O poder feminino na gestão do RH

Ainda que de forma tardia, as empresas começaram a passar por transformações em suas formas de administrar sua força de trabalho e as mulheres têm ganhado mais espaço no ambiente corporativo. Cargos de liderança, anteriormente dominados por homens, agora já contam com a participação feminina. Como exemplo disso, é o domínio da mulher no RH.

A gestão dos Recursos Humanos de uma empresa, passou a ter a presença maciça de mulheres entre os profissionais do setor. De acordo com um levantamento realizado pela empresa de pesquisa Bureau of Labor Stati, 73% dos gerentes de RH são mulheres.

No Brasil, atualmente, a cada 4 profissionais especialistas em RH, 3 são mulheres. Os dados do CAGED de novembro do ano passado estimou que há 84.146 mulheres no cargo, representando 75,2% dos trabalhadores. Em contrapartida, os homens representam apenas 24,8% do total.

O aumento da presença da mulher no RH representa o empoderamento feminino diante do mercado de trabalho. Embora essa ascensão ainda aconteça a passos lentos, em todos os setores, no RH a situação já é animadora. Mas afinal, quais são os motivos que levaram a mulher a dominar a área?

 

Qualificações femininas para o RH

O destaque da mulher no RH se deve às múltiplas qualificações femininas que permitiram o cenário atual. Elas representam a maioria da população e das pessoas com ensino superior e essa área exige profissionais bem preparados e qualificados. Além disso, contam com certas características, que são mais ressaltadas do que nos homens. Entenda:

 

– Empatia

O trabalho no RH de uma empresa exige um profissional que saiba lidar com o próximo. Quem ocupa esse cargo precisa estar em contato e gerenciar um número grande de pessoas, o que resulta em múltiplas variáveis emocionais.

Dessa forma, é necessário que a pessoa tenha capacidade de ver além de simples processos técnicos. Exige uma sensibilidade maior para se detectar as melhores competências de cada funcionário e o que é possível evoluir, identificar problemas que possam afetar a sua produtividade e precisam ser tratados, além de avaliar qual candidato se encaixa melhor para uma vaga.

A empatia é uma característica forte nas mulheres e as ajuda a ter a capacidade de ouvir cada membro da equipe,  melhorando a comunicação de toda a empresa. Isso é um fator essencial para o desenvolvimento profissional das equipes.

 

– Determinação e resistência

As mulheres têm aplicado sua capacidade de superação e determinação no RH e proporcionado melhores resultados para empresa. Elas normalmente, são muito focadas e seguem objetivos facilmente para superar expectativas e cumprir todas as exigências do negócios. Esse foco é essencial para se trabalhar com a gestão de pessoas.

 

– Ser multitarefas

Uma característica predominantemente feminina é ter a habilidade de realizar diversas tarefas ao mesmo tempo e com qualidade. Dessa forma, a necessidade de se lidar com a situação de vários funcionários ao mesmo tempo, gerenciando documentos, tarefas burocráticas, além de monitorar o desempenho de toda a equipe e solucionar possíveis problemas, tem conferido destaque à mulher no RH.

 

– Flexibilidade

A capacidade feminina de compreender e escutar cada voz dentro da empresa permite uma maior flexibilidade para negociar cada situação que envolva algum problema interno. Assim, é atender os funcionários e deixá-los satisfeitos, ao mesmo tempo em que a os negócios não são prejudicados.

A partir dessa flexibilidade, a mulher no RH consegue fornecer as melhores informações para auxiliar os executivos da empresa na tomada de decisões dos negócios.

 

Especialistas concordam que há um conjunto de características vistas com mais frequência no sexo feminino, que as auxiliam a se destacar na atuação em Recursos Humanos. As características citadas acima, além de uma maior capacidade de análise, representam uma abordagem mais estratégica de lidar com as situações do setor e garantir seu sucesso.

Essas características são essenciais para a liderança de RH não apenas pela maior facilidade das mulheres em lidarem com as pessoas, mas também pelas melhores análises e avaliações dos dados corporativos que podem levar a melhores tomadas de decisões.

 

Para se inspirar: O poder da mulher no rh

  • Diane Gherson é um grande exemplo feminino que se destacou em seu cargo de gestão no RH. Ela ocupa um dos cargos de direção de Recursos Humanos na empresa internacional de tecnologia IBM. Graças à ela, a empresa implementou um novo tipo de avaliação baseada em stack-ranking, em que os funcionários são comparados uns aos outros, tanto em resultados quanto em metas para fortalecer a produtividade de toda a equipe.
  • Outra mulher que foi um diferencial para sua empresa é Kathleen Hogan, que na vice-presidência de Recursos Humanos da Microsoft diminuiu a diferença de salários entre homens e mulheres para 0,02 cents. Uma grande luta feminina que ainda continua a acontecer em todo o mundo.
  • No Brasil, também temos Raissa Lumack, vice-presidente de RH da Coca-Cola. Ela auxilia a marca no desenvolvimento da questão da equidade de gênero. Após diversas discussões em um comitê criado para entender o que impedia o crescimento das mulheres na empresa, Raíssa percebeu que os homens também deveriam ser educados para lidarem com a tendência cada vez maior de colegas de trabalho do sexo feminino, muitas vezes ocupando cargos de liderança.

 

Desigualdade de Gênero

A desigualdade de gênero ainda é recorrente na maioria das empresas em todo o mundo e os números são desestimuladores. As mulheres ganham cerca de 30% a menos que os homens exercendo a mesma função. Conforme o salário cresce, a participação feminina ainda cai. Entre aqueles que recebem mais de vinte salários mínimos, apenas 19,3% são mulheres.

A luta feminina por espaço no mercado de trabalho ainda é longa e diversas pesquisas mostram que, ainda que haja uma maior aspiração da mulher por ocupar cargos de liderança, a maioria ainda é  desencorajada a chefiar. Entre os motivos estão as micro agressões que sofrem no dia a dia, a falta de oportunidades ao longo de sua carreira e, ainda, a falta de exemplos de mulheres na liderança.

Independente do tamanho e setor da empresa, as mudanças do cenário no departamento de RH é um grande exemplo para toda a sociedade e empresas se conscientizarem e permitem a evolução de seus negócios.  

A expectativa é de que ainda neste século, pela primeira vez na história, as mulheres superem em número os homens nos postos de trabalho. Portanto, se as empresas souberem aproveitar as habilidades das mulheres, gerando maiores oportunidades para que elas cresçam e se destaquem em seus cargos,  o impacto no mercado de trabalho será, de fato, singular. É essencial que as empresas entendam sua importância nessa luta, ajudando a romper com as fortes hierarquias empresariais moldadas pelos homens.

 

A Xerpa deseja à todas as mulheres um dia incrível e cheio de sucesso! Gostou do nosso conteúdo? Compartilhe nas redes sociais =) 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *