programa de indicação

Quais os desafios e falhas de um Programa de Indicação?

Encontrar e reter talentos diferenciados é um dos principais desafios de qualquer profissional de Recursos Humanos (RH), por isso conhecer diferentes possibilidades para realizar os processos de recrutamento e seleção é essencial. 

Uma das alternativas metodológicas que vem ganhando popularidade expressiva nesses processos é o Programa de Indicação. Bastante usado no passado, essa metodologia ganhou novas características de aplicação e vem ajudando recrutadores a identificar muito mais do que excelentes candidatos, mas profissionais compatíveis com a organização.    

Embora o Programa de Indicação seja um facilitador significativo, algumas falhas operacionais comuns podem comprometer a qualidade da seleção. Os erros mais comuns são:

  • pular etapas;
  • omitir dados;
  • priorizar a agilidade;
  • ignorar os dados;
  • negligenciar critérios de indicação;
  • oferecer premiação inadequada.

Se você quiser conhecer as principais tendências de recrutamento para 2020, recomendamos a leitura deste artigo aqui.

Agora, para entender o que é o Programa de Indicação, como ele funciona e quais os principais empecilhos que impedem uma implementação eficiente dessa metodologia, continue acompanha este post. Separamos todas as informações sobre o programa para te ajudar a aplicá-lo sem erros. Boa leitura!

O que é um Programa de Indicação de talentos?

Grosso modo, Programa de Indicação é um método de recrutamento que utiliza indicações de profissionais dos próprios colaboradores para preencher vagas abertas nas empresas e, desta forma, estruturar uma espécie especial de banco de currículos.

Se até pouco tempo atrás a palavra indicação permitia uma interpretação de viés duvidoso, remetendo a práticas em que o nome do padrinho tinha mais relevância do que o talento do candidato apadrinhado, hoje, essa leitura já não é mais válida.

O programa é usado como uma estratégia para acessar com mais facilidade profissionais qualificados, já que eles, supostamente, passaram por um filtro de qualidade anterior. 

A indicação é uma prática que coloca a própria reputação em jogo, ou seja, um colaborador bem cotado empresta a sua credibilidade para o candidato indicado, potencializando a imagem do profissional para disputar uma vaga de trabalho. Justamente por isso, esse processo é considerado um filtro de qualidade.  

Contudo, não há privilégios na seleção, questões como compatibilidade de valores, capacitação técnica, perfil individual, habilidades especiais, experiências profissionais, dentre outras, ainda são avaliados conforme a demanda da vaga em questão.

O Programa de Indicação reforça a importância de uma seleção imparcial e com objetivos bem definidos, para que assim, o profissional indicado e o colaborador que o indicou não sofram pressões devido à recomendação. 

Como funciona o Programa de Indicação?

Assim como dissemos, o Programa de Indicação é uma metodologia de recrutamento de novos talentos, por isso é um grande aliado dos profissionais de RH.

Neste caso, são os próprio funcionários que realizam a indicação de um profissional para uma vaga aberta na organização. Mantendo o cuidado da neutralidade, o RH recebe essa indicação e avalia a sua compatibilidade com os requisitos do cargo.

Para isso, o processo seletivo deve ser realizado de forma completa, sem pular etapas. Assim, uma base sólida e mais eficaz é estruturada para a contratação e um candidato realmente apto é escolhido para assumir a função.

Para que essas recomendações sejam interessantes e expressivas, o RH deve investir em divulgação e expor de forma clara as regras do programa, ainda mais se envolver benefícios para contratações qualificadas. 

Em outras palavras, informações como o peso e a responsabilidade de uma indicação, as características gerais da vaga, as funções do cargo, os requisitos técnicos exigidos, a verificação de interesse do candidato, a presença de um fit cultural, o prazo mínimo de atuação (para que o benefício seja oferecido), formas de avaliação de desempenho, o tipo de premiação, dentre outras, deverão ser esclarecidas antes do início do programa.

Desta forma, o colaborador pode reforçar ou repensar a sua recomendação antes de colocar a própria reputação em jogo. Aqui vale pontuar que quanto mais bem colocado estiver o colaborador, mais credibilidade terá a sua indicação

Vale ressaltar também que o programa deve estar alinhado às políticas internas e consolidadas da organização, caso contrário os resultados serão pouco promissores e o projeto cairá em desuso. 

