A palavra é complicada, mas você já deve ter ouvido falar. Sabe o que é headhunter?

O headhunter é um especialista no seu mercado que facilita, faz o intermédio e conecta empresas e talentos em potencial. Um valioso parceiro para potencializar a assertividade no processo de contratação.

Headhunter não deve ser um termo desconhecido para você e para os seus colegas de trabalho. O que pode surpreendê-los é a popularização dessa profissão dentro das empresas.

Hoje em dia, os headhunters são soluções flexíveis e de alta versatilidade por se adaptarem às necessidades e objetivos que o seu empreendimento tem identificados.

E, para mostrar o quanto um profissional com essa bagagem pode fazer a diferença no setor de contratações, preparamos este post. Ao longo deste conteúdo você vai se inteirar sobre:

  1. O que são os headhunters;
  2. Características de um headhunter;
  3. Quais são as diferenças para o profissional de RH;
  4. O que faz um headhunter;
  5. Desafios da profissão;
  6. Como empresas podem usar o headhunter;
  7. Como um profissional pode se aperfeiçoar na área.

Para encerrar o artigo, vamos trazer algumas dicas para que os interessados em atuar como headhunter possam se especializar. Acompanhe e aprenda o que é um headhunter e conheça os seus diferenciais!

O que são os headhunters?

O termo pode confundir quem estiver desatento. Afinal de contas, o conceito é nascido da junção de duas palavras em inglês: head (cabeça) e hunter (caçador).

Mas não estamos falando, especificamente, que um headhunter caça cabeças. Não literalmente, pelo menos, porque a história muda quando pensamos de maneira simbólica.

Isso porque o headhunter tem como principal objetivo “caçar”, no mercado, por talentos que podem servir da melhor forma possível em uma empresa. E, após identificá-los, convencê-los a participarem dos processo recrutamento e seleção.

A abordagem inicial pode se dar, principalmente, em dois momentos distintos:

  • quando não há um processo seletivo aberto, ainda, e o headhunter deseja que o candidato vá conhecer a empresa — e vice-versa;
  • quando há um processo seletivo em andamento e o profissional encontrou esse talento, e deseja colocá-lo entre os outros candidatos à oportunidade.

Em ambos os casos, é fácil entender que o trabalho de um headhunter é pautado, basicamente, pelo monitoramento incessante das mudanças no mercado de trabalho.

Essa análise, com o tempo, ajuda-o a se consolidar-se no ramo, a montar um networking amplo e diversificado e a entender melhor o segmento onde ele atua, como um todo.

Características de um headhunter?

Com base nas informações acima, nós esboçamos um perfil comum entre os headhunters no mercado. São figuras que, no geral, acumulam as seguintes características:

Poder de observação

Apesar de existirem diversas ferramentas tecnológicas que ajudem na busca cotidiana por talentos, o headhunter tem um excelente poder de observação.

Isso porque ele deve saber onde e o que pesquisar, além de entender do mercado onde ele atua. E, desta forma, o headhunter consegue cruzar as informações de cada candidato que ele pesquisa.

Do contrário, esse tipo de profissional não vai agregar em nada, se comparado com o número de pessoas que se candidatam para o processo seletivo de uma empresa. O headhunter é, basicamente, alguém com muita precisão em suas escolhas e indicações.

Escuta ativa

Isso é importante porque sabemos que ouvir é uma coisa, e escutar, algo completamente diferente. E o headhunter deve saber disso.

Ao escutar uma pessoa, ele aprende muito sobre o candidato, aprendendo a absorver as informações e associá-las rapidamente ao que ele está em busca no mercado.

Argumentação

O poder de negociação é indiscutivelmente necessário para um headhunter. E é por isso que ele deve saber argumentar e ter jogo de cintura para lidar com diferentes perfis — muitas vezes, ao mesmo tempo.

Por exemplo: às vezes, o headhunter está em contato frequente com empresas que buscam profissionais distintos, e à procura de candidatos que atendam a essa demanda.

Cada um terá a sua percepção, valor e perspectiva para o cargo. Enquanto o headhunter deve desfilar por entre essas peculiaridades com facilidade.

Networking

Outra característica que já é imprescindível para todo profissional, mas que revela uma vantagem para o headhunter são boas conexões.

Afinal de contas, diante de uma nova demanda ele pode rapidamente recorrer aos seus parceiros e colegas. Isso facilita a intermediação para alocá-los em ótimas oportunidades.

