A retenção de funcionários é o conjunto de esforços que a organização propõe para valorizar os seus colaboradores e fazê-los sentirem-se também donos da empresa. Como resultado, a organização fortalece o fluxo de trabalho e mantém os seus talentos motivados.

 

A retenção de funcionários é um diferencial e tanto que agrega valores múltiplos a uma empresa.

Afinal de contas, esse trabalho gera menos custos com demissões e contratações, minimiza o tempo investido em integrações e treinamentos e, ainda, fortalece a equipe.

Só que o Brasil, em geral, ainda não percebeu completamente a importância disso. O instituto de pesquisa suíço IMD fez uma pesquisa global, sobre o assunto, e identificou o Brasil apenas na 57ª colocação quando falamos em geração e retenção de talentos.

Que tal começarmos a mudar esse panorama? Neste post, nós vamos destacar 6 erros que prejudicam a retenção de funcionários na empresa!

Dessa maneira, o setor de RH saiba como proceder e, assim, valorizar os seus recursos humanos. Confira!

 

O que é a retenção de funcionários?

O nome até parece algo ruim, como a detenção de colaboradores na empresa, mas a ideia e a sua aplicação — bem como os benefícios — são muito positivos para todos!

Pois a retenção de funcionários é o conjunto de esforços que a organização propõe para valorizar os seus colaboradores e fazê-los sentirem-se também donos da empresa.

Como resultado disso, a organização é valorizada por ter verdadeiros talentos inseridos no seu fluxo de trabalho, investe menos em força de trabalho e adquire uma reputação imaculada.

Para os profissionais, esse processo contribui com uma valorização interna, mais reconhecimento de suas capacidades e a consolidação de uma carreira no local.

 

Por que as empresas não investem nisso?

Aí está a ferida cutucada: por diversos motivos. Às vezes, não se trata de um assunto prioritário, para a organização, e o assunto vai sendo prorrogado indefinidamente.

Como destacamos na pesquisa do instituto de pesquisa suíço IMD, na abertura deste artigo, o país não só está em uma colocação intermediária como perdeu 5 posições desde o último levantamento.

Então, podemos adicionar à lista de fatores a crise econômica no país, que transformou as prioridades corporativas, e também a insatisfação dos profissionais.

Sem falar, é claro, nas ações equivocadas dos líderes e também do RH: muitas vezes, medidas motivacionais são aplicadas sem saber quais problemas internos afligem os colaboradores.

O resultado disso: soluções ineficazes, para problemas ainda não diagnosticados que se traduzem em uma evasão dos talentos internos, acumulando prejuízos para a companhia.

Portanto, achamos indispensável a leitura do próximo tópico, em que vamos listar os 6 erros que prejudicam a retenção de funcionários na empresa!

 

Quais são os principais erros na retenção de funcionários?

Entenda onde a sua equipe de RH pode estar se equivocando no planejamento e na execução de estratégias para a retenção de funcionários:

 

1. Ausência ou estruturação inadequada de um plano de carreira

Uma maneira pontual de gerar perspectivas para os colaboradores é o plano de carreira. Sua elaboração permite que todos saibam até onde podem se desenvolver, internamente.

Assim, evita-se a desmotivação decorrente dessa ausência. Só que o problema se revela múltiplo quando a empresa não o faz corretamente.

Sem alinhar-se ao perfil dos seus profissionais e estabelecer parâmetros claros para o crescimento, o efeito pode ser contrário e prejudicar a sua retenção de funcionários.

Portanto, cabe à empresa:

  • apresentar o plano de carreira;
  • identificar aos colaboradores o que é esperado deles;
  • estabelecer parâmetros justos e objetivos de crescimento;
  • cumprir com as suas propostas.

Alinhe os objetivos da empresa com os dos seus colaboradores. isso, por si só, já é uma grande ferramenta de retenção de funcionários.

 

2. Falta de feedbacks

Sem avaliações periódicas de desempenho, como você — e a sua força de trabalho — sabem que estão no caminho certo e o que precisa ser desenvolvido?

Estimule esse hábito, privilegie a gestão de recursos humanos e contribua com o crescimento individual e coletivo. Assim, a retenção de funcionários é melhor trabalhada e, a evasão, evitada.

Por isso, crie um programa de avaliações e forneça feedbacks construtivos, que agreguem ao desenvolvimento dos seus profissionais.

 

3. Comunicação interna ruim ou inexistente

Muitas empresas não comunicam as mudanças aos colaboradores, não pedem opinião de ninguém e, simplesmente, colocam em prática o que julgam melhor para todos.

Já dá para ter uma ideia de que essa não é a melhor forma de buscar a retenção de funcionários, não é mesmo?

Crie um programa de comunicação interna, estimule as novas ideias, solicite opiniões e, principalmente, ouça-as.

A troca de ideias integra equipes, aumenta a confiança de todos e contribui para que os colaboradores se sintam parte elementar da empresa. Vale o esforço!

 

4. Clima organizacional ruim

Empresas sem clima organizacional propício ao desenvolvimento já começa na direção errada para uma boa retenção de funcionários.

Metas inadequadas (ou impossíveis de serem atingidas), má gestão, conflitos contínuos, absenteísmo, falta de comprometimento… A lista é extensa e dá uma boa amostra do quão difícil seria estimular o engajamento dos colaboradores, concorda?

Por isso, o RH deve trabalhar estrategicamente para que o local de trabalho seja produtivo, harmônico e colaborativo.

Do contrário, as pessoas vão enxergar a jornada cotidiana como um mero degrau para voos maiores — em outras empresas.

 

5. Regras rígidas e/ou sem sentido

O mesmo vale para as organizações que são inflexíveis. Hoje em dia, um dos segredos para o desenvolvimento corporativo é a mobilidade para adequar-se às mudanças.

E, nesse contexto de Era Digital, elas acontecem com frequência e em um ritmo alucinante.

Líderes, em conjunto com o RH, devem propor facilidades que tornem o ambiente de trabalho menos rígido, inflexível e cheio de regras que não fazem sentido nesse momento social.

 

6. Falta de uma política de treinamentos

Por fim, é importante destacar o quanto uma política de treinamento faz a diferença na retenção de funcionários.

Isso porque esse trabalho contribui com o desenvolvimento dos profissionais, mas também orienta-os a crescerem de acordo com o que a empresa busca no seu quadro de colaboradores.

Não basta incitar a produtividade, por exemplo, sem dar os meios para que eles atinjam esse resultado. A retenção de funcionários é uma via de mão dupla, mas é inegável que o sentido da via quem oferece — e mantém — é a própria organização.

 

Mas não pare por aí: para criar e construir gradualmente uma boa política de retenção de funcionários, aproveite para curtir a nossa página do Facebook e seguir-nos no Instagram, Twitter e LinkedIn. Assim, você vai saber de todas as nossas outras dicas e novidades para construir uma empresa focada não apenas em resultados, mas em desenvolvimento!