rh inteligente

O que é RH Inteligente e por que se atentar a essa tendência?

Aqui, na Xerpa, enxergamos e praticamos o RH Inteligente como um departamento produtivo que desburocratiza processos, integra informações e dá valor ao que realmente interessa: o ser humano. Isso pode ser explorado com ações comportamentais ou o investimento em tecnologias que aprimorem a produtividade, o engajamento e a motivação.

 

RH Inteligente é um conceito recente, focado no alinhamento às tendências digitais para garantir aos colaboradores da empresa — e não só ao setor de Recursos Humanos — o máximo de eficiência e comodidade para que possam dar o melhor de si em suas atividades.

Convenhamos, uma ideia assim já é o suficiente para inspirar os seus especialistas a fazerem uso do RH Inteligente no dia a dia da sua organização, concorda?

É por isso que não vamos nos ater ao conceito, simplesmente. Nos tópicos abaixo, vamos explorar quais são as boas práticas e técnicas inovadoras que podem colocar a sua empresa devidamente alinhada ao conceito de RH Inteligente.

Boa leitura!

O que é RH Inteligente?

Aqui, na Xerpa, gostamos de enxergar e praticar o RH Inteligente como:

Um departamento produtivo que desburocratiza processos, integra informações e dá valor ao que realmente interessa: o ser humano”

Até pouco tempo atrás, o caminho para alcançar esses objetivos seria um só: investimento em novas tecnologias digitais. Acontece que o mundo está tão acelerado, que essa resposta se tornou vaga e imprecisa.

Para oferecer o melhor tipo de condições de trabalho aos colaboradores, é fundamental entender o perfil de cada um deles, tê-los muito bem costurados com a cultura da empresa e seguir de olho no mercado para compreender quais são as tendências capazes de melhorar a motivação, o engajamento e a produtividade de todos.

Em outras palavras, isso é RH Inteligente: trabalhar, incessantemente, para fazer com que os seus colaboradores sintam-se como se pertencessem à empresa, e vice-versa. E, acredite, esse trabalho já começa antes mesmo de realizar um processo de seleção e recrutamento.

 

Quais são as grandes tendências em RH Inteligente?

Os ativos mais valiosos da sua empresa em primeiro lugar – isso define o RH Inteligente. Fica, então, a questão: como manter isso continuamente?

É para isso que apontamos, abaixo, as grandes tendências nesse sentido, facilitando o seu trabalho em identificar as melhores estratégias para serem implementadas internamente!

 

1. Faça investimentos em ferramentas de análise de dados

O Big Data já foi novidade e, hoje, é uma necessidade. Na velocidade com a qual os dados digitais são gerados, atualmente, é importante contar com sistemas de automatização que organizem, compilem e permitam a análise estratégica dessas informações virtuais.

Afinal de contas, os recursos humanos necessários para analisar esses dados em tempo real é — com o perdão do trocadilho — humanamente impossível.

Por sua vez, os softwares de gestão, para citar um exemplo, oferece esse tipo de solução para que os seus especialistas consigam programar e monitorar as métricas mais relevantes para o desenvolvimento da empresa com base nos seus principais objetivos.

 

2. Promova programas de bem-estar na empresa

O RH Inteligente não precisa ser, exclusivamente, um conceito conectado no mundo digital, sabia? Com a consolidação de um programa de bem-estar físico e mental, por exemplo, você desconecta a empresa, aproxima-se dos colaboradores e gera bem-estar e qualidade de vida a todos. Alguns exemplos disso:

  • ginástica laboral;
  • consultas periódicas com nutricionistas;
  • oferecimento de frutas ou cardápios nutritivos e balanceados;
  • incentivos a atividades externas, como caminhadas, pedalas e corridas em grupo.

Inclusive, o bem-estar dos colaboradores tem se estendido a outro tipo de ações — agora, visando a educação financeira para minimizar os efeitos e consequências do estresse financeiro.

Com isso, mesmo os problemas externos (como o acúmulo de dívidas) que interferem na rotina produtiva de um colaborador passam a ser minimizados. E, tudo isso, adequando o seu RH a um processo mais estratégico, focado no investimento dos seus recursos humanos.

>> Neste livro digital você descobrirá todos os passos para criar um programa de bem-estar financeiro que engaje todos os colaboradores (e você também)! Clique aqui e acesse agora mesmo.

 

3. Mapeie a jornada do colaborador

Assim como as empresas e os clientes têm as suas respectivas jornadas — um ciclo completo —, o colaborador também tem uma trilha a ser percorrida desde a sua participação, no processo seletivo, ao seu desligamento (que pode ocorrer no momento de sua aposentadoria, por exemplo).

