No mundo corporativo, é comum que as empresas mensurem todos os seus custos, como folha de pagamento, estrutura física e serviços.

A importância do fluxo de caixa é tanta que até a satisfação dos funcionários entra na conta.

Para colocar tudo na ponta do lápis, muitos empreendedores se perguntam: quanto custa ter um profissional feliz na empresa?

Porém, a abordagem mais correta seria: quanto custa ter um profissional infeliz na empresa? Afinal, nenhum investimento na felicidade dos colaboradores custa mais que os prejuízos trazidos por uma equipe desmotivada.

Pensando nisso, explicamos neste artigo todas as vantagens de manter o time satisfeito no ambiente de trabalho. Quer saber mais? Confira a seguir!

Por que investir na felicidade dos funcionários?

A principal razão para investir na felicidade dos funcionários é simples: pessoas felizes têm melhor desempenho no trabalho.

Entre as diversas pesquisas que comprovam esse fato, um estudo americano aponta que colaboradores satisfeitos são 20% mais produtivos. Isso acontece porque eles são mais motivados, concentrados e engajados nos objetivos da empresa.

Por outro lado, colaboradores infelizes faltam mais, se atrasam mais e apresentam queda de desempenho.

No entanto, mesmo com números comprovando, muitas empresas são difíceis de convencer, pois querem economizar a todo custo. Nesses casos, o barato pode sair caro.

Por exemplo: é comum ver profissionais altamente capacitados adoecerem por causa do estresse. Quando essas pessoas precisam se afastar do trabalho, o prejuízo para a empresa é enorme.

Nesse tipo de situação, o funcionário deixa de produzir e continua recebendo o salário, já que ausências por problemas médicos são abonadas.

Muitas vezes o colaborador não adoece a ponto de faltar ao trabalho, mas passa o dia na empresa apenas de corpo presente. É o chamado presenteísmo, que ocorre quando a pessoa cumpre a jornada de trabalho sem conseguir ser produtiva.

Assim como as faltas, esse problema gera sérios danos ao caixa da empresa.

Também podemos recorrer aos números para responder quanto custa ter um profissional feliz na empresa. Segundo um estudo de ROI (retorno sobre o investimento), a cada 1 dólar investido em programas de bem-estar, há um retorno de 6 a 12 dólares. Tudo relacionado ao aumento de rendimento e concentração dos funcionários.

 

Como a empresa pode aumentar a satisfação da equipe?

Antes de tudo, é preciso ter a mentalidade certa. Toda e qualquer medida com o intuito de promover a satisfação da equipe deve ser vista como investimento, não como gasto.

É preciso observar o ambiente, entender o perfil dos colaboradores e implementar as ações certas para torná-los mais motivados.

Confira abaixo as principais atitudes que a empresa deve ter para conseguir esse resultados. Muitas delas, inclusive, têm custo zero, como veremos a seguir.

 

Mantenha um bom clima organizacional

Clima organizacional é a qualidade do ambiente de trabalho. São muitos os fatores que ajudam a construir um clima positivo, mas em geral tudo se resume a relacionamentos.

Os líderes da empresa devem dialogar, incentivar e atender às necessidades dos seus funcionários.

Entre os colegas, o clima deve ser leve, com o mínimo de conflitos possível e muita colaboração no dia a dia. Happy hours, festas e celebrações podem ajudar a equipe a criar vínculos e se tornar mais unida.

Reconhecer o bom trabalho é outra maneira de manter o clima em alta. Elogie, ofereça pequenos prêmios, faça a pessoa saber que seu esforço está valendo a pena.

São atitudes praticamente gratuitas, que farão você não se preocupar mais com quanto custa ter um profissional feliz na empresa.

 

Ofereça oportunidades de crescimento

Para manter a equipe motivada, o ambiente deve ser desafiador. Os funcionários precisam sentir que seu trabalho é importante e que eles têm chances de crescer na empresa. Caso contrário, se sentirão estagnados e buscarão oportunidades em outros lugares.

Por isso, tenha um plano de carreira personalizado para cada colaborador. É preciso levar em conta o perfil do profissional e suas ambições, a fim de alinhar as metas que ele deve alcançar.

Muitas vezes o interesse da pessoa não é subir de cargo, e sim mudar de área, por exemplo. Tudo isso deve ser analisado caso a caso.

Além do planejamento, é importante contar com o apoio dos líderes e programas de treinamento e desenvolvimento. Assim, a empresa fornece todas as ferramentas que o funcionário precisa para evoluir profissionalmente e atingir o patamar que deseja.

 

Crie uma cultura de feedback

Feedbacks contínuos são essenciais para manter a equipe satisfeita. Por meio deles, o profissional sabe quais são seus acertos, o que precisa melhorar e quais metas deve perseguir.

Funciona como um alinhamento de expectativas entre ele e o líder, o que ajuda a manter a transparência e obter melhores resultados.

Vale lembrar que o tom da conversa deve ser sempre construtivo. Críticas agressivas jogam contra o gestor e a empresa.

É importante, sim, apontar as falhas de desempenho do profissional, mas sempre de maneira inspiradora e com orientações. Assim, a pessoa aprende exatamente como melhorar sua performance.

 

Implemente programas de bem-estar

Qualidade de vida é a base para a felicidade no trabalho.

Há alguns anos, bem-estar era algo a ser buscado fora do escritório, mas essa relação mudou. Se as pessoas passam a maior parte do dia dentro da empresa, faz sentido que o ambiente tenha que ser o mais agradável possível.

Daí surgiram os programas de bem-estar dentro das organizações, com foco na saúde física, mental e financeira dos funcionários.

Entre as ações mais comuns, podemos citar o estímulo à atividade física, cardápio saudável, acompanhamento psicológico e educação financeira.

O objetivo de tudo isso é reduzir o estresse, causador de muitos problemas dentro das organizações.

 

Quando se fala em investimentos em bem-estar, quanto custa ter um profissional feliz na empresa? Bem, esse tipo de iniciativa não custa barato, mas deixá-la de lado com certeza é muito pior.

Segundo uma pesquisa publicada pelo site The Undercover Recruiter, ausências no trabalho por estresse custam cerca de 30 bilhões de dólares por ano.

E tem mais: manter a equipe feliz pode reduzir os custos com mão de obra em até 2 bilhões de dólares.

Agora que você já sabe quanto custa ter um profissional feliz na empresa, que tal colocar o que aprendeu em prática?

Como vimos ao longo do artigo, o investimento na satisfação do time é mínimo perto do retorno que ele traz. Por isso, avalie as necessidades dos seus colaboradores e faça o possível para atendê-las. Assim, com certeza sua empresa terá ótimos resultados!

Gostou do post? Não se esqueça de deixar um comentário com suas dúvidas e opiniões. Conte-nos como você lida com a felicidade dos colaboradores no dia a dia!