Profissionais com pouca — ou nenhuma experiência — podem ser um investimento valioso para as empresas. Especialmente aquelas que focam no desenvolvimento de talentos. Para tanto, é importante saber o que avaliar quando o candidato não tem experiência, a fim de ter assertividade na contratação. Alguns dos aspectos que consideramos fundamentais:

  1. contrate caráter, treine experiência;
  2. alinhe as expectativas;
  3. verifique o real interesse do candidato;
  4. foque em habilidades indispensáveis;
  5. construa uma identidade para a sua empresa.

 

Um objetivo esclarecedor no currículo pode chamar a atenção dos recrutadores, mas o que avaliar quando o candidato não tem experiência

Em geral, as palavras contidas no documento não são suficientes para uma decisão assertiva. E é por isso que os seus especialistas de RH têm que conhecer questões que vão além das capacidades.

Neste post, vamos a fundo nesse assunto — afinal de contas, podemos concordar que existem vantagens e riscos, em contratar profissionais sem experiência. E, assim, vamos mostrar para você que existem diversos aspectos a serem observados que permitem uma avaliação completa no processo seletivo. Confira!

Por que contratar profissionais sem experiência?

Quando vamos a um restaurante, por exemplo, temos a tendência de olhar com mais carinho o estabelecimento que tem fila de espera, do que aquele abandonado, sem clientes à mesa ou à espera de uma, certo?

Dizem o mesmo sobre as barracas de pastéis de feira. E com as suas devidas proporções, é claro, muitos recrutadores fazem o mesmo ao longo dos processos seletivos que eles conduzem.

Currículos recheados de oportunidades em grandes empresas, com intermináveis listas de cursos e qualificações, enchem os olhos de qualquer especialista de recursos humanos.

No entanto, uma série de motivos pode limitar o ímpeto e desejo de contratar esses grandes especialistas. Afinal de contas, são profissionais mais disputados e caros — e também que carregam os seus próprios “vícios” e meios de trabalho.

Saber o que avaliar quando o candidato não tem experiência, por sua vez, coloca a sua empresa em uma posição diferenciada no mercado. 

E sabe por quê?

O custo é menor — embora exista um investimento para desenvolvê-lo — e os resultados ocorrem em diversas frentes, como:

  • mais determinação para agarrar com força a sua primeira oportunidade; 
  • engajamento e motivação de sobra;
  • interesse contínuo em aprender;
  • ausência de vícios que podem interferir no seu crescimento dentro da empresa;
  • maior aproximação com a cultura e o perfil da empresa.

Muitos pontos relevantes a serem considerados, não é mesmo?

>> Produzimos um livro digital que apresenta um passo a passo para a produção de um planejamento de recrutamento e seleção assertivo. Clique aqui e acesse agora mesmo!

O que avaliar quando o candidato não tem experiência?

Se existem vantagens em saber o que avaliar quando o candidato não tem experiência e aplicá-las no processo seletivo, existem também os cuidados nessa contratação. 

E o principal deles é, sem dúvidas, o planejamento de treinamento e capacitação de colaboradores. Afinal de contas, o seu investimento deve se traduzir em resultados para ambos os lados. 

O colaborador devolve muito para a empresa, mas ela também tem que oferecer a esse profissional. Do contrário, você só está barateando os custos de contratação, mas não está agregando em nada ao desenvolvimento da sua marca (e à pessoa e profissional contratada).

Assim, reunimos alguns aspectos fundamentais sobre o que avaliar quando o candidato não tem experiência, e que podem ajudar você a enriquecer o processo de recrutamento e seleção. Confira!

 

1. Contrate caráter, treine experiência

A frase acima é bastante popular entre os especialistas de recursos humanos. É também uma das mais precisas e impactantes.

Quando alguém não carrega, no seu histórico profissional, os aspectos técnicos para ocupar uma vaga na empresa, os recrutadores podem focar naquilo já inerente ao perfil dos candidatos.

Afinal de contas, as habilidades, competências e conhecimentos para a realização de atividades podem — e devem — ser trabalhadas por meio de treinamentos. 

 

2. Alinhe as expectativas

Sempre é bom saber quais são os perfis (comportamentais e técnicos) de cada cargo da empresa. Isso facilita a saber o que avaliar quando o candidato não tem experiência — e também quando eles têm.

Em seguida, fica mais fácil descrever a oportunidade, explicá-la aos candidatos e identificar, nas entrevistas e nos testes, quais deles estão com as expectativas muito bem alinhadas com as de sua organização.

 

3. Verifique o real interesse do candidato

Uma boa maneira de saber o que avaliar quando o candidato não tem experiência: o interesse na oportunidade. Isso porque, o país ainda convive com os ecos de crises econômicas e políticas. As taxas de desemprego vêm acumulando altas preocupantes.

E, como reflexo disso, muitas pessoas estão em busca de um emprego — qualquer emprego — do que uma chance de crescer pessoal e profissionalmente na área que eles podem render melhor.

Então, cabe aos seus especialistas em recrutamento e seleção o desafio de diagnosticar quais candidatos podem oferecer, de fato, valor à organização enquanto eles são lapidados por meio de técnicas de desenvolvimento no dia a dia.

 

4. Foque em habilidades indispensáveis

Além do já citado “caráter”, que contempla muito do perfil pessoal do candidato, é possível observar algumas características que podem diferenciá-los no processo seletivo.

Por exemplo: a criatividade, esse combustível para as mentes mais engajadas e que concebem soluções inovadoras a todo instante. Liderança, também, é uma habilidade a ser observada, assim como o raciocínio lógico, a matemática etc.

É importante saber quais delas podem ser usadas em benefício das responsabilidades e atividades que esse profissional vai empreender, caso ganhe uma oportunidade na sua empresa.

 

5. Construa uma identidade para a sua empresa

Por fim, é importante construir um DNA próprio, para a organização. Algo que atraia, gere identificação e aproxime as ações e posicionamentos da empresa com o perfil dos seus colaboradores.

E isso inclui, é claro, aqueles que você quer saber o que avaliar quando o candidato não tem experiência. Tudo porque essa aproximação vai agregar uma lista de currículos mais associados com a sua marca.

É por isso que destacamos, anteriormente, que contratar profissionais sem experiência é um investimento. Faz parte de uma cultura fundamentada na identificação gerada e no auxílio mútuo.

 

Queremos, então, encerrar este artigo ouvindo um pouquinho a respeito do que você tem acompanhado dentro e fora da sua empresa: na sua opinião, o que avaliar quando o candidato não tem experiência? Deixe o seu comentário, logo abaixo, para ampliarmos a discussão sobre o assunto!