reduzir turnover de funcionários com teorias acadêmicas

Reduzir turnover de funcionários: 3 teorias acadêmicas sobre o assunto

O turnover é o índice de contratações e demissões que uma empresa acumula, em determinado período. Se o índice está elevado, o turnover é alto, o que impacta em mais custos e baixos resultados nesse período — entre outros problemas que freiam o desenvolvimento. Daí, a importância em reduzir o turnover de funcionários com teorias acadêmicas: soluções já pensadas, no passado, para problemas que sua empresa pode estar enfrentando agora, nesse instante, sejam rapidamente resolvidos.

 

Você já deve saber a importância da gestão de pessoas para a empresa, certo? No entanto, você sabe como aplicá-la, de maneira a reduzir turnover de funcionários com teorias acadêmicas?

Afinal de contas, se existem técnicas e planos de ação aplicados para melhorar o clima organizacional, existem boas ideias por trás de suas boas práticas.

E é sobre isso que vamos falar ao longo deste artigo. Com base nas teorias dos Dois Fatores, de Herzberg, da Motivação e Necessidades, de McLelland, e do vínculo entre colaborador e empresa, este post vai se dedicar a explicar como você pode reduzir turnover de funcionários com teorias acadêmicas.

Boa leitura!

Qual é a importância das teorias acadêmicas?

Em vez de recorrer à prática, cegamente, é fundamental compreender a teoria. Porque é por meio dela que você reacende o contexto no qual essas ideias foram concebidas.

Consequentemente, fica fácil associar as soluções propostas ao problema com o que você pode estar lidando, com suas devidas proporções, internamente.

E aí está o grande segredo em buscá-las para trazer tais conceitos à sua realidade: você pode usar as grandes ideias do passado para problemas atuais — como veremos, logo abaixo, como reduzir turnover de funcionários com teorias acadêmicas.

Como reduzir turnover de funcionários com teorias acadêmicas?

A seguir, separamos 3 teorias distintas, mas que ajudam a esclarecer o grande problema de desligamentos em massa que a sua organização pode estar vivenciando!

 

1. A Teoria dos Dois Fatores, de Frederick Herzberg

Uma das ideias mais populares para as pessoas que estão se especializando na área de recursos humanos, a Teoria dos Dois Fatores é uma das principais correntes ideológicas para avaliar o comportamento, a motivação e a satisfação das pessoas dentro das empresas.

Tudo porque o seu idealizador, o americano Frederick Herzberg (inicialmente, publicada no livro A Motivação para Trabalhar), concebeu uma série de entrevistas perguntando aos participantes o que agradava-os — e gerava desconforto — na rotina corporativa.

A partir daí, as respostas foram divididas nos aspectos positivos (motivacionais) e higiênicos (aquilo que desagradava à maioria). E Herzberg apontou que o segundo aspecto é o fundamental para evitar que a insatisfação paire sobre a empresa.

Até por isso, reduzir turnover de funcionários com teorias acadêmicas é algo tão relevante. Com o trabalho de Herzberg, o clima organizacional, as oportunidades de crescimento, os benefícios corporativos e todo tipo de condição física de trabalho é passível de satisfação (ou insatisfação), o que requer atenção.

Já os fatores motivacionais conferem a liberdade de execução do trabalho. Autonomia e flexibilidade, que são as características para estabelecer o desenvolvimento do profissional dentro da empresa.

Quando o RH sabe como equilibrar essas ideias, é possível agregar mais satisfação, melhorar a retenção de talentos e, assim, reduzir turnover de funcionários com teorias acadêmicas como a de Herzberg.

 

2. A teoria da Motivação e Necessidades, de McLelland

David McClelland estabeleceu que o comportamento humano é influenciado por 3 necessidades (ou motivos):

  • realização, que é a competição como forma de autoavaliação;
  • afiliação, que permite o relacionamento cordial e afetuosamente;
  • poder, ou a capacidade de exercer influência.

Também conhecida como Teoria da Motivação pelo Êxito e/ou Medo, a ideia de McClelland foi pensada para destacar que as necessidades das pessoas diferem, mas que as realizações fazem com que as pessoas optem, em geral, pelos mesmos métodos para resolver todo tipo de problema.

Com base na identificação das realizações e necessidades das pessoas, o RH consegue mensurar como anda o clima organizacional — além de diagnosticar os motivos pelos quais ele pode estar ruim, por exemplo.

Assim, reduzir o turnover de funcionários com teorias acadêmicas ocorre, aqui, a partir da aplicação dessas necessidades (que é bastante influenciada pela pirâmide de Maslow). Se as necessidades estão mais associadas aos problemas de relacionamento, por exemplo, o RH sabe por onde seguir.

Se a questão está associada à ausência de crescimento profissional, a jornada de solução segue por outro caminho. Mas, em comum, está a questão de usar soluções personalizadas com base no que há em comum entre as necessidades e realizações dos seus colaboradores.

Para complementar o assunto, aproveite para baixar gratuitamente, enquanto você finaliza esta leitura, o nosso e-book que aponta as melhores estratégias para lidar com a redução do turnover!

 

3. A teoria do vínculo entre colaborador e empresa

O estudo teve como objetivo principal a relação entre os elevados índices de turnover, dentro de uma empresa, e a satisfação dos profissionais. 

Assim, o resultado proporcionaria métodos mais eficientes, práticos e dinâmicos para evitar as demissões descontroladas. E, complementarmente, melhorar o nível de retenção de talentos. 

Vale observar, que o comparativo realizado com outras teorias acadêmicas fez com que se percebesse o aspecto motivacional como elementar para a retenção de profissionais.

Assim, os especialistas que buscam reduzir o turnover com teorias acadêmicas pode se concentrar, especificamente, naquelas que estabelecem um reforço à importância da gestão de pessoas.

Preocupar-se com o bem-estar (físico, mental e financeiro) dos seus colaboradores corrobora com um nível de satisfação maior, individual e coletivamente. E isso deve se estender desde o processo de recrutamento e seleção: se o RH sabe como influenciar as pessoas positivamente, elas já vão entrar motivadas para fazer a diferença na organização.

 

Só que, além das ideias aqui discutidas para reduzir o turnover de funcionários com teorias acadêmicas, que tal aprofundar-se no assunto de outras maneiras e abordagens? Para isso, convidamos você a ler outro artigo nosso sobre o tema, como o nosso guia completíssimo sobre o turnover!

 

 

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.