Pagar à vista ou parcelar

Pagar à vista ou parcelar: qual é a melhor opção?

Parcelar compras é um hábito comum no Brasil. Segundo um levantamento feito pela Confederação Nacional Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), cerca de 83 milhões de brasileiros têm pelo menos uma despesa à prazo. Mas entre pagar à vista ou parcelar, qual é a melhor opção?

A escolha entre um ou outro depende de alguns fatores que devem ser levados em conta e analisados com cuidado. Para te ajudar, explicamos neste artigo tudo o que você precisa saber para tomar as melhores decisões para o seu bolso. Se interessou? Continue conosco!

O que são compras à vista e compras parceladas?

Se você ainda está começando a ter uma vida financeira ativa, talvez ainda não entenda com clareza os conceitos de compras à vista e parceladas.

Compras à vista são todas aquelas cujo valor total é pago no ato da compra, seja em dinheiro, no cartão de débito ou no de crédito. Muitos lojistas oferecem descontos nesta forma de pagamento, principalmente se for em dinheiro vivo, já que ele não terá que pagar taxas de utilização das maquininhas de cartões.

Além dos descontos, outra vantagem é poder resolver o débito na hora, sem comprometer seu orçamento para os próximos meses. Dessa forma, seu planejamento financeiro fica intacto e se torna mais consistente, permitindo que você use seu dinheiro com mais tranquilidade.

Já nas compras parceladas (ou à prazo), o valor total é dividido em partes iguais para serem pagas mês a mês, com apenas a primeira sendo dada no ato da compra. Quando você vê um anúncio oferecendo pagamento em “10 vezes sem juros”, é um estímulo da loja para compras parceladas.

Essa modalidade é ótima para quando você precisa de um item com urgência, mas não tem em mãos o valor integral naquele momento. Por outro lado, a maioria das compras à prazo têm juros que aumentam o valor final, sendo esta a principal desvantagem desse tipo de pagamento.

Além disso, muita gente cai na armadilha de acumular várias compras à prazo ao mesmo tempo, comprometendo boa parte do orçamento mensal com dívidas. Esse de hábito é péssimo para a saúde financeira e pode gerar problemas sérios no futuro, por isso o ideal é sempre planejar suas compras e não abusar dos parcelamentos.

O que levar em conta ao decidir entre pagar à vista ou parcelar?

Em geral, para quem tem o dinheiro em mãos, é melhor pagar à vista e aproveitar os descontos. No entanto, olhando com atenção, a escolha depende de muitos fatores, como os que veremos a seguir.

Valor da compra 

Observar o valor da compra é muito importante na hora de decidir se vai pagar à vista ou parcelar. Se for um item de valor muito alto, como um carro, imóvel ou passagem de avião, o pagamento à vista pode ser inviável. Nesses casos, é melhor fazer um parcelamento, desde que ele se encaixe no seu orçamento de forma confortável.

Porém, para compras menores, vale a pena aproveitar as vantagens do pagamento à vista. Caso não tenha o dinheiro em mãos na hora, compensa esperar alguns meses até levantar o valor necessário. Para alguns itens, como equipamentos eletrônicos, é possível que o preço esteja até melhor no futuro do que agora.

Taxa de juros

A taxa de juros é outro ponto de atenção na hora de escolher entre pagar à vista ou parcelar. Compras à vista não têm juros, por isso sempre compensam mais. Porém, caso precise parcelar, fique atento às taxas praticadas pela loja. O ideal é buscar parcelamentos sem juros, que oferecem mais tempo para pagar e não aumentam o valor final da compra.

Descontos

Como dito anteriormente, é muito comum que as lojas ofereçam descontos para pagamentos à vista. O benefício pode ser de 5% a 10% do valor total do produto, trazendo um ótimo custo-benefício para o consumidor.

Já os pagamentos a prazo funcionam ao contrário: costumam sair mais caros por causa dos juros.

Capacidade de pagamento

A sua capacidade de pagamento é um dos principais fatores que devem ser observados ao escolher pagar à vista ou parcelar. É preciso pensar em diversas variáveis, como:

  • você usaria toda a sua reserva financeira para comprar à vista?
  • o valor da parcela cabe no seu orçamento mensal?
  • por quanto tempo você pode se comprometer com essa dívida?

Fazer essa análise é fundamental para não assumir compromissos impossíveis de honrar, ou correr o risco de ficar sem dinheiro caso ocorra um imprevisto no futuro. Para isso, crie uma planilha de gastos e sempre consulte o seu orçamento antes de decidir à vista ou parcelar. Lembre-se que atrasos podem gerar mais juros e até a perda de posse do produto.

>> Buscando um passo a passo para montar a sua planilha de controle? Confira este outro post do blog: Planilha de Gastos: aprenda como usar <<

Em quais situações vale mais a pena pagar à vista ou parcelar?

Agora que você já sabe o que considerar ao escolher entre pagar à vista ou parcelar, que tal analisar alguns casos práticos? A seguir, você verá qual opção vale mais a pena em situações comuns do nosso dia a dia, como quando chega a fatura do cartão e ofertas com parcelamento sem juros, entre outras.

Tenho dinheiro guardado

Se você guardou uma parte do seu 13º ou tem o hábito de colocar parte do seu salário em uma reserva mensal, aproveite os benefícios de pagar à vista.