Inteligência emocional

Mais um aspecto que, no geral, é importante para o desenvolvimento de qualquer indivíduo. Mas, como vive uma rotina bastante flexível e variada, o headhunter deve dispor de boa dose de inteligência emocional para lidar com a sua rotina.

Lembrando que, nesse contexto, o headhunter deve também acumular outras qualidades pessoais, continuamente aperfeiçoando-as. Casos de:

  • autocrítica;
  • confiança;
  • iniciativa;
  • liderança;
  • entusiasmo;
  • persistência.
  • boa comunicação (verbal e escrita);
  • comprometimento;
  • discrição.

São muitas qualidades, é verdade. Mas isso se explica facilmente por dois motivos: o headhunter se apresenta como um especialistas em seu ramo de atuação. Além disso, são capacidades que podem ser continuamente desenvolvidas ao longo da carreira.

Quais são as diferenças para o profissional de RH?

Se você já trabalha diariamente com a rotina de Recursos Humanos na sua empresa, deve ter encontrado muitas similaridades com o seu segmento, certo? Só que existem algumas peculiaridades que ajudam a distanciar ambos os setores e profissões.

Por exemplo: a procura de um recrutador tende a ser pontual e baseada em todo o processo seletivo da empresa. O headhunter faz esse trabalho a qualquer hora e lugar.

Ou seja: ele sempre está em busca de um fortalecimento nas suas conexões, enquanto o RH — além de acumular outras responsabilidades — foca em contratações diante necessidades.

O que faz um headhunter?

Como vimos, o trabalho de um headhunter é baseado na rotina que ele compõe para conhecer novas pessoas, inteirar-se a respeito do mercado e conectar talentos com empresas.

Trata-se de um trabalho concentrado em poucas atividades, portanto, mas que se desdobram em múltiplas competências para a sua plena realização. E como isso funciona?

Na prática, o headhunter pode ficar à espera do contato de uma empresa, que explica as suas necessidades e objetivos. Então, o profissional vai à caça de alguém com essas qualidades.

Essa etapa exige enorme poder analítico e é também o momento em que o networking do headhunter é colocado à prova. Não basta fazer pesquisas no LinkedIn, por exemplo: é preciso se aprofundar e mostrar todo o conhecimento no mercado para encontrar verdadeiras joias.

Em seguida, o trabalho consiste em indicações do headhunter para essa empresa. Aí, está concluído o seu trabalho, uma vez que ele não participa dos processos de seleção.

Desafios da profissão

Como em toda área de atuação, os headhunters convivem com uma série de desafios que coloca o seu negócio em constante movimentação.

O principal deles está nos momentos vividos pelo mercado. Por exemplo: em épocas instáveis — como as crises econômicas e políticas vividas no Brasil, nos últimos anos —, poucos profissionais já empregados se arriscam em uma nova oportunidade profissional.

Vale o mesmo para as empresas, que investem menos em tempos incertos. Além disso, há também a precisão do headhunter em indicar profissionais às empresas.

Isso porque, uma ou mais indicações equivocadas podem colocar em xeque a credibilidade do profissional no mercado e até mesmo prejudicar o clima organizacional da empresa.

Como empresas podem usar o headhunter

Muitas empresas não têm ainda uma perspectiva clara de onde encontrar os profissionais com as qualificações e comportamentos desejados.

Quer dizer: elas sabem o que buscam neles e até têm um plano de carreira desenvolvido, apenas desconhecem o paradeiro desse tipo de profissional. E é aí que o headhunter pode ser uma peça-chave no processo de contratação.

Por meio dele a empresa desabafa a sua demanda, necessidades e objetivos. Enquanto isso, o headhunter tem em mãos um briefing que vai ajudá-lo a se orientar no mercado, à procura de pessoas que podem se encaixar perfeitamente na descrição do seu contratante.

Nesses casos, o profissional vai além da simples filtragem de CVs: ele recorre às suas conexões e outros meios de pesquisa, até ter absorvido bons nomes para recomendar à empresa. Como resultado, a contratante se beneficia porque:

Benefícios contratante

  • enfrenta menos riscos associados a uma contratação equivocada — considerando que ela fez uso de um especialista para indicar bons nomes;
  • economiza tempo em etapas preliminares do processo seletivo;
  • reduz custos para a empresa — especialmente, a partir da assertividade na contratação;
  • expertise de quem sempre está de olho em tendências e novidades no mercado;
  • profissional imune a pressões internas, o que facilita a condução do trabalho e para indicar profissionais à empresa.

