o-que-e-iof

O que é IOF? Entenda como funciona este índice

O IOF é a sigla para Imposto sobre Operações Financeiras que funciona como um regulador da economia, sendo cobrado por meio de alíquotas variadas em diversas operações de crédito, câmbio, seguros, entre outras.

Você já pode ter ouvido falar desse tributo, mas não saber realmente quando ele é cobrado e qual é a sua finalidade. Não é novidade, já que nós brasileiros pagamos muitos impostos. Porém, não conhecemos bem todos os que pagamos. 

Pensando nisso, explicamos neste artigo o que é IOF e tudo o que você precisa saber sobre esse tributo. Se interessou? Continue acompanhando o post!

O que é IOF?

O IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) é um tributo federal que funciona como um regulador da economia nacional. É cobrado por meio de alíquotas variadas em diversas operações de crédito, câmbio e seguros, além de estar presente em transações referentes a títulos imobiliários e investimentos.

As taxas cobradas são usadas pela governo para conhecer e regular a demanda e a oferta de crédito no país. Mas se em determinado período a arrecadação de IOF aumentar, significará que as movimentações financeiras relacionadas a crédito, câmbio e seguros terão sido mais altas.

Também é importante frisar que as alíquotas não são fixas: elas variam conforme a operação efetuada e podem mudar a qualquer momento sem passar pelo Congresso Nacional, sendo uma deliberação do Poder Executivo.

Como o IOF impacta as compras no dia a dia?

Saber o que é IOF é importante para entender como ele afeta o uso do dinheiro no cotidiano.

Ao usar qualquer tipo de crédito, sobretudo no cartão ou no cheque especial, é sempre necessário ficar de olho para não pagar mais caro no CET (Custo Efetivo Total). Enquanto algumas compras têm taxas altas, outras são isentas do imposto, como os parcelamentos sem juros e os pagamentos com cartões de loja.

Na prática, pouca gente sabe o que é IOF. Em virtude disso, muitas pessoas não levam o tributo em conta na hora das compras.

Por exemplo: ao fazer um pagamento internacional com cartão de crédito, a maioria dos consumidores não verifica a alíquota para esse tipo de transação. A compra será feita de qualquer forma, estando a taxa alta ou baixa.

Por esse motivo, alguns economistas questionam se o IOF é mesmo eficiente no controle do mercado de câmbio. Mas apesar das dúvidas, é praticamente impossível o imposto ser extinto, já que é uma das maiores fontes de arrecadação do governo federal.

Como funciona o IOF em cada tipo de operação?

Como dito anteriormente, as alíquotas do IOF depende do tipo de operação financeira. Hoje, elas variam entre 0,38% e 7,38%, estando sempre sujeitas à mudanças por parte do governo federal.

Por isso, mais do que saber o que é IOF, é importante conhecer como funciona a cobrança em cada tipo de operação. Confira os detalhes a seguir.

Cartão de crédito

As compras com cartão de crédito em território nacional não têm incidência de IOF, contanto que você faça o pagamento integral da fatura. 

Caso entre no crédito rotativo, haverá cobrança de IOF de 0,38% sobre o valor que você deixou de pagar. Além disso, terá de pagar mais 0,0082% por dia até a quitação total do débito.

Para compras internacionais com cartão de crédito, o IOF é muito mais alto. Atualmente, a alíquota é de 6,38% sobre o valor de cada compra. O valor vem cobrado na fatura, mesmo com a compra sendo à vista e com pagamento integral.

Cheque especial

Ao contrário do cartão de crédito que tem cobrança de IOF apenas em situações específicas, o cheque especial nunca fica isento da taxa. Portanto, se você ficar no vermelho, já estará pagando o imposto.

Atualmente, os valores são de 0,38% sobre o valor devido + 0,0082% por dia até o correntista cobrir a conta.

>> Para saber mais sobre como funciona o cheque especial no Brasil, confira este outro post do blog:
Entenda as novas regras do cheque especial <<

Câmbio

A compra e a venda de moeda estrangeira no Brasil também têm incidência de IOF com alíquota de 0,38%. A taxa é aplicada no momento do pagamento, sobre o valor do montante em reais.

Todavia, por ser um imposto muito mais baixo que o cobrado no cartão de crédito internacional, vale a pena priorizar o dinheiro vivo em viagens para o exterior. Deixe o cartão para usar apenas quando for inevitável.

Empréstimos e financiamentos

O IOF sobre empréstimos e financiamentos também é de 0,38% sobre o valor + 0,0082% por dia até a quitação. A taxa é calculada e aplicada já na contratação com base no valor do montante o no prazo previsto em contrato.

No entanto, há uma exceção: os financiamentos de imóveis para fins de moradia são isentos da cobrança. Já os títulos de fundos imobiliários, que contam como investimentos, têm IOF de 1,5% ao dia.

Seguros

As regras para seguros também se diferenciam de acordo com o tipo de contrato.

Seguros de vida têm IOF de 0,38% sobre o montante do prêmio previsto em contrato. Já outros tipo de seguro, como o de automóveis, têm uma taxa de 7,38%, podendo chegar a até 25%.

Investimentos

Quem investe em títulos públicos, CBDs, Fundos DI e outras aplicações de renda fixa também deve prestar atenção ao que é IOF. 

Em todos esses casos, se você resgatar o investimento em menos de 30 dias, deverá pagar o imposto. No entanto, se a retirada for feita após esse prazo, não haverá cobrança.

A alíquota aplicada nesses investimentos é regressiva, incidindo apenas sobre os rendimentos e não sobre o montante total. A taxa começa em 95% no primeiro dia e diminui gradativamente até o trigésimo, quando vai a zero.

Agora que você já sabe o que é IOF e como funciona esse imposto, está preparado para tomar decisões mais criteriosas para suas compras e investimentos.

Como vimos ao longo do artigo, trata-se de um tributo fácil de entender: basta ficar de olho nas regras e estar preparado para mudanças que podem ocorrer a qualquer momento.

Ajude seus funcionários a não se endividarem

As empresas podem, sim, contribuir para que sua equipe tenha uma vida financeira saudável, sem pagar o mínimo do cartão ou ficar devendo o cheque especial, tendo que arcar com o prejuízo do IOF.

Conheça a ferramenta Xerpay e saiba como funciona o sistema que implementa o pagamento sob demanda, ou seja, os colaboradores de uma empresa podem antecipar parte de seus salários quando precisarem.

Essa ferramenta está mudando a forma como os funcionários lidam com o seu salário e gerando mais satisfação e motivação no trabalho.

O Xerpay pode ser um dos benefícios mais valorizados por quem trabalha em sua empresa. Fale com um especialista e conheça mais!

Gostou do post? Conte pra gente nos comentários como você lida com o IOF no seu dia a dia. Estamos à disposição para tirar qualquer dúvida que você tenha sobre o assunto!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.