A tecnologia nos aproximou, encurtou distâncias e permitiu que pudéssemos ser mais produtivos a qualquer hora do dia, de qualquer lugar. No entanto, a empresa deve reforçar o interesse em manter seus colaboradores equilibrados entre as horas de trabalho e lazer, sendo necessário a implementação de uma política de e-mail após o expediente.

 

Muitas pessoas estão adotando a cautela em dialogar sobre o envio de e-mails após o expediente, já que as tecnologias facilitam que estejamos conectados o dia inteiro, de qualquer lugar.

Só que, paralelamente a isso, percorrem duas situações: a necessidade criada para que estejamos sempre disponíveis, e o impacto disso no bem-estar e na qualidade de vida das pessoas.

Por isso, a política de e-mail após o expediente tem sido tão discutida, recentemente. E, para que você embarque nessa discussão e consiga avaliar as melhores escolhas para o crescimento da sua empresa, cuidando sempre dos seus recursos humanos, preparamos este post.

Confira, e descubra conosco como a política de e-mail após o expediente pode funcionar na sua empresa!

As pessoas são viciadas em tecnologia?

Em geral, somos dependentes delas. Seja no celular, que nos acompanha ao longo do dia, ou na realização de tarefas, temos uma relação cada vez mais íntima com a tecnologia.

É claro que, no ambiente de trabalho, essa proporção pode se desequilibrar a ponto de interferir na qualidade de vida das pessoas — e até mesmo na sua produtividade.

Soma-se a isso a rotina debilitante, em muitas profissões, que fazem as pessoas interagirem com as tecnologias antes, durante e após o trabalho. O que inclui a necessidade de uma boa política de e-mail após o expediente.

>> Uma das propostas do bem-estar no trabalho é promover a qualidade de vida na empresa! Para isso, criamos um e-Book recheado de dicas para criar um programa de qualidade de vida na sua empresa. Clique aqui e acesse agora mesmo!

Por que adotar uma política de e-mail após o expediente?

Existem ótimas razões pelas quais a sua empresa pode considerar a restrição de e-mails enviados após o expediente.

Por exemplo: legalmente, o funcionário pode alegar que está exercendo as suas atividades fora do horário — ou complementarmente, sem a devida remuneração. Só que, de maneira mais objetiva, convenhamos que o bem-estar dos profissionais pode estar em primeiro lugar.

A questão que tende a tornar essa implementação mais desafiadora é que dificulta o processo. As próprias pessoas já carregam o hábito de checar os e-mails, fora do ambiente de trabalho. E a busca por um trabalho melhor, mais qualitativo, também faz as pessoas se esforçarem mais do que o necessário ou previsto.

Dessa maneira, convém que o seu RH avalie algumas questões antes de aplicar a política de e-mail após o expediente, como:

  • essa política está de acordo com a cultura e a rotina da sua empresa? Afinal, muitas organizações lidam com parceiros, clientes e fornecedores internacionais, sendo necessária essa interação fora do horário nacional;
  • algum funcionário deve estar isento dessa política de e-mail após o expediente? A situação acima ajuda a reforçar isso. Do contrário, ela pode gerar mais estresse do que sanar os problemas;
  • identifique o que essas atividades significam para a rotina de trabalho. São horas extras? Remuneradas? Monitoradas? A compensação deve ser considerada, já que a atividade exercida diz respeito ao trabalho.

No entanto, essas questões, quando solucionadas, pode valorizar a rápida implementação de uma boa política de e-mail após o expediente — bem como os seus benefícios.

Quais são os benefícios em restringir o horário de envio de e-mails?

No geral, ao restringir o e-mail fora do horário de trabalho pode aumentar a produtividade. Sem falar na qualidade de vida potencializada, já que os colaboradores só vão lidar com as questões corporativas no ambiente propício para isso.

Além de servir como um alívio de pressões causadas pelo empregador, mostra o quanto a gestão valoriza o tempo da pessoa fora da empresa. Como resultado, as pessoas se tornam mais felizes com seu trabalho e relatam um melhor equilíbrio entre a vida pessoal e profissional.

 

E os clientes?

Mensagens internas e externas são enviadas com o e-mail. E isso inclui a relação já citada, acima, com os fornecedores, parceiros e, claro, os clientes.

Especialmente, os setores que lidam com a relação direta com eles para atender a sugestões, dúvidas, críticas e elogios.

Nessas situações, a sua política de e-mail após o expediente também deve considerar esse processo. Aí, a mensagem deve atingir diretamente esse público externo, informando-os claramente o que eles podem esperar a respeito do seu atendimento.

Ou seja: como parte de sua política de e-mail após o expediente, o cliente deve saber que ele talvez não receba uma resposta imediata. É importante, então, que a gestão e o RH apoiem os seus profissionais quanto a essa decisão, já que cria-se, sim, certos atritos com os clientes e parceiros menos pacientes.

 

E como isso funciona na sua empresa? Acredita que a política de e-mail após o expediente possa ser aplicada sem restrições, ou existem elementos que tornam essa prática mais desafiadora? Compartilhe conosco as suas experiências deixando um comentário, no campo abaixo!