regime de competência

O que é regime de competência e como ele pode transformar a perspectiva financeira?

Abordar temas relacionados a contabilidade empresarial sempre causa um grande medo para líderes e gestores. Afinal, essas demandas comumente são repassadas aos contadores, responsáveis por organizar todos os impostos relativos aos regimes de tributação e obrigações fiscais da companhia. Porém, assuntos como o regime de competência são importantes e devem ser de conhecimento geral, não apenas dos contadores.

Compreender o que é regime de competência e funcionamento pode render diversos benefícios para a organização, desde:

Sabendo disso, criamos aqui um guia completo sobre:

  • o que é regime de competência,
  • os principais benefícios de adotá-lo dentro de sua corporação,
  • em quais tipos de negócio ele faz mais sentido.

Desse modo, não será difícil escolher o formato correto para a contabilidade de sua empresa. Continue acompanhando e saiba muito mais!

Leia também: Descubra como funciona a contabilidade trabalhista!

O que é regime de competência?

O regime de competência é um tipo de registro que realiza os lançamentos financeiros da empresa conforme a sua data original. Com eles, pode-se ter uma visão geral sobre a perspectiva financeira da empresa para os próximos meses, permitindo um crescimento econômico constante.

Em outras palavras, independe da data de pagamento ou de recebimento do produto, seu registro será realizado no mês em que o produto foi solicitado.

Por exemplo, caso uma empresa realize a compra de matéria-prima no mês de novembro, mas faça um agendamento de pagamento para o mês de janeiro, o valor dela ainda assim será computado para novembro, que se tornará o mês de competência do gasto.

Nesse sentido, a empresa possui um controle exato de todas as suas despesas.

Objetivo do regime de competência

O regime de competência pode até parecer uma mera exigência burocrática. No entanto, seu papel pode ser bastante importante dentro de toda a gestão financeira da empresa ao longo do ano, bem como um aliado do plano de negócios da organização.

Isso porque o principal objetivo do regime de competência e do tipo de registro que ele representa, é fornecer para os gestores uma espécie de previsão sobre o futuro orçamentário da companhia.

Com os lucros e despesas organizados na data exata em que foram planejados, se torna mais simples entender em quais períodos do ano a corporação possui mais ou menos receita.

O lançamento de valores no tempo correto permite uma visão geral sobre fatores que variam desde o nível de estoque de matéria até a distribuição de produtos.

Nesse cenário, tem-se um acompanhamento eficaz e efetivo sobre os próximos passos necessários para a empresa, bem como o que é necessário para que ela continue em crescimento.

Além disso, é importante ressaltar que o regime de competência oferece um relatório financeiro realmente eficiente e mais completo e exato da situação financeira da companhia. Já que ele transmite informações sobre as receitas e gastos passados no período em que eles foram necessários.

Com esses dados em mãos, se torna muito mais simples elaborar o planejamento econômico da companhia a nível semanal, mensal e até mesmo anual. Evitando as surpresas negativas que podem surgir quando não se tem uma previsão de pagamentos.

Fatores essenciais do regime de competência

Ao tratarmos sobre o uso de regime de competência dentro de uma empresa, estamos falando de uma organização financeira e contábil exemplar.

No entanto, para que ele seja realizado corretamente e produza os resultados desejados é preciso que dois fatores essenciais sejam levados em conta. Acompanhe quais são eles abaixo.

Registro de despesas

O registro das despesas é realizado no momento exato em que determinado valor deixa de fazer parte do ativo da empresa.

Isso não significa, necessariamente, que ele tenha sido transferido ou retirado das contas bancárias. Porém, trata de não poder mais ser contabilizado como um valor para capital de giro ou lucro.

Registro de receitas

No regime de competência, o registro das receitas ocorre da mesma forma, mas com o diferencial de que a data de registro dos lucros e seu recebimento real costuma ser mais próximo que nas despesas.

Por exemplo, caso tenha sido agendada uma transferência em um dia, mas o recebimento do valor seja apenas três dias depois da data, será contabilizado o dia em que foi efetuada a transferência.

Outro ponto importante no registro de receitas é o fechamento de contratos e recebimento de valores advindos deles.

Caso uma venda de produto tenha sido realizada para três meses depois, por exemplo, o valor do lucro ainda assim será contabilizado para o mês da venda.

