orçamento base zero; obz

O que é orçamento base zero (OBZ) e como implementar?

Qualquer negócio que deseja obter sucesso precisa estar com o planejamento financeiro e estratégico em dia. Uma das ferramentas para reorganizar o setor de finanças é o chamado Orçamento base zero (OBZ).

 Lembrando que as finanças da companhia devem ser pensadas também de acordo com os objetivos que se deseja alcançar com as ações que foram idealizadas para o ano.

Ao definir o plano tático e operacional, no qual consta as metas da empresa e como as áreas pretendem alcançá-las, é preciso entender quanto de orçamento será necessário e quanto se pretende lucrar.

Leia nesse artigo algumas melhorias para o seu departamento de finanças colocar em prática e alcançar o sucesso com base no orçamento base zero (OBZ).

Conheça o orçamento base zero

Para construir um planejamento financeiro é necessário alinhar à estratégia que irá projetar as receitas, custos e despesas da companhia. Para isso, sempre é escolhido um período (pode ser anual ou semestral, por exemplo) para realizar o orçamento empresarial.

O processo parece bem simples: manter um planejamento estratégico e as finanças da empresa caminhando em conjunto. Porém, nem sempre as companhias conseguem manter esses dois passos importantes funcionando perfeitamente.

Nesse momento, uma das ferramentas mais eficientes para ajudar o setor de finanças é o orçamento base zero, também conhecido como OBZ. Trata-se de um método no qual a companhia desconsidera os períodos anteriores para realizar o planejamento financeiro atual.

No OBZ, cada área da empresa precisa detalhar e orçar de forma individual a previsão dos seus gastos para o período, planejando as despesas sem considerar o orçamento histórico. O principal objetivo do orçamento base zero é evitar desperdícios com custos desnecessários.

Qual a diferença entre o orçamento base zero e o tradicional?

Ao realizar o orçamento tradicional, a companhia leva em consideração que todos os custos e metas do último período serão novamente alcançados, tomando como base esse ponto de partida. Porém, esse fato pode não ocorrer de fato.

Quando isso acontece, o orçamento empresarial pode não ficar de acordo com a estratégia e atrapalhar os lucros do negócio. Por isso, de tempos em tempos, todas as organizações privadas deveriam realizar o orçamento base zero.

Ao zerar seu planejamento financeiro, é possível analisar com mais detalhes em quais atividades está sendo desperdiçado dinheiro e como fazer para melhorar. Com o que é economizado após o OBZ, é possível realizar investimentos estratégicos e apresentar melhores resultados.

Quais as vantagens do orçamento base zero (OBZ)?

Um dos motivos vantajosos de se utilizar o OBZ de tempos em tempos é a possibilidade de analisar detalhadamente as despesas desnecessárias da empresa. Com isso, torna-se viável descartá-las, poupando dinheiro da companhia e permitindo utilizar em outras demandas.

Cada área é responsável por apresentar os seus números e, desta forma, pode ocorrer uma possível identificação de o que está atrapalhando as finanças da companhia. Sendo assim, cada time pode rever sua estratégia para o próximo ciclo.

Por isso, o orçamento base zero costuma ser utilizado quando as empresas passam por um momento de reestruturação. Veja, não é necessário estar em uma crise financeira para utilizar a ferramenta, procure realizar esse processo antes de ter complicações nas finanças.

  • Aumento do envolvimento e motivação das equipes, que participam ativamente do processo de tomada de decisões;
  • Eliminação de processos desnecessários;
  • Maior clareza sobre os custos e despesas e necessárias e economia de recursos financeiros;
  • Possibilidade de utilizar melhor esses recursos.

Quais as desvantagens do OBZ?

Se por um lado, aumenta a percepção sobre a realidade do negócio, por outro o orçamento base zero é que demandará muito mais tempo dos gestores de cada setor. Ou seja, tempo que poderia ser dedicado à produção ou estratégia é dedicado para reorganizar a casa.

Isso é um desafio, pois exige uma maior dedicação de todos os colaboradores para a elaboração da nova estratégia financeira e, principalmente, da identificação dos gastos desnecessários.

Demandará também que haja uma transparência por parte dos gestores quanto aos seus custos e despesas e a real necessidade de cada uma delas para o período em questão.

Por esse motivo, pode haver desconforto em empresas com culturas muito enraizadas, que não costumam envolver os colaboradores nesses processos.

Além disso, em empresas de grande porte, pode ser bastante complicado realizar um orçamento base zero (OBZ) sem algumas ferramentas de gestão financeira. Isso porque cada setor compilará uma quantidade enorme de informações para realizar o OBZ.

Quando e como devo utilizar o orçamento base zero?

A escolha do período que o OBZ deve ser utilizado muda de acordo com a necessidade da empresa. Caso sua companhia organize-se anualmente, o ideal é realizar o orçamento base zero a cada dois ciclos e, se for semestral, a cada quatro. Porém, esse tempo é variável.

Existem três conceitos básicos para entender como funciona o orçamento base zero (OBZ): limiar, incrementos e torre.

Toda companhia possui o que chamamos de “cenário de sobrevivência”, ou seja, aqueles gastos com despesas básicas para o funcionamento do negócio. Entre eles estão: o custo para produção do produto/serviço e as atividades para manter as exigências legais do setor. Esse é o limiar.

Já os incrementos são orçados por cada gestor, que mapeia todas as atividades da sua área e todos os gastos que serão necessários para o funcionamento e gestão daquele departamento. Cada líder deve listar item por item dos recursos que precisa desde ferramenta até serviços.

O ponto principal do orçamento base zero (OBZ) é a torre. Com base no planejamento estratégico empresarial, é feita uma torre na qual serão classificadas as ações prioritárias. Funciona assim, quanto mais no topo da torre, mais prioridade possui determinada atividade.

Com essa ordem definida, é possível entender melhor em que o orçamento da companhia deve ser aplicado, suspendendo gastos com atividades e serviços supérfluos. Desta forma, organizando melhor as finanças para aumentar os lucros e investimentos.

Gostou desse conteúdo? Para entender ainda mais sobre orçamentos empresariais, acesse esse artigo no nosso blog e conheça 7 tipos diferentes.

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.