Fonte de longas discussões nos os últimos tempos, a reforma previdenciária é um assunto que traz para discussão outras pautas como a previdência privada para empresa. E é dela que vamos falar neste artigo. 

Com a proposta de possíveis ajustes na previdência social, o governo visa gerar mais economia e garantir que as finanças do país não passe por problemas futuros. 

Dentro desses ajustes, estão regras e leis as quais farão com que o processo de aposentadoria ocorra de forma mais rigorosa. 

Diante deste cenário de muita instabilidade, a preocupação com a aposentadoria passou a ser latente na vida de muitos brasileiros. Sendo assim, a previdência privada surge como uma possível solução.

Pensando nisso, muitas empresas têm investido no benefício da previdência privada como um atrativo para novos talentos e para gerar tranquilidade para os seus colaboradores. 

Confira, neste artigo, o que é a previdência privada para empresa e como ela pode gerar benefícios a curto e longo prazo para todos.   Boa Leitura!

O que é previdência privada empresarial ?

Esse é um modelo de previdência que funciona como um aporte dado pela empresa como benefício para seus colaboradores. 

A previdência privada para empresa também pode ser entendida como uma preocupação com o bem-estar financeiro dos seus colaboradores. Pois esse fundo acaba se tornando uma reserva a longo prazo que o funcionário poderá receber, de acordo com as regras definidas em contrato, e que você verá ao longo deste artigo. 

Como funciona a previdência privada para empresa ?

Este aporte financeiro pode ser feito por meio de uma contribuição conjunta, entre a empresa e o colaborador. Por exemplo: se o colaborador contribui com 5% do seu salário, a empresa contribui com o mesmo valor

É um benefício muito amplo e que pode ser trabalhado de várias formas. O valor investido pela empresa pode ser fixo, baseado em cargos ou em cima da contribuição do colaborador.

Outra forma de se contribuir pode ser a oferta de um plano coletivo feito pela empresa, onde, apenas o colaborador contribui, podendo resgatar esse valor quando sair da empresa ou levar o plano consigo. 

 

Como funciona o prazo para o recebimento do benefício?

A previdência privada para empresa têm um período variável de recebimento, que está diretamente ligado ao contrato feito pela empresa com o colaborador.

Geralmente, esse prazo é de 7 a 10 anos de tempo de trabalho do colaborador, sendo que ele poderá receber o benefício tanto em caso de rescisão de contrato quanto no pedido de dispensa.

Vale lembrar que essas são regras que podem variar de acordo com cada contrato. Por isso é importante entender com quais regras trabalhistas você está lidando.

Mas é válido ressaltar que, este é um ponto muito importante da previdência privada para empresa. Isso porque a empresa contratante pode criar uma espécie de plano que cresce na medida em que os colaboradores vão passando mais tempo na empresa. 

Criando um modelo que pode ser, por exemplo:

  • Colaboradores que possuem até 5 anos trabalhando na organização: em uma possível saída da empresa, podem retirar 100% do valor investido pelo mesmo, mais 50% do valor investido pela empresa;
  • Colaboradores que possuem entre 5 e 10 anos trabalhando na organização: em uma possível saída da empresa, podem retirar 100% do valor investido pelo mesmo, mais 75% do valor investido pela empresa;
  • Colaboradores que possuem acima de 10 anos trabalhando na organização: em uma possível saída podem retirar o total investido na sua previdência.

Os modelos de Previdência Privada para empresa variam de acordo com os objetivos da empresa e devem ser analisados com muito cuidado.

A empresa contratante do benefício ainda pode determinar tetos de contribuição na previdência dos seus colaboradores que estejam alinhados com a sua situação financeira.

Previdência privada para empresa: ofereça este benefício para os colaboradores

Quais as modalidades de previdência privada?

Existem dois modelos de investimento na previdência privada: o VGBL e o PGBL. Cada colaborador poderá escolher qual modalidade melhor se encaixa no seu perfil. 

Entretanto, saiba que a decisão é feita no início do contrato e não pode mudar no meio do caminho.

 

VGBL – Vida Gerador de Benefícios Livres

No Plano de Previdência Privada modelo VGBL, a pessoa acumula os seus investimentos e o seu dinheiro vai rendendo. Quando o cliente para de investir e vai retirar o seu dinheiro (investimentos + rendimentos), o Imposto de Renda incide apenas sobre os rendimentos.

Ou seja: se você tiver um plano VGBL e tiver investido R$100.000,00 e esse dinheiro tiver rendido mais R$50.000,00, na hora de fazer o resgate, o Imposto de Renda vai incidir apenas sobre os R$50.000,00, que foram os rendimentos.

 

PGBL – Plano Gerador de Benefícios Livres

No modelo PGBL, você também vai investindo o seu dinheiro e o valor vai rendendo. A diferença é que a base de cálculo de Imposto de Renda será sobre o total: investimentos + rendimentos.