Leia também: Saiba como aumentar lucratividade por meio da gestão de pessoas

Regime de competência x Regime de fluxo de caixa

Mesmo que o regime de competência ou Demonstrativo de Resultados do Exercício (DRE) seja extremamente eficiente para o planejamento financeiro empresarial, ele não é o único método adotado dentro das corporações.

Muitas delas fazem uso também do regime de fluxo de caixa, um método alternativo de criar os relatórios financeiros da organização.

No regime de fluxo de caixa todos os lucros, receitas e despesas são lançados somente quando são recebidos ou enviados.

Ou seja, o valor só é computado quando entra ou sai da conta bancária da companhia, demonstrando resultados e números exatos do atual capital da empresa.

Nesse cenário, há quem prefira o primeiro ou o segundo regimes, indicando pontos positivos e negativos de ambos.

Afinal, cada um trabalha de acordo com uma necessidade, o que resulta em outros gaps abertos dentro do campo financeiro.

Para realizar a escolha entre regime de competência e regime de caixa e definir aquele que mais faz sentido dentro da companhia é essencial conhecer ambos de maneira profunda, compreendendo seus resultados de forma ampla.

Desse modo, será possível descobrir aquele que melhor satisfaz as dificuldades da corporação, suprindo-as de maneira completa.

Confira um resumo da diferença entre regime de competência e regime de caixa no vídeo abaixo.

Vantagens e desvantagens do regime de fluxo de caixa

Como citamos anteriormente, são muitas as companhias que ainda fazem uso do regime de fluxo de caixa.

Isso porque ele faz bastante sentido dentro das obrigações tributárias, apresentando resultados das movimentações financeiras da companhia de maneira simplificada, o que é bastante útil para a área contábil.

No entanto, dentro deste regime podem ser destacadas vantagens e desvantagens, as quais são sentidas de acordo com a carência da corporação. Acompanhe as principais abaixo e entenda mais:

Vantagens

As vantagens do regime de gestão de fluxo de caixa estão diretamente relacionadas a análise de viabilidade de investimentos e compreensão do tamanho do capital de giro da companhia. São elas:

Maior facilidade para elaboração de relatórios

Quando a organização faz uso do regime de fluxo de caixa, ela possui um relatório exato com todas as entradas e saídas monetárias no tempo em que elas aconteceram.

Para os administradores financeiros isso é muito importante, já que adquirem maior consciência do valor que a empresa possui disponível para uso, quando ele entrou e quais foram os períodos de caixa mais baixo.

Menor risco de quebras financeiras

Como no regime de fluxo de caixa os valores só são exibidos quando eles são, de fato, existentes, há menor risco de erros de cálculo ao realizar a previsão para investimentos ou gastos.

Isso porque os gestores não visualizam números que ainda não existem ou que chegarão nos próximos meses.

Os valores exibidos são reais e disponíveis para movimentação instantânea.

Desvantagens

Já as desvantagens do regime de fluxo de caixa estão relacionadas a dificuldades para medição e acompanhamento de indicadores de produtividade dentro da companhia.

Problemas para compreensão de resultados

Quando tratamos sobre a exibição exata de valores de entrada e saída de caixa, falamos não apenas sobre o campo financeiro, mas também sobre a área produtiva da companhia.

Quando um gestor focado em resultados operacionais percebe meses de pouca entrada, sua primeira conclusão será de que a companhia está apresentando poucos resultados.

Por exemplo, caso a empresa passe três meses sem nenhuma entrada de capital e receba um bom valor no quarto mês, a primeira impressão será de que a organização trabalho três meses sem nenhuma obtenção de resultados e apenas produziu bons trabalhos no mês seguinte.

Essa conclusão, por sua vez, não é vantajosa para colaboradores e gestores.

Dificuldade para perspectiva de recebimentos

Quando os valores são registrados apenas no momento em que chegam no caixa, os líderes financeiros não possuem uma boa perspectiva para planejamento e gestão de carteira de investimentos.

Sendo assim, muitas vezes a companhia passa meses sem um plano para crescimento, sem expectativas para melhora desse cenário.

Vantagens e desvantagens do regime de competência

Tratando sobre o regime de competência, também é muito importante entender que ele possui pontos positivos e negativos. Afinal, sua usabilidade é ligeiramente mais complexa e deve ser compreendida completamente antes de ser trazida para a prática.

