Perfil comportamental é uma ferramenta utilizada pelas empresas para identificar as forças e fraquezas de seus colaboradores. Com o uso de técnicas e metodologias, como o DISC, os gestores conseguem avaliar as reações de cada um dos profissionais diante, diante de inúmeras situações, minimizando os erros e potencializando os resultados. E para entender como funciona essa ferramenta preparamos os principais tópicos da metodologia DISC para você.

Esse artigo vai tratar sobre a importância do perfil comportamental no dia a dia das empresas, e de que forma essa análise do comportamento dos colaboradores pode influenciar de maneira mais eficaz nos processos de contratação, promoção e demissão. Atualmente são utilizadas inúmeras metodologias e uma delas chamada DISC é a que mais se destaca no mercado. Se você está buscando aumentar o desempenho dos seus funcionários, retendo talentos e diminuindo o turnover da sua equipe, esse artigo foi feito para você. Boa leitura!

 

Entendendo o Perfil Comportamental

Fazer uma análise de comportamento dos colaboradores pode minimizar os erros da empresa, em contratações e demissões, e potencializar os resultados. Um dos métodos mais utilizados atualmente é o DISC, criado na década de 20.

Estudar o comportamento e mensurar todas as forças e fraquezas do colaborador, esse é um dos grandes desafios dos gestores de pessoas dentro das empresas. Estudos sobre o perfil comportamental aparecem como um grande trunfo para delimitar as estratégias da equipe em cima do que o funcionário é bom e sabendo o que ele não faz tão bem.

Cada indivíduo é único e tem suas próprias particularidades e cabe a empresa identificar as habilidades de cada um de seus colaboradores para conseguir impactar nos resultados através do perfil comportamental.

Imagine uma equipe com três funcionários na mesma função, apesar de querer que todos sigam uma linha tênue por meio dos objetivos traçados, cada colaborador vai reagir de uma forma aos seus estímulos e exigências, e o emprego de um perfil comportamental na realidade da sua empresa, pode ser o diferencial para distinguir os comportamentos de forma rápida e efetiva.

E essa mudança de rumo através de um perfil comportamental traçado pode adequar seus colaboradores a função correta, a atividades que estejam dentro do que ele faz melhor. A consequência dessa estratégia de estudar o comportamento dos seus colaboradores faz com que eles trabalhem mais felizes e realizados.

 

O grande erro das empresas

Agir da mesma forma com todos os seus colabores é um erro que boa parte das empresas comete, já que não possuem um perfil comportamental dos seus colaboradores e acreditam que todos devem agir e reagir da mesma forma em cobranças e atividades a serem executadas.

Precisa estar claro para os gestores que não existe um perfil comportamental melhor do que o outro, tudo é uma questão de potencializar os desempenhos e as habilidades, aumentando os resultados da sua empresa, em consequência de uma mudança comportamental, interpretando os perfis individualmente.

Colocar o colaborador certo, na função certa e realizando as atividades certas, esse é o grande desafio, e o perfil comportamental pode ser uma grande ferramenta para traçar estratégias e influenciar nos resultados da sua empresa.

Mudar padrões de comportamento com um perfil comportamental traçado por colaborador pode ser a solução que você está procurando para conseguir reter seus talentos, incentivando e motivando a equipe de uma forma geral.

Mas qual a história por trás do perfil comportamental? Quando ele surgiu e como as empresas adotam essa ferramenta para alcançar resultados mais satisfatórios no desempenho de seus colaboradores? A resposta para essas e outras questões vem em seguida, quando abordaremos os segredos para implantar o perfil comportamental no dia a dia da sua empresa explicando inclusive o funcionamento da metodologia DISC, criada nos anos 20, e que é uma das mais utilizadas para montar um perfil comportamental.

 

A história por trás do perfil comportamental e a metodologia DISC

Estudos mostram que não é de hoje que se busca uma explicação para o perfil comportamental e a reação das pessoas em relação a inúmeros estímulos. Os gregos, por exemplo, descreviam inicialmente que o comportamento humano era influenciado pelos quatro elementos da natureza: fogo, água, terra e ar.

Já em 370 AC, Hipócrates, grande referência da história da medicina, acreditava que o temperamento humano podia ser baseado e determinado pelos fluídos corpóreos: bílis amarela, sangue, fleuma e bílis negra. E foi com base nessa teoria, que surgiram os perfis de comportamento que tanto conhecemos: colérico, sanguíneo, fleumático e melancólico. Aliás, essa base ainda é utilizada por muitos estudiosos que descrevem a personalidade como a união temperamento, caráter e hábitos.