Qual o papel dos colaboradores nesse tipo de recrutamento?

Embora façam indicações identificadas de potenciais candidatos, os colaboradores não podem ser cobrados ou responsabilizados pela eficiência de tais profissionais. Isso porque o funcionário dá sugestões para o preenchimento de uma vaga, mas a responsabilidade pela seleção e contratação é do RH, ou seja, da empresa. 

Essa questão da responsabilidade também deve ser esclarecida aos colaboradores, porque o receio pode impedi-los de participar do programa. Portanto, esclarecidas as informações, os recrutadores também devem incentivá-los a colaborar. 

Essa motivação não deve ser um cuidado estimulado somente durante o período ativo do processo, mas um valor alimentado de maneira contínua para engajar a força de trabalho a contribuir com o desenvolvimento da empresa – mesmo que de forma indireta neste caso -, fortalecer o senso de equipe e estruturar um novo banco de talentos.

Desta forma, o Programa de Indicação ganha mais eficiência e assertividade, e o colaborador se sente importante para a evolução do negócio e motivado a indicar bons profissionais.

Quais as vantagens do Programa de Indicação para a empresa?

Quem trabalha com recrutamento e seleção sabe que a disputa por talentos diferenciados está cada vez mais acirrada. Embora o volume de candidatos seja expressivo, encontrar profissionais que atendam a demanda do negócio está cada vez mais difícil. Por isso,  empresas que aderem ao Programa de Indicação saem na frente nessa busca.

Além de estar um passo à frente do mercado, a implementação dessa metodologia ainda traz algumas vantagens para o negócio. Confira a seguir algumas das principais.

Pré-seleção qualificada

Seguindo uma lógica simples, um profissional que realiza indicações, não quer manchar a sua imagem ou até a carreira em uma organização. Por isso, ele só vai se expor se realmente acreditar que a recomendação valha a pena.

Em outras palavras, o processo de seleção ganha um candidato que tenha real potencial para compor a vaga.

Tempo de fechamento da vaga

Com indicações, o processo de recrutamento ganha velocidade e todo processo seletivo pode ser finalizado em menos tempo. 

Segundo uma pesquisa do economista-chefe do Glassdoor, Andrew Chamberlain, um processo de recrutamento e seleção no Brasil leva em média 39 dias. De acordo com dados destrinchados de uma pesquisa do LinkedIn, leva 55 dias para contratar um candidato por meio de um site de recrutamento, 39 dias por meio de anúncios de vaga e 29 dias por meio de indicações. Portanto, a economia de tempo é significativa.

Além disso, vale pontuar que quanto mais tempo levar para encontrar o candidato apropriado, mais tempo a organização fica com uma lacuna operacional e mais tempo leva para otimizar o seu desenvolvimento.

Custo por contratação

Esta vantagem é uma consequência da otimização do tempo de fechamento da vaga. O Programa de Indicação também estende uma economia no custo por contratação, porque o período dedicado ao processo é reduzido.

Ou seja, os recrutadores são contratados por menos tempo ou a equipe de RH da empresa dedica menos tempo e recursos no processo, a equipe volta a atuar em atividades organizacionais mais cedo, investimentos em divulgação são minimizados, e assim por diante.

Retenção em alta

Outra vantagem do Programa de Indicação é a retenção do talento. Isso porque uma indicação é vista como um ganho para o profissional indicado, que, possivelmente, valorizará a oportunidade.

Desta forma, a possibilidade dele consolidar a carreira na organização é mais expressiva, e como o RH tem um conhecimento prévio sobre o seu perfil, preferências, histórico, dentre outros, a gestão de benefícios se torna mais assertiva, favorecendo a permanência do talento.

Como consequência dessa retenção, a produtividade do negócio ganha segurança e a estrutura operacional se mantém ativa.

Ambiente interno impulsionado

Por fim, a última vantagem do Programa de Indicação que vamos explorar aqui é a questão do clima organizacional. 

Quando uma contratação é feita por indicação, as chances do candidato ter um perfil compatível com o colaborador que o indicou são grandes. Por isso, a questão da afinidade é um diferencial significativo do processo, considerando os seus benefícios para o cenário macro.

