O que é empatia e qual a sua importância no ambiente de trabalho?

o que é empatia

Empatia é a capacidade de se colocar no lugar do outro. Entrar por alguns minutos no universo do próximo, buscando compreender sua realidade e dificuldades individuais. E sem julgamentos. Mas qual a importância disso no trabalho? 

No atual contexto de pandemia, esse atributo tem sido cada vez mais discutido pela mídia. Em tempos de crise econômica e isolamento social, muitas empresas têm buscado um novo olhar para o colaborador. E esse é o caminho: adquirir um olhar mais humano para que o ambiente de trabalho seja um local de cooperação e aprendizado.

Quer entender os impactos da empatia no ambiente de trabalho? Neste post, vamos mostrar dicas de como incentivar esse atributo na sua empresa! Confira!

O que é ter empatia?

Empatia é, antes de tudo, compreensão emocional. Enxergar e aceitar que uma dada situação pode não ser nada para você, mas pode ser uma grande dificuldade para outra pessoa! 

É não julgar ou desmerecer a dor do outro com base nas suas experiências pessoais. 

Apesar de bastante discutida nos últimos tempos, nem todo mundo tem a real consciência do que é empatia. Muitos pensam que é o mesmo que simpatia ou compaixão, porém são conceitos totalmente diferentes. 

Simpatia, por exemplo, é um sentimento de afinidade. Já compaixão é um sentimento que desperta a vontade de ajudar o próximo, mas motivada por dó.

A empatia supera tudo isso, porque além do desejo de ajudar o próximo ela também expande suas perspectivas! 

De que forma essa expansão acontece? Você passa a enxergar a realidade do outro com os olhos do outro, e não com os seus. Consegue ouvir mais atentamente outras pessoas. Começa a desenvolver a interpretação e compreensão das emoções alheias. 

Mas afinal, como usar a empatia na prática?

Sempre que procurar entender de verdade a situação de alguém, a empatia será necessária. Quando estiver discutindo com uma pessoa sem resultados, a empatia será útil para compreender o posicionamento dela e resolver o impasse. Se você tem dificuldade para se conectar com alguém, pense na empatia. 

Portanto, seja para gerenciar suas emoções ou de alguém próximo, exercer a empatia é fundamental.

Muito se fala a respeito do “novo normal”, que seriam as transformações inevitáveis decorrentes da pandemia. Mas será que o novo normal é continuar lidando com as pessoas de forma indiferente? 

Agora é um bom momento para você se questionar: será que os líderes e gestores da sua empresa têm um comportamento empático com os funcionários? E a sua cultura organizacional, promove valores como empatia?

Como desenvolver essa capacidade?

Ser empático não é uma questão inata, ou seja, de nascimento, mas de desenvolvimento ao longo da vida. Pode ser que você tenha convivido com pessoas nada empáticas, e por isso essa capacidade não se tornou um valor importante para você. 

Porém, como qualquer competência, a empatia pode ser aprimorada! 

Dicas:

  1. Toda vez que você quiser julgar uma pessoa, pare e pense. E se você estivesse na situação dela, será que faria mesmo diferente? Comece a mostrar soluções, e não críticas.
  2. Você não precisa concordar com tudo que o outro diz, mas precisa saber ouvir e respeitar posicionamentos diferentes do seu
  3. Quanto mais você sair da sua zona de conforto, mais experiências enriquecedoras conhecerá. Tente vivenciar por alguns instantes a realidade do outro.
  4. Comparar situações ou dores dificilmente ajuda uma pessoa a sair de um problema. Cada pessoa tem suas próprias experiências e visões sobre o mundo. Por isso, evite diminuir a situação do seu colega

Imagine que seu colega de trabalho está enfrentando diversos problemas pessoais por conta da pandemia, como dívida, parentes hospitalizados e brigas dentro de casa. E não consegue mais trabalhar sem aquele semblante de tristeza. 

Uma pessoa sem empatia poderia simplesmente julgar essa pessoa como “alguém que só anda desanimado e negativo”. 

Porém, muitas vezes se trata apenas de uma fase ruim, em que a pessoa não encontra solução e nem apoio emocional para lidar com suas questões. 

Nessa situação, oferecer algum tipo de ajuda ou simplesmente ter uma conversa empática poderia fazer a diferença. Seu colega de trabalho se sentiria menos solitário ou culpado por esses sentimentos!

O ambiente de trabalho às vezes pode ser um local competitivo e implacável, onde predominam metas altíssimas, fofoca e desgaste mental. Entretanto, você pode fazer diferente

Líderes e gestores têm papel fundamental na criação de um local mais agradável, amigável e saudável para se trabalhar. Não é apenas responsabilidade dos funcionários!

