Queda dos lucros e sua relação com a insatisfação dos colaboradores

queda dos lucros

A queda dos lucros é um indicativo poderoso para certificar-se de que algo (no processo ou na gestão) não está obtendo o desempenho esperado. Por isso, identificar os sintomas causadores é o grande desafio do setor de RH e os líderes da empresa.

 

Já reparou que é muito mais fácil perseguirmos objetivos que nos inspirem? Isso serve tanto para as conquistas pessoas quanto profissionais.

Mas, no contexto corporativo, o impacto disso é maior quando o RH e a liderança da empresa conseguem engajar o seu quadro de funcionários. Do contrário, a queda dos lucros pode ser um sintoma crônico na empresa.

Caso o que falamos acima ainda não tenha ficado claro, convidamos você para seguir-nos ao longo desta leitura.

Nos próximos tópicos, vamos identificar a relação entre a insatisfação dos colaboradores com a queda dos lucros — e o que você pode fazer para reverter essa situação. Boa leitura!

 

A importância do capital humano nas organizações

É uma via de mão dupla: satisfeito e motivado, o capital humano ajuda a construir a reputação da empresa, geram produtividade — com qualidade — e aumentam a renda gradualmente.

Por sua vez, a queda dos lucros pode ser observada por inúmeros fatores que, direta ou indiretamente, afetam a sua lucratividade. Inclusive, a insatisfação coletiva ou individual.

Com as tecnologias e metodologias contemporâneas, percebeu-se que os índices de sucesso de uma organização estão intimamente relacionados ao bem-estar dos profissionais.

Um exemplo: existem locais de trabalho que não focam em planos de carreiras, benefícios flexíveis e estimulam a rotina tóxica, a competitividade desleal e a pressão contínua por resultados.

Você acha que, em médio e longo prazo, essa empresa vai colher frutos de lucratividade e empenho dos seus colaboradores?

 

Funcionários felizes são clientes felizes

Com base no que apontamos acima, as empresas devem entender o quanto a queda dos lucros pode ser influenciada — ou potencializada — pela insatisfação dos profissionais.

Pois o quadro de funcionários é um primeiro termômetro do grau de satisfação do seu público-alvo (os consumidores), sabia?

As pessoas estão mais engajadas e relacionam-se mais com as marcas. Por exemplo: 77% dos brasileiros preferem (e buscam) marcas que engajam em causas sociais.

O mesmo vale para o cuidado interno em construir uma reputação imaculada de respeito, bem-estar e satisfação dos colaboradores.Algo que faz o mercado prestar mais atenção às suas campanhas e, assim, tornar o seu negócio uma referência.

Percebe o quanto essas ações podem agregar — ou a negligência pode desagregar — nos resultados?

 

As ações motivacionais para evitar a queda dos lucros

Vale destacar que a insatisfação profissional não é a única causa para a queda dos lucros. Outras questões são profundamente participativas nesse processo, como:

Daí, a importância em observar quais dessas situações marcam presença, na sua empresa, visando um plano de ação rápido e eficaz.

Que tal começar, portanto, compreendendo como anda o clima de satisfação das equipes que movimentam a roda produtiva da sua empresa? Aí vão algumas medidas:

 

Produtividade

Produtividade é um ponto elementar para a análise da queda dos lucros. Se a empresa está com uma performance abaixo de sua capacidade, algo não está certo.

É importante identificar, portanto, quais fatores estão influenciando a capacidade produtiva. Cabe ao RH — em conjunto com os líderes de cada setor — promover uma média de quantidade produtiva para que o índice seja constantemente monitorado.

 

NPS interno

Sigla para Net Promoter Score, a métrica foi desenvolvida, inicialmente, pelo consultor Fred Reichheld para identificar o grau de satisfação dos consumidores.

É, em resumo, aquela questão que mensura, de 0 a 10, o quanto um cliente recomendaria os serviços ou produtos de uma empresa para os seus amigos ou colegas.

Internamente, o indicador também pode ser usado. Uma simples pergunta, mas que já contribui para identificar se os profissionais indicariam aos seus amigos um posto de trabalho na organização.

Caso positivo, um bom indício de que a queda dos lucros não está muito bem relacionada à satisfação dos profissionais. Caso negativo, você já sabe por onde começar.

 

Rotatividade e retenção de funcionários

A queda dos lucros, em muitos casos, pode estar relacionada às constantes despesas com demissões, novas contratações, treinamentos e integrações.

Algo que, consequentemente, é o reflexo de uma empresa com alto índice de rotatividade (turnover). Avaliar os motivos para tantas demissões é o primeiro passo, portanto.

Em seguida, o setor de RH pode encontrar os meios — com base no perfil médio do quadro de funcionários — para reter os seus talentos e não perdê-los para a concorrência.

Trabalhar a satisfação dos seus profissionais ajuda a segurá-los, motivá-los a fazer carreira na empresa, mas também atrai novos interessados. O que é determinante para aumentar os lucros.

 

Clima organizacional

De maneira mais aprofundada ao NPS interno, as pesquisas de clima organizacional abrem um panorama completo das questões que frustram, motivam e estimulam os seus profissionais.

Pois os resultados permitem o diagnóstico de problemas que, muitas vezes, sequer temos ciência. E, logicamente, as ações que vão diluir tudo aquilo que tem influenciado a queda dos lucros na organização.

Para resolver esses problemas, convém ter em mente algumas alternativas funcionais para evitar que esses transtornos evoluam para um estado crônico na rotina corporativa.

Abaixo, reunimos algumas dessas opções. Confira:

  • construa um plano de gerenciamento de crise com base nos problemas e obstáculos diagnosticados;
  • avalie medidas de impacto em curto, médio e longo prazo. Antecipe-se aos problemas;
  • construa uma cultura organizacional e certifique-se de que os colaboradores se identificam e são engajados pelos mesmos valores que a empresa onde trabalham;
  • invista em comunicação interna e externa. Objetividade, transparência e trabalho colaborativo;
  • estimule a autonomia dos seus profissionais;
  • equilibre os interesses da empresa com as perspectivas e expectativas do quadro de funcionários;
  • desenvolva atividades motivacionais, de integração e de contínua capacitação;
  • crie um plano de carreira e ofereça uma rotina de avaliações de desempenho e feedbacks;
  • recompense o esforço e as conquistas. Dê o retorno sempre que a queda dos lucros estiver sendo, gradualmente, minimizada.

Com um alinhamento dos motivos que levaram à queda dos lucros com as ações acima citadas, é possível agregar mais valor — e resultados — para a sua empresa.

 

Quer saber, agora, quais outras dicas podem ser implementadas em curto, médio e longo prazo na organização? Assine a nossa newsletter (basta preencher o seu endereço de e-mail no canto inferior direito do blog da Xerpa) para receber todas as nossas novidades!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confira outros artigos que você pode se interessar