quinta revolução industrial

IA, learning machine, deep learning e tudo sobre a quinta revolução industrial nas empresas

Prova cabal de que estamos vivendo um momento de intensa transformação: o mercado já discute a proximidade com uma quinta revolução industrial.

E olha que a transição da terceira para a quarta onda foi debatida há não muito tempo. Acontece que, diante de tantas mudanças, faz até sentido pensar que o setor já está em plena metamorfose para, mais uma vez, sofrer inovações significativas nos seus processos.

Por isso, vale a pena seguir com esta leitura para entender para onde os rumos do mercado estão se orientando.

Dessa maneira, a quinta revolução industrial não vai ser uma novidade para a gestão da sua empresa. Pelo contrário: vai ser apenas a constatação de algo que os seus funcionários já trabalham para implementar!

Boa leitura!

O que é a quinta revolução industrial?

Trabalhamos, hoje em dia, com os pés fixos ao presente, mas com o olhar mirando no horizonte, o futuro que nos aguarda. E é nesse contexto que a indústria 4.0 já está quase em nossos espelhos retrovisores.

Tudo porque a quinta revolução industrial tem se aproximado em largas passadas com características como:

  • uma nova maneira de pensar;
  • uma busca incessante para otimizar processos produtivos;
  • implementar de forma maciça a presença das tecnologias de automação com o auxílio do capital humano especializado.

E a tendência ruma para essa direção porque, diferentemente das primeiras revoluções industriais, os avanços tecnológicos são mais rápidos. Por isso, conseguimos vislumbrar um futuro já revolucionário em curto prazo, mesmo.

Quais foram as revoluções anteriores?

Vivemos um processo contínuo que teve início no século 18 e, veja só: neste início de século que vivemos já estamos discutindo a indústria 4.0 e a quinta revolução industrial. Entenda como chegamos até aqui:

  • a primeira revolução industrial teve como a sua principal característica a mecanização dos processos de produção, reduzindo o até então majoritário trabalho manual para substituí-lo pelas máquinas a vapor;
  • a segunda revolução industrial ocorreu na segunda metade do século 19, que foi agraciada com o desenvolvimento dos setores químico e de aço, potencializando inovações da época, como os automóveis;
  • a terceira revolução industrial foi amparada pelo primórdio dos equipamentos eletrônicos, avançando a era da computação em nossa sociedade;
  • a quarta revolução industrial, ou indústria 4.0, chegou fortificada com a digitalização das informações.

E, agora, avançamos para a quinta revolução industrial com a implementação da tecnologia para empresas do futuro que, na verdade, já é uma realidade.

No que se pauta a quinta revolução industrial?

Como destacamos, a automação é um dos grandes nomes da quinta revolução industrial, mas não o único.

Já celebramos o uso da inteligência artificial no mercado de trabalho, da realidade virtual e realidade aumentada, em outros posts — inclusive, falamos disso e o uso estratégico da realidade aumentada em treinamentos, dá lá uma olhada depois que finalizar este artigo 🙂

No entanto, há de se celebrar que essa nova era revolucionária vem acompanhada do uso combinado entre as soluções digitais e o elemento humano para utilizá-las.

Isso espanta o medo inicial de que a tecnologia tiraria milhões de empregos.

Ou seja: necessitamos do pensamento crítico, do poder analítico e do planejamento estratégico para colocar em ação uma série de soluções tecnológicas atuais, como:

O conceito, portanto está atrelado a esses dois elementos. O papel do colaborador vai ser mais qualificado, o que significa uma revolução também na maneira de se desenvolver profissionalmente, e gerar diferenciais competitivos para ser um especialista no seu ramo de atuação.

Qual é o perfil do profissional da quinta revolução industrial?

Você já deve ter reparado, no RH de uma empresa, o quanto um software de gestão espantou os profissionais da rotina burocrática e repetitiva e deu a eles um posicionamento mais estratégico.

E, ao menos por enquanto, as tecnologias dependem dessa peça-chave que é a nossa capacidade de raciocínio.

Interpretar dados e transformá-los em insights para os diferentes setores da empresa se desenvolverem.

Consequentemente, na quinta revolução industrial, não é só a indústria que vai mudar a sua maneira de estruturar-se: a mão de obra tem que acompanhar a quinta revolução industrial para suprir essa crescente e metamorfoseada demanda.

Para tanto, algumas características em comum se destacam, independentemente do setor de atuação em que esses profissionais estejam. São elas:

  • antecipação e resolução de problemas estratégicos ;
  • pensamento analítico e crítico;
  • gestão de pessoas;
  • autonomia e flexibilidade para gerir o próprio trabalho;
  • criatividade;
  • inteligência emocional.

O World Economic Forum já alertou, inclusive, para essa tendência e acredita que 35% das habilidades mais exigidas dos profissionais vão se modificar até o ano de 2020.

Muito disso, portanto, está atrelado à quinta revolução industrial, que vai ser o esforço combinado entre o pensamento crítico humano e a alta capacidade de processamento das máquinas.

É a tecnologia agindo para melhorar e facilitar o trabalho de gestores e colaboradores, possibilitando que a empresa gere mais valor e resultados internos e para seus clientes. Confira abaixo um vídeo que aborda como a quinta revolução industrial já é presente no Japão.

Aproveite também para ler o artigo da Xerpa;Futuro do trabalho: quais serão os desafios do RH?”. 

Sua empresa está preparada para a quinta revolução industrial?

O futuro do trabalho já está aqui. Seja o futuro do RH, no marketing ou nos meios de produção industriais, o momento de se adaptar e acompanhar as vindouras mudanças é agora.

O que nos remete ao título deste tópico: sua empresa já faz isso, buscando não apenas alinhar-se à indústria 4.0, mas dar um passo à frente para visualizar o que a quinta revolução industrial promete?

Por onde começar a fazer parte dessa revolução?

Ao adotar ferramentas e propostas modernas de gestão, sua empresa dá um passo rumo a adequação à quinta revolução industrial.

Implementar novas formas de gerenciar custos e despesas por meio de sistemas inteligentes pode melhoreas a gestão financeira do negócio. Um exemplo disso é o Xerpay um novo produto da Xerpa, de salário on demand, que empresas de todos os setores podem oferecer como benefício corporativo aos funcionários e crescer em lealdade e produtividade.

Ele é a resposta para a pergunta: como diminuir o seu turnover, aumentar a sua produtividade e atrair mais talentos? Em consequência também reduz gastos da empresa com demissões e acordo trabalhistas.

Em suma, uma solução tecnológica moderna e eficaz, gerida automaticamente, que traz benefícios para gestores e colaboradores.

A integração é rápida e simples. Assim que seus funcionários se cadastrarem, eles podem fazer saques imediatamente.

Compartilhe as suas ideias conosco, no campo de comentários deste post!

Gostou? Fale com um especialista e descubra ainda mais ganhos que a sua empresa pode ter ao oferecer um benefício como o Xerpay.

Para saber por onde começar, nós temos a dica para você: curta a nossa página no Facebook e siga-nos também no Instagram e LinkedIn. Lá, você vai ver em primeira mãos todas as nossas novidades — sempre com um olhar analítico para o futuro do trabalho — e pode interagir com uma comunidade ampla de profissionais vivendo o mesmo momento de transformações que você! Nos vemos por lá!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.