Psicologia organizacional e do trabalho

Psicologia organizacional e do trabalho: entenda mais sobre a área

Com a psicologia organizacional e do trabalho, o setor de RH adquire uma especialização importantíssima para lidar com o bem-estar no trabalho e satisfação dos funcionários, o que se converte em índices de performance continuamente melhores.

Para tanto, é importante que o seu departamento entenda, profundamente, o que pretende almejar com a atuação próxima ao profissional de psicologia organizacional e do trabalho.

E é para isso que elaboramos este post!

Nos próximos tópicos, vamos discutir o quanto a psicologia organizacional e do trabalho tem espaço significativo na sua estrutura institucional — podendo ser um ativo valioso para todos.

Boa leitura!

O que é a psicologia organizacional e do trabalho?

A psicologia organizacional foi pensada para garantir um alinhamento aos objetivos da empresa e ao perfil comportamental dos seus colaboradores.

Com isso, há harmonia no dia a dia produtivo, o que tende a aumentar o desempenho dos funcionários.

Além disso, tradicionalmente, essa área de conhecimento da psicologia oferecia à empresa uma identificação de perfil profissional determinante para o crescimento da organização.

Afinal de contas, não é segredo que pessoas sem o perfil procurado pela cultura organizacional têm mais dificuldades para gerar familiaridade e identificação com a maneira de agir e reagir aos desafios do dia a dia.

Com o tempo, entretanto, a psicologia organizacional e do trabalho evoluiu, assim como toda a sociedade.

Não basta, apenas, focar nos resultados que a empresa deseja, mas, sim, em compor uma preocupação maior com a qualidade de vida e o bem-estar dos seus profissionais.

É a felicidade deles e a motivação, então, que estimula os resultados melhores para a organização.

Dentro desse novo pensamento a psicologia organizacional e psicologia do trabalho, embora interligadas, são conceitos diferentes.

A primeira, como destacamos em seu conceito tradicional, está associada à empresa.

Já a segunda tem mais a ver com a relação do profissional com o ambiente de trabalho em questão.

Um exemplo: para o trabalhador rural, o campo é o seu ambiente. Então, a psicologia do trabalho começa a associar a relação das pessoas com o local onde elas desenvolvem as suas atividades. Para isso, visa-se a sua segurança e saúde, independentemente de onde ela exerça o seu trabalho.

Como é o trabalho da psicologia organizacional e do trabalho?

Assim como usamos a psicologia no RH, a psicologia organizacional e do trabalho lida diretamente com as questões trabalhistas por meio das ações e reações comportamentais.

O profissional de psicologia organizacional e do trabalho, portanto, vai exercer uma ação abrangente para avaliar não apenas o local de trabalho, mas:

  • o próprio ambiente;
  • o perfil dos colaboradores;
  • a relação das pessoas com o dia a dia corporativo.

Dentro dessa complexa relação corporativa, o psicólogo pode ter ação determinante em uma série de processos internos, como:

  • recrutamento e seleção de profissionais, que pode fazer uma avaliação aprofundada dos candidatos, e com base no mapeamento realizado pela sua equipe de recursos humanos;
  • desenvolvimento de cargos a partir de um diagnóstico das oportunidades e carências dentro da empresa — algo que pode ser feito, por exemplo, a partir de pesquisas com os colaboradores para entender o nível gera de satisfação;
  • diagnóstico institucional, que tem muito a ver com o que foi dito acima. A psicologia organizacional e do trabalho também estrutura o grau de engajamento dos colaboradores, o que permite a compreensão do que a empresa tem feito de certo (e o que ainda pode fazer) para criar um ambiente agradável para todos;
  • saúde do trabalhador. O enfoque, aqui, está em avaliar a qualidade de vida geral, bem como o bem-estar, para garantir a saúde física e mental do quadro de funcionários. Uma outra preocupação que está se intensificando é a relacionada a saúde financeira dos colaboradores;
  • ações de onboarding com o colaborador recém-contratado;
  • auxiliar na prevenção de doenças relacionadas ao trabalho;
  • prevenir conflitos dentro da empresa.

Ou seja: trata-se de um cargo que complementa tudo aquilo que o setor de recursos humanos já pratica. Com a diferença de que se trata de um psicólogo especialista nessa área.

Portanto, é um diferencial e tanto para enriquecer a gestão de pessoas praticadas na sua empresa.

Quais são os benefícios de investir na psicologia organizacional e do trabalho?

Até aqui, vimos que a psicologia organizacional e do trabalho é um ativo valioso para o departamento de recursos humanos. E, com a sua atuação diferenciada, a empresa e os colaboradores são beneficiados.

E vale apontar que, mesmo a partir das atividades exercidas por esse profissional, os benefícios já se revelam. Vale, mesmo assim, apontá-los:

Perceba, aqui, que são ações focadas em seus próprios profissionais. O que afasta-se, em grandes proporções, da ideia inicialmente debatida de psicologia organizacional.

Com a gestão de pessoas presente e ativa no dia a dia corporativo, os profissionais de recursos humanos e os braços auxiliares da psicologia desenvolveram teorias de que a atenção ao profissional é mais rentável.

Por isso, é importante identificar essas e outras ações como investimentos, e não custos para o orçamento da organização.

É só tomar como exemplo o benefício que citamos de alta rotatividade. Quando existem muitas demissões e contratações, os custos são elevados proporcionalmente — sem falar na reputação negativa para a empresa.

Assim, o investimento em psicologia organizacional e do trabalho faz com que a redução de custos aconteça, e os índices da empresa melhorem continuamente.

É um ponto positivo para a empresa, sem dúvidas, e com enfoque na qualidade de vida dos seus profissionais!

Buscas formas de reduzir o estresse financeiro dos funcionários é uma das formas mais atuais de lidar com problemas como:

  • rotatividade de funcionários;
  • desmotivação;
  • baixa produtividade entre outros.

Para isso sua empresa não precisa, necessariamente, ampliar salários mas sim investir em novos modelos de remuneração como o salário sob demanda.

20 milhões de brasileiros estão presos ao cheque especial e 91% dos colaboradores esperam novos métodos de pagamento. A solução preferida é uma plataforma digital.

Por isso, buscar soluções como o Xerpay um novo produto da Xerpa de salário on demand, pode ajudar sua empresa a tornar a qualidade de vida dos funcionários melhor e a motivação para o trabalho em alta.

Empresas de todos os setores podem oferecer esse benefício corporativo aos funcionários e crescer em lealdade e produtividade, sem precisar ampliar seus custos e despesas.

O salário sob demanda é a resposta para a pergunta: como diminuir o seu turnover, aumentar a sua produtividade e atrair mais talentos? Em consequência também reduz gastos da empresa com demissões e acordo trabalhistas.

A integração é rápida e simples. Assim que seus funcionários se cadastrarem, eles podem fazer saques imediatamente.

Fale com um especialista e descubra ainda mais ganhos que a sua empresa pode ter ao oferecer um benefício como o Xerpay.

Compartilhe as suas ideias conosco, no campo de comentários deste post!

Gostou? Então, siga a Xerpa nas redes sociais (FacebookInstagram e LinkedIn) e acompanhe conteúdos como esse sempre!

E, para ficar por dentro de muitas outras dicas que podemos trazer para você, assine a nossa newsletter. Para isso, é só preencher os seus dados no cantinho inferior do nosso blog, e você vai receber todas as nossas novidades via e-mail!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.