidades.

O RH e a rotatividade

Muito além do que uma simples escolha do colaborador, a saída de um funcionário da empresa também é responsabilidade da empresa.

Por isso, o RH precisa sempre estar atento a novas ferramentas e possibilidades para manter seus colaboradores engajados e motivados.

Quando esse setor não se preocupa com uma política organizacional que cria mecanismos para evitar a rotatividade, a chance de um índice de turnover elevado é muito grande.

No mercado existem inúmeras técnicas e ferramentas que podem contribuir para que a empresa consiga manter os colaboradores motivados e engajados. Podendo assim, diminuir a taxa de rotatividade.

Quando os profissionais de RH de fato conseguem adotar esses processos, mantém uma rotina mais efetiva na retenção de talentos. Quando se diminui a taxa de rotatividade, consequentemente as chances de conquistar resultados são potencializadas.

 

Quer saber mais sobre o setor de RH? Siga a Xerpa nas redes sociais e fique atento as novidades desse mercado em nosso Facebook, Instagram e LinkedIn.

 

 

Related posts

Deixe uma resposta

Required fields are marked *