Apesar de todo esse início promissor sobre o perfil comportamental do indivíduo, foi um PhD em psicologia pela Universidade de Harvard, o americano William Moulton Marston, o mesmo que criou a personagem “Mulher-Maravilha e o polígrafo (detector de mentiras), depois de muitos estudos e análises, criou uma teoria, nos anos 20, para explicar de forma mais clara as respostas emocionais das pessoas. Para a época, esse tipo de teoria era uma grande novidade, já que um perfil comportamental e estudos desse tipo eram desenvolvidos com base em indivíduos deficientes mentais.

 

O surgimento da Metodologia DISC

Nessa metodologia, Marston colocou o perfil comportamental em duas esferas, sendo elas como influentes na reação das pessoas: interna (quando a reação se dá pela própria percepção do funcionário diante do ambiente no qual foi inserido) e externa (quando há uma análise do ambiente)

Marston seguiu o plano de expandir esse universo, que mediria o perfil comportamental das pessoas e para isso desenvolveu uma técnica que se baseia em quatro pilares de suma importância na realidade das empresas: Dominância (Dominance), Influência (Influence), eStabilidade (Steadiness) e Conformidade (Conscientiousness). Inclusive alguns autores utilizam o “i” em letra minúscula para não haver confusão entre o “i” e o “l”, já que nas letras sem serifa os dois tem o mesmo formato.  

Essa teoria, publicada em 1928 no livro “As Emoções das Pessoas Normais” (Emotions of Real People), começou a ser chamada de Metodologia DISC e se tornou uma das ferramentas de apoio mais utilizadas no mundo pelas empresas para traçar um perfil comportamental dos seus colaboradores.

Segundo Marston em seu livro: ” O que deve ser feito é desistir das tentativas de definir emoções conflitantes e voltar às raízes do comportamento biologicamente eficiente e descobrir as emoções simples e normais que estão enterradas lá. “

 

Benefícios da Metodologia DISC

A Metodologia DISC oferece ferramentas capazes de inserir o gestor em um universo de profundo conhecimento do perfil comportamental de todos os membros de sua equipe, sejam motivações, habilidades, forças e fraquezas. E traçar esse perfil comportamental pelo DISC dá também a oportunidade ao colaborador de se autoconhecer e ter claramente exposta suas forças e fraquezas, dando-lhe a oportunidade de se desenvolver cada vez mais na função.

E no dia a dia da empresa a utilização de um método como o DISC pode contribuir em inúmeros pontos como relacionamento da equipe, redução de conflitos, melhoria no relacionamento dos colabores, maior engajamento e otimização dos resultados.

 

Os pilares da metodologia DISC no perfil comportamental

Dominance – Dominância

Esse perfil comportamental é conhecido por ser proativo e com iniciativa para empreender. Gosta de desafios e tender a ser muito competitivo nas suas funções, além de se identificar com o perfil de ter o poder e o controle das metas. Esse é o chamado de “executor” no mercado.

Influence –  Influência

Intimamente ligado a relações interpessoais, o perfil comportamental influente é o “comunicador” da equipe. É aquela pessoa comunicativa e otimista. Está sempre entusiasmado e é persuasivo, se utilizando de recursos emocionais para propor uma ideia e com uma grande força de convencimento nas palavras e atitudes.

Steadiness – Estabilidade

O perfil comportamental de “planejador” da equipe é aquele colaborador mais conservador, que persiste com calma e tranquilidade, mas sem perder o foco das estratégias e dos resultados diante de todas as situações.

Conscientiousness – Conformidade

Já esteve diante de alguém detalhista e organizado? Esse é o perfil comportamental chamado de “analista”, que gosta de regras e normas minuciosas, sempre baseado em uma estrutura que ele zela de forma cuidadosa.

 

O perfil comportamental no mercado

A influência dos comportamentos no processo de seleção

Quer ser mais assertivo na sua empresa em relação aos processos seletivos? Adote o perfil comportamental como uma exigência para uso dos gestores no momento da análise e escolha de um candidato para a vaga.

Um processo de recrutamento precisa de uma avaliação prévia da vaga, um estudo sobre o perfil de colaborador que você quer e quais habilidades você imagina nele para assumir o cargo. Traçar um perfil comportamental é abrir as portar para o caminho de resultados e de menor taxa de intercorrências em demissões e pedidos de demissão.  

Otimizando resultados da equipe com o perfil comportamental

Realizar o perfil comportamental da sua equipe é uma forma de otimizar os resultados e o desempenho dos seus colaboradores. Analisar o perfil comportamental de cada um dos profissionais pode ser um apoio para você saber em que tarefas ele precisa melhorar, podendo assim oferecer cursos e formações que se adequem ao que o colaborador precisa.

