Regra 1-3-6-9

Regra 1-3-6-9: como poupar para a segurança financeira da sua velhice?

Segundo os dados da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), 56% dos brasileiros não possuem reservas financeiras e 58% não realizam nenhum tipo de investimento. E conforme ainda os números do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), poupar não é um hábito no país.

Com a aprovação da Reforma da Previdência no final do ano passado, a questão da aposentadoria vem gerando grandes preocupações, e aprender a poupar se torna uma necessidades para garantir alguma segurança pecuniária na velhice. Uma técnica interessante para te ajudar nesse desafio é a regra 1-3-6-9.

A regra 1-3-6-9, grosso modo, é uma metodologia de economia financeira que orienta a criação de uma previdência privada ou complementar, considerando cada fase etária da sua vida. Ou seja, ela indica quanto dinheiro você deve guardar de acordo com a sua idade, visando acumular um montante seguro para a senilidade.

Se você quiser entender mais sobre previdência privada, recomendamos a leitura deste artigo aqui.

Agora, para entender os detalhes da regra 1-3-6-9, continue acompanhando o post. Separamos todos os detalhes dessa técnica, que pode te ajudar a construir o capital da sua aposentadoria, de maneira simples e inteligente. Boa leitura! 

Por que é preciso guardar dinheiro para a velhice?

Assim como dissemos, a Reforma da Previdência trouxe preocupações sérias quanto a aposentadoria. Segundo as novas regras, o tempo de contribuição deve ser de cerca de 20 anos a mais para receber 100% do valor de direito. Sim, 20 anos a mais.

Trabalhar mais para ganhar menos não era o sonho de nenhum brasileiro, contudo as condições políticas tornaram esse cenário uma realidade. Por isso, você deve começar a planejar alternativas paralelas de rendimento para não depender exclusivamente do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) na velhice. 

Existem diversas técnicas para poupar dinheiro e começar uma reserva financeira. Nenhuma delas é fácil, afinal economizar não é um hábito do brasileiro. Precisamos nos reeducar, rever hábitos de consumo, criar planejamentos financeiros, investir em educação financeira, e assim por diante. 

Contudo, existem algumas práticas que atendem a sua realidade de maneira mais apropriada, tornando-as mais eficientes. Um exemplo disso é a regra 1-3-6-9, uma opção potencial, principalmente para quem visa atingir o capital necessário para garantir uma segurança financeira na senilidade

A estratégia vale para brasileiros com qualquer nível de renda, alta, média ou baixa. Mas, como trabalhadores com salários menos robustos são os mais penalizados pelo custo de vida e pelos ajustes da Reforma da Previdência, a regra 1-3-6-9 para eles é ainda mais importante. 

O que é a regra 1-3-6-9 e como ela funciona?

Desenvolvido pelo planejador financeiro do banco Itaú Martín Iglesias, a regra 1-3-6-9 é uma é técnica de economia financeira para previdência privada ou complementar, que considera faixas etárias para estruturar a lógica de reserva.

Cada número representa um fator de multiplicação de sua renda anual, ou seja 12 vezes o seu pagamento mensal, considerando uma determinada idade. Considerando que a idade mínima para se aposentar é de 65 anos, os 4 números da regra seguem uma lógica de economia até atingir essa idade.

Para facilitar a sua compreensão, confira a tabela abaixo:

Fator de multiplicação da rendaIdade de parâmetro
135 anos
345 anos
655 anos
965 anos

Em outras palavras, para atingir o montante ideal que assegure a segurança financeira da sua aposentadoria privada ou complementar, aos 35 anos, você deve ter uma reserva equivalente a 1 ano de sua renda mensal. Aos 45, o triplo desse valor. 

Já com 55 anos, você deve ter acumulado 6 vezes o valor do seu salário anual. E finalmente aos 65, você deve ter economizado o equivalente a 9 anos. Segundo especialistas em educação financeira, esse capital seria suficiente para que você mantenha o mesmo padrão de vida por anos, sem precisar trabalhar.

Quer ver um exemplo? Considere um profissional do setor privado que receba um salário de R$ 5 mil até os seus 65 anos.

Fator de multiplicação da rendaIdade de parâmetroValor de reserva
135 anosR$ 60.000
345 anosR$ 180.000
655 anosR$ 360.000
965 anosR$ 540.000

Vivendo com 80% do salário habitual, ou seja, R$ 4.000, esse trabalhador conseguiria manter o mesmo padrão de vida por mais 11 anos, sem qualquer outra fonte de renda. Seguindo essa lógica matemática, se for possível gastar menos de 80%, o período de cobertura só tende a aumentar.

