Rotatividade no varejo: como resolver esse turnover?

Rotatividade no varejo

Quem trabalha com Recursos Humanos (RH) sabe o quão desafiador é gerir a retenção de talentos nas organizações. Mas quando a empresa é varejista, esse desafio se torna ainda mais complexo pela sua frequente rotatividade de funcionários. 

Mesmo não sendo um cenário incomum ou uma surpresa para os lojistas, o turnover é uma preocupação econômica e organizacional que deve ser corrigida. Para isso, os gestores podem adotar as seguintes dicas para diminuir a rotatividade no varejo:

  • desenvolva uma cultura organizacional forte;
  • invista na capacitação dos colaboradores;
  • invista no Plano de Carreira dos colaboradores;
  • ofereça feedbacks de desenvolvimento;
  • desafie seus talentos constantemente;
  • fique atento à saúde mental dos colaboradores;
  • entenda quais benefícios são mais importantes para os colaboradores.

Segundo uma pesquisa da Mercer, o estado de São Paulo registrou 74.159 admissões e 68.832 desligamentos em 2019, criando 27.485 postos de trabalho no varejo. A rotatividade foi de 4%, um nível bastante significativo.

Para conhecer os detalhes dessas dicas especiais, continue acompanhando o post. Aprenda a controlar a rotatividade no varejo e superar esse desafio. Boa leitura!

O que é Turnover?

Turnover é um termo técnico da área de RH, que significa em uma tradução literal da língua inglesa “renovação”. Contudo, em seu uso prático, o termo faz referência à taxa de rotatividade dos colaboradores de uma organização.

Além de calcular o volume de talentos que entra e que sai da empresa, o turnover ainda funciona como um índice que mensura o bem-estar da organização. Em outras palavras, ele permite que questões como a satisfação, o comprometimento, o clima organizacional, a cultura, o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional, a remuneração, dentre outras, sejam analisadas.

Quando elevado, o turnover pode ser considerado um fator crítico. Isso porque as estruturas políticas da empresa precisarão ser revistas, a produtividade é comprometida e os recursos financeiros em processos de recrutamento e seleção são significativamente ampliados. 

No caso do setor varejista, essa preocupação é ainda mais constante. Mais adiante vamos explorar algumas dicas para diminuir a rotatividade no varejo.

Quais as principais causas da rotatividade de colaboradores?

Segundo a consultoria de recrutamento Michael Page, oito em cada dez profissionais pedem demissão por causa do chefe. O desempenho falho ou abaixo do esperado para um líder parece ser o principal fator de quebras contratuais ou desmotivação no emprego.

Além disso, outros motivos comuns para os pedidos de demissão são:

  • Política salarial;
  • Política de benefícios;
  • Tipo de supervisão exercida sobre os colaboradores;
  • Falta de oportunidades de crescimento profissional;
  • Tipo de relacionamento humano dentro da organização;
  • Condições físicas ambientais de trabalho;
  • Clima organizacional;
  • Cultura organizacional;
  • Critérios e programas de treinamentos;
  • Política disciplinar;
  • Critérios de avaliação de desempenho e feedback;
  • Grau de flexibilidade das políticas organizacionais;
  • Necessidade de novos desafios;
  • Problemas com relações interpessoais.

Os gestores devem entender que sua atuação está diretamente ligada ao bem-estar da força de trabalho e, consequentemente, a sua permanência na organização.

Além da sua postura profissional, a adoção de estratégias para melhorar a qualidade de vida no trabalho, o relacionamento da equipe e o compartilhamento de valores pessoais.

Caso você queira entender se a oferta de benefícios é suficiente para diminuir a rotatividade dos colaboradores, recomendamos a leitura deste artigo aqui.

Quais as desvantagens do turnover alto?

Como vimos até agora, o turnover é um índice de rotatividade, que quando elevado, pode comprometer o contentamento organizacional. Isso porque compromete o sistema financeiro e a estrutura organizacional.

Assim, um dos maiores dispêndios do turnover alto é o custo. Todo processo de admissão e de demissão tem um gasto para a organização, o que torna a repetição descontrolada dessas práticas um problema para o fluxo financeiro. 

Além de desestabilizar o controle pecuniário, há a percepção de desperdício de recursos. Afinal, esse investimento poderia estar sendo usado em cursos de capacitação técnica da força de trabalho, melhora no espaço físico, e assim por diante.

No varejo, esses custos são ainda mais frequentes e, na maior parte das vezes, a organização é pega desprevenida tornando esse gasto ainda mais significativo. 

O tempo de reposição do colaborador, o investimento em treinamentos, o desenvolvimento de sua cultura, formação de novas lideranças, são alguns exemplos dos processos comprometidos por essa instabilidade.