Como dito anteriormente, os descontos oferecidos costumam ser de  5% a 10%, taxa que supera o rendimento da poupança e faz com que a escolha valha a pena.

Vamos a um exemplo prático: você quer comprar um computador e, após pesquisar, optou por um modelo que custa R$ 3 mil

Se pagar à vista, terá 5% de desconto, chegando ao valor de R$ 2850 (R$ 150 a menos). Caso deixe esses R$ 3 mil na poupança por 12 meses, prazo máximo de parcelamento, terá R$ 3.063 ao fim do período (R$ 63 de rendimento a uma taxa de 2,1% ao ano).

Sendo assim, o valor do desconto é maior do que o rendimento que seria obtido se você deixasse esse dinheiro aplicado, fazendo com que a compra à vista seja a melhor alternativa.

Não tenho uma reserva financeira

A dica acima só se aplica para quem tiver uma reserva em um valor maior do que o que será gasto no pagamento à vista. Se, com a compra, você for ficar sem dinheiro guardado, é melhor parcelar.

Ter recursos para lidar com imprevistos é essencial para a sua saúde financeira, sobretudo em momentos de crise econômica. Assim, em caso de perda de emprego, problemas de saúde ou outros gastos não planejados, você estará coberto. Colocar isso em risco só para aproveitar o desconto de uma compra à vista não vale a pena.

Tenho dinheiro, mas investido

Nesse caso, é preciso observar o tipo de investimento antes de decidir entre pagar à vista ou parcelar. Se o dinheiro estiver aplicado em títulos com boa liquidez, como o Tesouro Selic, as regras são iguais às citadas nos tópicos anteriores: se não for esvaziar sua reserva e houver um desconto a partir de 0,5%, compre à vista.

Porém, se for um fundo de longo prazo, você pode perder dinheiro se fizer o saque antes da data estipulada. O resgate precoce de uma previdência privada, por exemplo, faz com que o Imposto de Renda aplicado seja maior, o que anula o benefício do desconto. Nesse caso, parcelar é a melhor escolha.

Estou inadimplente

Para quem está inadimplente, ou seja, já tem dívidas e não está conseguindo pagar, a decisão certa é nem comprar à vista nem parcelar. Este é o momento de refletir sobre os seus gastos, focar apenas nas suas necessidades básicas e buscar maneiras de quitar seus débitos.

Talvez você precisa fazer uma faxina financeira e se desfazer de bens que geram muitas despesas para o seu orçamento. 

Por exemplo: será que vale a pena manter o seu carro, com todas as prestações, manutenções e dinheiro gasto semanalmente com combustível? Vendê-lo é uma decisão difícil, é claro, mas pense que seria algo temporário até você se organizar financeiramente.

Não tenho dinheiro para pagar a fatura do cartão de crédito

Nesse caso, a regra de ouro é: nunca parcele a fatura do cartão de crédito. O ideal é se planejar financeiramente para conseguir pagá-la todo mês à vista, mas caso não seja possível, há outras formas de resolver a situação.

Os juros do crédito rotativo são altíssimos, chegando a mais de 200% ao ano, o que faz a conta aumentar exponencialmente a cada mês.

Se perceber que a dívida está muito além da sua capacidade no momento, solicite uma renegociação para conseguir mais prazo e parcelas com juros menores. Outra boa opção, se possível, é recorrer a um empréstimo consignado, trocando a dívida do cartão de crédito por outra com juros bem menores.

O preço é o mesmo ao pagar à vista ou parcelar

Quando o preço for igual, a dica é tentar um desconto para pagar à vista. Se não conseguir, e se o orçamento não estiver comprometido com outras parcelas, vale a pena parcelar, desde que não seja em mais de 12 vezes.

Bens de consumo duráveis, como eletrodomésticos, costumam ter preços altos, então o pagamento à prazo é uma boa forma de não se descapitalizar de uma só vez.

No entanto, a soma das suas compras parceladas no mês não pode ultrapassar os 20% da sua renda. Se for o caso, absorver mais dívidas começa a ficar perigoso, então é melhor pagar à vista, com ou sem o desconto, ou evitar fazer novas compras até honrar os compromissos antigos.

Preciso pagar o ITPU e o IPVA

Esses impostos de início de ano sempre geram a mesma dúvida nos brasileiros: afinal, pagar à vista ou parcelar?

Os descontos oferecidos para pagamento à vista são pequenos, mas ainda assim são maiores que o rendimento da poupança. Então, se você juntou dinheiro ao longo do ano para quitar esses impostos, a dica é pagar à vista e se livrar do compromisso mais cedo, pagando um pouco menos.

Porém, caso o pagamento integral vá complicar suas finanças, não há problemas em parcelar. O IPVA pode ser parcelado em até três vezes, enquanto o IPTU pode ser diluído em 10 mensalidades ao longo do ano. 

Com essas dicas, você já está preparado para fazer escolhas inteligentes entre pagar à vista ou parcelar. Lembre-se: o ponto principal é estar com as suas finanças organizadas e sob controle. Com isso, você consegue avaliar caso a caso e sempre tomar as melhores decisão para o seu bolso.

 

Gostou do post? Siga-nos nas redes sociais e recebe em primeira mão os nossos melhores conteúdos sobre finanças pessoais. Estamos no Facebook, Instagram, Twitter e LinkedIn.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.