papel do gestor de pessoas

Qual é o papel do gestor de pessoas nas organizações?

O papel do gestor de pessoas dentro das empresas se tornou essencial no mercado atual. Quem não investe nesses profissionais dificilmente consegue resultados satisfatórios na organização.

Isso porque são eles que se dedicam quase que exclusivamente na criação de estratégias que tem como foco o bem mais precioso da empresa – os colaboradores.

Uma busca incessante para “tornar as pessoas produtivas”, diria o autor Peter Drucker. Sempre na luta para encontrar alternativas que mantenham a alta produtividade da equipe. Impactando diretamente na retenção de talentos e na queda do turnover.

Mas quais as principais responsabilidades do gestor? Neste artigo falaremos sobre cada uma delas e mostraremos quais os impactos que elas têm no resultado diário da empresa. Confira!

As principais responsabilidade do gestor na empresa

Supervisionar, liderar, ser exemplo, ouvir o que o colaborador tem a dizer. O papel do gestor de pessoas tem várias diretrizes e cada uma delas se apresentam como desafios diários que o gestor precisa assumir.

Confira, logo abaixo, quais são as principais responsabilidades do gestor de pessoas:

  1. Cuidar da comunicação interna;
  2. Criar medidas de motivação;
  3. Estabelecer estratégias de atração e retenção de talentos;
  4. Mediar conflitos internos;
  5. Oferecer feedbacks contínuos;
  6. Ser uma ponte entre empregado e empregador.

Se o papel do gestor de pessoas é devidamente imposto em cada uma dessas responsabilidades a chance de sucesso na empresa é muito grande.

1. Cuidar da comunicação interna

A comunicação precisa ser o pilar da sua empresa. Quando ela está comprometida, toda a empresa sofre e o desempenho da equipe fica sempre abaixo das expectativas.

Isso porque as consequências de uma comunicação deficiente podem gerar retrabalhos, estresse, perda de tempo e desentendimentos profissionais. Contribuindo assim para um ambiente hostil e desorganizado na empresa.

Em contrapartida, quando há uma boa comunicação tudo flui da melhor forma possível.

Isso porque o papel do gestor de pessoas delimita estratégias, caminhos e métodos que dirigem a equipe exatamente aos objetivos, sem nenhum ruído de comunicação.

2. Criar medidas de motivação

O que motiva a sua equipe? Encontrar a resposta para essa pergunta pode resolver boa parte dos problemas das empresas. E é aí que entra o papel do gestor de pessoas, que precisa conhecer sua equipe e encontrar medidas de motivação para todos.

A motivação é sempre reconhecida como a chave para o sucesso das organizações. Trabalhadores motivados executam suas tarefas mais satisfeitos e com um alto índice de produtividade.

Mas quais medidas tomar? Existem várias questões que podem motivar a sua equipe, desde um ambiente harmonioso até um plano de carreira, valorização das conquistas, feedbacks individuais, treinamentos e etc.

Quando o colaborador se sente ponto importante da empresa, e, o papel do gestor de pessoas é fazer com que ele se sinta assim, a motivação aparece como consequência.

3. Estabelecer estratégias de atração e retenção de talentos

“Não é o dinheiro que importa. São as pessoas que você tem, e como você as lidera” (Steve Jobs).

Reter talentos não tem apenas a ver com bons benefícios financeiros oferecidos aos seus colaboradores, vai muito além disso. O segredo é encontrar o caminho para que o colaborador de fato se sinta em casa.

Ele precisa querer estar ali e nisso o papel do gestor de pessoas é essencial para encontrar a alternativa ideal para que isso aconteça. Esse é um dos grandes desafios das empresas no mercado atual, atrair e reter talentos.

Para que isso aconteça algumas medidas podem ser tomadas. Estratégias que vão desde a organização de cargos e salários, ambiente propício para o trabalho, investimento na carreira dos colaboradores e valorização profissional.