Portanto, para se aposentar aos 65 anos, você deve ter reservado pelo menos 9 vezes o valor do seu rendimento anual para viver a velhice com tranquilidade, sem depender do INSS.

Qualquer valor que o governo federal pagasse pela sua aposentadoria seria uma renda complementar e não a fonte primária da sua sobrevivência financeira.

Quanto se deve guardar por mês para alcançar esses objetivos?

A regra 1-3-6-9 também indica a porcentagem do salário mensal a ser poupado, a depender da idade do indivíduo. 

Naturalmente, quanto mais cedo começar a poupar, mais tranquilo será o processo de economia. Consequentemente, quanto mais tarde começar, mais difícil será atingir essa meta de plenitude financeira.

Entenda essa lógica conferindo a tabela abaixo.

Idade Lógica de reserva
25 – 40 anosIdade menos 15
40 – 50 anosIdade menos 10
Mais de 50 anosA própria idade

Para facilitar a sua compreensão, vamos ver um exemplo. Considere um jovem de 30 anos. Seguindo a lógica da regra 1-3-6-9, ele deverá reservar um montante equivalente a sua idade menos 15. Em outras palavras, 15% do seu salário mensal deverá ser poupado, exclusivamente, para este fim.

Já um senhor de 60 anos, deverá poupar 60% da sua renda para a previdência privada ou complementar. Essa porcentagem pode parecer inviável, tendo em vista as diversas despesas cotidianas. Mas é uma questão puramente matemática. Quando se trata de investimentos financeiros a longo prazo, é essencial usar o tempo a seu favor. 

Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a probabilidade de sobrevivência entre os 60 e 80 anos no país aumentou 74% em quarenta anos. Em 1980, de cada mil brasileiros que chegavam aos 60 anos de idade, 344 atingiam os 80 anos. Em 2018, este volume passou para 599 indivíduos. 

O envelhecimento da população foi, inclusive, um dos argumentos utilizados pelos setores defensores da Reforma da Previdência, aprovada no ano passado.

Completando, a regra 1-3-6-9 não pretende resumir todo um planejamento financeiro a uma regra específica, mas, de forma resumida, visa direcionar a sua atenção a necessidade de cuidar do futuro e guiar as suas prioridades financeiras atuais.

Como começar a usar a regra 1-3-6-9?

Para usar a regra 1-3-6-9 com eficiência, é preciso se organizar. Afinal, dependendo da sua idade, uma parcela significativa será comprometida com esse plano de longo prazo. 

Confira a seguir alguns passos básicos que podem te ajudar a começar a poupar dinheiro e assim, aplicar essa técnica tão importante.

1. Faça um diagnóstico financeiro

O primeiro passo é conhecer a fundo o seu fluxo financeiro, para assim, traçar um diagnóstico preciso. 

Anote todos os seus gastos, até os supérfluos mais insignificantes, por cerca de 30 dias. Separe os gastos das despesas e crie subcategorias para identificá-las como facilidade, tais como alimentação, refeição, roupas, higiene, luz, água, gás, aluguel, internet, transporte, e assim por diante.

Desta forma, você terá uma visão ampla e ao mesmo tempo minuciosa de suas despesas mensais, sendo capaz de identificar pontos a serem melhorados.

É normal que você se espante com o percentual da sua renda direcionado para desperdícios e caprichos sociais. Justamente por não termos o hábito de estudar finanças, nosso capital tem baixo rendimento.

2. Entenda seu comportamento de consumo

Feito isso, você deve analisar o seu comportamento de consumo. Como o diagnóstico financeiro já aponta os pontos a serem melhorados, uma mudança nos seus hábitos deverá ser providenciada.

Tenha sempre em mente que a economia é fator indispensável para atingir seus objetivos, por isso deve ser uma prioridade até nas transações financeiras mais rotineiras.

Sem uma adaptação rigorosa nos seus hábitos de consumo, poupar 5, 10, 50% do seu salário será inconcebível e a aplicação da regra 1-3-6-9, que garante segurança financeira a sua velhice, será boicotada.

Observe como funciona o seu orçamento hoje, defina cortes, adote alternativas práticas e policie as suas ações financeiras.

3. Faça uso diferente do dinheiro

Esta etapa é bastante importante porque introduz lógicas estratégicas de reserva financeira. Desta forma, você ganha um guia prático e é capaz de organizar suas contas com mais calma.