Pegando o mesmo exemplo: se você tiver investido R$100.000,00 e esse dinheiro tiver rendido mais R$50.000,00 agora o Imposto de Renda incidirá sobre R$150.000,00( investimentos + rendimentos) e não somente sobre os rendimentos.

 

Então o VGBL é melhor que o PGBL?

Diante da explicação acima, aparentemente o VGBL é melhor que o PGBL. Claro, se a base de cálculo para Imposto de Renda será menor, incidindo só sobre os investimentos.

Mas calma, a diferença entre os dois modelos não é apenas na base de cálculo de Imposto de Renda. 

No modelo PGBL, o contribuinte tem a possibilidade de abater todas as suas contribuições em previdência no seu Imposto de Renda para Pessoa Física.

Antes de explicar como isso acontece, informo que todo mundo que tem uma renda acima de R$55.000,00 tem que pagar Imposto de Renda.

Agora vamos a um exemplo: você tem uma renda de R$100.000,00 e teria de pagar 27,5% de IR. Você pode utilizar os seus investimentos no modelo PGBL para ter um benefício fiscal e pagar menos. Para que isso seja possível, é necessário pagar a previdência social.

O PGBL pode ser então, uma boa escolha para aqueles que possuem uma receita elevada.

Enquanto que o VGBL é sempre vantajoso no momento do resgate. O PGBL pode ser vantajoso no momento do investimento.

Quais os benefícios da previdência privada para os funcionários?

Com a instabilidade econômica do país, e uma possível reforma prevista para os próximos anos, surge a preocupação de como o colaborador pode ter uma renda complementar. Já que a previdência social corresponde a um teto, limitando o seu recebimento no futuro ao valor de até R$5.839,45. 

Dessa forma, o colaborador que faz a adesão de uma plano de previdência privada empresarial poderá ter uma renda maior, e assim a garantia de uma estabilidade quando se aposentar

Para colaboradores que não tem o costume de economizar ou não possuem uma poupança ou fundo emergencial, esse modelo de previdência é uma ótima solução.

Fazendo um montante enquanto trabalha ele poderá contar com esse dinheiro para projetos futuros. 

 

Como é feita a contribuição mensal da previdência?

O valor a ser depositado mensalmente pelo colaborador poderá ser descontado direto na folha de pagamento e a sua dedução fiscal também é feita no mesmo mês. 

Outra forma de colaboração pode ser o depósito mensal, feito de forma voluntária pelo funcionário em acordo com a empresa. 

Quais as vantagens da previdência privada para as empresas?

As empresas que oferecem esse tipo de aporte para seus colaboradores tem como benefício a atração e retenção de talentos

Além disso, oferecer este tipo de benefício melhora a satisfação dos colaboradores e desta forma a sua produtividade poderá aumentar.

Só pra se ter uma ideia, segundo a Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (Fenaprevi) no ano passado, 26% dos planos de previdência realizados no Brasil, foram feitos pelas empresas para seus funcionários

Assim, essa é uma prática que vem crescendo e se tornando um diferencial e um bom atrativo das empresas. Juntamente com os Planos de saúde e Seguros. 

A previdência privada para empresa é obrigatória?

Não, esse sistema é realizado de forma facultativa pelas empresas. Correspondendo ao regime geral da Previdência Social, previsto no artigo 202 da Constituição Federal, nas Leis Complementares nº 108 e nº 109, de 2001, e em normativos específicos. 

Sendo assim, é opcional oferecer este benefício para os colaboradores. 

Como contratar um plano de previdência privada para empresa?

As empresas que oferecem o benefício da previdência privada ainda podem escolher o tipo de previdência que desejam contratar. Elas podem ser abertas ou fechadas. Confira melhor logo abaixo:

 

Plano de Previdência Fechada

Nesse modelo, a empresa poderá criar um fundo de pensão multipatrocinado, onde a contribuição poderá acontecer de forma colaborativa com a contribuição do funcionário e a patronal. 

Outra opção do modelo aberto é a criação de uma entidade fechada de previdência complementar (EFPC) própria. Desta forma, a própria empresa cria os termos e regras de colaboração e recebimento. 

Geralmente este é um sistema muito utilizado por empresas grandes e contam com um maior investimento para ser instaurada em uma organização. 

 

Plano de Previdência Aberto

Esse tipo de previdência privada para empresa é o mais utilizado. Ele pode ser feito por meio de uma corretora de seguros, onde serão analisadas as características e o perfil da empresa,. Além da instituição financeira onde serão aberta às contas. Dessa forma, a empresa estará escolhendo a melhor opções de previdência. 

 

Oferecer bons benefícios aos seus colaboradores é cuidar da saúde do seu negócio. Colaboradores satisfeitos e engajados são mais produtivos e ajudam as empresas de maneira mais efetiva, para que estas alcancem seus objetivos!

Quer saber mais sobre as possibilidades de benefícios corporativos que a sua empresa pode oferecer? Clique aqui e confira um artigo com todas as melhores opções de benefícios para funcionários do mercado!