Quais os benefícios desse atributo para as empresas?

Você já notou a importância da empatia no dia a dia. Mas será que ela realmente impacta positivamente as empresas? Sem dúvida!

De acordo com pesquisa da Businesssolver em 2017, cerca de 77% dos trabalhadores estariam dispostos a trabalhar mais horas se a empresa fosse mais empática. Já 80% dos trabalhadores da “geração millennial” disseram que deixariam seus empregos atuais se o novo escritório fosse mais empático.

E o Brasil, será que é um país empático?

Nem tanto!

De acordo com estudo divulgado pela Universidade Estatual de Michigan em 2016, o Brasil ocupava o 51º lugar no ranking de países mais empáticos. Foram avaliadas 63 nações, sendo que os países mais bem posicionados foram Canadá e Estados Unidos. 

Isso significa que a empatia ainda não é uma capacidade muito valorizada em nosso país. E nem é preciso entrar no ambiente corporativo para notar essa realidade. Observamos atitudes e comentários nada empáticos em situações familiares, mídias e redes sociais. 

Sabendo disso, você pode começar a adotar novas estratégias. A empatia é fundamental para criar relações mais profundas e recíprocas. Para sua empresa, ela será benéfica porque:

  • antecipa problemas, por meio da interpretação da linguagem não-verbal do outro;
  • constrói feedbacks humanizados, focados na melhoria e não na crítica;
  • contribui para desenvolver a inteligência emocional, competência cada vez mais buscada e valoriza pelas empresas;
  • eleva a qualidade da argumentação, já que você passa a perceber também o que é importante para o outro;
  • facilita o diálogo e entendimento entre as pessoas, seja qual for o cargo ou setor;
  • melhora a produtividade, uma vez que as pessoas conseguem trabalhar de forma unificada e focada em prol do mesmo objetivo;
  • reduz o estresse causado por discussões, intolerância e mal entendidos.

A empatia é muito mais do que uma competência, mas um valor fundamental para qualquer comunidade. Uma característica essencial para as organizações que buscam crescimento saudável e profissionais mais engajados. 

No próximo tópico, você vai conferir algumas dicas para tornar a sua empresa mais empática!

Como as organizações podem se tornar mais empáticas?

Como vimos, a empatia aplicada no trabalho é capaz de melhorar o clima da organização. Isso impacta diretamente na produtividade e nos resultados de qualquer negócio. 

Mas qual é o passo inicial para tornar tudo isso natural? Fazer da empatia um valor essencial na sua cultura organizacional!

Confira algumas dicas:

  1. Você pode começar incentivando um ambiente em que as experiências de vida são compartilhadas, e não só pelos funcionários mais extrovertidos. Seja também um exemplo. Demonstre curiosidade e interesse pela vida dos outros. Todo mundo tem algo a aprender e algo a ensinar!
  2. Outro ponto é compreender que existem fatores fora do nosso controle, como doenças, chuva, trânsito, e agora a pandemia. Logo, é normal que as pessoas estejam mais ansiosas e estressadas que o normal. Por isso, pense em uma estratégia para os colaboradores desabafarem ou encararem o dia a dia com mais leveza.
  3. Se possível, ofereça ajuda psicológica para orientar os funcionários com dificuldades emocionais. Isso evita que os problemas pessoais prejudiquem o desempenho no trabalho e até relações com colegas.
  4. Não crie um ambiente que busca culpados, mas que busca soluções. Quando o clima da organização é pautado no julgamento e na competitividade, não existe espaço para dúvidas ou erros. Por consequência, as pessoas tendem a se fechar e adotar comportamentos acusativos. Seja uma empresa acolhedora, que abre espaço para diálogo e sugestões. 
  5. Busque e incentive o autoconhecimento. Na maior parte das vezes, somos julgados por fatores como postura, gestos, tom de voz e comunicação em geral. A linguagem corporal é tão importante quanto as palavras. Porém, quando ambas entram em conflito, você pode acabar transmitindo uma imagem negativa (mesmo que não corresponda à realidade). Se você quer liderar com empatia, tenha um tom de voz e postura abertas e convidativas. 

A empatia tem grande importância no ambiente de trabalho, uma vez que torna o ambiente corporativo menos pesado e mais cooperativo. Em tempos de pandemia, essa capacidade tem sido cada vez mais importante para o bom gerenciamento das relações de trabalho!

A empatia com certeza é uma aliada para o seu negócio. Com ela, você se torna mais capacitado para gerenciar equipes, comercializar produtos/serviços e liderar colaboradores em torno de um crescimento saudável. 

 

Se você gostou desse post, aproveite para assinar a nossa newsletter! Assim, ficará por dentro de mais posts como esse! 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Confira outros artigos que você pode se interessar