Quando se conhece a jornada do colaborador, o RH Inteligente adquire um poderoso aliado para criar experiências positivas em todas as etapas desse processo.

Um exemplo disso é o cuidado que se tem na manutenção do nível de satisfação do colaborador para que ele desenvolva as suas atividades com mais qualidade, e em menos tempo, agregando em mais valor no seu engajamento e motivação em permanecer na empresa.

Não à toa, cada vez mais os setores de RH estão interessados em mapear os cargos da empresa. Assim, compreendem quais são os grandes atrativos de cada um deles e os meios para construir uma hierarquia desafiadora e interessante para que os funcionários almejem o crescimento interno.

Tudo isso passa, diretamente, pela jornada do colaborador. Quanto menos imprevistos os seus especialistas de RH encontrarem, em suas rotinas, melhor será o poder de retenção de talentos — bem como a qualidade de atração de mais profissionais até a sua empresa.

 

4. Considere mais flexibilidade na rotina de trabalho

No RH Inteligente, a tecnologia pode aproximar os profissionais, independentemente da distância entre eles. Até por isso, modelos de trabalho mais flexíveis, como o home office, adquiriram imensa popularidade.

Para tanto, é importante considerar o funcionamento desse modelo. Um exemplo: quando se tem todo o fluxo de trabalho desenhado, o profissional sabe tudo a respeito do seu cronograma, responsabilidades e prazos. O mesmo vale para o gestor, que sabe, quando e onde cobrar o seu profissional.

Inclusive, o home office ocasional pode ceder espaço a uma rotina mais espaçada ainda. Quando a própria rotina pode ser conduzida com profissionais à distância — digamos, uma equipe inteira —, a organização depende menos de uma estrutura física grande o bastante para acomodar todos os colaboradores.

Basta, apenas, que se entenda como colocar no fluxo do trabalho esses colaboradores que realizam as suas atividades em tempo hábil e flexível, mas não presencialmente.

 

5. Ofereça planos de benefícios flexíveis e diferenciados

Tanto os millennials quanto a geração Z — que estão dominando a força de trabalho e, inclusive, podem representar até ¼ de toda a capacidade produtiva até o ano de 2020 — estão em busca de oportunidades profissionais mais consolidadas, que gerem estabilidade.

E tenha em mente o seguinte: mais que um bom salário, eles querem benefícios flexíveis, que permitam a eles um alinhamento funcional às suas necessidades e objetivos. O que esbarra na composição de planos capazes de atender a demanda do máximo de pessoas possíveis, na sua empresa.

É aí que o RH Inteligente tem tudo para atrair essa força de trabalho para a sua empresa. Entenda o perfil dos seus colaboradores, avalie quais são os benefícios que eles mais sentem falta, e almeje um programa de benefícios que consiga atender a esses interesses.

Como resultado, você gera mais autonomia para os colaboradores, que vão selecionar os benefícios de acordo com os seus objetivos e necessidades. Como resultado disso, o engajamento e a motivação são elementos impulsionados fortemente, no dia a dia.

 

6. Trabalhe com novas ferramentas para treinamento

Hoje em dia, vivemos em uma sociedade que se motiva com as recompensas. É só pensar, por exemplo, em toda a mecânica por trás dos aplicativos mais populares de smartphones, que engajam os usuários por meio de pequenas recompensas, que aumentam à medida que eles utilizam mais o produto da empresa.

De muitas maneiras, esse método está enraizado no conceito de gamificação — muito popular no ambiente corporativo. Por meio dele, sua empresa consegue:

  • estabelecer novos métodos de treinamento;
  • alcançar resultados distintos;
  • obter mais engajamento dos profissionais.

Sem falar que a gamificação pode ser usada em todas as etapas do fluxo de trabalho do RH. Além de treinamentos, pode ser oferecido como ferramenta para aumentar as vendas, gerar competitividade entre os profissionais da mesma equipe, bater metas e até mesmo no processo seletivo.

A melhor parte é que a gamificação, dentro do conceito de RH INteligente, nem precisa de tecnologia. A situação lúdica, o sistema de pontos, o monitoramento de resultados e as recompensas podem ser considerados dentro de uma planilha simples, por exemplo.

Diferentemente, por exemplo, do uso de realidade virtual para os mesmos trabalhos acima citados. Softwares, hoje em dia, conseguem aproximar os objetivos estipulados por meio de situações digitais que agregam mais o envolvimento dos profissionais.

