Imagine o planejamento financeiro empresarial como um mapa do tesouro: por meio dele, a sua organização orienta-se passo a passo para a realização de pequenas metas para que um objetivo maior seja alcançado. E, para tanto, a saúde financeira do empreendimento é constantemente valorizada, para que os investimentos sejam precisos e assertivos.

 

Todo gestor deveria contar com um planejamento financeiro empresarial completo. Afinal de contas, ele faz parte do plano de negócios da organização, norteando-a para a conquista dos seus objetivos.

Imagine que, sem esse tipo de planejamento, você não tem os dados necessários para uma tomada de decisão rápida e assertiva — o que implica nas escolhas baseadas em palpites, não em certezas.

Quer ver como o planejamento financeiro empresarial tem tudo para impactar a sua organização já em curto prazo? Basta seguir com a leitura deste post, em que selecionamos também 5 dicas para fazê-lo com eficiência!

O conceito de planejamento financeiro empresarial

Quem já brincou de cabra-cega pode até se divertir em encontrar o seu objetivo às escuras, mas nenhum empreendimento deve ser regido dessa maneira. E, com o planejamento financeiro empresarial, podemos dizer que os seus colaboradores “tiram a venda” para almejar as conquistas corporativas estipuladas.

E o que isso significa? Que, tendo em vista a manutenção e aprimoramento da saúde financeira da organização, é feito um mapeamento completo de despesas, receitas e dívidas presentes no dia a dia.

Dessa maneira, as projeções futuras se tornam mais claras. Nada de apostas, palpites ou intuições: com tudo devidamente registrado, poucas surpresas vêm ao encontro dos seus objetivos — sejam eles de curto, médio ou longo prazo.

Os benefícios que a sua empresa acumula ao realizá-lo

A assertividade é um dos grandes ganhos que a sua organização obtém por meio do planejamento financeiro. Bom destacar, entretanto, que não é o único aspecto a ser valorizado. Afinal, a sua instauração no dia a dia corporativo ainda oferece:

  • melhor controle financeiro, permitindo ao setor financeiro e à contabilidade mais segurança e agilidade na tomada de decisão;
  • facilidade para a composição e elaboração de investimentos na hora certa. Sem que, com isso o desempenho e a saúde financeira da organização sejam prejudicados;
  • redução de gastos a partir do diagnóstico de despesas que mais são desperdícios do que necessárias.

Para o aspecto organizacional e de desenvolvimento dos seus recursos humanos, imagine que o planejamento financeiro empresarial pode direcionar, todos os meses, uma renda extra para o treinamento e capacitação deles. 

Ou seja: com a redução de gastos, você ainda pode promover a produtividade e as características elementares para a retenção de talentos.

As 5 dicas para montar um planejamento financeiro empresarial

Explorados o conceito e as vantagens em adotar esse modelo de organização e controle financeiro, hora de arregaçar as mangas e compreender, na prática, como aplicá-lo no dia a dia da sua empresa! Confira!

 

1. Analise a situação e o momento da empresa

O seu planejamento tem que ter como princípio o histórico e o momento em que a sua empresa se encontra. Assim, é possível responder a algumas questões, como:

  • Qual é a posição da empresa, atualmente?
  • Quais são os seus desafios e obstáculos financeiros?
  • Quais iniciativas são recomendadas para resolver esses problemas?
  • Qual é a capacidade de investimento da empresa — em curto, médio e longo prazos?

São informações cruciais, como você deve imaginar, porque escancaram tudo o que a sua equipe precisa saber para um planejamento mais assertivo e imune a imprevistos.

 

2. Reúna os dados em um só lugar

Você usa planilhas ou softwares de gestão para analisar os indicadores da sua empresa? Embora a segunda opção possa ajudar, potencialmente, nesse processo, é importante que você tenha todos os dados reunidos em um lugar para facilitar a visualização — macro e micro — da saúde financeira da organização.

Vale destacar o quanto esse tipo de atividade permite uma noção mais esclarecedora a respeito do fluxo de caixa, das entradas e saídas ou mesmo das dívidas acumuladas. E assim, o planejamento financeiro empresarial se revela como um aliado da organização completa da empresa.

 

3. Direcione o orçamento para todo o fluxo de trabalho

Agora é uma hora perfeita para avaliar o orçamento que você tem para todas as atividades da empresa, como:

  • custos fixos;
  • custos variáveis (este, e o item acima, com base no histórico da empresa);
  • necessidade de investimentos;
  • montante suficiente para manter o fluxo de caixa;
  • possibilidades de investimento.

Isso tudo permite que o financeiro não seja pego desprevenido diante de alguma situação emergencial, tenha planos esclarecidos em curto, médio e longo prazo e evite os investimentos às cegas.

Até por isso, o orçamento tem que estar profundamente alinhado com algumas metas bem definidas. Por meio delas, inclusive, é possível valorizar o uso consciente dos recursos. 

Um bom exemplo disso é a redução de custos fixos, a prioridade na quitação de empréstimos com taxas de juros mais elevadas, a busca por novos contratos com fornecedores ou mesmo a captação de novos aportes financeiros, entre outras metas.

Isso tudo influencia diretamente no orçamento que a empresa vai ter em diferentes períodos. Assim, vale a pena ter todo o mapeamento para elencar prioridades, emergências e necessidades secundárias.

 

4. Simule cenários

Importante ter, sob perspectiva, os diferentes cenários que podem se desenrolar através da busca pelas metas estipuladas. Isso vale tanto para os desfechos positivos quanto negativos, facilitando a tomada de decisão diante de qualquer situação que possa ocorrer na empresa.

 

5. Mãos à obra

Com todo o seu planejamento financeiro empresarial definido, que tal colocar em prática a busca pelos seus objetivos e metas?

Nessa etapa, tenha o plano de ação desenhado e execute-o. Além disso, é importante ter:

  • o mapeamento das ações com a simulação de cenários sempre à mão;
  • um cronograma realista da execução dessas ações, bem como os resultados;
  • um alinhamento profundo com todos os envolvidos, da equipe, e cientes de suas respectivas responsabilidades;
  • um profundo monitoramento das métricas associadas aos objetivos;
  • uma documentação rica de todas as ações, performances e resultados — essencial para futuras avaliações.

Por meio dessas dicas, você vai ter um planejamento financeiro empresarial completo! Basta, apenas, alinhar essas etapas à realidade do seu empreendimento e, assim, colher os frutos continuamente!

 

Mas, não limite-se a essas ideias inspiradoras. Que tal, agora, curtir a nossa página no Facebook e seguir-nos no Instagram, Twitter e LinkedIn? Lá, você fica sempre por dentro, e em primeira mão,de todas as dicas e novidades que preparamos especialmente para você!