Headhunter como um parceiro

Podemos associar a figura de um headhunter à de um parceiro para as empresas. Como mencionamos anteriormente, a credibilidade dele está atrelada ao sucesso de suas indicações.

Quando elas surtem um efeito positivo, pode-se dizer que essa parceria rende resultados e é estabelecida, assim, uma relação de confiança.

Como o headhunter é um profissional bastante requisitado para encontrar profissionais já gabaritados no mercado, esse diferencial é fundamental para que o processo seletivo seja proveitoso, e não um desperdício de tempo e investimento da empresa.

E na sua empresa? Acha que, com base nas vantagens que citamos acima é possível fazer uso desse tipo de especialista para otimizar o seu processo interno de contratação?

Como um profissional pode se aperfeiçoar na área

Caso você esteja pensando em se profissionalizar como headhunter, esteja em busca de aprimoramentos nos processos internos da empresa ou queira apenas saber um pouco mais sobre esse ofício, vamos finalizar este artigo com algumas dicas.

Nelas, vamos destacar o que pode ser feito para quem está em busca de um aprofundamento nas maiores qualidades de um headhunter, como:

Busca contínua por aprendizado

Parece uma dica genérica, mas a questão está atrelada às empresas contratantes. O headhunter não se deixa estagnar no mercado e está sempre de olho nas mudanças mercadológicas.

Se um headhunter é especialista no setor varejista, por exemplo, ele deve conhecer a fundo o momento do mercado, os grandes nomes do setor e também alguns profissionais para se manter atento à sua condição atual.

Dessa maneira, assim que surgir uma oportunidade ele já está com boa margem de vantagem com relação à sua própria concorrência para buscar indicações de peso para o contratante.

Facilidade em montar perfis profissionais

Um especialista pode se pautar pela organização para agilizar o atendimento às empresas e gerar resultados positivos o quanto antes.

Nesse contexto, o headhunter deve aprender a separar os perfis profissionais de acordo com diferentes demandas. Assim, ele tem muito do seu trabalho previamente realizado, bastando reunir-se com as empresas para compreender a demanda e exigências deles.

Assim, em pouco tempo o headhunter pode aparecer com indicações rapidamente. E, o melhor: muito bem definidas e alinhadas com o que a empresa necessita.

Rede de contatos sempre atualizada

Já destacamos isso, mas vale reforçar pela relevância da questão: se não trabalhar constantemente o seu networking, o headhunter vai ter a mesma valia de uma tecnologia que era tendência na década de 1980.

Ou seja: ele deve estar presente em eventos do seu setor de especialização, conhecer muitas pessoas e manter boa relação com elas.

Esse hábito de cultivar as relações ajudam o headhunter a se manter em evidência no seu ramo de atuação. Do contrário, ele é facilmente ultrapassado por quem cumpre esse ritual e se apresenta como autoridade naquele assunto.

A retórica em constante evolução

Se a argumentação e o poder de negociação estão entre as principais características de um headhunter, a sua retórica deve estar em perfeito balanceamento com tais qualidades.

Por isso, o profissional deve cuidar para compreender exatamente o lado de uma empresa, mas também em fazer a intermediação com o profissional, do outro lado.

Afinal de contas, o headhunter também deve encantar o profissional a ouvir a proposta de uma empresa. É um jogo constante de gerar e cumprir expectativas. Por isso o headhunter é um verdadeiro especialista no seu ramo de atuação.

Vale destacar também uma dica que serve bem para qualquer outra área — inclusive, na de RH: o conhecimento nas mais recentes e proveitosas tecnologias.

Por meio delas, o trabalho de um headhunter pode ser facilitado na pesquisa por novos profissionais, na organização de sua base de dados e também para se conectar com empresas e profissionais de todas as hierarquias.

Isso tudo ajuda a compor um headhunter preparado não apenas para o momento do mercado, mas para as eventuais transformações das quais estamos sujeitos.

Conheça a Xerpa, a melhor plataforma de Recursos Humanos para empresas do Brasil! Com o nosso software você vai:

  • reduzir o tempo nos seus processos de admissão de desligamento de funcionários;
  • ter um processo mais claro e seguro;
  • evitar penalizações, multas ou qualquer risco relacionados à questões legais e gestão de informação da empresa.

A Xerpa é a única que entrega uma experiência incrível e ainda resolve o problema real que o cliente tem. Fale com um especialista e descubra como reduzir 30% dos custos do seu RH.