Vantagens

Falar sobre vantagens do regime de competência está sempre relacionado ao planejamento financeiro da companhia.

Maior facilidade para análise de produtividade

O regime de competência mostra de maneira eficaz os resultados atingidos pela empresa durante todos os períodos do ano.

Ou seja, caso uma venda tenha sido concretizada durante determinado mês, ela será exibida para os gestores instantaneamente, sem que seja necessário esperar pelo recebimento da receita.

Desse modo, os líderes conseguem realizar uma análise mais assertiva dos resultados produzidos pela sua equipe, entendendo melhor os resultados gerais e individuais.

Entendimento de posicionamento no mercado

Com uma análise obtida através do regime de competência se torna mais simples entender como a empresa está produzindo dentro de seu mercado. Ou seja, se os produtos comercializados estão tendo boa aceitação por parte dos consumidores.

Desse modo, pode-se trabalhar de modo a crescer cada vez  mais, realizando as adaptações necessárias para tanto.

Quer saber mais sobre a melhor maneira de posicionar a sua empresa para continuar se adaptando às tendências do mercado? Confira este outro posto do nosso blog: “Mudanças no Mercado de Trabalho: o que saber para acompanhá-las?”.

Desvantagens

Já as desvantagens de fazer uso do regime de competência podem ser notadas pelo temor de uma análise financeira incorreta. 

Menor consciência do valor de caixa

Como no regime de competência os valores são computados antes de chegarem na conta, não é cena incomum que os administradores cometam erros por falta de entendimento do real orçamento da companhia.

Afinal, os valores exibidos não correspondem aos números exatos da conta corporativa, então não podem ser utilizados para compras e giro de capital.

Menor valor em caixa

Quando a gestão não possui entendimento completo do valor da conta é comum que dívidas sejam realizadas com base em números irreais.

Isso significa, em alguns casos, uma grande baixa no valor de caixa e no capital de giro.

Em casos de imprevistos esse cenário é bastante perigoso, pois pode representar uma quebra orçamentária difícil de ser recuperada.

Regime de competência e de caixa: resultados complementares

Com base nas vantagens e desvantagens citadas, ficou evidente que o regime de competência e o regime de caixa possuem pontos positivos e negativos para a companhia.

Enquanto o primeiro é excelente para planejamento, o segundo trabalha de maneira a mostrar os resultados presentes sobre a produtividade da companhia.

Nesse cenário, vale ressaltar que dentro das organizações, torná-los aliados é uma atitude que costuma produzir bastante resultados.

Enquanto a escolha por um único deles se torna um gerador de gaps, pode-se dizer que a união de ambos regime de competência de regime de fluxo de caixa, pode representar a perspectiva de um entendimento completo sobre as finanças corporativas.

Enquanto o regime de competência proporciona uma visão geral, ideal para o planejamento de investimentos e futuros eventos, o de fluxo de caixa fornece uma perspectiva exata sobre a atual situação financeira da empresa.

Sendo assim, torna-se mais simples planejar e organizar a companhia de modo a permitir seu crescimento constante, alcançando novos patamares em todos os meses.

Gestão financeira e novas possibilidades

Implementar novas formas de gerenciar custos e despesas de uma empresa pode ajudá-la a fazer uma melhor gestão financeira do negócio. Um exemplo é o Xerpay um novo produto da Xerpa, de salário on demand, que empresas de todos os setores podem oferecer como benefício corporativo aos funcionários e crescer em lealdade e produtividade.

Ele é a resposta para a pergunta: como diminuir o seu turnover, aumentar a sua produtividade e atrair mais talentos? Em consequência também reduz gastos da empresa com demissões e acordo trabalhistas.

A integração é rápida e simples. Assim que seus funcionários se cadastrarem, eles podem fazer saques imediatamente.

Fale com um especialista e descubra ainda mais ganhos que a sua empresa pode ter ao oferecer um benefício como o Xerpay.

Agora que você já sabe tudo sobre o regime de competência, assine o nosso newsletter e fique por dentro dos melhores temas sobre o mundo corporativo. Desse modo, se tornará bem mais fácil tornar a sua empresa um verdadeiro case de sucesso dentro do mundo empresarial!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.