Em outras palavras, as pessoas se desenvolvem muito melhor no trabalho quando têm um bom relacionamento interpessoal com os seus colegas, o clima organizacional é saudável e motivador e a comunicação é livre de ruídos. Portanto, o Programa de Indicação impulsiona a qualidade do ambiente interno da organização.

Quais os erros que impedem o sucesso do Programa de Indicação?

Como vimos até aqui, a implementação de um Programa de Indicação é interessante para otimizar o processo de recrutamento e seleção. Contudo, alguns empecilhos comuns podem comprometer a sua eficiência e prejudicar a contratação de talentos especiais.

Confira a seguir algumas das principais falhas que impedem o sucesso do Programa de Indicação. 

Pular etapas

Um dos principais erros que comprometem a eficiência do Programa de Indicação é não submeter o candidato indicado a todas as etapas do processo seletivo. 

São durante essas etapas que as reais habilidades do profissional são avaliadas e a compatibilidade com o perfil do negócio são avaliadas, por isso pular etapas é inadmissível.

Omitir dados

Outro problema sério é a omissão, intencional ou acidental e irresponsável, de informações sobre a vaga. Tudo o que diz respeito ao cargo deve ser destrinchado aos candidatos e colaboradores, que poderão efetivar uma indicação.

Requisitos técnicos, perfil comportamental, salário, benefícios, horários, cultura organizacional, expectativas, política de contratação, e assim por diante. Dessa forma, o RH evita desistência após a aprovação e o desperdício de recursos.

Priorizar a agilidade

O Programa de Indicação também pode ser prejudicado pela priorização da agilidade sobre a qualidade. 

Assim como dissemos anteriormente, processos de recrutamento e seleção podem levar meses para ser finalizado, e esse tempo está relacionado aos minuciosos critérios avaliativos que asseguram eficiência na escolha do profissional.

Contudo, mesmo diante de situações urgentes, ao priorizar a velocidade do processo, essa eficiência, certamente, será comprometida. O Programa de Indicação já é mais rápido do que outros processos tradicionais, acelerá-lo ainda mais é um erro.

Ignorar os dados

Outra falha nos processo de recrutamento e seleção que envolvem um Programa de Indicação é a negligências dos resultados. Ou seja, não mensurar dados para otimizar a contratação. 

Indicadores são ferramentas indispensáveis para qualquer área que deseje evoluir e alcançar resultados mais promissores. E não é diferente para a implementação do programa.

Portanto, os resultados das etapas devem ser avaliados, deficiências identificadas, pontos fracos corrigidos, e assim por diante.

Negligenciar critérios de indicação 

O Programa de Indicação também pode ser prejudicado pela falta de regras. Sem ter os critérios de indicação bem definidos, a qualidade da oferta de candidatos é comprometida.

Além disso, a questão da premiação pela recomendação assertiva também é influenciada, afetando a credibilidade do processo e a satisfação dos colaboradores envolvidos.

Oferecer premiação inadequada

Por fim, não oferecer uma premiação adequada a importância de uma indicação vantajosa é uma falha significativa. A motivação do colaborador em ajudar a organização a encontrar um profissional adequado, gostando ou não, está ligado a uma bonificação.

Portanto, estender uma premiação atrativa, que os estimule pela ambição e pelo prazer é indispensável para o sucesso do Programa de Indicação.

Quando bem implementada, essa metodologia pode trazer vantagens importantes à empresa e a força de trabalho, por isso o RH deve ficar atento. Isso não significa que os demais tipos de recrutamento devem ser descartados, muito pelo contrário, aprender a lógica do Programa de Indicação é apenas uma maneira de ter mais possibilidades e escolher com mais precisão a melhor opção para cada situação.

O programa vem se tornando um auxiliar estratégico para o RH. Com ele, os processos seletivos são mais direcionados e o sucesso na retenção e engajamento dos talentos é superior. 

Portanto, implementar um Programa de Indicação pode trazer vantagens competitivas para a empresa e otimizar os resultados de maneira expressiva. Evitando as possíveis falhas na gestão do processo, os resultados, certamente, serão positivos.

 

Gostou do artigo? Então, não esqueça de compartilhá-lo nas suas redes sociais com amigos que também possam gostar. Uma indicação como essa é vantagem certa!

 

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.