Códigos de Situação Tributária

Prorrogação do auxílio emergencial: quem tem direito?

Em 1 de setembro, o presidente Jair Bolsonaro anunciou que vai ocorrer a prorrogação do auxílio emergencial em decorrência da pandemia causada pelo coronavírus. Entretanto, mudanças estão previstas no pagamento do benefício para os próximos 4 meses.

E, se você também está em dúvida a respeito de quais são essas mudanças e do quanto isso vai impactar a sua renda familiar, siga conosco ao longo desta leitura! Vamos explorar tudo o que vai mudar — e permanecer — nessa prorrogação do auxílio emergencial. Confira!

O que acontece com a prorrogação do auxílio emergencial

Entre os auxílios do governo para o momento tão delicado e imprevisível, construído em decorrência da pandemia, a medida emergencial financeira é uma das que mais se destacaram.

Até o momento, os brasileiros que foram aprovados no programa receberam cinco parcelas mensais de R$ 600, cada. Agora, com a prorrogação do auxílio emergencial, os beneficiários vão receber R$ 300 ao longo dos próximos quatro meses. Isso gera, no total, o equivalente a R$ 4,2 mil.

Lembrando que as mães que são chefes de família têm direito a um acréscimo desse valor: o dobro.

Dessa maneira, o benefício vai se estender até o mês de dezembro dentro do calendário estipulado pelo próprio programa governamental. É necessário, contudo, ficar de olho justamente nessas datas para compreender o quanto esse auxílio vai impactar os beneficiários.

Lembrando que o benefício é importante, mas o brasileiro tem que se cuidar também em outros aspectos diante dessa pandemia e do período de quarentena que não precisa ser uma tormenta psicológica em sua rotina. Para isso, aproveite para dar uma conferida em nosso artigo que explica melhor como é possível manter o bem-estar durante esse período!

A nova agenda de pagamentos do auxílio emergencial

Como destacamos acima, o auxílio emergencial possui calendários distintos e que devem ser acompanhados de acordo com o alinhamento de cada pessoa às exigências e critérios do programa.

A seguir, vamos apontar a situação de cada lote do pagamento, levando em conta como fica também a partir deste mês por conta da prorrogação do auxílio emergencial!

Lote 1 (existem dois grupos de beneficiários)

O lote 1 é direcionado às pessoas que foram aprovadas e já receberam a primeira parcela do auxílio emergencial no mês de abril. 

Com isso, a 3ª parcela já foi paga entre os dias 27 de junho e 4 de julho, mas será liberada entre os dias 25 de julho e 17 de setembro para a realização de saques e transferências. 

Já a 4ª parcela foi paga entre 22 de julho e 26 de agosto, sendo liberadas também entre os dias 25 de julho e 17 de setembro para a realização de saques e transferências.

Portanto, faltam as seguintes parcelas:

  • 5ª parcela, cujo pagamento está previsto entre os dias 28 de agosto e 30 de setembro, na poupança social, e cuja liberação está programadas entre 19 de setembro e 27 de outubro para saques e transferências;
  • 6ª, 7ª, 8ª e 9ª parcelas ainda não têm suas respectivas datas definidas com a prorrogação do auxílio emergencial.

Tem, também, os aprovados que receberam o auxílio em abril, mas cujos pagamentos foram suspensos em julho e só então tiveram o benefício liberado novamente. Para eles, a situação atual contempla a liberação para saques e transferências entre os dias 8 de agosto e 17 de setembro. Assim, restam:

  • 5ª parcela, cujo pagamento está previsto entre os dias 28 de agosto e 30 de setembro, na poupança social, e cuja liberação está programadas entre 19 de setembro e 27 de outubro para saques e transferências;
  • 6ª, 7ª, 8ª e 9ª parcelas ainda não têm suas respectivas datas definidas com a prorrogação do auxílio emergencial.

Ou seja: as condições acima são iguais às anteriores.

Lote 2

 

O lote é de interesse para os aprovados cuja primeira parcela foi paga em maio.

Assim, a situação atual aponta que a 2ª e 3ª parcelas foram pagas entre 27 de junho e 4 de julho e 22 de julho e 26 de agosto, respectivamente. Já os saques de ambas estão previstos entre os dias 25 de julho e 17 de setembro. Portanto, agora restam:

  • a 4ª parcela, que será liberada entre os dias 19 de setembro e 27 de outubro para saques e transferências;
  • a 5ª parcela, cuja liberação está programada para algo entre os dias 29 de outubro e 19 de novembro para saques e transferências;
  • a 6ª, 7ª, 8ª e 9ª parcelas ainda não têm suas respectivas datas definidas com a prorrogação do auxílio emergencial.

Lote 3

O lote 3 diz respeito a quem foi aprovado no benefício e recebeu a primeira parcela ao longo do mês de junho.

