recrutar talentos

Recrutar talentos: 4 passos que não podem ser ignorados

Recrutar talentos é uma maneira eficiente de fazer com que a sua empresa economize e, ainda, melhore a sua lucratividade com base nos seus recursos humanos. Para tanto, é fundamental avaliar o perfil profissional para cada cargo e, em seguida, avaliar o DNA da empresa (e se ele tem a ver com os candidatos em questão). Assim, você vai perceber a redução de custos, o aumento de produtividade e o desenvolvimento gradual da sua organização.

 

Recrutar talentos, ao contrário do que muita gente alardeia, não é um sinônimo de contratações. Afinal de contas, o processo é muito mais estratégico e focado no crescimento (em médio e longo prazo) da empresa.

Por exemplo: contratar de maneira reativa e sem um planejamento definido faz com que a organização não cresça de maneira gradual. O profissional pode não ter a ver com o perfil corporativo de sua marca ou, ainda, não dispor das qualidades essenciais para o cargo em aberto.

Com isso, cria-se um gargalo produtivo que sequer existiria por meio do trabalho de recrutar talentos. Trata-se de precisão e, neste post, vamos explicar 4 que não podem ser ignorados nos seus processos seletivos.

Boa leitura!

Recrutamento ou aquisição de talentos?

Como vimos, o recrutamento é um trabalho reativo: com a abertura de um cargo, na empresa, os especialistas de RH logo buscam um profissional para ocupá-la.

Quando falamos na aquisição de talentos, por sua vez, estamos descrevendo um processo contínuo. Ele é feito com um monitoramento amplo e bastante detalhado do mercado, a fim de identificar as habilidades, competências e atitudes indispensáveis para cada cargo-chave da organização.

Assim, diante de uma eventual necessidade, os recrutadores já sabem quais caminhos seguir a fim de ocupar a vaga em aberto rapidamente — e com o máximo de assertividade possível.

Isso pode contribuir, inclusive, com a elaboração e a manutenção de um banco de talentos impecável, completamente focado no perfil, nas necessidades e nos objetivos da sua empresa!

Vale a pena investir na ideia de recrutar talentos?

Consideramos essencial, esse tipo de estratégia. E sabe por quê?

Se a sua empresa “contrata por contratar”, corre um sério risco de perder esse profissional em médio ou longo prazo por falta de identificação com a organização. E isso, além de atrapalhar o crescimento corporativo, também significa custos extras.

Demissões, contratações, integrações, adaptações… isso tudo leva tempo, dinheiro e pode até mesmo sobrecarregar os outros profissionais da equipe. Sem falar na reputação de sua empresa — já que um elevado índice de turnover nunca é bom sinal.

Portanto, ao recrutar talentos, a sua empresa está se fortalecendo interna e externamente: preenche os cargos vagos e, ainda, com elevada chance de evitar que novos furos ocorram por um bom tempo.

Complementarmente, vocês podem se beneficiar de:

  • obter profissionais qualificados do mercado;
  • melhorar a eficiência e produtividade;
  • compor um time alinhado e em sintonia, o que promove também o clima organizacional;
  • reduzir custos e prejuízos ocasionados pelas frequentes trocas de cargos.

Por isso, que tal vermos como recrutar talentos pode ser uma boa notícia, dentro da sua empresa, e também uma estratégia fácil de ser alcançada?

Quais são os 4 passos para recrutar talentos?

Abaixo, vamos destacar um passo a passo que o seu setor de RH deve observar antes e durante a implementação de uma estratégia para recrutar talentos!

 

1. Conheça a sua empresa

Comecemos pelo princípio: entenda qual é o perfil da organização e, também, o que se busca em cada tipo de cargo da empresa. 

Isso ajuda a reduzir a imprecisão de decisões nos processos seletivos, e a filtrar todo o procedimento para que os recrutadores saibam, exatamente, o que buscar nos candidatos — e como testá-los.

Como não existe um método, apenas, para identificar o melhor tipo de candidato, o seu RH pode se beneficiar de fazer esse mapeamento, para ter técnicas distintas para cada tipo de cargo a ser preenchido.

 

2. Trabalhe em conjunto com os gestores

De nada adianta focar, exclusivamente, no conhecimento do RH para recrutar talentos: afinal, os gestores também entendem profundamente as carências e oportunidades que devem ser abraçadas em seus respectivos setores.

Por isso, a integração dos setores para definir as necessidades, prioridades e diagnósticos é fundamental. O RH pode, inclusive, estar sempre por perto das áreas a fim de treiná-las, constantemente, de acordo com o retorno dos gestores.

Consequentemente, temos um excelente trabalho de recrutar talentos, mas também focado na retenção deles — falaremos rapidamente sobre isso mais adiante.

 

3. Posicione-se de acordo com a sua cultura organizacional

Além de saber quem é a sua empresa, promova a sua cultura organizacional. No sentido de recrutar talentos, isso significa que a organização é tão ciente de sua personalidade, que isso transparece facilmente em suas atitudes.

Para os candidatos, é a oportunidade perfeita para compreender se o seu perfil (pessoal e profissional) tem a ver com a organização. Uma maneira de evitar contratações equivocadas de ambos os lados, por exemplo.

 

4. Faça uma descrição de cargos perfeita

Use as redes sociais que o seu público utiliza; faça uma descrição de vaga que gere familiaridade e identificação a quem você quer atingir; saiba como destacar os principais atrativos de trabalhar na sua empresa.

Esses são apenas alguns dos diferenciais de quem sabe fazer, estrategicamente, uma boa descrição de vaga.

E, por meio dela, os melhores profissionais vão entrar no radar dos seus recrutadores. Algo que reduz o tempo total, do processo seletivo, e melhora qualitativamente o grau de assertividade da seleção dos melhores profissionais.

O que fazer após recrutar talentos para a empresa?

O desafio não reside, apenas, em recrutar talentos. Assim que a contratação é realizada, o profissional estará diante de novos desafios, uma nova realidade, e o RH tem que saber lidar com isso.

Ou seja: aprender a manter um time talentoso motivado, engajado e, especialmente, produtivo e desafiado. É aí que entra a importância das ações e investimentos para a retenção de talentos na sua empresa.

Isso vale tanto para as empresas que tiveram que recrutar talentos, externamente, mas também para manter as suas atuais equipes motivadas.

Para tanto, é elementar a importância dos treinamentos que o RH pode identificar como necessários, periodicamente, bem como a elaboração de outras estratégias, como:

Com isso, sua empresa adquire uniformidade. Uma coesão inabalável de pessoas talentosas e constantemente motivadas a darem um pouco mais de si mesmas, para as empresas que fazem de tudo por elas.

Quer entender um pouquinho mais a respeito desse assunto, para complementar o que vimos aqui sobre a importância de recrutar talentos? Então, veja aqui outras estratégias, como as viagens a trabalho, para ajudar na atração e retenção de talentos!

 

 

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.