De que adianta direcionar seus colaboradores a cursos, palestras e formações que nada tenham a ver com a área em que ele atua. Em um trabalho conjunto entre os líderes e gestores de pessoas, é possível traçar um perfil comportamental para atender as demandas da equipe, oferecendo as formações certas para cada um dos profissionais e para cada uma das necessidades.

Oferecer um curso por simplesmente ter a mentalidade de que precisa oferecer algo ao seu colaborador não faz mais sentido, é preciso otimizar a produtividade e dar oportunidades reais para que o seu colaborador cresça e não transformar capacitações como apenas momentos burocráticos obrigatórios. O ideal é pensar que conforme o seu funcionário cresce, você cresce junto.

O apoio do coaching

Análises comportamentais não tem a ver com perfil psicológico e uma das ferramentas que é bastante utilizada nas empresas para encontrar o perfil comportamental dos colaboradores é o coaching. Com o coaching o colaborador consegue fazer uma autoavaliação mais completa do seu próprio trabalho e em quais habilidades e competências ele pode melhorar, podendo assim modificar comportamentos e hábitos diários.

São usadas inúmeras técnicas e ferramentas pelo coaching para que o colaborador consiga chegar a um consenso de uma forma geral, tanto na busca por objetivos dentro da empresa, como adaptação a função exercida, e alcance de metas profissionais e pessoais.

Cultura organizacional é tudo para traçar um bom perfil comportamental

Um questionamento importante a se fazer, antes de traçar um perfil comportamental da sua equipe, é sobre a identidade da sua empresa e a cultura organizacional dela, já que essa essência é que deve definir que tipo de colaborador você quer e precisa.

Perfil comportamental está intimamente ligado a cultura organizacional e devem caminhar juntos. Se a sua empresa tem uma identidade e uma originalidade em relação aos seus objetivos fica muito mais fácil engajar os colaboradores para irem no mesmo caminho.

Lembra aquele talento que você perdeu? Talvez você não tenha preparado o caminho para que ele se desenvolvesse na empresa. Pode ser até que ele não soubesse qual caminho seguir, por não ter diante dele um objetivo bem traçado, ou uma identidade traçada pela sua empresa. Quem sabe você nunca analisou suas forças e fraquezas e nem aproveitou o máximo da sua capacidade e do que ele poderia lhe oferecer.

Se você nunca pensou ou refletiu sobre a cultura organizacional da sua empresa, agora é o momento. Reúna líderes e gestores e construa a partir de agora a imagem que sua empresa quer e deve passar tanto aos colaboradores que já fazem parte da sua equipe, ou para futuros candidatos. Escolher e decidir por uma identidade e uma cultura organizacional pode ser decisivo no momento de traçar um perfil comportamental e minimizar erros de contratação, promoção e montagem de equipe.

Sem mais turnover na sua empresa

Trocas de funcionários em muitos casos são traumáticas, ainda mais quando isso se torna rotina e altas taxas de turnover começam a trazer prejuízos a empresa, em inúmeras causas trabalhistas e perdas financeiras.

E você deve estar se perguntando o que isso tem a ver com perfil comportamental? E a resposta é: tudo a ver. Quando você traça um perfil comportamental dos seus colaboradores e possui uma identidade para preencher as vagas da empresa, você faz contratações mais assertivas, e ainda sabe quando deve promover um funcionário ou planejar estrategicamente formas de explorar ao máximo a habilidade dos seus colaboradores.

Economize tempo e dinheiro

Qual empresa não pensa em economizar dinheiro e tempo? Todas elas, e o perfil comportamental pode ser decisivo nesse processo, apoiando os gestores e minimizando os erros na hora de escolher um novo colaborador.

É melhor gastar tempo traçando um perfil comportamental e construindo o perfil da sua empresa para as vagas, do que perder dinheiro depois. Dedique mais tempo para organizar as metodologias e técnicas para lidar com seus profissionais e não esqueça de lembrar que cada colaborador tem sua individualidade, então terão comportamentos diferentes para cada situação.

Respeite as individualidades

Em um mercado tão competitivo, as empresas diferentes e que ficam à frente das outras são aquelas que respeitam e tratam seus colaboradores de forma individual, levando em conta forças e fraquezas e a capacidade para assumir determinadas funções.

Por isso, o perfil comportamental pode fazer toda a diferença, pois assim você consegue ter uma visão ampla de cada colaborador e saber em que ele precisa melhorar e também no que você pode investir para que ele renda em 100% da sua capacidade. Através de um perfil comportamental você pode oferecer ao colaborador aquele sentido de que ele é importante e pode fazer a diferença na sua empresa, traçando metas e objetivos que estejam dentro de suas capacidades, aumentando sua motivação e disposição para exercer seu trabalho.