São duas soluções que funcionam sozinhas ou se complementam. Convém identificar quais delas são melhor absorvidas pelos profissionais e, então, focar em ações estratégicas que contemplem o uso de cada uma delas.

 

7. Aproxime-se dos colaboradores por meio da comunicação interna

Embora não seja um modelo recente de trabalho, a comunicação interna foi enriquecida com o RH Inteligente ao seu redor. Afinal, aumentaram-se as ferramentas capazes de aproximar o quadro de funcionários da empresa que eles representam. Alguns exemplos disso:

Além disso, a comunicação tem que ser trabalhada em um espectro íntimo. Ou seja: da relação direta entre o gestor e os seus subordinados. É por isso que as tendências mais recentes de RH apontam para o cuidado em relacionar-se com as pessoas, e não com o profissional.

Isso implica um diálogo franco, transparente e objetivo. Nada de esconder o jogo ou compartilhar apenas aquilo que convém à empresa. Os profissionais querem se envolver mais e sentirem-se parte da tomada de decisão e do desenvolvimento de sua equipe e da empresa, consequentemente.

Não adentrar nessa tendência é um erro. Afinal de contas, esse compartilhamento de conhecimento beneficia a todos. Daí, basta orientar os gestores para que aprendam como nutrir essa nova relação com os seus colaboradores.

 

8. Identifique as gerações profissionais na empresa

Como vínhamos falando aqui, os millennials e a geração Z estão em constante crescimento no mercado de trabalho. Mas, para muitas empresas, esse momento consiste em um conflito de gerações.

Um bom exemplo disso é o programa flexível de benefícios, citado em tópicos anteriores. Algumas organizações podem ter uma maioria expressiva de colaboradores que já são casados e têm filhos. Logo, é compreensível que as preocupações deles vão ser com a manutenção de suas respectivas famílias.

O que não acontece, por exemplo, quando se é jovem e tem o foco primário no desenvolvimento da sua carreira e em novas alternativas para se capacitar profissionalmente. É aí que o RH Inteligente tem que assumir a sua posição estratégica e lidar, equilibradamente, com todas as gerações em sua empresa.

 

9. Desenvolva novas lideranças

Por meio do plano de carreira, é possível fazer com que os colaboradores se inspirem em crescer internamente. Só que isso não basta: com o RH Inteligente, você pode descobrir quais são os líderes em potencial, na organização, para treiná-los a serem a próxima geração de liderança na empresa,

Isso consiste, é claro, em uma harmonização do plano de carreira com avaliações de desempenho e uma cultura de treinamento e lapidação com todos os colaboradores. Em um esforço entre o RH e a gestão, é possível avaliar quais são os pontos que mais carecem de atenção para qualificar os colaboradores.

Com isso, a empresa economiza na contratação de talentos, já que eles são gerados — e nutridos — internamente. Um exemplo simples disso é o cuidado que muitos times de futebol dão às futuras promessas do esporte (os chamados times de base).

Ao contratarem jovens com as características que eles pretendem nutrir o time principal, em médio ou longo prazo, eles treinam e capacitam esses profissionais para que, em pouco tempo, eles assumam posições de destaque entre os jogadores veteranos.

Agora, pense: é melhor ir ao mercado e contratar talentos já consolidados, a preços exorbitantes, ou trabalhar lenta e gradualmente futuros talentos que vão ter imensa gratificação com a empresa, e vão buscar o seu espaço de destaque internamente?

 

10. Tenha foco nas pessoas

Por fim, uma tendência que existe há décadas, mas que deve ser reforçada continuamente. Não se esqueça do foco principal do setor de Recursos Humanos: as pessoas.

Faça pesquisas de clima organizacional, do nível de satisfação, e ouça os colaboradores. Descubra quais são as suas frustrações, medos, objetivos e necessidades.

Muitas vezes, a solução está ao alcance de um RH estratégico, que pode pensar em qualificar o ambiente de trabalho e, assim, melhorar a produtividade, o engajamento e a motivação dos seus ativos mais valiosos.

 

Viu como o RH Inteligente tem tudo para ser, a partir de hoje, a estrutura fundamental para o crescimento sustentável da sua organização?

Vale destacar que a tecnologia é parte determinante para agregar mais produtividade com menos tempo e recursos investidos. As inovações estão aí, modificando-se e em constante metamorfose, exigindo dos seus especialistas uma constante atenção para que o seu capital humano consiga se desenvolver com qualidade.

 

Aí, na sua empresa, o RH Inteligente já tem sido aplicado? Conte-nos como tem sido as suas experiências no assunto — sejam elas positivas ou negativas — no campo de comentários, logo abaixo!

 

 

Powered by Rock Convert

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.