O avanço da tecnologia trouxe muitas mudanças nos processos internos das empresas, o que inclui as rotinas de RH e contabilidade. Hoje, o setor de Recursos Humanos precisa ser cada vez mais estratégico, com foco no desenvolvimento dos colaboradores. E para cumprir bem esse papel, é fundamental atuar em conjunto com o departamento de contabilidade.

Se antes o RH era visto apenas como um custo para a empresa, hoje é reconhecido pela contabilidade como uma das áreas mais importantes para o negócio. Essa integração entre os setores é importantíssima para a qualidade e eficiência da folha de pagamento, benefícios e outras questões financeiras que envolvem os funcionários.

Pensando nisso, listamos neste artigo as seis principais rotinas que envolvem RH e contabilidade e qual é o papel de ambos os departamentos em cada uma delas. Quer saber mais? Confira tudo a seguir!

1. Admissões

Todos os dados relacionados às admissões devem ser compartilhados entre RH e contabilidade. Sempre que houver necessidade de contratar um funcionário, o departamento financeiro deve ser consultado para avaliar a verba disponível para o processo seletivo e para os pagamento de salários e benefícios.

Quando a pessoa for contratada, todas as informações e documentações devem ser repassadas ao contador, para que o novo profissional seja incluído na folha de pagamento de maneira adequada.

Dessa forma, os papéis de cada departamento ficam bem demarcados. Enquanto o RH avalia qual candidato é a melhor escolha para a vaga, a contabilidade toma os cuidados necessários para que a contratação não extrapole o orçamento.

>> A Xerpa elaborou uma Ficha do Processo Admissional. Com ela, você conseguirá guiar todo esse processo de forma efetiva (e sem deixar nada para trás). Clique aqui e baixe a ficha!

2. Demissões

Assim como nas admissões, a integração entre RH e contabilidade é essencial nos desligamentos.

O cálculo da verbas rescisórias é de imensa importância para que o colaborador se planeje financeiramente até sua recolocação no mercado. Se houver erros nesse procedimento, ele sairá lesado da empresa, o que pode gerar um problema judicial no futuro. Por isso, faça todo o possível para que a rescisão seja feita sem sobressaltos.

Para fazer o cálculo correto, o contador deve ter em mãos o saldo de salários, décimo terceiro, férias (proporcionais ou vencidas), aviso prévio, multa e FGTS. O papel do RH nesse processo é repassar para a contabilidade todos os dados necessários para chegar aos valores corretos.

Também é preciso informar se a demissão foi por justa causa, em comum acordo ou solicitada por uma das partes. Cada uma dessas situações tem uma regra perante a lei, o que influencia nos valores finais da rescisão.

>>  Elaboramos um checklist para o Processo Demissional. Com ele, você conseguirá guiar todo esse processo de forma efetiva (e sem deixar nada para trás). Clique aqui e baixe o checklist!

3. Gestão da folha de pagamento

No novo RH, os gerentes responsáveis pelo departamento estão envolvidos na tomada de decisões relacionadas às metas da empresa e à performance dos colaboradores. Em outras palavras, têm voz ativa no tamanho das equipes, contratações, promoções, treinamentos e tudo o que envolve a rotina dos funcionários.

A contabilidade, por sua vez, é responsável pelo controle e cálculo da folha de pagamento, adequação aos impostos, cálculos de horas extras e adicionais noturnos. Essas informações são altamente estratégicas para as atividades do RH, o que demanda um intenso trabalho em conjunto entre os departamentos.

Ao cruzar os dados de contabilidade e as informações do RH, como resultados de avaliações de desempenho e produtividade, é possível tomar decisões de forma mais precisa.

Por meio desse processo, os gestores analisam se as equipes estão trazendo resultados ou se é necessário fazer mudanças estratégicas, como contratar mais gente, alternar turnos ou reduzir times. É possível, ainda, calcular o ROI (retorno sobre o investimento) de uma contratação específica, determinando seu custo-benefício no dia a dia da empresa.

4. Gestão de benefícios

Implementar um pacote de benefícios competitivo é uma das tarefas mais importantes e desafiadoras no mercado atual. Mais uma vez, a parceria entre RH e contabilidade é primordial para que a tarefa seja bem feita.

O RH é responsável por conduzir uma boa pesquisa interna de benefícios e ir atrás de fornecedores para atender às demandas dos funcionários. Já a contabilidade precisa fazer os cálculos desses pagamentos de forma adequada e respeitando o orçamento da empresa.

Cada benefício concedido, como vale-transporte, vale-refeição e vale-alimentação, entre outros, está sujeito aos acordos feitos entre a organização e seus contratados. Como cada empresa tem a sua política interna, as regras podem variar de caso a caso, devendo ser sempre esclarecidas pelo setor de Recursos Humanos.

Por exemplo: algumas empresas optam pelo pagamento do vale-refeição em dias contínuos, e outras preferem pagar apenas o dias trabalhados. RH e contabilidade devem alinhar essa questão de forma antecipada, para que não haja erros nos cálculos e nos pagamentos.

>> Neste livro digital oferecemos excelentes dicas para a sua empresa construir uma Carteira de Benefícios competitiva. Clique aqui e baixe agora mesmo!

5. Aposentadoria

Um bom contador deve conhecer a fundo as regras financeiras de aposentadoria para informar o RH corretamente quando necessário.

A contabilidade deve prestar consultoria ao time de Recursos Humanos para fazer os devidos cálculos quando a aposentadoria de um funcionário se aproximar. Assim, a transição é feita de forma mais tranquila e segura para todos os envolvidos.

Outro aspecto importante para ambos os departamentos é ficar de olho nas leis e suas mudanças. Em tempos de Reforma Trabalhista e Reforma da Previdência, é fundamental acompanhar as novidades e adequar as políticas da empresa sempre que for preciso.

6. Investimento no capital humano

O RH estratégico precisa fazer constantes investimentos no capital humano da empresa, promovendo treinamentos e fazendo ajustes nos planos de carreira, entre outras medidas. Tudo isso gera um custo, que deve ser alinhado com a contabilidade para que os investimentos tenham o máximo de eficiência possível.

A missão aqui é encontrar um equilíbrio. O RH deve sempre justificar suas escolhas e implementar medidas dentro das possibilidades da empresa. Por outro lado, a contabilidade precisa enxergar esses investimentos como uma necessidade, sem tratá-los como algo supérfluo.

Se ambos os departamentos andarem na mesma direção, os resultados para a empresa com certeza serão excelentes.

 

Chegamos ao fim das nossas dicas sobre as rotinas de RH e contabilidade! Agora que você já está por dentro do assunto, que tal integrar os dois departamentos na sua empresa? Como pudemos ver ao longo do post, a união entre os setores é importantíssima para tornar a gestão de pessoas mais segura e eficiente.

Se você gostou do artigo, não se esqueça de assinar a nossa newsletter. Assim você recebe diretamente no seu e-mail os nossos melhores conteúdos sobre estratégias de RH!