Faça os treinamentos valer a pena

Outro ponto em que o perfil comportamental pode fazer a diferença é no planejamento de integrações e treinamentos. Imagina investir em várias extensões profissionais em um colaborador e mesmo assim ter que demiti-lo porque ele não se adaptou a realidade da empresa e a função que lhe foi determinada. Esse erro é comum, principalmente porque os recrutadores e gestores não têm noção, em muitos casos, das necessidades da empresa e de que tipo de profissional precisam.

Quando se traça um perfil comportamental você consegue minimizar qualquer tipo de erro em relação a esse tema, e consegue executar de forma mais assertiva a preparação para treinamentos e integrações conforme o perfil individual de cada um, fazendo investimentos profissionais melhores e nos colaboradores certos.

Trace um perfil comportamental

Quando se aplica uma metodologia para traçar o perfil comportamental dos seus colaboradores, como o DISC, por exemplo, é necessário contar com profissionais capacitados e que estejam completamente ligadas a gestão de pessoas.

Saber lidar e conseguir medir competências dos colaboradores exige dos profissionais responsáveis muita estratégia, preparo e planejamento. A montagem de um bom teste de perfil comportamental deve ser baseado em perguntas objetivas e bem elaboradas, focadas em uma percepção das vocações, motivações, interesses e habilidades dos profissionais analisados.  

Assim como se exige um grande preparo de quem aplica um teste de perfil comportamental, da mesma forma é obrigatório que tenham profissionais capacitados para analisar os resultados desse mapeamento. De que adianta montar um perfil comportamental dos seus colaboradores se você não consegue analisá-los da forma correta para identificar as necessidades de cada um dos seus colaboradores, seja para eventuais promoções, planejar treinamentos ou até em alguns casos demissões.

Autoavaliação faz a diferença

“No momento em que paro de crescer, comecei a morrer. Estar presente a esse encontro é uma maneira de não morrer, se desafiar e estabelecer metas para si” (Leandro Karnal).

Essa frase é dura e ao mesmo tempo uma realidade para aquelas pessoas que se acomodaram no mercado de trabalho. O perfil comportamental não é só um grande diferencial para os gestores no dia a dia da empresa, mas também para que o colaborador possa fazer uma autoavaliação do seu desempenho, objetivos e metas dentro da empresa.

Como diz Karnal se desafiar e parar de crescer é como começar a morrer, então é preciso que o colaborador não se acomode na sua função e não tenha medo de enfrentar os desafios do dia a dia. Quando um perfil comportamental fica pronto o colaborador pode também ter à disposição a chave para se reencontrar e perceber as suas fraquezas e em que é possível melhorar.

Fazer uma autoavaliação do seu comportamento diante dos objetivos da empresa é uma chance de evoluir e crescer profissionalmente, é um bem para si mesmo, é um caminho rumo ao crescimento.

 

A importância do perfil comportamental

A montagem de um perfil comportamental dos colaboradores, apesar de ser objeto essencial e uma grande ponte para oferecer resultados, ainda não é realidade no dia a dia de muitas empresas. As que se utilizam de análises comportamentais e que adotam essa visão de colocar na mesa forças e fraquezas do colaborador, estão um passo bem à frente no mercado em relação a empresas que ainda não acreditam e valorizam o capital humano que possuem.

Ter em mãos um perfil comportamental de todos os seus colaboradores pode contribuir para que cada um, individualmente, possa evoluir profissionalmente e que consequentemente você consiga aproveitar o que ele tem de melhor para lhe oferecer.

O perfil comportamental, mesmo que seja novidade para muitas empresas, já é uma forma de gestão considerada como diferencial competitivo no mercado.  Além de melhorar o desempenho dos colaboradores, consegue dar apoio também a equipe, que se desenvolve de forma mais organizada e assertiva no momento de executar os objetivos e metas.

Você gestor de RH, líder de setor, aproveite os tópicos citados no artigo e tente a partir de hoje implantar uma metodologia de perfil comportamental dentro da sua empresa. Seja mais efetivo nos seus processos de contratação, promoção e demissão, traçando estratégias mais eficazes na busca por resultados. Desempenhe a partir de agora um papel decisivo para buscar resultados satisfatórios e demonstrar a real importância de um perfil comportamental nesse caminho.  

Gostou das dicas e explicações sobre o funcionamento do perfil comportamental dentro das empresas? Deixe seu comentário e compartilhe com seus amigos esse artigo para ajudá-los a alcançar resultados mais satisfatórios no dia a dia da empresa apoiados na metodologia DISC.