Você já deve ter ouvido este termo e como ele é importante na nossa comunicação. Mas você sabe o que é linguagem corporal? A linguagem corporal faz parte do que chamamos de comunicação não-verbal — que, além dos sinais emitidos pelo corpo, abarca também tom de voz, pausas e a desenvoltura na fala.

Tão importante quanto a significação das palavras, os sinais emitidos por meio da comunicação não-verbal são extremamente importantes para a interpretação da mensagem. Seja ela explícita ou não.

Diante disso, para que o profissional de RH saiba como entender a linguagem corporal e processar melhor os sinais e informações transmitidas pelos colaboradores, é preciso aprender a ler essas expressões corporais.

A seguir, falaremos mais sobre o que é linguagem corporal, quais são os principais sinais emitidos pelo corpo e como ler a linguagem corporal no contexto da comunicação interna corporativo. Continue lendo!

O que é linguagem corporal?

A linguagem corporal é o conjunto de movimentos, posturas ou gestos feitos de forma consciente ou inconsciente, sutil ou explícita, que carregam algum tipo de significação própria no contexto da comunicação interpessoal.

Em outras palavras, a linguagem corporal é a transmissão de mensagens ao interlocutor por meio da expressão do corpo. Elas podem ser faciais, posturais, visuais ou gestuais. Alguns exemplos de sinais transmitidos pela linguagem corporal são:

  • duração de um olhar;
  • movimentos de mão;
  • braços cruzados ou descruzados;
  • expressão facial;
  • pernas e pés inquietos etc.

Por serem mais subjetivos do que a linguagem verbal, esses sinais são bem mais difíceis de serem interpretados. Especialmente aqueles mais sutis e inconscientes.

Isso porque a linguagem corporal, na maioria das vezes, é controlada por estímulos inconscientes — tanto para quem emite a mensagem quanto para quem a interpreta.

Apesar de alguns gestos serem conscientemente exteriorizados, outros são mais sutis e até mesmo ocultos.

Portanto, a percepção das mensagens transmitidas pela linguagem corporal nem sempre são conscientes. Em outras palavras, o receptor pode captar informações transmitidas pelos gestos de seu interlocutor sem perceber.

Como ler a linguagem corporal?

Basta assistir a uma peça de teatro, novela, filme ou série para perceber o peso da linguagem corporal. Em muitos momentos, conseguimos interpretar mensagens simplesmente pelo olhar ou expressão facial de um bom ator.

Ou seja: já sabemos como entender a linguagem corporal, mesmo que não tenhamos conhecimento disso. Por meio dessa habilidade, é possível perceber traços de personalidade, como baixa autoconfiança ou um comportamento, como mentiras.

Há diferentes emoções e sentimentos que acionamos ao movimentar cada parte do corpo. Isso também influencia na significação dos gestos e expressões que produzem a linguagem corporal.

Veja alguns dos sinais do corpo e suas possíveis leituras:

  • postura ereta, movimentos ágeis e firmes costumam ser sinal de confiança;
  • mãos na cintura durante a interação representam agressividade;
  • pés e pernas inquietos demonstram ansiedade ou impaciência;
  • braços cruzados podem ser um sinal de postura defensiva;
  • sentar-se de pernas abertas demonstra relaxamento;
  • olhos baixos podem ser um indício de desmotivação;
  • mãos no rosto ou no queixo demonstram reflexão;
  • mãos abertas e palmas voltadas para cima são traços de sinceridade e abertura
  • inclinar corpo e cabeça na direção de algo ou alguém demonstra interesse;
  • desviar o olhar durante a interação pode ser sinal de mentira ou insegurança.

Como a linguagem corporal ajuda no recrutamento e seleção?

Quando o recrutador sabe como entender a linguagem corporal do candidato, fica mais fácil selecionar o profissional ideal para a vaga e a empresa.

Como entender a linguagem corporal?

As interpretações padronizadas que mostramos no tópico anterior servem de base para a interpretação dos sinais mais comuns emitidos pelas pessoas.

Entretanto, para que o profissional de Recursos Humanos possa fazer uma interpretação assertiva da linguagem corporal, é preciso uma análise mais completa.

