plano de sucessão

Descubra como criar um plano de sucessão na empresa

A saída de um colaborador seja por aposentadoria, desligamento ou até mesmo o remanejamento de função, pode ser um tanto traumática se a empresa não se planejar. 

Se um colaborador-chave deixa sua função, é imprescindível que seja feita uma reposição rápida para que isso não impacte na produtividade da equipe e nos resultados.

Diante disso, é fundamental que as empresas tenham na sua rotina um plano de sucessão. Essa estratégia, voltada para os interesses da organização, tem por objetivo ser uma carta na manga para manter a equipe funcionando independentemente de uma saída.

Ou seja, o plano de sucessão é um resguardo para que a empresa tenha um possível substituto para quando algum profissional sair.

Quer saber qual a real importância de ter esse tipo de organização dentro da empresa? Neste artigo vamos mostrar como funciona o plano de sucessão e listar algumas etapas para montá-lo.

O que é plano de sucessão

O plano de sucessão é uma estratégia previamente planejada para a empresa que visa formar profissionais capacitados para suprir a saída de algum colaborador futuramente.

Ele é direcionado, principalmente, aos interesses da empresa e normalmente gira em torno de vagas em posições estratégicas. Pode ser descrito também como um processo de continuidade e manutenção dos trabalhos.

Além disso, o plano de sucessão possibilita à empresa um nível de aproveitamento maior em relação aos seus talentos

Já que a todo momento os gestores e o Recursos Humanos estarão levando em conta as competências e habilidades dos colaboradores para montar esse “banco” de talentos.   

Objetivos do plano de sucessão

O plano de sucessão tem como objetivo principal ser uma ferramenta estratégica que funciona no apoio a um momento de transição pelo qual a empresa esteja passando.

Podemos destacar entre os principais objetivos do plano de sucessão:

  • Mapeamento de talentos da empresa;
  • Criação de uma lista com possíveis nomes de sucessores de cargos de liderança;
  • Conhecimento aprofundado das funções com o detalhamento de cargos;
  • Desenvolvimento de estratégias que garantam a continuidade da empresa mesmo diante de uma saída;
  • Alinhamento dos objetivos da organização com os dos colaboradores.

Traçando esses objetivos corretamente, o plano de sucessão tende a permitir uma ação mais clara sobre os rumos da empresa em relação a possíveis transições de comando. Desta fora, a empresa evita possíveis desgastes numa troca e potencializa as chances de sucesso.

Como fazer um plano de sucessão

Conhecendo o que é o plano de sucessão e seus principais objetivos na empresa, criamos um passo a passo para você colocá-lo em prática dentro da sua organização. Confira! 

 

1. Identifique os talentos e profissionais que se destacam na empresa

Identificar talentos dentro da organização é essencial para que o plano de sucessão seja de fato eficiente. Mas de que forma é possível fazer essa seleção?

Em primeiro lugar é necessário que os gestores realizem constantes avaliações do trabalho que vem sendo executado por cada um dos colaboradores. Nesse passo, os feedbacks podem ajudar a medir o desempenho de cada um.

E não só isso, ela é importante também para traçar um perfil profissional de cada colaborador. Assim você consegue saber quem tem as características ideais para assumir uma posição de liderança.

 

2. Mapeie os objetivos da empresa a longo prazo

Um plano de sucessão exige principalmente organização e planejamento a longo prazo. Um erro que muitas empresas cometem é o de deixar tudo para última hora, onde precisam tomar decisões no calor de momento.

Esse pode ser um erro grave para alcançar um plano de sucessão eficiente. Identificar talentos exige um mapeamento árduo e qualquer erro de decisão pode queimar um profissional e afetar os resultados.

Portanto, avalie sempre a atuação dos seus colaboradores e o desempenho de cada um deles. Faça anotações sobre os candidatos ideais para cada vaga e cruze essas habilidades com os objetivos da empresa.

Assim, quando uma saída ocorrer, o futuro profissional estará mais preparado para dar continuidade ao que vem sendo feito sem trazer maiores problemas para a organização.

 

3. Detalhe as funções de cada cargo

O detalhamento das funções é um dos passos iniciais para que o plano de sucessão seja efetivo. Isso porque quando há um detalhamento de cada cargo, a empresa sabe exatamente quem pode assumir aquela posição.

É fundamental que a diretoria trabalhe lado a lado com o RH para mapear todos os cargos de liderança da empresa, traçando as competências, habilidades e características pessoais e profissionais necessárias para assumir determinadas funções. 

Isso faz com que a empresa consiga alinhar suas expectativas com a dos colaboradores e identifique as lacunas que podem ser preenchidas de maneira assertiva.

Por isso, para contribuir de vez com seu plano de sucessão, seja o mais claro, objetivo e sucinto com o detalhamento das funções. Assim, você não terá mais dúvidas no momento de realocar um colaborador para determinado cargo.

 

4. Desenvolva “testes” para avaliar o senso de liderança

É possível também fazer testes com esses colaboradores pré-selecionados em sua avaliação interna.

Isso pode ser feito na prática, onde o gestor pode repassar algumas tarefas de sua responsabilidade para esse profissional executar. Ou ainda a empresa pode testar esse colaborador na linha de frente deste cargo quando o líder ou gestor entrar de férias.

Assim, a organização pode avaliar concretamente se aquele profissional possui o perfil de liderança desejado para assumir a função determinada no plano de sucessão.

O plano de sucessão contribui com a continuidade

O plano de sucessão se tornou essencial diante de um mercado que se vê em constante mudança e com alta taxa de transição de funcionários. Com ele, é possível evitar a perda de produtividade e de resultados.

A saída de um colaborador, dessa forma, pode ser menos traumática já que com o plano de sucessão proporciona uma continuidade das tarefas de forma planejada e organizada.

Além disso, o plano de sucessão contribui também para que a empresa trace as funções de cada cargo de forma mais detalhada. Sem contar que ajuda na identificação de talentos e consequentemente em estratégias de retenção.

Sendo assim, mesmo que um colaborador-chave seja desligado, com o plano de sucessão a empresa consegue preencher esse espaço deixado de maneira mais rápida e assertiva.

Sua empresa possui um plano de sucessão? Deixe um comentário e conte para nós.

 

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.