Todo o impacto positivo que sua empresa tem internamente, não só retém os talentos, mas os utiliza como mensageiros da qualidade organizacional da sua empresa. Podendo assim atrair novos colaboradores futuramente.

4. Mediar conflitos internos

Um desgaste desnecessário entre a equipe pode comprometer todos os resultados da empresa. Por isso o papel do gestor de pessoas é fundamental para mediar conflitos entre os colaboradores no ambiente organizacional.

Primeiramente é preciso que o gestor entenda que ele não é juiz. Apesar de sua influência e o papel muitas vezes de decisão sobre algum assunto é importante que ele se coloque à disposição para ouvir a todos e que no final a decisão seja de alguma forma coletiva.

Conflitos são comuns dentro das empresas, já que muitas vezes as pessoas têm opiniões distintas sobre vários assuntos. Entretanto, alguns gestores preferem evitar o confronto, achando que ele se resolverá por si próprio.

Esse é um erro grave, já que o gestor deve reconhecer sempre um conflito e não evitá-lo. Isso porque a resolução dele pode acabar com qualquer efeito nocivo aos resultados.

O papel do gestor de pessoas precisa ser de ética e justiça nesses casos de conflito. Sempre buscando uma resolução que seja benéfica para o trabalho e que impacte positivamente nos resultados, criando um ambiente mais saudável para todos.

5. Oferecer feedbacks contínuos

O feedback é um das principais responsabilidades e estratégias do gestor de pessoas.

É por meio dele que a empresa cria uma capacidade de formar equipes de alta performance. Isso porque com um feedback o gestor pode corrigir possíveis erros e potencializar as habilidades dos colaboradores.

Além disso, o feedback tem o poder de criar laços entre o gestor e a equipe. Além de ser ser um reforço para demonstrar a importância do trabalho do colaborador nos resultados. Nesse sentido há uma valorização profissional do gestor com os membros da sua equipe.

Portanto, o papel do gestor de pessoas também está interligado ao bom e contínuo feedback. Um feedback que é baseado na ética, respeito, justiça. Construindo sempre um debate sadio e com um plano de melhorias previamente organizando.

6. Ser uma ponte entre empregado e empregador

O papel do gestor de pessoas também está em criar um elo entre os direitos dos colaboradores com as possibilidades da empresa.

Por ser a pessoa que está mais perto dos profissionais diariamente, ele precisa assumir a responsabilidade de ser a pessoa de confiança da equipe.

E não só isso, ele deve ouvir os elogios, críticas e sugestões dos membros da sua equipe – tentando sempre repassar as opiniões aos seus superiores para manter um ambiente organizacional harmonioso e a equipe motivada.

Por isso se fala tanto na importância da comunicação interna no mercado atual. Até porque quando o gestor consegue criar esse elo dos objetivos do colaborador com os da empresa, o engajamento e a motivação aumentam gradativamente. E a consequência disso são resultados extremamente satisfatórios.

O papel do gestor de pessoas na conquista de resultados

O papel do gestor de pessoas dentro das empresas é crucial na conquista de resultados.

Por ser esse elo de ligação entre a empresa e os colaboradores, muitas vezes é o gestor que assume a responsabilidade de criar estratégias que engajem e motivem a equipe.

A relevância do profissional de gestão de pessoas inclusive é determinante para reter e atrair novos talentos na empresa, diminuindo a taxa de turnover.

Isso porque ele cria uma capacidade de valorizar o que tem em mãos, olhando além dos pontos fracos e buscando  sempre desenvolver as habilidades de seus colaboradores.

Com isso, há um aumento da produtividade e um impacto positivo nos resultados da empresa. Já que quanto mais o combustível da equipe for motivação, maiores as chances dela se dedicar e caminhar lado a lado com os objetivos da empresa.

Para você qual o papel do gestor de pessoas nas organizações? Comente abaixo e deixe a sua opinião sobre o tema.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.