plano de ação para diminuir turnover

Como traçar um plano de ação para diminuir turnover?

A elevada rotatividade de funcionários, em uma empresa, é altamente prejudicial para o seu desenvolvimento. Assim, é importante ter desenhado um plano de ação para diminuir turnover, que é o equivalente a essa taxa.

Para muitas empresas, no entanto, falta justamente esse planejamento eficiente, com base no diagnóstico dos problemas que mais afetam a retenção dos seus talentos.

E é por isso que, ao longo deste post, nós vamos destacar o quanto a rotatividade descontrolada interfere na produtividade e lucros da empresa, além de evidenciar os motivos para isso e, claro, apresentar um plano de ação para diminuir turnover.

Boa leitura!

O que é o turnover?

Resumidamente, trata-se da proporção entre as contratações e demissões que uma empresa testemunha, internamente, em determinado período.

Tenha em mente, em primeiro lugar, que contratações e desligamentos são necessários para qualquer empresa. A questão evolui para um problema quando essa desproporção foge do controle do RH e da gestão.

Não à toa, existe um cálculo de turnover que permite às organizações diagnosticarem esse possível aumento. Para efeito comparativo: especialistas apontam que esse índice deve girar em torno de 4 a 5%.

>> A Xerpa criou um livro digital que aborda tudo sobre o turnover e quais as principais ações para reduzi-lo! Basta você clicar aqui e você irá acessá-lo agora mesmo ????

Quais são as principais causas do turnover?

Antes de desenvolver um plano de ação para diminuir turnover, a empresa deve entender quais são as principais causas que motivam as demissões.

Do contrário, as soluções são pensadas de maneira genérica, não impactando a raiz do problema. Confira, abaixo, as principais causas para o turnover elevado:

 

Causas controláveis

Em geral, são situações que o RH ou mesmo os líderes conseguem contornar com facilidade, como:

  • baixa remuneração;
  • pressão exagerada por resultados;
  • baixo treinamento ou ausência do mesmo;
  • problemas de relacionamento;
  • má gestão;
  • baixa valorização dos colaboradores.

 

Causas semi-incontroláveis

Aqui, muitos problemas são ocasionados em decorrência de ações e pensamentos dos próprios colaboradores, como:

 

Causas incontroláveis

São aquelas que fogem ao controle de todos os envolvidos. Por exemplo: casos de óbito de alguém da equipe ou doenças graves, que culminam no afastamento do funcionário.

 

Causas externas

Toda situação em que o colaborador é levado a se demitir por algum tipo de oferta de emprego, o que agrega uma perda do seu talento para a concorrência.

 

Porém, não esqueça de calcular corretamente a taxa para analisá-la e propor alternativas. Entendemos que a rotina do RH é cheia de processos e contratempos. Por isso elaboramos uma planilha que calcula o turnover. É bem simples de usá-la. Basta colocar algumas informações e a mágica acontece! Responda o formulário e você  irá recebê-la agora mesmo. Ah, você pode baixá-la e compartilhar com outros profissionais ????

Quais são as consequências do turnover elevado?

É bom entender que, sem um plano de ação para diminuir turnover, a empresa está fadada a uma série de custos (primários, secundários e terciários) e outras consequências negativas.

Com relação aos prejuízos, podemos citar os seguintes:

  • custos primários: todo tipo de encargo relacionado à demissão de um profissional;
  • custos secundários: queda de produtividade decorrente das baixas nas equipes e o acúmulo de função dos demais;
  • custos terciários: queda na qualidade do nível de excelência à medida que novos colaboradores são treinados para assumirem as funções abandonadas.

Só que isso não é tudo. Essa queda na lucratividade da empresa é um efeito imediato e que se sente em curto e médio prazo se os problemas não são resolvidos.

Acontece que, internamente, o turnover também se revela um mal-estar generalizado e que se manifesta de diferentes maneiras, como:

  • redução do seu capital intelectual, já que os talentos internos levam, consigo, toda a bagagem profissional adquirida na empresa;
  • a já citada perda de talentos para os seus concorrentes;
  • sobrecarga de trabalho, o que leva a um clima organizacional tóxico e eleva o estresse das equipes;
  • conflitos internos;
  • absenteísmo elevado;
  • reputação prejudicada com a quantidade elevada de demissões;
  • perda de valor agregado da marca, reduzindo o interesse de talentos disponíveis no mercado.

Portanto, ter um plano de ação para diminuir turnover é determinante para qualquer empresa — independentemente do seu porte ou setor de atuação.

E é justamente esse trabalho que vamos explorar ao longo do próximo tópico!

Como traçar um plano de ação para diminuir turnover?

Como vimos, acima, o método mais eficaz para a redução do turnover consiste em:

  • monitorar constantemente a taxa de rotatividade da empresa;
  • identificar as eventuais causas para o aumento do turnover;
  • verificar as soluções imediatas para cada caso;
  • ter, previamente planejado e mapeado, o melhor tipo de solução para reduzir o índice de rotatividade.

Não adianta começar pela solução, portanto, se o RH e a própria gestão desconhece os motivos pelos quais as demissões estão acontecendo de maneira desenfreada.

Por isso, destacamos, a seguir, algumas estratégias que costumam fazer parte de um plano de ação para diminuir turnover. Confira-as:

 

Qualifique o seu processo seletivo

Quer reduzir a desmotivação e as demissões ocasionadas por profissionais pouco compromissados ou alinhados com os valores da empresa? Então, comece pelo processo de recrutamento e seleção.

Afinal, é por meio dele que chegam os colaboradores pouco alinhados à cultura organizacional da marca e, com o tempo, perdem o interesse em crescer profissionalmente na empresa.

 

Desenvolva um plano de carreira

A desmotivação causada pela falta de perspectiva profissional pode ser simplesmente dissolvida com a elaboração de um plano de carreira.

Para tanto, cabe ao RH o mapeamento do perfil profissional para cada cargo e um desenho de todas a hierarquia profissional.

Assim, com base nas avaliações de desempenho, os profissionais sabem o quanto devem evoluir para, então, ascenderem na empresa e construírem uma carreira de sucesso!

 

Invista em treinamento

Parte elementar de um plano de ação para diminuir turnover, o treinamento é uma maneira valiosa de capacitar, motivar, engajar e desenvolver as suas equipes.

Afinal de contas, cada treinamento promove um conhecimento que precisa ser lapidado e, consequentemente, vai agregar mais valor ao fluxo de trabalho corporativo.

 

Ofereça benefícios

Benefícios podem ser divididos em duas categorias: aqueles recebidos junto com a folha de pagamento e outros que complementam a rotina de trabalho e geram mais satisfação coletiva.

Pense, primeiramente, em criar um plano de benefícios flexível e que atenda à demanda do perfil médio dos colaboradores.

Com base nisso, é possível minimizar as insatisfações dos colaboradores.

Mas, para complementar, a empresa pode considerar algumas ações motivacionais, como:

Isso tudo, somado a uma cultura de aprendizado e colaboração, tem tudo para aumentar a reputação da empresa e, consequentemente, ser parte inerente do seu plano de ação para diminuir turnover.

Afinal de contas, quanto maior for o pensamento da empresa em cuidar da qualidade de vida dos seus recursos humanos, menos problemas internos vão surgir, de maneira imprevista, prejudicando o ambiente de trabalho.

 

Quer saber, agora, outras dicas para complementar tudo o que vimos, aqui, sobre a elaboração de um plano de ação para diminuir turnover?

Então, curta a nossa página no Facebook e siga-nos no Instagram, Twitter e LinkedIn para não perder mais nenhuma de nossas novidades!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.