Rebalanceamento de carteira: o que é e quando deve ser feito?

Rebalanceamento de carteira

Quando o assunto é investimento, muitas questões devem ser estrategicamente pensadas para que não ocorram prejuízos. A alocação de ativos é um desses pontos importantes que os investidores precisam avaliar para que consigam atingir o padrão desejado.

Você sabe o que é rebalanceamento de carteira de investimentos? Alguma vez já conseguiu identificar a necessidade de fazê-lo? Neste artigo, mostramos que esse processo não é um bicho de sete cabeças e trouxemos os principais tópicos sobre o assunto, tais como:

  • O que é rebalanceamento de carteira?;
  • Quando ele deve ser feito?;
  • Como é feito o rebalanceamento?;
  • Qual a importância do rebalanceamento para meus investimentos?;
  • O que acontece se eu não rebalancear minha carteira?

Agora, se você ainda é um iniciante no assunto investimentos e quer conhecer quais os melhores tipos e como começar essa jornada, primeiro indicamos a leitura deste artigo aqui. Ele será fundamental para a continuação do post de hoje!

O que é rebalanceamento de carteira de investimentos?

O rebalanceamento de carteira é, de modo geral, a prática de ajustar a proporção de ativos presentes em uma determinada carteira para que ela esteja alinhada à estratégia do investidor. 

Esse processo deve ser feito de acordo com o perfil do investidor e, por isso, é necessário levar em conta as estratégias e metas propostas. Normalmente, são considerados a possível rentabilidade de cada aplicação, os riscos envolvidos e a volatilidade delas.

O objetivo do rebalanceamento de carteira é sempre manter o equilíbrio entre os riscos e retorno dos investimentos feitos. Ele é super importante para qualquer perfil de investidor, pois é muito difícil prever as condições do mercado a longo prazo. Logo, uma reavaliação periódica é indispensável!

Diversas situações do mercado podem fazer os juros dos investimentos variarem no dia a dia, como reformas no governo por exemplo. Isso pode tornar algumas aplicações mais ou menos atrativas. Isso faz com que os investidores precisem reavaliar suas últimas ações.

Quando fazer o rebalanceamento de carteira?

É desejável realizar o rebalanceamento de carteira de ativos todas as vezes que o mercado oscilar. No entanto, os custos de uma transação de ativos podem dificultar essa prática com tanta frequência.

Então quando fazer o rebalanceamento de minha carteira de investimentos? Normalmente, a forma mais rentável de realizar essa prática é por meio da metodologia de “rebalanceamento por período”. Ela é focada na redução de custos para que a rentabilidade do processo possa ser mantida.

No rebalanceamento por período, a operação é sempre realizada em momentos já definidos, independentemente das oscilações dos ativos. Ela pode ser feita mensalmente ou até de forma semestral ou anual.

O problema é que nessa metodologia, o investidor pode perder momentos importantes que acontecem entre um rebalanceamento e outro.

Por isso, há outra metodologia para determinar quando fazer a estratégia de rebalanceamento de carteira que é chamada “por faixas”. Nessa situação, é estipulado limites para a oscilação dos percentuais de ativos.

Desse modo, em vez de o investidor determinar quais os períodos para realizar o rebalanceamento, é analisado um limite de tolerância. Assim, o processo é feito quando o intervalo for ultrapassado.

Por exemplo, você pode estipular que o investimento poderá oscilar apenas 20% para mais ou para menos. Assim, se o percentual desejado é de 50% das ações, o limite aceitável estará entre 40% e 60%.

Como fazer o rebalanceamento de carteira?

Agora é hora de entender como esse processo é feito. Rebalancear consiste em abrir mão de um ativo para adquirir outro para obter equilíbrio e tentar conquistar a carteira de investimentos ideal. 

Portanto, para realizá-lo é necessário observar a proporção em que a carteira se encontra para poder comprar ou vender ativos e, assim, garantir que ela volte ao seu estado original.

O investidor deverá observar, cuidadosamente, os custos antes de realizar qualquer operação para não ultrapassar a rentabilidade obtida. Caso contrário o ajuste não fará sentido.

Logo, você precisa ajustar sua carteira para que ela atenda às suas necessidades de segurança e rentabilidade, combinando a garantia de retorno com suas estratégias de investimento.

Além disso, é importante estudar o máximo possível para entender quais são os melhores momentos para comprar e vender suas ações. Apenas assim será possível evitar riscos desnecessários.

Qual a importância do rebalanceamento para meus investimentos?

Como você pode perceber, o rebalanceamento de carteira funciona justamente como uma balança que equilibra a composição dos seus investimentos de acordo com suas estratégias. 

Por isso, ela pode oferecer diversos benefícios aos investidores. Confira os principais deles:

Seguir o perfil do investidor

Uma das principais importâncias do rebalanceamento de carteira é seguir o perfil do investidor. 

Para definir qual percentual vai ser alocado em cada classe de ativos, levamos sempre em consideração as estratégias do investidor. Logo, essa prática servirá para manter sempre esse equilíbrio, o que permitirá que o nível de risco esteja sempre de acordo com as estratégias definidas.

Minimizar riscos de longo prazo

Outro ponto importante é que o rebalanceamento reduz os riscos de longo prazo. Isso acontece, pois com o passar do tempo, os investidores tendem a aumentar seus ativos de renda variável, que são mais arriscados e reféns de oscilações.

Embora tendem a ter um retorno maior do que os de renda fixa, os riscos são igualmente maiores. Por isso, por meio do rebalanceamento é possível vender seus ativos de renda variável depois de uma boa alta na bolsa e aplicar em renda fixa para diminuir os riscos caso haja uma forte movimentação no mercado de renda variável. 

O rebalanceamento de carteira irá ajudar a determinar os melhores momentos para colocar essa estratégia em prática para, assim, diminuir os riscos e, ao mesmo tempo, aproveitar as oportunidades do mercado.

Vender na alta e comprar na baixa

Ao rebalancear sua carteira, você estará preparado para vender aqueles ativos que se valorizam demais e investir mais naqueles que não tiveram um retorno tão positivo.

Basta que o investidor acompanhe a evolução de sua carteira para determinar quando comprar e vender para mantê-la balanceada.

O que acontece se eu não rebalancear minha carteira?

No tópico anterior, você viu que realizar o rebalanceamento de carteira permite que o investidor aproveite as oportunidades do mercado, reduza seus riscos e alinhe suas estratégias com seus objetivos. Portanto, não realizar esse processo pode trazer riscos.

Ao não rebalancear sua carteira, você estará deixando seus ativos à mercê das oscilações do mercado. Desse modo, os riscos se tornam maiores e o retorno ao longo dos anos cairá.

Portanto, para quem não quer ou não possui tempo para rebalancear a carteira, é importante saber que esse processo não precisa ser realizado manualmente. 

O rebalanceamento é um processo simples, mas que exige disciplina para acompanhar os resultados de sua carteira. Por isso, caso você não se sinta confortável em fazer essa gestão sozinho, é possível buscar por soluções que realizem o rebalanceamento automaticamente.

Chegar a uma carteira de investimentos ideal é um processo árduo e que exige muita análise. Sem contar que a decisão sobre investimentos é algo muito pessoal e que irá depender do perfil de cada um.

Ao realizar o rebalanceamento de carteira, é possível se aproximar desse ideal, pois esse processo é crucial para que os investidores consigam definir melhores suas estratégias  e, posteriormente, segui-las fielmente.

 

Curtiu as dicas sobre rebalanceamento de carteira? Assine nossa newsletter e receba outros conteúdos como este em primeira mão.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confira outros artigos que você pode se interessar