Existem muitas técnicas que orientam políticas de economia, tais como a regra dos 10%, (10% do salário é separado para aplicações) ou a do 50-15-35 (divide o uso do salário em 50% para gastos fixos, 15% investimentos e 35% para necessidades pessoais), dentre outros.

Independentemente da técnica escolhida, é certo que uma porcentagem é destinada a investimentos. Ou seja, você passa a fazer uso inteligente do seu capital, visando multiplicá-lo.

Com isso, a sua saúde financeira ganha mais segurança e a aplicação da regra 1-3-6-9 pode ser feita com mais tranquilidade. Afinal como há uma fonte paralela de rendimento, a porcentagem exigida pela regra não será tão penosa no orçamento.

4. Invista o valor reservado

Realizar aplicações financeiras, com eficiência, é uma das formas mais interessantes de multiplicar o seu capital. Ações, Tesouro Direto, Fundos de Investimento, CDB (Certificado de Depósito Bancário), poupança, são alguns exemplos comuns de aplicação no país.

 Procure orientações de especialistas e invista em educação financeira. Assim, a médio e longo prazo, você pode conquistar um montante expressivo e aumentar a sua previdência privada ou complementar.

Assim como dissemos no item anterior, ao reservar uma porcentagem do salário mensal para aplicações estratégicas, a aplicação da regra 1-3-6-9 também ganha tranquilidade.

No começo, aplicar o dinheiro pode ser desafiador, porque estamos ligados a hábitos antigos. No entanto, ao ver os resultados dessas mudanças na prática, esse investimento se torna mais excepcional. 

5. Poupe rendas extras

Outro passo essencial para começar a economizar e investir na regra 1-3-6-9 é poupando rendas extras. 13º salários, bônus, férias, PLR (Participação nos Lucros e Rendimentos da empresa), dentre outros, devem ser guardados para otimizar a reserva da sua previdência privada ou complementar. 

Procure nunca contar com esses gastos incertos para gerir o seu orçamento mensal. Tenha um planejamento financeiro criterioso e reserve esses montantes excepcionais para sua reserva.

Além de potencializar os seus ganhos e preservar a segurança financeira da sua velhice, você ainda evita gastar esse dinheiro com caprichos desnecessários e superficialidades.

Quais os principais erros de quem deseja poupar dinheiro?

Como vimos até aqui, poupar é uma medida indispensável para reeducar os seus hábitos de consumo e aplicar a regra 1-3-6-9 com qualidade. Confira a seguir os principais erros cometidos por quem quer começar a poupar sem orientação.

  • não ser capaz de se desapegar de hábitos consumistas;
  • comprar coisas por impulso;
  • não conhecer a fundo suas próprias economias;
  • não resolver pendências e dívidas antigas;
  • ter muitos cartões de crédito;
  • não investir parte do capital em aplicações financeiras;
  • ter medo de investir;
  • não pesquisar preços antes de efetivar compras;
  • falta de consciência do próprio esforço como gerador de renda (desconhecer o custo da sua hora trabalhada);
  • não buscar alternativas para hábitos comuns (refeições fora de casa, uso do carro, serviços de streaming, etc);
  • deixar de buscar opções de renda extra;
  • não seguir rigorosamente o planejamento financeiro;
  • fazer adaptações por conveniência e não por necessidade no plano financeiro;
  • gastar o dinheiro da reserva e depois buscar formas de compensá-lo;
  • não ter metas financeiras claras;
  • fazer cortes bruscos na rotina (isso estimula comportamentos compulsivos, por exemplo);
  • não ter apoio da família ou dos demais moradores da casa 

Viu, só?

Criar um plano de reserva financeira, atendendo a regra 1-3-6-9, não é fácil. Exigirá comprometimento, responsabilidade, foco, disciplina e muita paciência. Como se trata de um investimento a médio e longo prazo, o seu compromisso será certamente testado.

E lembre-se de que quanto antes você começar, mais tempo terá para fazer o seu dinheiro render e criar um montante suficiente. Embora não seja tão simples, os resultados são inquestionáveis. 

Criar um capital que ofereça proteção pecuniária a sua velhice é muito mais do que investir recursos no bem-estar, é uma forma de assegurar respeito e dignidade a uma das fases mais importantes da sua vida.

 

Muito legal o artigo, né? Conseguiu entendeu a importância de poupar dinheiro para o futuro? Se você ainda tiver alguma dúvida, manda pra gente! E se quiser ler mais conteúdos como esse, assine a nossa newsletter! Enviamos artigos exclusivos toda semana.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.