Para esse perfil de beneficiário, a 2ª parcela foi liberada entre 25 de julho e 17 de setembro para saques e transferências. E, com isso, restam a 3ª parcela, que será liberada entre os dias 19 de setembro e 27 de outubro para saques e transferências, além das outras parcelas, que são:

  • 4ª parcela, paga entre 9 de outubro e 13 de novembro, mas liberada para saques e transferências entre 29 de outubro e 19 de novembro;
  • 5ª parcela, paga entre 16 e 30 de novembro, mas liberada para saques e transferências 26 de novembro e 15 de dezembro;
  • 6ª, 7ª, 8ª e 9ª parcelas ainda não têm suas respectivas datas definidas com a prorrogação do auxílio emergencial.

Lote 4

O lote 4 corresponde aos beneficiários que foram aprovados pelo programa e receberam a primeira parcela entre os dias 27 de junho e 4 de julho.

Atualmente, as pessoas inclusas nesse lote receberam, ou vão receber, o valor da 1ª parcela entre 25 de julho e 17 de setembro (para saques e transferências). Já a 2ª parcela, que foi liberada entre 22 de julho e 26 de agosto, na poupança social digital, também foi ou vai ser liberada para saques e transferências entre os dias 25 de julho e 17 de setembro.

Dessa maneira, com ou sem a prorrogação do auxílio emergencial, faltam as seguintes parcelas:

  • 3ª parcela, que fica disponível para saques e transferências entre 19 de setembro e 27 de outubro;
  • 4ª parcela, que fica disponível para saques e transferências entre 29 de outubro e 19 de novembro;
  • 5ª parcela, que fica disponível para saques e transferências entre 26 de novembro e 15 de dezembro;
  • 6ª, 7ª, 8ª e 9ª parcelas, que ainda não têm datas programadas para o pagamento pelo governo.

Lote 5

Beneficiários aprovados e inscritos entre os dias 17 de junho e 2 de julho têm direito aos seguintes pagamentos dentro do calendário do programa:

  • 1ª parcela, liberada entre 25 de julho e 17 de setembro para saques e transferências;
  • 2ª parcela, que deve ser liberada para saques e transferências entre 19 de setembro e 27 de outubro;
  • 3ª parcela, liberada para saques e transferências entre 29 de outubro e 19 de novembro;
  • 4ª e 5ª parcelas, liberadas entre 26 de novembro e 15 de dezembro para saques e transferências;
  • 6ª, 7ª, 8ª e 9ª parcelas, cujo pagamento ainda não está previso com a prorrogação do auxílio emergencial.

Lote 6

Pessoas que tiveram o benefício negado, mas contestaram entre os dias 24 de abril e 19 de julho, devem considerar as seguintes datas:

Pessoas que tiveram o benefício negado, mas contestaram entre os dias 24 de abril e 19 de julho, devem considerar as seguintes datas:

  • 1ª parcela, liberada entre 8 de agosto e 17 de setembro para saques e transferências;
  • 2ª parcela, liberada para saques e transferências entre 19 de setembro e 27 de outubro;
  • 3ª parcela, liberada para saques e transferências entre 29 de outubro e 19 de novembro;
  • 4ª e 5ª parcelas, liberadas para saques e transferências entre 26 de novembro e 15 de dezembro.

Aqui, também, a 6ª, 7ª, 8ª e 9ª parcelas ainda não têm datas definidas.

Lote 7

Pessoas inclusas no lote 7 são aquelas inscritas nas agências dos Correios, entre os dias 8 de junho e 2 de julho, e também aquelas que contestaram a recusa ao benefício entre 3 de julho e 16 de agosto.

Para elas, restam as seguintes parcelas dentro do calendário abaixo:

  • 1ª parcela, disponível para saques e transferências entre 19 de setembro e 27 de outubro;
  • 2ª e 3ª parcelas, disponíveis para saques e transferências entre 29 de outubro e 19 de novembro;
  • 4ª e 5ª parcelas, disponíveis para saques e transferências entre 26 de novembro e 15 de dezembro;
  • 6ª, 7ª, 8ª e 9ª parcelas ainda não têm datas definidas.

Lote de reavaliados

Existem, ainda, os reavaliados, que são as pessoas inscritas, mas reavaliadas dentro das condições do governo e que tiveram o benefício suspenso, no mês de agosto, logo após receberem a 1ª parcela.

Com isso, faltam as posteriores parcelas até a quinta, que estarão liberadas para saques e transferências entre os dias 19 de setembro e 27 de outubro.

E, assim como as anteriores, as parcelas 6, 7,8 e 9 ainda não têm datas definidas para o pagamento.

 

Agora que já explicamos tudo sobre a prorrogação do auxílio emergencial, deixamos o canal aberto para você: caso tenha alguma dúvida ou queira compartilhar suas experiências sobre o assunto, deixe-nos um comentário, no campo abaixo!