É claro o impacto dessa transição constante na evolução da organização. Atingir a missão e a visão, preservando seus valores organizacionais, se torna um sonho ainda mais complexo.

Para controlar a rotatividade no varejo e preservar o seu negócio, separamos algumas dicas especiais que vamos abordar a seguir.

Quais as principais dicas para diminuir a rotatividade no varejo?

Para te ajudar a diminuir a rotatividade no varejo e proteger o desenvolvimento do seu negócio, separamos algumas dicas importantes. Confira os seus detalhes a seguir.

Desenvolva uma cultura organizacional forte

Quando a cultura organizacional é forte, a força de trabalho é capaz de enxergar a empresa de maneira mais ampla, entendendo seus pilares fundamentais, objetivos compartilhados, valores estruturais e políticas de trabalho.

Desta forma, eles se sentem mais integrados e verdadeiramente parte essencial da organização. Consequentemente, os impulsos para trocar de emprego são controlados.

Invista na capacitação dos colaboradores

Outra dica importante para diminuir a rotatividade no varejo é investir em capacitação da força de trabalho. A oferta de treinamentos, cursos, workshops, palestras, dentre outras inúmeras práticas de qualificação profissional, refletem o interesse e a valorização da mão de obra, tornando-a mais comprometida com o negócio.

Além de demonstrar interesse no desenvolvimento dos colaboradores, a empresa ainda fortalece a expertise das equipes de trabalho, potencializando suas chances de crescimento comercial.

Invista no Plano de Carreira dos colaboradores

Uma forma de motivar a força de trabalho e assim, diminuir a rotatividade no varejo, é desenvolvendo planos de carreira individual. 

Guiados pela ambição de promoções significativas, melhorias salariais e tendo razões pessoais para estarem nos atuais empregos, que vão além do pagamento de contas, os colaboradores se mantém fiéis a organização.

Ofereça feedbacks de desenvolvimento

A cultura de feedbacks é uma estratégias excepcional para controlar a rotatividade no varejo. Além de conhecer o avanço particular de cada colaborador, a empresa demonstra que acompanha de perto a evolução e o trabalho de cada um.

Desta forma, os gestores ganham um norte para estruturar estratégias de capacitação e os colaboradores se sente reconhecidos e motivados a alcançar resultados cada vez mais expressivos. Reconhecimentos públicos para trabalhos notórios também são medidas importantes para incentivar a força de trabalho.

Desafie seus talentos constantemente

Para que a retenção de talentos seja bem-sucedida, os gestores também devem estruturar oportunidades para que os colaboradores mostrem o seu potencial. A criação de situações desafiadoras, mas possíveis de serem realizadas, estimula os colaboradores a provarem o seu valor na organização.

Além disso, a oferta de premiações expressivas, tais como viagens, dias extras de folga, valores em dinheiros, cursos exclusivos, dentre outros, é um reforço a essa competição saudável.

Fique atento à saúde mental dos colaboradores

Outra dica fundamental para evitar a rotatividade no varejo é cuidar da saúde mental dos colaboradores. No setor varejista é comum que o colaborador passe horas em pé, esteja em contato com clientes – que podem adotar posturas pouco agradáveis -, realize um volume relevante de atendimentos, enfrentam situações de estresse e pressão, dentre outros, o que influenciam o bem-estar subjetivo do funcionário.

Ao estender cuidados como o atendimento de psicólogos, aulas de yoga e meditação, clima organizacional agradável, os colaboradores passam a valorizar a empresa e reconhecem o seu cuidado humanizado

Entenda quais benefícios são mais importantes para os colaboradores

Assim como os gestores precisam conhecer a fundo as preferências e demandas dos clientes para oferecer produtos adequados e estimular as vendas no varejo, também é importante que eles entendam as necessidades dos colaboradores.

Para isso, é preciso ouvir a força de trabalho e identificar quais os benefícios mais atraentes e interessantes para eles. Assim, a oferta de vantagens em relação ao mercado se torna mais assertiva e certamente influenciará a rotatividade.

Por mais que o turnover seja algo que assuste muitos gestores, ele não deve ser tratado apenas negativamente. Quando esse indicador é bem controlado, a entrada de novos colaboradores pode trazer um novo gás para a equipe. 

Com as dicas dadas neste artigo, certamente sua empresa será capaz de controlar a rotatividade no varejo e aproveitar esse lado positivo.

 

Gostou? Então, siga a Xerpa nas redes sociais Facebook, Instagram, Twitter e LinkedIn e confira artigos como esse toda semana!

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confira outros artigos que você pode se interessar