Veja, a seguir, algumas dicas de como ler linguagem corporal:

1. Conheça a regra 7-38-55

Apesar de se aplicar apenas a contextos muito específicos, a famosa regra 7-38-55 desenvolvida a partir das pesquisas do professor Albert Mehrabian, feitas na década de 60, ainda é bastante relevante para os profissionais de RH.

Segundo a regra, em situações em que há ambiguidade ou incoerência dos sinais emitidos na comunicação, a linguagem corporal é a mais confiável.

Ela teria 55% de relevância na transmissão da mensagem, superando 38% relativos ao tom de voz e 7% do conteúdo das palavras.

2. Faça contato visual

O contato visual é uma das melhores formas de mensurar o nível de autoconfiança e de confiabilidade de alguém. Portanto, durante a interação com um colaborador ou candidato a uma vaga, procure sempre fazer contato visual.

Sustentar o olhar costuma ser sinal de confiança, enquanto quem desvia o olhar para baixo demonstra timidez.

Pessoas que contam mentiras costumam evitar o contato visual, mas aqueles que mentem deliberadamente e que conhecem esse padrão contarão mentiras olhando fixamente nos olhos.

3. Atente-se à postura

Como dissemos, a linguagem corporal vai além dos gestos e expressões faciais, apesar de serem mais facilmente interpretados.

É relativamente fácil ler as expressões de alguém pelo rosto. Porém, a postura do corpo, que costuma passar despercebida, também expressa informações valiosas.

Segundo a especialista Amy Cuddy, em seu TedTalk sobre a influência da linguagem corporal em nosso comportamento, uma mudança na postura pode proporcionar reações imediatas no cérebro.

 

Isso é um indício de que, mesmo que a postura corporal do colaborador não seja consciente, ela terá influência direta em seu perfil comportamental e personalidade.

4. Observe em “segredo”

Há contextos em que as pessoas tendem a agir de maneira menos espontânea — seja controlando mais o corpo ou deixando-se levar pelas emoções.

É normal que os profissionais fiquem nervosos em reuniões importantes, apresentações em público, entrevistas de emprego etc.

Portanto, uma boa forma de analisar traços da personalidade de alguém é observar como seu corpo se porta quando “ninguém está olhando” ou durante atividades rotineiras.

Essa é uma boa maneira de captar os sinais da linguagem corporal com mais naturalidade e, por consequência, ter indícios mais confiáveis sobre a personalidade daquela pessoa.

5. Desconfie dos extremos

Especialmente durante as entrevistas, o profissional de RH deve ficar atento não apenas àquilo que é transmitido inconscientemente, mas também ao que é transmitido de forma explícita.

Isso porque o candidato pode tentar transmitir mensagens ao recrutador propositalmente. É preciso ter clareza para analisar se há desencontro entre as informações explícitas e sutis na linguagem corporal.

Diante disso, “desconfie” tanto daqueles candidatos que demonstram muita autoconfiança, quanto daqueles que se portam de maneira muito insegura. Atente-se aos sinais mais sutis e tente captar o que é espontâneo e o que é contraditório na linguagem corporal.

Leia também: Entrevista estruturada: como ter maior precisão no recrutamento de novos funcionários?

Saber o que é linguagem corporal e como entendê-la é um diferencial que ajuda o RH a lidar melhor com os colaboradores. E, além disso, é uma excelente estratégia para escolher as pessoas certas no momento do recrutamento e seleção de novos candidatos.

Vale lembrar que a linguagem corporal e a linguagem verbal frequentemente se contradizem. Isso porque as pessoas não prestam tanta atenção à linguagem corporal na hora de se expressar. E isso, é mais um motivo para prestar atenção a ela e confiar em seus sinais.

E se você gostou das dicas do nosso post de hoje, aproveite para compartilhar o conteúdo com seus amigos nas redes sociais!

Sua empresa está em busca de uma plataforma de Recursos Humanos eficiente? Conheça a Xerpa, o melhor software para RH do Brasil!  

Com o nosso sistema você vai:

  • reduzir o tempo nos seus processos de admissão de desligamento de funcionários;
  • ter um processo mais claro e seguro;
  • evitar penalizações, multas ou qualquer risco relacionados à questões legais e gestão de informação da empresa.

A Xerpa é a única que entrega uma experiência incrível e ainda resolve o problema real que o cliente tem. Fale com um especialista e descubra como reduzir 30% dos custos do seu RH.